História Dark Paradise (Imagine EXO) - Capítulo 26


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, Chen, D.O, Kai, Lay, Personagens Originais, Sehun, Suho, Xiumin
Tags Imagineexo
Visualizações 127
Palavras 1.048
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Boa leitura!

Capítulo 26 - Decisão


Fanfic / Fanfiction Dark Paradise (Imagine EXO) - Capítulo 26 - Decisão

Eu juro que eu queria matar alguém, só não sabia quem matava primeiro, eu por ser tão burra ou Kai por ser tão mentiroso!

Naquele dia eu não disse mais nada ao ChanYeol apenas peguei minha filha e sai de lá. YooRa tinha brigado com ele, segundo ela era inadimissível um caso desse em sua família, disse também que não ficaria do lado de nenhum de nós, afinal ela não sabia se a Lisa era realmente filha do ChanYeol como ele alegava.

Lisa apenas me perguntou quem era aquele homem, isso foi fácil responder, qualquer desculpa e ela acreditaria. Eu não sabia o que fazer, aliás nem tinha!

Depois desse acontecimento, todos os dias eu dava um jeito de ir buscar Lisa na escola, só para garantir.

Hoje por exemplo, era só mais um final de dia cansativo. Lisa já estava liberada de suas aulas então voltaríamos mais cedo para casa.

Logo que cruzei o portão da escola Lisa gritou sua amiga YooMin que estava à nossa frente.

Ela não estava sozinha, aquele poste estava segurando sua mão.

Suspirei irritada. Já prevendo outro round daquela briga sem sentido.

-Você não cansa? -disse parando em sua frente.

-Agora eu não posso ver minha filha? -disse com irônia.

-Dá para você calar a boca? -quase gritei. -Ai meu Deus! -passei a mão em meus cabelos.

-Vai me proibir de falar também S/N?

-Porque você não diz logo o que quer? -perguntei impaciente.

-Eu não acho bom conversarmos na frente delas. -disse colocando a mão em meu ombro esquerdo.

Eu quis chorar quando senti seu toque, parecia que eu fui ligada numa tomada, mas eu não podia demonstrar fraqueza em sua frente.

-Realmente não deveríamos conversar na frente delas, mas para começo de conversa nem temos o que conversar.

-Olha eu vou ser direto então, já que você não quer me dizer a verdade, eu quero um teste de paternidade!

Ele estava me deixando sem saída.

-Eu não sou abrigada a fazer isso! -já estava nervosa. -E se você tentar se aproximar outra vez eu juro que faço um escândalo!

-Faça! Aí sim você vai ser pressionada por todos a fazer esse exame. S/N eu quero fazer tudo de forma passiva, mas se você quer dificultar as coisas isso é problema seu! Se você quiser a gente pode se encontrar aqui amanhã nesse mesmo horário para conversar.

E como se não bastasse, ele saiu me deixando com cara de tacho sem poder responder.

Eu estava quase explodindo! Quem ele achava que era?

Tosco e grosso! Era isso que ele era.

Era inacreditável a forma como ele estava agindo, parecia estar sendo forçado a reconhecer essa criança como sua filha.

Fui o caminho todo tentando entender o comportamento daquele ser. Rezando para que ele nos deixasse em paz e sumisse.

Sem falar no nó que estava em minha garganta, eu queria chorar, só não sabia o porque.

Eu tinha menos de vinte e quatro horas para pensar se conversaria com ele ou não. Eu já sabia o rumo que a conversa possivelmente tomaria e era isso que me assustava!

Eu sabia que a Lisa era sua filha e se ele fizesse o exame saberia também, não tinha erro. E esse não era o fim dos meus problemas, se ele assumisse a paternidade da Lisa, o que aconteceria com nós dois?

Eu definitivamente não estava conseguindo digerir todas aquelas informações e questionamentos.

Assim que chegamos em casa Lisa logo pegou no sono como de costume.


E eu aproveitei para tomar um banho e tentar tirar aquele peso de mim. E só aí me dei ao luxo de chorar, chorar porque tudo que eu tentei segurar por anos estava escapando por entre meus dedos como areia.

Aquilo não era justo comigo, não era justo com a Lisa. Mas no final de tudo eu não teria escolha, aquele desgraçado ia conseguir o que queria.

Eu resolvi não querer lutar, era uma luta que pelo visto eu não ia conseguir ganhar.

De repente me veio a imagem daquela namorada asquerosa dele, será que eles ainda namoravam?

Mas isso não me interessa, a única coisa que eu não quero é que ela chegue perto da minha filha! Porque se ela tentar chegar perto eu arranco os cabelos dela.

Estava decidido, eu deixaria o ChanYeol fazer o exame, mas isso não significava que ele tiraria a Lisa de mim.


(.......)


Passei o dia inteiro no trabalho sem pensar em outra coisa a não ser nesse exame e como ele poderia mudar minha vida.

Não conseguia tirar os olhos do relógio na parede, parecia que já tinham se passado mil anos e meu turno não acabava.

Respirei aliviada assim que vi a Luna chegar, era ela quem ficariam na recepção depois de mim, fiz uma breve reverência e fui até o banheiro dos funcionários me trocar.

Assim que avistei o colégio em que a Lisa estudava, pude notar aquele mesmo carro de ontem. Meu corpo gelou só de pensar que teria que conversar com aquele homem de novo depois de tantos anos.

Pude vê-lo sentando em um dos bancos do jardim. Vestido casualmente com uma calça, moletom, tênis é um boné.

Assim que ele me viu se levantou e ficou me olhando.


-Olá! -ele disse assim que me aproximei.

-Oi. -disse olhando para o colégio, não queria olhar para ele.

-As meninas não sairão agora, tem uma cafeteria aqui pertinho. -disse andando em direção a saída.

Eu apenas o segui, quanto mais rápido melhor!

Quando saímos do colégio ele foi em direção ao seu carro e entrou. Eu achei que iríamos andando já que era perto, mas pelo visto me enganei.

Exitei um pouco até ele me olhar com aquele olhar frio. Era estranho estar num espaço pequeno com ele, por isso mantive meus olhos na janela o caminho todo.

Antes de sair do carro ele colocou uma máscara preto, o que já era de se esperar dele.

Assim que entramos fomos até uma mesa fazia e nos sentamos. Uma garçonete veio saber o que queríamos, eu não quis nada, só queria sair logo daquele lugar.


-Bom! -me pronunciei. -Eu pensei bastante ontem. Mas eu só quero que você me diga porque você quer saber se a Lisa é sua filha?

-Isso é um direito meu, eu não posso negligênciar uma coisa dessas, tenho uma reputação a zelar! -disse frio. -E ela parece ser uma boa menina.

-Sim, ela é! -eu disse sorrindo.

-Mas você sabe que isso não muda nada entre a gente! Eu conversei com meu advogado sobre isso e marcaremos o exame!


Notas Finais


Comentem por favor!
Por hoje é só 😍😍


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...