História Darkness Of Joker - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Harley Quinn, Joker, Mad Love
Exibições 78
Palavras 1.471
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 1 - A Dama do Circo


Fanfic / Fanfiction Darkness Of Joker - Capítulo 1 - A Dama do Circo

Eu ouvi você dizer
O demônio está em seu ombro
Estranhos em sua cabeça
Como se você não lembrasse
Como se pudesse esquecer
Foi apenas um momento
Foi apenas uma vida
Mas esta noite você é um estranho
Uma silhueta
Vamos sair em chamas
Blasfemar para que todos saibam quem somos
Porque os muros dessa cidade nunca souberam
Que nós chegaríamos tão longe
Nos tornamos ecos
Mas ecos desapareceriam
Então, vamos dançar como duas sombras
Queimar no dia da glória

 

♦️ Gotham City ♦️

Cinco anos atrás...

A jovem de cabelos negros lisos caindo sobre os ombro coloca sua cartola na cabeça. Ela veste suas vestes de mágica e pega sua varinha mágica. Coloca sua sexy meia fina e caminha em direção ao palco. Suas botas pretas de cano alto causavam atrito com o chão de vidro enquanto a mesma caminhava lentamente até o palco.

As luzes do circo são acesas e toda a plateia grita em comemoração. No alto da tenda um argola prata desce em direção ao público, dentro da mesma a jovem estava dentro sorrindo conforme a argola se aproximava do chão. A mesma chega no chão e a jovem sai dali soltando uma pirueta.

-BEM VINDOS!!-ela grita com os braços levantados para a plateia-AO HAWKMAN.

Dito isso, a música de circo começa a tocar mais alto. Fumaças brancas saem do lado do palco. A mesma gira as mãos no alto e pombas brancas saem da cartola. Bailarinos jogam-se do teto em cordas coloridas em quanto dançam.

-Ogof-a jovem grita formando uma grande bola de fogo no ar. 

A mesma controla a bola de fogo a fazendo tomar diversas formas. Toda plateia olha encantada. O fogo cresce e torna-se uma grande cobra. Torna-se depois um grande mar passando por cima das pessoas.

-Eu sou a Zatanna-a jovem solta a bola de fogo no ar e a mesma cria várias fogos de artificio.

Tempos atuais

Harley Quinn

Solto o corpo do homem no chão. Termino de lamber o sangue em minhas mãos. O gosto era forte e parecia ser ferroso. Sorrio com o meu trabalho e prendo o homem no alto do teto. Assassinos como Jack, o estripador, Ed Gein, ficara marcados como os assassinos mais brutais do mundo. E aqui estou, para provar um ponto de vista diferente, que a maldade, pode ter uma risada doce.

Jogo minhas roupas no chão do galpão e caminho nua em direção ao quarto que tinha no último andar. Entro na banheira e vejo o sangue se misturar com a água e dar um tom vermelho na mesma. 

Passei anos na faculdade estudando sobre os maiores assassinos do nosso mundo, e como todo mundo, eu tinha os meus preferidos. Jack, o estripador. Responsável pelo assassinato de prostitutas na área de Whitechapel, durante o ano de 1888, em Londres, Jack nunca teve sua identidade revelada. Entretanto, se tornou um dos assassinos seriais mais famosos da história. Suas vítimas tinham os órgãos internos removidos de maneira praticamente cirúrgica.

Não podemos esquecer, o nosso querido Ed Gein. Este brilhante assassino foi usado como base para a construção do personagem “Bufallo Bill”, do filme “O silêncio dos inocentes”. Ed Gein não só matava, como também removia a pele de suas vítimas, exumava corpos e decorava a casa com partes dos cadáveres. A pele dos mortos também era usada para fazer roupas e móveis. Ed Gein morreu em 26 de julho de 1984, em um hospício.

Mesmo tendo trabalhado no Arkham Asylum, nunca entendi o motivo pelo qual eram criados hospícios. Por que prender mentes brilhantes e mostrá-las ao mundo como loucas, em vez de, mostrá-las como brilhantes e estudar sua mentes psicóticas e fascinantes? 

Saio da banheira e sorrio ao me olhar no espelho. Meus fios coloridos agora eram loiros. Uma forma de me tornar invisível entre os humanos loucos. Prendo o mesmo em um coque deixando dois fios soltos do lado. Pego no armário e visto um belo vestido azul comprido com fios de prata. Coloco uma luva para não deixar minha digitais nas minhas próximas vítimas e desço as escadas.

Coloco meu cordão de cobra dentro da limusine que me guiava pelas ruas movimentadas. Ao chegar no grande palácio Bullevar, o motorista abre a porta para mim e um dos seguranças ajuda-me a sair do carro. Caminho pelo tapete vermelho com a minha máscara prata.

Pessoas bebiam e dançavam loucamente na pista de dança enquanto o cantor Marilyn Manson, cantava a música This Is Halloween, já que era dia trinta e um de outubro. Olho para os jovens bêbados e posso ver alguns dele fantasiados de Príncipe Palhaço do Crime. Caminho em direção a mesa com bebidas e viro o frasco azul nas bebidas.

Caminho até o grande salão e vejo a foto de quem eu estava procurando. Zatanna Zatara. A jovem mágica com poderes místicos. Leio a placa falando sobre a jovem e sinto uma mão em volta do meu braço e viro-me para ver quem era.

-Linda, não?- o homem de cabelos castanho bebe um copo de vodka enquanto fala-uma pena que tenha tido um fim trágico.

-Por que trágico?-pego o copo do homem e viro o mesmo em minha garganta. 

Cinco anos atrás...

Homens com capas pretas entram no circo cortando a garganta de todos. O dono do circo puxa Zatanna pelos corredores em direção a porta dos fundos. A tenda começa a cair e todos lá dentro morrem. A jovem olha para a porta do circo e vê mais homens de capas pretas caminhando em direção do circo.

-Opmac ed saçrof-Zatanna levanta sua varinha e aponta para a porta-Opmac ed saçrof-a mesma grita durante o feitiço.

-Pare-o namorado da jovem segura o seu braço-você não vai aguentar por muito tempo.

-Não-ela empurra o namorado-eu preciso fazer isso. Opmac ed saçrof-a barreira protetora começa a subir pelo ar.

Ao se vira ela vê um dos homens de capa preta encravar uma espada no peito de seu namorado. O mesmo cai morto no chão. Ela corre até ele e coloca as mãos no peito dele enquanto chora.

-Maviver-as lágrimas escorriam pelo rosto da mesma-Maviver, Maviver, Maviver-Zatanna gastava todo o seu poder, mas nada acontecia.

Não se pode curar alguém que já estava morto. A sobrecarga de usar tantos poderes fazem a mesma cair no chão ao lado de seu amado morto. O uso excessivo de magia a deixou em um coma mágico.

Tempos atuais

Harley Quinn

Assim que ele termina de contar a história, coloco as mãos em meu rosto e finjo chorar, quando na verdade, estava rindo sadicamente. Eu estava atrás de uma grande arma de matar para se aliar a mim, e agora, eu tinha encontrado uma. 

-Eu preciso de uma bebida-passo o dedo indicador no rosto do mesmo e caminho em direção a multidão.

Todos no salão estavam bebendo felizes enquanto o prefeito caminhava até a escada mais alta. Paro entre as pessoas e observo a bela cena em minha frente. Todos aplaudem o prefeito de terno, gordo, de cabelos grisalhos e bigodes pontudos.

-Sejam todos bem vindos ao aniversário da nossa cidade-todos soltam um "uhu" em comemoração-todo o esforço utilizando, todo o dinheiro, todo o gasto e tempo que usamos para construir essa cidade, teve o devido retorno. Vamos celebrar mais um ano de sobrevivência em meio a tanto caos. Vamos celebrar a nossa força e perseverança-ele levanta o copo e todos fazem o mesmo-a nós!!

Todos sorriem enquanto bebem as bebidas de cor azul. Uma moça de cabelos ruivos e vestido vermelho cai no chão enquanto sua pele abria feridas e queimavam a mesma. Em seguida vários corpos caem no chão como ela. Homens de capa preta entram no salão e cortam as garganta de todos. Sorrio e subo em direção ao prefeito. Pego minha arma e dou três tiros em sua barriga.

-Você me levará até a Zatanna-puxo o homem e o mesmo me guia pelos corredores.

Chegamos em uma grande sala revestida com ouro. Dentro dela havia um belo caixão de ouro puro com vidro. Dou um tiro na cabeça do prefeito que cai no chão e caminho até o corpo. Coloco a mão no mesmo e vejo que estava selado com magia. Pego o amuleto de magia negra que funcionava com esponja sobre o mesmo. 

O amuleto se parte em milhões de pedaços e o caixão de ouro se abre. Levanto a tampa e jogo a mesma no chão. Vejo a jovem em coma mágico e pego uma agulha com o sangue de Magia. Enfio-a no coração de Zatanna injetando todo o líquido na mesma. Aos poucos ela abre os olhos e parece confusa.

-Onde estamos?-ela tenta se levantar mais cai no chão-estamos no mesmo mundo? 

-Estamos no mesmo mundo, apenas cinco anos depois-sorrio insanamente para a mesma.

-Quem é você?-ela caminha com medo até mim.

-Uma aliada-sorrio de forma sádica para a mesma.

 

 

 

 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...