História Dark Paradise - Capítulo 122


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Selena Gomez
Personagens Selena Gomez, Zayn Malik
Tags Dark, Drama, Paradise, Revelaçoes, Romance, Selena Gomez, Sexo, Suspense, Zaylena, Zayn Malik, Zelena
Visualizações 135
Palavras 1.378
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Festa, Hentai, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Suspense, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oii bebês, não aguentei a emoção e tive que vim postar. Agradeço pelos comentários e espero que gostem desse tbm. Bjs, amo vcs ♥

Capítulo 122 - Harry - locked in the freezer


Fanfic / Fanfiction Dark Paradise - Capítulo 122 - Harry - locked in the freezer

Narradora on 

Harry batia o queixo, enquanto abraçava o próprio corpo, tentando se aquecer. O ar condicionado estava no máximo, e não tinha nenhum jeito de se esquentar ali. Ele sabia o porquê daquilo. Quando era criança, seu pai o trancava no freezer, como castigo, mas ele nunca superou aquilo, deixou feridas em seu coração e sua alma. James realmente estava passando dos limites, ele realmente queria destruí-los física e psicologicamente. 

- Clima agradável, não acha, Styles? - o homem estava encostado no batente da porta, com a sobrancelha arqueada, adorando ver o cacheado bater o queixo. - Isso te lembra alguma coisa? Talvez seu pai? 

- Não fale do meu pai! 

- Ele é tão ruim assim? - puxou a cadeira, para mais perto dele. - Quero saber sobre essa história. 

- Não quero falar sobre isso. 

- Vai ter que falar. Ou você quer que eu machuque a Martinez? 

- Não faça nada com a Chloe. 

- Comece a me contar. - cruzou os braços. Ele sabia que Harry evitava falar sobre o pai, porque toda vez que o fazia, não conseguia conter as lágrimas e algo dentro dele se quebrava. 

Eu tinha três anos quando ele agrediu minha mãe pela primeira vez, me lembro como se fosse hoje. Ela estava fazendo comida, enquanto eu brincava com meus bonecos da Marvel, no sofá da sala. Mamãe colocou à mesa, e me chamou para comer. Já faziam duas semanas seguidas que comíamos arroz com ovo. Ela não podia trabalhar, porque precisava cuidar de mim e há alguns dias ele começou a dormir fora, gastar todo o dinheiro que tínhamos e andava estranho. Eu estava contando para a mamãe como gostava de brincar com aqueles bonecos, quando ouvi a porta se abrir. Ele entrou, cambaleando, com uma garrafa de bebida alcoólica nas mãos e uma marca de batom em sua camisa. 

Arroz com ovo de novo? 

- É só o que temos. Você gastou o dinheiro das compras com bebida. 

- Sim, eu gastei, sabe por que? É meu dinheiro, que ganhei com o meu trabalho. Pelo menos eu faço alguma coisa, não fico em casa o dia inteiro sendo um inútil. 

- Você sabe que eu não trabalho por conta do Harry. E esse batom na sua camisa, está me traindo agora? 

- Ela é dez anos mais nova que você. 

- Quero me separar. 

- Separar? - gargalhou alto - Acha que alguém vai te querer, acabada do jeito que está? Você não se arruma, está parecendo um cadáver. - falou enquanto dava mais uma garfada em sua comida. 

- Não vou admitir que fale assim comigo, vá embora! 

- Se esqueceu que essa casa é minha? - se levantou, caminhando até ela - Quem você pensa que é pra falar assim comigo? Se eu quiser, jogo você e esse moleque na rua. 

Você não é homem! É um covarde!

- O que disse, sua vagabunda? - apertou o braço da minha mãe. 

- Por favor, pare com isso, Harry está vendo tudo. 

- Eu não me importo, ele precisa mesmo aprender como se trata uma mulher. Você é inútil, não presta pra nada! Feia, acabada, ninguém vai te amar se não for eu. Aprenda a falar comigo! - ele a jogou com toda a força no chão e eu não conseguia engolir aquilo. Me levantei, mesmo com meus bonecos da marvel em mãos e fui até ele. 

- Largue a mamãe! - chutei sua perna e ele me pegou pelos cabelos. 

- Não ouse me desafiar, catarrento, ou eu te tranco em um orfanato e você nunca mais vai ver sua mãe! - me jogou contra os armários da cozinha e eu senti uma forte dor em minhas costas. Logo ele pegou meus bonecos e jogou no triturador. Viraram pó. Eram os únicos brinquedos que eu tinha, havia ganhado do vovô, que já havia morrido. Depois daquilo, a situação só piorou. Conforme fui crescendo, tudo piorou. Mamãe estava cada vez mais depressiva, e foi quando ele começou a me trancar no freezer. Quando eu tinha quatorze anos, minha mãe se matou. Não aguentava mais viver daquela forma, mas eu sei que ela me amava. Minha avó materna encontrou sua carta de despedida e, ficou horrorizada. Então, pegou minha guarda e eu fui morar com ela, depois disso nunca mais vi meu pai. Minha avó morreu há pouco tempo, e eu me senti sozinho outra vez. Meu pai apareceu recentemente, querendo reconciliar, porque soube que eu estava milionário, e foi muito difícil lidar com aquilo, mas eu consegui mandá-lo para bem longe.

Que história linda, é quase tão linda quanto a de James. Oh, você está chorando? Homens não choram... 

- Me deixa em paz, por favor! 

- Você acha que acabou? Vamos, tenho uma surpresa pra você. - desacorrentou o garoto, que mal conseguia andar, seu corpo estava fraco, pois não comia há dois dias, e sua mente não o deixava em paz. Caminharam até uma espécie de porão, mal iluminado e sujo. Chloe e Ashley estavam sentadas sobre cadeiras, acorrentadas, com fios por todo o corpo. Elas choravam e ele arregalou os olhos quando as viu. 

- O que é isso? Solte as meninas agora! 

- Calma, isso depende de você. Prepare-se para o show, Styles. - encheu o Freezer com blocos de gelo, sorrindo malicioso. Harry não sabia o que esperar, seu coração estava acelerado, sua boca seca, e tudo o que ele mais queria era resgatar as pessoas que amava, mas como o faria se não tinha forças para correr nem até a porta? 

- O que eu tenho que fazer para deixar as meninas irem? 

- Calminho aí, cacheado! Sente-se, porque a brincadeira só está começando. Eu vou fazer algumas perguntas, tente acertar, ou elas sofrerão as consequências. Vamos começar. - suspirou - Qual o nome do primeiro presidente dos Estados Unidos da América? 

- John Adams? 

- George Washington. Quem você escolhe para sofrer a consequência? 

- Eu. 

- Essa opção não existe. 

- Não faça nada com elas, faça comigo. 

- Ok, se não quer escolher, eu escolho. Acho que escolheria ela, só tem medo de falar. - apertou o botão que fez com que Ashley levasse choques. A garota agora tinha lágrimas nos olhos e babava, enquanto se debatia na cadeira. 

- Por favor, não faça isso com ela! Por favor! - as lágrimas escorreram por seu rosto, ele estava ficando desesperado, então James apertou o botão novamente, e os choques pararam. 

- Agora entende a gravidade dos seus erros? - e assim continuaram a brincadeira. Ele acertou algumas questões, mas não pôde evitar que Chloe também se machucasse. E doía muito ver as garotas pagando por seu erros. Por mais bravo que estivesse com Ashley, entendia que ela não merecia passar por aquilo. 

- Por favor, deixe as garotas irem. Ashley está grávida.

- Agora é a melhor parte, terá que se decidir rápido, Styles. Qual das duas merece levar o choque fatal, sua amada, ou a garota que te enganou e fez da sua vida um inferno? Acho que já sei a resposta. 

- Não, nem uma delas merece! Não tem outra alternativa? 

- Sim. Você entrar naquele freezer e ficar por duas horas e meia, trancado. 

- Eu faço. 

- Tem certeza, cacheado? Isso não te trás lembranças ruins? Não é bem mais fácil acabar logo com isso, escolhendo a Ashley? 

- Eu já disse que entro na droga do freezer! - tirou a camisa, a calça jeans que vestia e se preparou para entrar. Aquilo era um tortura para ele, mas se era para salvar a vida de quem amava, ele faria. Colocou os pés e sentiu o gelo fazer com que seu corpo se arrepiasse. Então, ele se jogou por inteiro e James o trancou lá dentro. Harry só conseguia pensar em como sua vida estava um fracasso, como havia errado com Ashley, hoje enxergava que não precisava ter magoado a garota. Percebeu que podia fazer mais por sua mãe, e que talvez, se pedisse ajuda para alguém, ela ainda poderia estar viva. Harry estava se sentindo um fracassado, e os choros de Ashley e Chloe só confirmavam isso. Ele estava ali, abandonado para morrer, próximo de uma hipotermia. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...