História Darkness In My Life - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Chen, D.O, Lay, Personagens Originais, Sehun
Tags Exo, Kyungsoo, Satansoo, Sehun
Visualizações 30
Palavras 2.775
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Vooltei <3
Acho, ACHO que este é o penultimo capitulo.
Mas se esse não for o penultimo, o próximo é de certeza.

Boa leitura <3

Capítulo 14 - Reviravolta?


Fanfic / Fanfiction Darkness In My Life - Capítulo 14 - Reviravolta?

 

Chanyeol ON

 

Eles não sabiam que eu estava acordado, e eu ouvia tudo o que falavam sobre Nayoung. Eu não podia acreditar que ela tenha ferido o Lay, por que faria isso? Nayoung não podia fazer isso, era contra tudo o que havia me falado naquela época em que estive no hospital.

- Você vai esperar que mais quantos morram Kyungsoo? - SeHun perguntou irritado – ela está esfregando na nossa cara que é intocável.
- Eu preciso pensar, pensar no que fazer com ela. É meu filho SeHun, você jamais intenderia.
- Por que? Porque nunca tive família? - ele encarou Kyungsoo que suspirou – eu também tenho sentimentos Kyungsoo, e sinto pena pela sua criança, mas temos que agir.
- Eu não quero trancafiar Nayoung pelo resto da vida, você não viu os olhos dela. Nayoung está pedindo socorro.
- Ela está te enganando Kyungsoo, por que você é tão burro? - SeHun colocou a mão na sua testa e respirou fundo, tentando se acalmar – Nayoung controla as pessoas de acordo com o seu desejo, você não pode mais cair nisso. Se você não por um fim nela, eu vou colocar – Kyungsoo soltou uma leve risada e SeHun fez uma cara de desentendido.
- Está com medo de morrer? - Meu irmão perguntou, ele estava com um sorriso estranho nos lábios – Ou tem medo de outra coisa?
- Do que está falando? - SeHun estava confuso assim como eu – enlouqueceu? Eu só estou tentando te ajudar.
- Você quer dar um fim na Nayoung mais do que eu, por que?
- Está enganado Kyungsoo, completamente enganado – afirmou, indo pegar um pouco de seu martini – eu não tenho medo dela, e não tenho nenhum motivo obscuro por trás disso. Eu apenas quero te ajudar, não gosto de começar algo e deixar pela metade.

Kyungsoo ficou encarando ele por alguns segundos, não parecia convencido daquilo que SeHun havia falado, mas resolveu aceitar e por um ponto final naquilo.

- E o que você sugere?
- Se não podemos incriminar Nayoung por seus crimes, devemos colocar ela onde deveria ter ficado e nunca saído. Em um hospital psiquiátrico.

Eu não podia deixar que colocassem minha irmãzona em um lugar daqueles, ela já havia se tratado, ela estava bem. Nayoung tinha que ficar ao lado do meu irmão, protegendo ele como nos tempos de escola.

- Por mim, o melhor mesmo era que ela recebesse pena de morte – continuou Sehun – por que Nayoung jamais vai parar de matar os outros. Ela só pensa em si mesma.
- Vocês estão enganados – falei saindo do quarto – ela não está pensando em si mesma desde que era uma criança.
- Chanyeol, do que está falando? - Perguntou meu irmão.
- A Nayoung, ela… ela fez tudo isso por você.

Chanyeol Flashback

Eu estava deitado, meus olhos ardiam muito e eu não queria abrir eles por causa da claridade. Não fazia tanto tempo assim que eu tinha acordado do coma, por tanto meus olhos não tinham se acostumado muito bem a luz ainda.

Enquanto pensava no que pediria a meu irmão, já que ele prometeu me levar algum jogo, alguém entrou no meu quarto. Resolvi que fingiria estar dormindo e daria um susto na pessoa.

- Eu sinto muito – a voz falou.

Eu reconheci na hora que se tratava de Nayoung, e estranhei. Ela parecia estar chorando. Eu queria abrir os olhos para confirmar, mas quando ela voltou a falar eu perdi a coragem.

- É minha culpa você estar assim, é minha culpa o sofrimento de muitas pessoas. Mas… eu só queria que ela voltasse. E quando voltou, eu tive medo de perder ela de novo, você deve me entender. Eu perdi a única pessoa que cuidou de mim e que acreditou em mim, minha irmã se perdeu e acabou tirando a própria vida, me deixando sozinha aqui. Eu não sabia o que fazer, era só uma criança. E quando eu conheci Kyungsoo, percebi que podia ter tudo de novo, poderia ter alguém que se importasse comigo e cuidasse de mim, como ela cuidou. Mas eu não podia controlar meu desejo de proteção, achava que todos iam tirar ele de mim e precisava punir eles, por machucarem Kyungsoo. Eu queria que no mundo existissem apenas eu e ele, e estava disposta a matar o mundo inteiro para que esse desejo se tornasse real, era minha utopia. Mas, em um ponto do caminho eu percebi o monstro que era, por que no final das contas, minha irmã se perdeu por causa de mim, e ele acabaria se perdendo também. Kyungsoo chorou a morte de alguém que o machucava, alguém que eu não suportava olhar por bater nele. Eu julguei que devia eliminar qualquer um que o machucasse, mas não era esse o desejo de seu irmão, ele só queria viver em paz e feliz, sem machucar ninguém. E aqui estava eu, fazendo o completo oposto. Então eu decidi que devia me controlar, por que não queria ficar sem alguém que me intendesse de novo, não podia machucar os outros, em prol do meu desejo de defender Kyungsoo dos males do mundo. Por que, afinal de contas, eu era o pior mal que podia existir em sua vida. Uma hora ou outra, eu sabia que, causaria o pior dos machucados nele. Mas, não é tão simples assim, eu continuo querendo machucar as pessoas que o machucam, eu quero torturar elas para protegê-lo. Então, se eu não me afastar de Kyungsoo, como posso me curar? Não tem como, enquanto eu estiver com meus olhos sob ele, continuarei matando as pessoas. Então eu decidi dar um ultimo presente para ele, acabar com a maior fonte de dor em sua vida. Eu posso fazer por Kyungsoo o que ninguém pode, e sem remorso. Mas não posso deixar que ele descubra que a causa de tudo isso é ele, por que Kyungsoo não vai poder conviver com o peso disso tudo, eu sei que ele vai se culpar pela vida de cada pessoa que eu matei, por que vai pensar que poderia ter me ajudado a parar com tudo isso, mas não poderia. E no fim, eu preciso defender ele de si mesmo, por causa de mim. Se Kyungsoo um dia, suspeitar do que eu sou, eu jamais poderei deixar que saiba a extrema verdade, então se esse dia chegar, eu deixarei o monstro que sou transparecer, para que Kyungsoo ache que eu não passo disso, um monstro sem controle e que faz tudo por si mesma – senti seus lábios tocarem minha testa – O que eu fiz com você não tem perdão. Sei que as chances de você acordar são mínimas, mas se acordar, espero que não se lembre disso. Eu precisava no mínimo, vir até você e falar tudo isso. Por que você é a Dayoung do Kyungsoo, e eu devo isso a ela. Eu devia ter protegido minha irmã, assim como Kyungsoo achava que devia ter protegido você. Mas estou aqui, falando para você tudo isso, para que possa entender. Nada disso é culpa do seu irmão, nada disso é culpa sua. E pelo menos, uma vez na vida, eu devia fazer algo certo. Adeus Chanyeol.

Eu ouvi seus passos se afastando, e abri meus olhos quando o silêncio reinou no quarto. Eu estava chocado com tudo aquilo, Nayoung era completamente diferente do que meu irmão falava. Eu havia entendido tudo, depois de ouvir sua confissão. De que ela queria apenas proteger Kyungsoo do mundo, e principalmente, dela mesma.

Flashback OFF.

 

Os dois estavam calados, surpresos pelo que eu havia falado, Kyungsoo caiu sentado no sofá, esfregando a mão no rosto e soltando alguns grunhidos. Já SeHun, tomou seu martini e esboçou um leve sorriso com o canto dos lábios. Ele parecia estar feliz por descobrir a verdade de Nayoung.

- Por que não me contou isso antes? - Perguntou Kyungsoo.
- Nayoung tinha medo que se você descobrisse, acabasse tendo o mesmo fim da irmã dela. E você era realmente muito frágil nos tempos de colégio, ela tinha razão. Eu não podia arriscar também.
- Eu não ia me sentir culpado a ponto de me matar – ele falou mas logo suspirou. Kyungsoo sabia que conviveria com a culpa e não suportaria, não naquela época – Mas de qualquer forma eu cresci, eu não me culpo mais por nada, ela tem que parar – continuou ele – não tem mais necessidade de machucar os outros só pra que eu acredite que ela é um monstro, pra que eu não me culpe pelo passado.
- E você realmente não se culpa? - SeHun se manifestou – por que, afinal de contas, todas essas pessoas morreram por causa da fixação que Nayoung tinha por você, inclusive Lay.

Kyungsoo olhou em minha direção, eu podia ver a dor em seus olhos. Ele iria se culpar, eu novamente tinha feito a coisa errada. Devia ter morrido com o segredo de Nayoung.

- Não é sua culpa – falei – Nayoung não fez nada com ele. Lay fez algo ruim no passado com você, se ela quisesse machucar ele, já teria feito isso antes. Nayoung só quer te proteger, matar o Lay não tem nada haver com isso.
- Você é muito ingenuo – SeHun soltou uma leve risada – Lay está morto, Nayoung se livrou dele por ter te salvado. E se não tivessemos chegado, ela teria matado você. Por que não acorda logo dessa sua fantasia de que sua “irmãzona” - fez aspas com a mão – é uma boa pessoa?
- Ela pode não ser boa – falei, encarando ele – mas tenho certeza de que é melhor que você.
- Será? - SeHun sorriu novamente – bom, vou deixar vocês discutirem sobre isso, eu preciso ir trabalhar.

 

Chanyeol OFF


- Por que está fazendo isso comigo? - Yoojung estava me encarando, deitada em uma cama – Por que não consigo me mover?

Apenas continuei olhando para ela, sem lhe responder. A medida que o tempo passava, mais ela se desesperava por estar presa. Ao ponto de chorar e suplicar.

- Por favor, eu nunca fiz nada pra você – dizia ela – por que estamos aqui? Que lugar é esse? Merda, por que não fala de uma vez o que vai fazer comigo!
- Por que você não vai gostar de ouvir – respondi, indo até a cama e me sentando do seu lado – e você fez sim algo para mim. Contou a Kyungsoo que machuquei o irmão dele, e se me lembro bem, quando eramos menores, você fazia piadinhas sobre ele estar sempre machucado.
- Eu era uma criança Nayoung – uma lágrima escorreu de seus olhos – qual é, somos amigas. E você nem gostava do Kyungsoo, sempre dizia que não suportava ele.
- Ah… eu realmente não suportava – sorri – na verdade, eu não suporto nenhum de vocês. Mas ou eu convivia como uma garota normal, ou voltava a ficar presa em um hospital psiquiátrico. É claro que eu preferi criar uma realidade onde eu era normal. Era melhor viver ao lado de vocês e poder me divertir vendo pessoas morrerem, do que ficar presa olhando para as paredes e me imaginando segurar a garganta de alguém com força – minhas mãos foram lentamente para o pescoço de Yoojung – é extremamente prazeroso ver uma pessoa se debatendo e tentando se livrar, enquanto seu rosto se torna cada vez mais roxo, o sangue em suas orelhas começam a descer e a saliva preenche seu rosto. Mas sabe o que é mais legal de tudo isso? - Yoojung implorava com os olhos, quando minha mão segurou seu pescoço, mas sem forçar – a língua fica com uma cor tão bonita, acho que é sua cor favorita não é? Preto – sorri novamente e tirei minhas mãos de seu pescoço – mas existem mortes mais bonitas de se ver. Existem tantas dela Yoojung, queria poder te mostrar todas elas. É uma pena que você só vai poder morrer uma vez.

Yoojung começou a me xingar de todos os nomes possíveis, e eu apenas andava calmamente, indo em direção a minha mochila. Tirei uma injeção da bolsa e apliquei em seu pescoço, não demorou muito para que ela fechasse seus olhos. Já devia ter dado tempo de SeHun chegar na promotoria. Peguei o telefone e liguei para ele.

“Você demorou” falou ele com uma voz um tanto empolgada de mais.
- Estava me esperando? - perguntei e ouvi um leve sopro no telefone, como se tivesse soltado uma risada irônica.
“O que quer comigo Nayoung? Resolveu se entregar?”
- Não posso fazer isso, não enquanto você ainda está por cima.
“Você pode simplesmente me matar, por que não faz isso?”
- A morte, para homens como você, não é o problema. Você presa algo mais do que sua vida.
“E o que é?” foi minha vez de soltar uma leve risada.
- Sabe SeHun, eu me lembro de ter pedido pra parar com o que planejava. Mas você não me ouviu. Chen descobriu que Kyungsoo estava tentando mexer onde não devia, mas não era ele, era você. Eu acalmei Chen, ele não vai fazer nada com Kyungsoo. Você sabe, os verdadeiros culpados precisam assumir sua culpa.
“Assim como assumiu pela morte do pai de Kyungsoo?”
- E em algum momento eu neguei isso? Quem aceitou uma culpa falsa foi a justiça. Eu não tenho nada a ver com isso.
“Então por que não se entrega e paga pela sua culpa?”
- Eu já estou pagando a muito tempo – falei e ele soltou uma leve risada – mas o assunto principal não era sobre mim, mas sobre você. Usou o Kyungsoo sem nenhum remorso, sabendo que ele acabaria atrás das grades pelos favores que te fez, por assinar papeis sem olhar, por confiar em você.
“Se pensarmos bem, eu e você não somos diferentes. Você usa as pessoas para conseguir o que quer também.”
- Mas eu não uso o brinquedo dos outros. Você mexeu com o meu brinquedo, e eu gosto de me divertir. Então me obrigou a pegar pesado, e eu realmente não queria chegar a esse ponto.
“Do que está falando?”
- É sua vez de assinar alguns papéis. Um conhecido meu lhe entregará alguns papeis e você vai assinar todos eles, como um bom garoto – Sehun começou a rir descontroladamente – acha engraçado?
“E o que te faz pensar que farei isso?”
- Você sabe, eu sei o seu mais precioso segredo. O seu amor doentio por sua prima, que fez com que ela fosse obrigada a morar com você pelo resto da vida dela. Você não deu escolhas para a pobre Yoojung SeHun, jogou sujo. Eu devia fazer isso também não é? Deixar ela sem escolhas. Uma morte lenta e dolorosa, mas claro, você pode salvar ela assinando os papéis. Viu? Não é tão difícil assim – SeHun voltou a rir, e eu fiquei sem entender. Ele devia estar desesperado, como da outra vez. SeHun morreria por Yoojung sem pensar duas vezes, eu tinha certeza disso.
“Eu também sei o seu mais precioso segredo Nayoung. Se encostar em Yoojung, terei o prazer de deixar o corpo de Kyungsoo sem vida na porta de sua casa.”

Fiquei sem palavras naquele momento, SeHun não tinha como saber daquilo, mas sabia. Ele não jogaria com a vida de Yoojung em risco, ele só falaria se tivesse certeza.

“Você acha que pode me controlar não é? Acha que sou fácil como seu amado Kyungsoo, mas não sou. Irei bater nele, como as pessoas que você matou faziam, humilharei ele e farei com que todos os jornais publiquem coisas terríveis sobre Kyungsoo. Pode ter certeza que farei ele ser culpado pela morte de todos que você matou no tempo de escola, afinal, todos eles incomodaram Kyungsoo assim como o pai dele, será fácil incriminá-lo por tudo isso. E quando ele for preso, não será como você, não poderá se defender pois não sabe o que fazer. Kyungsoo é fraco e não vai conseguir lutar contra isso, por que vai saber que a culpa pelas mortes eram de fato dele. Você matou todas aquelas pessoas por que queria proteger ele, então é culpa dele também não é? Kyungsoo vai acabar aceitando a culpa e será preso. Prisão perpétua. E nos jornais terá o rosto dele estampado, um monstro que matou várias pessoas. É como você disse, o culpado precisa assumir a culpa.”
- Você tem certeza que quer jogar comigo SeHun? - perguntei e ouvi ele rir.
“Você não vai fazer nada. Irá se entregar por tudo o que fez, ou Kyungsoo fará isso em seu lugar. Ah, e é claro, deixara Yoojung em casa, sã e salva.”
- Quem não vê outro objetivo além do de dar xeque-mate, nunca será um bom jogador de xadrez.
 


Notas Finais


SeHun foi querer chantagear logo quem né? aiaiaiaiai

Espero que tenham gostado <3


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...