História Dark Love - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Justin Bieber
Personagens Justin Bieber
Tags Romance, Tragedia, Violencia
Exibições 52
Palavras 581
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Violência
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Espero que gostem. E quem migrou de PL para DL
já deve conhecer nossa personagem. Hihi
Boa leitura!!

Capítulo 1 - Darkness


Fanfic / Fanfiction Dark Love - Capítulo 1 - Darkness

Miranda Cosvrey POV'S

Eu olhava pela janela do andar de cima da escola,enquanto esperava o menino do meu lado,tentar resolver a pequena fração que eu havia ditado para ele. Hoje eu teria que ficar duas horas extras na escola,por ter faltado uma semana seguida. Motivo? Meu querido e amado pai,acabou me batendo,e eu não tinha condições nem de vir a escola,muito menos de ir trabalhar.O quê mais me assustava era o salário da lanchonete que eu trabalho,no próximo mês,minhas faltas seriam todas descontadas,e eu teria que me virar.

O menino do meu lado continuava a tentar resolver a conta,a mais de meia hora,ficar duas horas a mais na escola para ensinar alunos com dificuldades,tudo bem,mas esse menino era mais burro que uma porta.

Quanto mais rápido ele terminasse,mais rápido eu sairia daqui,e não chegaria tão atrasada no serviço. Eu trabalhava em uma lanchonete à uns cinco quarteirões da minha casa,para poder suprir as necessidades minhas e de minha irmã mais nova,Chelsea.

Chelsea tinha apenas cinco anos,e todo dia antes de ir ao trabalho,eu à deixada com nossa vizinha,Srt.Mary,com medo de que meus pais pudessem fazer algo com ela. Chelsea não ia a escola,pois uma escola infantil é cara,e por aqui,no bairro onde moramos,as vagas para escolinhas já estavam todas preenchidas. Mas srt.Mary, era uma pedagoga,antes de se aposentar,então Chelsea era uma menina inteligente para sua idade,ela aprendia muitas coisas com ela.

A casa onde nós moramos,é o simples do simples. Apesar de ter dois andares,era minúscula. O lado de fora,não era um dos melhores,o portão já era velho,e eu sempre tinha que aparar a grama,para não virar um matagal.Por dentro,tinha uma sala pequena,uma cozinha que parecia um cubículo,e um pequeno banheiro e uma escada velha. No andar de cima,tinha apenas dois quartos,os dos meus pais,e o meu e de Chelsea.Por pura sorte,meu quarto tinha um banheiro,pequeno mas tinha.Eu trancava a porta do meu quarto,com duas trancas,para garantir que nem Ian,meu pai,e nem Nivía,minha mãe,pudessem entrar,eles sempre tentavam tirar meu dinheiro,mas era uma tentativa falha.

Enquanto pensava em tudo,vi pelo meu celular,que não era nenhum desses modernos de hoje em dia nem nada,era só um celular,que já eram vinte pras duas,e eu precisava correr para não me atrasar para o serviço,eu entrava na lanchonete as duas,e saia só as oito e meia. Arranquei o caderno da mão do menino ao meu lado,e resolvi a fração em um piscar de olhos,taquei o caderno em cima da mesa,e sai as pressas de casa.

Eu tinha repulso dos meus pais,e um extremo nojo de Ian,meu pai. Quando eu tinha apenas sete anos,já sabia muito bem me virar,e comecei a notar olhares dele em mim,eu achava normal,ele era,ou melhor,ainda é,meu pai.Mas foi piorando,com oito anos,foi a primeira vez que ele passou suas mãos asquerosas em mim,quando eu descobri o que ele queria,me senti um lixo ambulante,o que já me sinto a muito tempo.Com o tempo,eu conseguia driblar ele,e ele parou.Mas eu sempre iria ter repulso dele,e de Nivía também. 

-Demorou hoje,onde estava?-Perguntou Ian,assim que eu entrei em casa.

-Não é da sua conta.-Fui curta e grossa.

-Olha aqui garota,eu ainda sou seu pai,eu mando aqui.-Disse

-Pra mandar aqui,você precisaria trabalhar e botar um prato de arroz pelo menos na mesa,mas você só sabe ser esse lixo que você é.-Falei enquanto tinha coragem 

-Se você não sumir daqui agora,eu vou meter minha mão na sua cara,vagabunda.-Dito isso,eu apenas subi para me preparar para ir a lanchonete.Mas antes de ir,passei na dona Mary,e dei um beijo em Chel.


Notas Finais


Foi isso,e foi apenas o começo.
Espero que gostem.
desculpem os erros.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...