História Dark Paradise (Imagine EXO) - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Imagineexo
Exibições 145
Palavras 1.215
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hi

Capítulo 12 - Parquinho


Fanfic / Fanfiction Dark Paradise (Imagine EXO) - Capítulo 12 - Parquinho

-Bom dia pessoal -disse minha professora de biologia ao entrar na sala. 

Estava tão frio que eu estava praticamente congelando na cadeira

-Resolvi trazer mais um trabalho, mas desta vez será mais interessante. -falava enquanto nos entregava algumas folhas.
Assim que ela deixou o folha em cima da mesa eu consegui ler o tema principal.

Qual era a necessidade daquilo?

-Eu quero que vocês façam um estudo psicológico sobre o sadomasoquismo. Quero que vocês levantem hipóteses sobre o que leva as pessoas a praticarem esse ato durante o sexo. Gostaram? -ela parecia muito empolgada, assim como alguns alunos.

Não havia motivos para toda essa empolgação.

                               

                                    (..........)

-Minha professora passou um trabalho sobre sadomasoquismo! -falei para as meninas enquanto íamos para casa.

-E qual é problema? -disse Virgínia rindo.

-Qual à necessidade disso? -falei indignada.

-Isso vai ser bom pra você, quem sabe você não aprende. -disse Karen

-Aprender o que? -falei assustada.

-As técnicas! -disse rindo.

-Não quero aprender técnica nenhuma! -disse assim que cheguei na frente de casa.

-Parece que seu admirador se atrasou hoje. -disse Karen pegando o buquê do chão.

-Eu não tenho um admirador, e não quero essas rosas!- passei pela porta de casa- Porque ele não aparece aqui?

 

Fui para o meu quarto, joguei minha mochila na cama e fui direto para o banheiro.
Assim que saí do banheiro, alguém bate na porta do meu quarto.

-Entra. -gritei.

-Annie pediu para avisar que quando você chegar hoje à noite vá até a sala dela! -disse Karen  com o celular  na mão.

-Ok, obrigada! - respondi antes que ela fechasse a porta.

Será que ela ia me dar uma bronca? 

Falando nisso o ChanYeol  não deu sinal de vida, nem respondeu minha mensagem.

 

                            (..........)

 

-Boa noite! -falei quando a Annie abriu aporta para mim.

-Entre querida! -falou dando espaço, com sua típica gentileza.

-A Karen me disse.... -ela cortou minha fala.

-Sim, eu quero falar com você sobre ontem! -assim que ela terminou de falar eu fiquei tensa.-Recebemos um e-mail essa manhã, seja lá  quem for não quis se identificar.

-Sim! -concordei nervosa.

-Essa pessoa queria o número da nossa conta para depositar o pagamento referente à noite que passou com você. Não sei o que houve entre vocês, mas ela pagou uma contia tão grande que eu quero te agradecer e dizer que você foi muito bem! -disse sorrindo. -Fico feliz que tenha superado tudo aquilo.

-Sim, eu também estou feliz! -respondi sorrindo.

-Tenha uma ótima noite de trabalho querida! -ela disse enquanto eu me levantava da cadeira.

-Obrigada! -falei indo em direção a porta.

                             

                              (..........)

 

Não sei o que houve ontem a noite, mas acordei com uma dor de cabeça insuportável, por conta disso não fui para a faculdade.
Ficaria em casa o dia inteiro.

Ainda não conseguia tirar da cabeça o que a Annie me disse.

O ChanYeol só poderia estar ficando louco.

Por falar nisso ele tinha desaparecido, então mando uma mensagem para ele.

                 

                          (Mensagem on)

 

Eu: Ei!  (08:37)
ChanYeol: Desculpe, mas não pude responder antes! (08:44)

Eu: Então você me leva para a cama e nem liga no dia seguinte? (08:45)

ChanYeol: Eu sou esse tipo de cara. (08:45)
 

ChanYeol: Vou ficar no parquinho te esperando às 17:30! Seja pontual. (08:47)
 

Eu: E quem disse que eu vou? (08:48)
 

ChanYeol: Eu disse. Não seja má comigo! (08:49)
 

Eu: Tudo bem bebê chorão. Eu também quero conversar com você! (08:51)
 

ChanYeol: Vou trabalhar agora, alguém tem que colocar comida na mesa! (08:52)
 

Eu: E esse alguém não sou eu. Bjos! (08:53) 

                  (Mensagem of)

 

As horas se passaram e já eram 17:21, eu ainda estava me vestindo. 

Terminei o mais rápido que pude, sai sem dizer para onde ia. Imagina se eu dissesse que iria ver o ChanYeol, elas me trancariam no quarto.

Dei a volta até chegar na outra rua onde ficava o parquinho, pude ver sua imagem antes mesmo de chegar perto.

 

E foi como seu eu pudesse ver cada detalhe seu, coisas que eu nunca tinha percebido. A forma elegante como ele andava até a mim, como seu sorriso era cativante ou até mesmo hipnotizante, pois eu não conseguia parar de olhar.
Ele me abraçou assim que nos aproximamos, me tirando do meu transe.

-Está atrasada! -disse com um sorriso provocante. Eu estava me sentindo estranha, como se ele estivesse se tornado uma pessoa diferente.

-Quase não consegui acordar,estava morrendo de dor de cabeça! -disse suspirando.

-Não tem problema eu esperaria de qualquer forma. -disse simplista.

-Você queria me dizer algo? Porque me chamou aqui?

-Não, eu só queria te ver. Esse era o meu único tempo livre, então resolvi te ver. -disse pegando o celular no bolso que estava tocando, ele apenas ignorou a chamada.

-Obrigada por gastar seu único tempo livre comigo. O que você faz no seu trabalho? -indaguei.

-Eu canto, danço, componho, produzo e atuo! 

-Nossa que incrível! -falei surpresa. -Eu nunca daria conta disso. -rimos em seguida.

-Com um tempo de prática todos conseguem! -falou me consolando. -Você disse que queria conversar comigo?

-Sim, você colocou isso no meu braço? -levantei mostrando a linda pulseira azul em meu braço.

-Me desculpe! Eu deveria esperar você acordar, mas não resisti. -disse envergonhado. -Você gostou?

-É maravilhosa! -falei sorrindo. -Nunca vi algo assim, onde você comprou?

-Em uma das viagens com o grupo. Quando fomos para a Tailândia, existem tantas coisas lindas por lá! -falou como se estivesse lembrando da viagem. -E eu também tenho uma igual. -mostrou uma mesma pulseira em seu braço.

-Você é uma caixinha de surpresa! -falei tocando minha pulseira. -Eu também quero tem perguntar outra coisa. -ele assentiu. -A Annie me falou sobre o seu depósito, você perdeu um parafuso?

-Porque? Eu apenas paguei pelo seu trabalho!

-Só que eu não estava trabalhando, essa é a diferença. -falei revirando os olhos.

-Entenda! Quando um cliente leva uma garota para um quarto é para satisfazer suas vontades, e você fez isso! -disse sorrindo .

-Isso não tem lógica.

-Tem sim.-seu celular tocou novamente. -Só um momento! -ele se distanciou para atender, depois de algum tempo ele voltou. -Acho que tenho que ir!

-Já? -falei triste.

-Tenho tanto trabalho. -suspirou. -Ele me atrapalha bastante.

-Não tem problema. -disse me levantando. 

 

Ele sorriu e me abraçou, ficamos por um longo tempo nesse abraço.

Assim que nos soltamos ele ficou segurando minhas mãos.

-S/n eu me arrependo de tanta coisa! Eu queria ter te conhecido sem que nada de ruim atrapalhasse. -ele estava visivelmente triste.

-Não tem nada nos atrapalhando, e você não precisa ficar triste!

-Tem certeza? -porque diabos ele estava quase chorando? Eu não queria vê-lo chorando.

-Absoluta!

Ele encostou sua testa na minha e colocou sua mão em minha nuca.

Ele suspirou, estava tão deprimido. Eu não queria que ele estivesse assim.

Ele era o tipo de pessoa que não combinava com a tristeza.

 

Por mais que pareça loucura, eu encostei meus lábios no dele.

Seus olhos estavam fechados e ele abriu imediatamente. Talvez estivesse assutado com minha atitude.

Logo ele fechou os olhos e retribuiu o beijo, que deixou de ser um selinho.

Eu senti sua língua entrando na minha boca, me deixando arrepiada.

O beijo era tão calmo, poderíamos passar o resto da vida, ele desceu sua mão para minha cintura me trazendo para mais perto.


Notas Finais


Por hoje é só.
Comentem por favor <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...