História Darkness Is Coming- As Trevas estão vindo. - Capítulo 11


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Medival
Visualizações 28
Palavras 1.181
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Canibalismo, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olá amores! Bom esse capítulo é da Elizabeth Mander, mas por que não tem foto dela? Bom explicando. O carregador do meu pc novamente estragou e a fotos de todos os personagens estavam lá, minha irmã me emprestou o not dela por isso que estou postando aqui! E eu não queria salvar imagem no notbook dos outros mesmo sendo minha irmã. Quando eu votar para o meu vou editar esse capítulo colocando a foto da personagem e avisarei! Um grande beijo e espero que entendam.

Capítulo 11 - Capítulo 11


Fanfic / Fanfiction Darkness Is Coming- As Trevas estão vindo. - Capítulo 11 - Capítulo 11

 

Elizabeth

 

Eu observava Hanna conversar com suas amigas, eu criei um ódio dela dentro de mim que nada superava.

As pessoas apenas comentavam sobre o reaparecimento da irmã do rei e teria um banquete ao anoitecer.

Voltei para dentro do castelo para tentar achar Anastásia, ela amava Hanna porque não enxergava sua crueldade.

Passava por uma porta quando escutei uma voz familiar, era a voz do rei e do Lorde Lancer.

- Ele está cada vez mais próximo dela, eu vejo como a olha. Você precisa parar isso.  – Falava Lorde Lancer.

De quem eles estavam falando? Me encostei na parede ao lado da porta para escutar melhor.

- Se eu falar algo, ele me enchera de perguntas e ambos sofreremos. – era a voz do rei, rígida.

- Eu venho lhe ajudado a mais de dezesseis anos, quando veio até mim, eu e minha esposa concordamos com tudo, porém você precisa fazer algo. Se eles souberam que ela...

- Não aqui! – o rei aumentou a voz. – É como se as paredes tivessem ouvidos.

Um silencio ficou um tempo.

- Tentarei falar com ele. Tente mantê-la longe, será pior que a esposa saber, não sabemos do que é capaz.

- Alguém mais sabe, ou desconfia?

Cada vez eu estava mais curiosa.

- Minha filha Hanna, mas ela sabe apenas uma parte, tentarei manter isso longe dela.

Então era com esse assunto misterioso que Hanna o ameaçava, ela sempre conseguia o que queria.

Sai de lá antes de ser vista e voltei pro jardim já que não achava Ana.

Vi que Hanna olhava para os lados e prosseguia em frente, o que ela iria fazer?

A segui com cautela, passos leves e curtos. Ela caminhava em direção a cabana de armamento, franzi meu rosto ainda incutida.

Ela abriu a porta olhando para os lados e eu rapidamente que esquivei me escorando na parede e respirei profundamente, não podia ser vista. Inclinei meu rosto para frente vendo a porta fechada, dei um suspiro de alivio.

Esperei um tempo e percebi pelos vultos da janela embaçada que tinha mais pessoas lá dentro, talvez Hanna estivesse fazendo algo errado e eu poderia usar contra ela.

Sem pensar duas vezes empurrei a porta vendo que ela estava reunida com alguns Lordes, servos e etc.

- O que vocês estão fazendo? – perguntei um pouco desiludida por não ser o que eu pensava.

- Estávamos organizando uma orgia quer participar? – ela me olhou ironicamente.

Lorde Bellamy disparou os olhos a ela por suas palavras tão sujas.

- Talvez eu devesse contar ao seu pai sobre essa reunião. – falei, eu queria retruca-la.

- Elizabeth! – falou Bellamy vindo até mim quando Hanna segurou seu braço.

- Vai! – ela falou com um sorriso no rosto.

Eu não estava entendendo.

- Conte a ele, vá! Quer que eu o chame? Tudo bem.

Ela adoçou seu olhar, deixando o mais puro que conseguia e vi uma lágrima descer e então vi do que capaz.

Ela ganhou, novamente. Seria perda de tempo contar ao rei, ela faria um encenação e o ameaçaria e nada seria feito.

Fiquei tão furiosa que fechei aquela porta rapidamente me retirando daquele lugar. Nem sempre fomos assim, éramos muito amigas.

 

Quando cheguei a Plairen pela primeira vez eu fiquei encantada pela beleza do castelo. Desci da carruagem vendo que uma garota me olhou e depois cochichou para a de trás e ambas riam. Ela estava ao lado do filho do rei, então era uma princesa.

Eles vieram até nos se apresentarem, a garota era Hanna e a de trás Charlotte, sua prima.

Hanna sempre me olhou de cima abaixo e cochichava algo, até que um dia ela veio a mim, conversamos e ela ‘’ me ajudou’’, arrumou meu cabelo me deu vestidos e eu passei a admira-la.

- Veja! – Hanna falou a mim, Charlotte e Chantel. – Elas são estranhas, parede ratos. – se referia as gêmeas filhas de fazendeiros, Gemma e Gabrielly.

Me doía ouvir aquelas palavras. Charlotte a olhou furiosa e pensei que tinha chegado o dia em que alguém a falaria algo.

- sabe que eu queria ter um rato quando criança? Não os compare, são fofos. – falou Charlotte sorrindo.

- São nojentos! – retrucou Chantel.

E nesse momento eu percebi que Charlotte e Hanna eram uma o reflexo da outra.

Hanna sabia com qual pessoas poderia maltratar. Era amável com alguns filhos dos poderosos Lordes e alguns mercadores e fazendeiros.

Eu entrei em seu quarto com o maior sorriso em meu rosto.

- De novo Ana? É o sétimo bolinho que come, assim não entrara no vestido que mandei fazer para usar no seu dia. – falou Hanna, eu odiava quando falava assim com minha irmã.

Ana não era gorda e estava longe disso, era apenas ‘’ forte’’.

- Por que esse sorriso? – perguntou Charlotte a mim.

- Acabei de falar com meu pai! Eu e Ana nos casaremos.

Elas sorriam entre si e Ana estava surpresa.

- Quem é? – Hanna perguntou.

- Eu me casarei com seu irmão e Ana com Theon.

Qualquer sorriso que ali tinha se desapareceu e Hanna agora me encara com o seu pior olhar.

- Não está feliz por mim? – era tão ingênua.

- Desista disso Elizabeth! – ela falou com uma voz exigente.

- Não! – a retruquei. – Estou cansada de obedecer suas ordens.

- Isso é melhor para vocês duas. – ela continuava tentando me fazer desistir.

- Você terá que se conformar com isso.

Ela se aproximou de mim até estarmos tão perto que sentia sua respiração pesada.

- Meu irmão nem sabia quem você era antes de mim, eu fiz de vocês o que são hoje, precisam de mim.

- Preciso? – eu tinha tanta coisa entalada em minha garganta. – Então me diga, o que seria que uma líder sem seguidores?

Seu rosto de escureceu em fúria.

- Se arrependerá até o último momento por isso. – ela roçava os dentes.

Eu dei de contas furiosa por aquilo.

 

Ela arruinou minha vida e de muita gente, mas ninguém falava nada.

Eu via que Olivia estava sentada e então novamente fui falar com ela.

- Pensou no que falei? – perguntei.

Eu havia proposto para Olivia para me ajudar a fazer algo para tirar Hanna de seu poderoso domínio entre as pessoas antes que sua família fosse prejudicada já que eu a via conversando muito com seu irmão Bellamy.

- Se vire sozinha! – ela falou grossamente.

- Você também e capacho dela?

- Não gosto de Hanna, e muito menos de você. – suas palavras eram tão claras. – Mas você a odeia tanto que tenta ser ela, pinta seu cabelo, se veste como ela, tenta falar como ela e tenta manipular as pessoas como ela, você não tem caráter próprio Elizabeth, também não liga para ninguém, e o que você quer é tirar Hanna de tudo isso para poder ser a abelha rainha.

Eu tinha me ofendido muito com suas palavras e demostrava isso em meu rosto.

Avistei novamente Hanna se sentando com Charlotte.

Ela parecia ser apenas uma garota cruel! Se você a olhasse iria achar que era egoísta, dominadora e falsa, mais era bem mais que isso.


Notas Finais


Sabemos que Hanna não é um amor de pessoa não é mesmo? O que acharam? Comentem.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...