História Dark Paradise (Imagine EXO) - Capítulo 10


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Imagineexo
Exibições 151
Palavras 1.060
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hi

Capítulo 10 - Novo amigo.


Fanfic / Fanfiction Dark Paradise (Imagine EXO) - Capítulo 10 - Novo amigo.

Eu nunca passei por algo tão estranho na minha vida. Quem era aquele garoto? Um assassino?

Porque tanta aglomeração por conta de uma dança? Ou melhor, um único beijo?

Fui levada para casa logo após tirarem o rapaz do local, ninguém me explicou nada.

Eu definitivamente estava tendo a pior crise de raiva da minha vida!

-Agora me respondam! Qual é o problema de vocês? -gritei para as duas assim que passei pela porta. -E aquele papo de conhecer pessoas novas? De esquecer tudo o que aconteceu? -eu já estava chorando enquanto as duas apenas me olhavam assustadas com minha reação.

-S/n por favor não briga com a gente. -falou Virgínia com a voz embargada, parecia estar prestes a chorar.

-Ai meu Deus do céu! -segurei meus cabelos. -Porque aquilo tudo?

-Só queremos te proteger. -disse Karen.

-Proteger de quê? De um garoto que me beijou? -ri irônica.

-Ele não é só um garoto que te beijou! -ela continuou.

-E quem era ele então? -eu já estava prestes a explodir.

-É melhor conversarmos amanhã! -disse Karen.

Eu nem quis responder, apenas caminhei para o meu quarto e tranquei a porta.

Qual era o problema delas? 

Eu já sou bem grande para lidar com meus problemas.

Pobre rapaz, nem dá para imaginar a vergonha que ele sentiu!

Eu precisava chorar, era minha única forma de alívio. Minha vida seria tão ruim assim?

Agora eu sinto falta do Brasil, da minha família. Principalmente do carinho da minha mãe.

Essas lembranças só me fizeram chorar mais ainda, até a hora de dormir.

 

                            (..........)

 

Acordei com a pior dor de cabeça  da minha vida. 

Vou no banheiro, tomo um banho quente para tentar relaxar um pouco. O clima hoje está frio, pelo menos isso.

Ainda estava de saco cheio, realmente não queria estudar ou ver as meninas. Ainda era cedo, então, vou sair e tomar um ar!

Vou andando em direção a porta, e não vejo nenhuma delas, provavelmente estão dormindo.

E para piorar meu estado, quando abro a porta dou de cara com outro maldito buquê.

Peguei aquela droga do chão e sai praguejando mentalmente.

Não fazia nem questão de ler o que tinha no cartão, jogaria na primeira lata de lixo que encontrasse!

E foi isso que fiz, estava cheia de tudo e de todos.

Caminhei apressadamente até um parque e me sentei, soltei as lágrimas que estavam presas, foi melhor, elas estavam me sufocando!

-Porque uma mocinha tão linda está chorando? -falou alguém se aproximando de mim.

 

Eu nem precisei levantar minha cabeça para saber quem era.

-Você está se sentindo bem? -disse aparentemente preocupado.

-Estou ótima! -falei sem olhar para cima.

-Não é o que parece. -ele disse se sentando ao meu lado. -Quer conversar?

-Sim! Mas, mesmo que você fosse a última pessoa no mundo eu não conversaria com você! -falei rude.

-Bom, primeiro você  já está conversando comigo. -disse irônico. -E segundo, eu achei que já tínhamos nos resolvido.

-Sim, mas isso não significa que quero você perto de mim Channie!

-Tudo bem. -ele suspirou, parecia chateado.

Eu tinha pensado que ele iria embora, mas não foi, ficou sentado do meu lado.

 Eu só queria ficar sozinha e chorar, mas aquele babaca estava me atrapalhando.

 

Depois de longos minutos de silêncio, ele resolve abrir a boca.

-Deus do céu! Você vai chorar o dia inteiro? -falou irritado. -Sério! Eu estou aqui, e posso conversar com você se quiser.

E lá estava eu, com minha cara feia. Jogaria minhas palavras em cima dele, alias, faria isso até com um morador de rua, precisava urgentemente desabafar! 

Pensando bem, eu nem tinha olhado para ele ainda.

Levando meu rosto e olho para ele que estava me fitando com expectativa. Ele estava vestido com roupas pretas, todo coberto com roupas de frio.

-Espera! O que você.... -parei para raciocinar. -O que você esta fazendo aqui?

 

Realmente sua aparição era um tanto estranha. 

O que ele faria do outro lado da cidade tão cedo? Sozinho?

-Eu estava indo ver um amigo e acabei te vendo aqui. -disse me olhando.

-Ah! -falei sem graça.

-Então,  quer conversar? -ele parecia empolgado para conversar comigo.

-Na verdade eu não tenho nada, só estou meio na bad hoje!

-E o que te deixou meio na bad? -peguntou.

-Tudo isso! -falei abrindo meus braços. -Minha vida está indo de mal a pior.

-Eu te entendo. -ele deu uma pausa. -Quando amigos você já tem aqui no Japão?

-Nenhum. -falei envergonhada.

-Seus problemas começam por aí. Você precisa sair, conhecer gente e se divertir! -falou animado.

-Porque esse ânimo todo, hein?

-Porque agora você já tem um amigo! -falou sorrindo.

-Ai meu Deus! -falei me levantando do banco, já estava cheia da palhaçada daquele garoto.

-Ah, qual é? -disse se levantando também. -Eu só quero te ajudar!

Eu apenas não dei ouvidos à suas palavras e continuei andando, podia escutar seus passos atrás de mim.

-Quando você vai largar de ser durona, hein? -falou segurando meu braço, me fazendo para de andar. -Eu só quero te ajudar! -falou e me abraçou.

Eu não quis retribuir o abraço.

-O que acha? -falou me soltando.

-Tudo bem! -falei sem me importar e ele me abraçou novamente. -Para de abraçar, daqui a pouco você me esmaga!

-É quase inevitável. -falou sorrindo enquanto eu revirava meus olhos.

- É melhor você ir para casa! -falei voltando para o banco.

-Porque? -ele perguntou.

-Aliás, você não estava indo ver uma amigo?

-Sim; Droga eu até esqueci. -falou olhando pro relógio. -Já é tarde ele já deve ter saído.

-Que pena!

-Não tem problema eu ligo para ele depois. -disse olhando o relógio novamente.

-Você não é um k-Idol? Imagina se seus o verem aqui.

-Aqui? -ele caiu na gargalhada. -Ninguém vem aqui, só você. Esse lugar está praticamente abandonado!

-Que bom que está abandonado, odeio dividir coisas com os outros! -falei de forma possessiva.

-Mas vai dividir esse local comigo, não seja tão

possessiva! -falou bagunçando meus cabelos.

-Para com isso Channie! -falei brava com ele.

-Prazer, Park ChanYeol. -falou esticando a mão na minha direção.

-O que? -falei sem entender.

-Nunca fomos apresentados devidamente, meu nome é ChanYeol! - ele com cara de pervertido.

-Nem tinha reparado, meu nome é S/n!

-Devemos começar do zero, que tal um café? -falou sorridente.

-Com essa cara de cachorro pidão, é difícil negar! -falei sorrindo. -Vamos!


Notas Finais


Gente por hoje é só.
Estou na bad, eu sou fã do BTS e não vou para o show deles ano que vem. :(
Até o próximo. Comentem por favor <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...