História Dark Moon - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias Togainu no Chi
Personagens Personagens Originais
Tags Akira X Shiki, Boy X Boy, Boys Love, Fujoshi, Romance Gay, Terror, Togainu No Chi, Vampiros, Yaoi
Visualizações 36
Palavras 3.219
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Ficção, Lemon, Luta, Misticismo, Romance e Novela, Slash, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Estupro, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Necrofilia, Nudez, Pansexualidade, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 10 - Sutorito


Fanfic / Fanfiction Dark Moon - Capítulo 10 - Sutorito

ストリート 

Akira pov's

2 dias se passaram, vou tentar resumi-los o melhor que eu puder.

Tanto a quarta como a quinta foram chatas e tediosas, nada verdadeiramente interessante aconteceu.

Em casa, papai e akemi ficavam muito pouco, na escola a mesma coisa de sempre.

Shiki não falou com migo, mesmo depois que mandei a mensagem dizendo o endereço da minha casa, ele apenas visualizou a mensagem, nem responder um ''ok'' ele respondeu.

eu como sou vergonhoso não consegui puxar mais assunto com ele, então a conversa morreu ali mesmo, na escola shiki não me tratou diferente, ele não falou com migo, e as poucas vezes que direcionou o olhar para mim, eu desviei disfarçando.

Uma dessas vezes foi no recreio, peguei shiki olhando para mim, do mesmo banco distante de antes, ele me olhava fixamente, eu fiquei com vergonha e desviei o olhar rapidamente, disfarçando puxei assunto com o rin que estava sentado ao meu lado.

Nano continuava estranho, respondia muito pouco e quase não puxava assunto.

Kei faltou quarta, e só foi quinta, ele ficou o tempo todo com nano, o que me deu menos espaço ainda para tentar conversar com maior.

Rin não me contou o que ele disse '' que falaria depois'', apenas enrolou e no final mudou de assunto, dizendo que na festa de sexta (o nano convidou o rin para ir também), ele falaria com migo melhor, então não dei mais importância.

Falei com minha mãe e com a yumi.

Mamãe pediu desculpas pela demora e mandou algumas fotos, agora ela está em Roi Et, ela me contou um pouco sobre o lugar e disse que está com saudades.

Nem perguntei da kate.

Já a sra.yumi me respondeu daquele jeito, ''oi'', ''oi''.

Yumi estava distante, queria perguntar se algo estava acontecendo, mas fiquei sem tempo.

Tenho trabalhos para fazer e provas para estudar, fora as minhas series que tenho que pôr em dia.

Seja lá o que for que yumi tenha não e nada sério se não ela provavelmente já teria me falado.

E foi isso, nada legal ou diferente, sempre a mesma mesmice de sempre.

>< tempo, sexta 7:00 pm ><

Estou de toalha enrolada na cintura escolhendo alguma roupa no armário do meu quarto, depois de analisar pensativamente as roupas lá dentro, peguei algumas peças nos cabides e roupas intimas na gaveta de madeira logo a baixo.

Deixando a toalha cair no chão, coloquei as roupas apressadamente, passei um perfume barato e baguncei meus cabelos úmidos.

Fui para frente do espelho ver como fiquei, estou vestindo uma calça jeans preta justa, um all star verde surrado, uma blusa laranja simples, e por cima da blusa meu casaco de frio verde-escuro com pelinhos brancos na touca.

Meu colar está descansando sobre o meu peito, meus cabelos como estão molhados atingiram uma coloração mais escura ficando quase um castanho escuro.

Baguncei meus cabelos de novo, percebendo como meu rosto esta pálido e com olheiras em volta dos olhos, meus cabelos estão mais grandes que antes, as pontas molhadas já estavam passando do ombro.

Depois de analisar novamente meu corpo, fui até o futon pegando meu celular que estava lá em cima.

Rin me mandou uma mensagem, dizendo que estava pronto, e que iria nos encontrar na frente da boate.

Eu respondi um ok.

A sexta feira foi igual aos dias anteriores, nada de bom aconteceu, e shiki faltou hoje, o que só deixou meu dia ainda mais chato, estava na esperança do maior falar com migo sobre o trabalho de amanhã, mas ele aparentemente não se importou de ir à escola.

Respirei fundo guardando meu celular no bolso e pegando meu fone preto que estava em cima da mesa do computador, depois sai do quarto apagando a luz e fechando a porta atrás de mim.

~~ agora só falta esperar o nano se arrumar.

><

Fiquei sentado no sofá da sala olhando akemi assistir a um programa de culinária, ela estava usando um pijama folgado sentada de um jeito relaxado no sofá, seus olhos estavam totalmente focados no cara de tv, que ensinava como fazer um Yakitori "焼き鳥", akemi surpreendentemente não me perguntou nada, nem para onde eu e nano iriamos, a única coisa que ela fez foi responder minha pergunta sobre onde estava o meu pai e porque ele não estava ali junto dela, ela respondeu falando que papai iria trabalha até mais tarde hoje, e que ela saiu mais sedo.

Depois de 5 minutos tediantes, nano saiu do quarto e venho até a sala, ele trajava uma calça jeans azul escuro, um casaco de frio preto grande que ia até o começo da sua coxa, e um tênis também preto, seus cabelos claros estavam esparramados pelo seu pescoço, nano estava com um semblante fechado, seu olhar estava estranho, parecia mais irritado do que antes.

Nano me chamou com a mão, fazendo um gesto para eu segui-lo, me despedi de akemi e o segui sala a fora.

-nano você não vai falar nada para sua mãe?- perguntei baixinho perto do ouvido dele, enquanto saiamos para fora da casa, entrando no jardim.

-eu já falei para ela quanto você se trocava-. Ele respondeu sem me direcionar o olhar.

Nano abriu a porta da frente, e saímos para fora.

Fiquei olhando para o céu escuro, quase sem estralas, enquanto nano trancava o portão.

Respirei profundamente o ar noturno frio, e olhei para nano, que estava se virando para andar.

-ela deixou? ela falou com o meu pai?- perguntei seguindo o maior que já tinha começado a andar.

Nano me olhou de lado, seu olhar estava frio.

-akira...não somos mais crianças se é que você percebeu, se minha mãe deixar seu pai vai deixar, então não se preocupe você está com migo, não vou deixar nada acontecer com você-

Nano disse isso com uma voz fria, mas suas palavras de alguma forma fizeram meu coração pulsar mais forte.

-nano....eu..obrigada.....porque você está assim?, algo aconteceu? Eu fiz algo para você?- disse eu, finalmente perguntando para nano o que ele tinha.

Nano parou bruscamente, fazendo-me parar junto com ele, ele me olhava com um olhar perdido, eu não consegui decifrar sua expressão.

-eu....-

Nano for cortado por uma voz alta e irritante.

-EIIII AKIRA-SAN NANO-SAN- keisuke venho correndo em nossa direção, ele está vestindo uma calça jeans clara, com um tênis azul, usa um casaco xadrez amarelo por cima da blusa branca, seu cabelo está totalmente bagunçado com gel.

- Estavam passando reto!!! Minha casa fica nesse quarteirão!!!- disse kei com uma voz ofegante pela corrida até aqui.

-Desculpe kei-eu e nano falamos ao mesmo tempo.

~~ já estávamos no quarteirão do kei? Nem notei isso!

-ola akira! Falou para sua mãe que viria aqui hoje?-

~~ mãe? Minha mãe? Bom eu não falei nada...mas se meu pai sabe está ok!

-meu pai sabe- respondi apenas.

Kei riu.

-e a sua sabe keisuke?- perguntou nano irônico.

Kei deu de ombros teatralmente rindo.

-quem sabe ne?, me sigam vou mostrar o caminho da boate, rin está nos esperando lá!-

E assim eu e nano fomos atrás do kei.

><

O caminho infelizmente foi bem longo, nano e kei foram na frente conversando sobre a boate e mulheres, já que kei começou a falar das '' amigas'' dele que iriam lá hoje.

Eu como não tive espaço e nem interesse fiquei atrás dos dois.

Fiquei pensando e olhando os lugares ao redor, casas, prédios , parques, algumas pessoas que passavam por nos.

Notei também que a noite estava ficando mais fria.

~~ tentei falar com nano, perguntar o que ele tinha, será que era algum problema pessoal que ele não queria me contar? será que era algo com migo?...espero ter a oportunidade de perguntar para ele isso ainda hoje.

Nano e kei viraram uma esquina, que dá para dois quarteirões cheios de lojas e restaurantes 24 horas, ao lado direito depois de um restaurante fica uma praça cheia de bancos, com inúmeras arvores floridas e postes de luzes com abajures redondos virados para baixo, notei também, passando perto, que na praça avia trilhas de pedras que levavam a um lago de carpas, tudo ali era muito bem iluminado.

Não consegui ver mais nada porque tive que me apressar para seguir nano e kei.

Os dois atravessaram a rua, PRATICAMENTE me esquecendo atrás, corri um pouco para acompanha-los.

Estávamos no lado esquerdo da rua agora.

A minha frente keisuke não parava de falar com nano, que respondia muito pouco.

Eu prestava a tenção agora nas lojinhas de 1,99 que passavam ao meu lado, até que no final da esquina consegui ouvir um som de música abafado.

~~ será que eu deveria contar para minha mãe sobre estas festas que vou?

Chegamos na frente de algo que definitivamente era uma boate, ela era alta e preta as portas duplas grandes estavam apertas dando lugar a uma fila de pessoas que queriam entrar lá dentro enquanto outras saiam.

Dois homens vestidos de preto ficam um de cada lado da porta, já dentro da porta ficava uma bilheteria com uma mulher dentro, as pessoas pagavam e entravam, e depois ganhavam um papel que a mulher dava.

Logo em cima da porta negra esta uma placa de neon vermelho que fica piscando freneticamente, é escrito na placa  ''blood''.

Parei ao lado de kei.

- oky, o que são estes papeis? – Perguntei para kei, olhando as pessoas parando na fila.

- E open bar, isso e algo ocidental, mas os caras daqui curtiram a ideia- kei falou um pouco alto, ao nosso lado tinha um grupo de jovens rindo.

Nano apenas cruzou os braços e disse.

- open bar pago? E deixam entrar menores?- perguntou nano olhando ao redor com seu semblante de tedio falsamente disfarçado de divertimento.

Kei sorriu de lado se espreguiçando.

- eu sou amigo do dono da boate, e para sua informação esse dinheiro e apenas uma '' ajuda '', você pode dar qualquer valor do menor ao maior –ele falou, com uma satisfação mutua.

Eu ri baixo, nano deu de ombros nada interessado.

- kei me responde, qual boate o dono não e seu amigo?- perguntou nano enquanto olhava o movimento de saída da boate.

Kei fez um gesto com a cabeça.

- uma que ainda não abriu kkkkk-

Kei então foi com nano até a bilheteria, provavelmente conversar com a moça de lá, eu fiquei de braços cruzados olhando em volta procurando rin, até mesmo kau e gunji.

~~ parece que ninguém se lembrou que rin também viria!

Do meu lado a fila só aumentava mais e mais.

Minutos depois nano e kei voltaram conversando entre si, kei fez um gesto para mim ir até ele, eu pisquei tentando entender, depois fiz o que ele queria.

- o que foi?- eu disse me aproximando.

Nano olhou para mim e depois desviou a atenção.

- e o seguinte, nós vamos entrar ...mas por favor akira não faça nenhuma merda lá dentro, somos de menor e se chamarmos muita a atenção vai dar ruim para nós e para o shang, o dono da blood-

Kei falou tudo isso com um ar de divertimento, como se fosse legal frequentar boates +18 você ainda sendo de menor.

Sem mais perguntas eu apenas fiz que sim, e fomos nos três para dentro da boate, passamos pela bilheteria e entramos nas portas negras gigantes, do lado de dentro era o mesmo de sempre, paredes negras com ledes coloridas oscilando em todos os lugares, no chão se entendiam fios de neons azuis e brancos.

O som eletrônico abafado de fundo, pessoas entrando e saindo.

- akira- chamou nano perto do meu ouvido, eu virei-me assustado para olha-lo

-essa boate e diferente da que fomos, essa aqui tem muita mais pessoas, então fique perto de mim- ele continuou, seu rosto estava com sombras coloridas projetadas pelas leds.

Eu fiz que sim com a cabeça rapidamente.

Depois de andar um pouco já estávamos dentro da boate, o som era intenso, um eletrônico psicodélico muito alto, a boate era, do lado esquerdo uma escada que dava em um amplo espaço, e nesse espaço estava um bar que cobria toda uma parede, o bar era cheio de luzes picantes, até mesmo as cadeiras, atrás do bar ficavam os bar mens que serviam bebidas de um lado para o outro, que eu pude contar vi 20 bar mens só atrás do bar.

Em frente ao bar estavam inúmeras mezinhas com 2 cadeiras, as mesas cheias de neons, alguns casais conversavam nas mesas enquanto bebiam coisas coloridas, ou que saiam fumaça.

No lado direito estava apenas uma pista de dança gigante lotada de gente dançando e pulando, em cima no teto luzes e mais luzes e mais lasers de tudo que é cor inundavam o local.

Pude ver ao fundo umas placas grandes de neon vermelho na parede, uma dizia '' saída de emergência'' em japonês, e a outras '' banheiro feminino e masculino''.

Na pista de dança só tinha a pista mesmo, não avia nada para se sentar. Pelo o que eu pude ver.

Observando mais, notei as gigantes caixas de som nas paredes, uma em cada parede, elas eram pretas e cobriam quase toda as paredes.

- bom, é simples- gritou o kei,- mas e intenso – ele deveria estar se referindo a boate.

Depois de dizer isso ele deu um tapinha no braço do nano e saiu dizendo que iria pegar uma bebida e que se rin chegasse era para manda-lo entrar de boa.

E lá estava eu sozinho com o nano de novo vendo kei se enfiar na pista de dança.

-Estamos no caminho! Vamos para uma mesa- nano gritou, e eu o segui até as mesas, descendo as escadas e depois subindo as do bar.

Olhei de realce para a pista, e notei que ela era muito mais grande do que eu pensei, não consegui ver nem a metade dela de onde estava antes.

Deveria haver um bar mais para o fundo da pista.

Segui nano até uma mesa, uma das primeiras, ele se sentou e eu a sua frente.

A música é intensa até mesmo aqui.

- Aqui e muito iluminado- disse nano rindo.

Sim, e realmente é, desconfio que em todo canto a uma led.

- cadê o kei?- perguntei alto.

Nano olhou ao redor, seu cabelo balançando com o movimento.

- sei não !- respondeu.

~~ eu poderia tentar falar com ele agora? Continuar o assunto de antes... mas essa música está muito alta!

- nano....- comecei.

- Bebidas de graça para o casal, todo casal ganha duas doses de whisky de graça- disse uma bar girl animada, ela estava dançando levemente ao som da música de fundo, em suas duas mãos, estavam dois copos cheios, ela os colocou na mesa e sorriu.

- não somos um casal- nano respondeu enquanto ela se virava para sair.

Ele me olhou, estava tão sem reação quanto eu.

Depois nano deu de ombros e começou a virar o copo.

Eu como estou envergonhado demais para fazer algo, e também sem saber o que falar ao certo fiquei olhando quem entrava e quem saia da boate ao longe.

Muita mais muita gente entrava, tanto na pista como no bar onde eu e nano estamos.

Olhei para nano novamente, ele me olhava sério agora.

- o que foi?- perguntei alto.

Nano se espantou, como se eu o tivesse acordado.

- na....da, vai beber isso?- apontou para meu copo de whisky intocado .

Fiz que não, então nano o pegou, bebendo-o também.

~~ acho melhor mandar ele parar de beber isso.

-nano maneira na bebida- falei me inclinando um pouco para perto dele.

Nano bateu o copo na mesa com um banque, e olhou para mim serio novamente, mas quanto eu olhei nos seus olhos, parecia que brilhavam com um divertimento fascinante.

Ele levou uma mão até minha bochecha, meu celular vibrou no bolso, assustado e constrangido pelo afeto inesperado arrumei minha postura rapidamente, nano desviou o olhar.

Peguei meu celular e vi que era uma mensagem de rin, a abri.

~ cadê você akira? Estou na frente do blood~

~ estou aqui dentro com nano, entra aqui~

Desviei o olhar do celular por um segundo, e parece que meu coração deu um salto.

vi saindo da boate, um homem todo de preto com um cabelo grande e liso que ia até os ombros estava andando para a saida, passando calmamente pela multidão, foi como se o tempo tivesse parado.

~~shiki?...esse cabelo....è ele!!!!!

Me levantei apressado, por impulso peguei o celular e olhei para nano.

- onde vai?- ele perguntou alto, confuso pela minha mudança súbita de comportamento.

-......minha mãe está me ligando....vou lá fora atender e já volto- eu respondi nervoso.

Nano me encarou e deu de ombros.

Me virei e sai apressadamente do bar, desviando das pessoas que entravam

~~ que merda estou fazendo? Porque estou fazendo isso?

Descia as escadas em um pulo, olhando para a saída, a tempo de ver shiki no fundo do corredor iluminado pelas leds, entrei no corredor rapidamente passando por todos com pressa, as luzes e a música parecia deixar tudo mais intenso e emocionante, me senti em um filme de perseguição americana.

Sentia a adrenalina pulsar dentro de mim.

Logo já estava na saída da boate, ainda segurando meu celular na mão, o olhei e o guardei com presa.

Olhei ao redor, o vento noturno batendo no meu rosto transmitindo diversos arrepios por todo meu corpo.

Andei um pouco mais para fora, ainda olhando ao redor, procurando qualquer sinal de shiki.

Até que o vi, um pouco distante, andando na mesma rua da boate, só que muito mais para a frente.

Ele avia atravessado a rua e já estava em outro quarteirão.

Me apressei em segui-lo, desviei de um grupo de jovens e esbarrei em uma garota, pedi desculpas sem nem olhar para ela.

Estava quase chegando ao final da rua prestes a atravessá-la quando sinto alguém pegando o meu braço e apertando, me puxando com força para perto.

Senti as mãos pequenas e logo adivinhei quem era.

Rin.

- ONDE .....você pensa que vai koyama?, porque não me respondeu?- rin perguntou me olhando com seus olhos azuis artificiais.

Eu aspirei, a adrenalina ainda pulsava em minhas veias.

- preciso buscar agua e algo para comer.....- minha voz saiu ofegante pela adrenalina,- e só você entrar....fala que conhece o keisuke, vão te deixar entrar...o nano esta lá no bar....-

Rin continuava a me prender, só que agora ele me olhava intensamente, como se buscasse uma expressão de mentira em meu rosto.

- e serio rin!, agora preciso ir- me soltei da sua garra e comecei a andar rapidamente de novo.

- te vejo lá dentro!- gritei para rin, que ficou parado na esquina me olhando sem entender nada e visivelmente desconfiado.

~~terei que explicar isso para ele depois, rin não e fácil de enganar.

~~ na verdade nem eu sei porque estou indo atrás do shiki, só....não consigo controlar essa vontade louca de segui-lo por algum motivo.

~~ o que direi a ele quanto alcança-lo? ....será que devo segui-lo nas sombras?....porque sinto essa vontade incontrolável de segui-lo? O que espero?...

~~ essa sensação de que já fiz isso antes.....

Não consigo controlar a exorada de pensamentos e duvidas, não consigo nem controlar minhas pernas que parecem se mover sozinhas atrás de Watanabe.

Fim...

 


Notas Finais


obrigada a todos que leram ate aqui <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...