História Darkness Of Joker - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Arlequina (Harley Quinn), Batman, Esquadrão Suicida
Personagens Bruce Wayne (Batman), Coringa (Jack Napier), Harleen Frances Quinzel / Harley Quinn (Arlequina)
Tags Batman, Harley Quinn, Joker, Mad Love
Exibições 76
Palavras 1.745
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Fantasia, Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Drogas, Estupro, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Quebre outro espelho...


Fanfic / Fanfiction Darkness Of Joker - Capítulo 2 - Quebre outro espelho...

Ser uma vadia má
Pode não atrair tolos como você
Nós estávamos lá quando ele ficou chapado
Isso pode não ser algo que você faria
Mas você ainda não viu o meu homem
Ele tem o fogo e ele anda com fama
Ele tem o fogo e ele fala com fama

 

♦️ Gotham City ♦️

Uma semana atrás...

Joker

Lucy não poderia ficar conosco mais. A irmã mais velha de Harley, Elena, poderia ajudar. Lucy ficaria com ela até que não fosse mais preciso. Pego Lucy em seu quarto e a levo até minha Lamborghini Roxa. As ruas de Gotham City estavam vazias, o que era surpreendente já que estava acontecendo uma guerra.

Dirijo minha Lamborghini Roxa em direção ao porto de Gotham City. Lucy estava no banco do carona dormindo abraçada com seu Batman de pelúcia. Aumento a velocidade e finalmente chegamos. Pego Lucy no colo e saio do carro com a mesma. 

-A cidade pode achar que está morta-olho para Lucy, enquanto a mesma dorme-mas você terá uma casa. E cada alma que te deseja o mal, será derrubada. Assim como tenho certeza de que tem o meu sangue, sei que retornará para mim-Sybil olha para mim e para Lucy.

Uma moça loira com um casaco azul escuro e óculos de grau estava sentada em frente ao porto segurando sua bolsa. Elena, era a irmã mais velha de Harley. No meio dessa guerra Lucy vai precisar estar em um ambiente em que Harley saiba que ela está segura.

-O que eu vou dizer para a minha família?-a mesma abre a mala do carro e guarda as malas de Lucy.

-Diz que você apadrinho a filha de uns palhaços-ela olha-me assustada-fala que a sua vizinha tinha uma filha e morreu. Não importa-coloco Lucy dentro do carro de Elena-só cuida da minha filha, se não eu corto sua garganta.

Ela olha completamente assustada para mim. Sybil desce do carro e para ao lado do mesmo.

-Apesar de nossas diferenças, Elena. Não confiaria a mais ninguém a vida da minha filha.

-Se Gotham acha que ela está morta, como deveria chamar Lucy agora?

-Hope. Porque ela é minha esperança.

Sybil me encara conforme entramos na Lamborghini Roxa de volta a Gotham City.

-Se tiver que escutar mais uma vez-ela olha para a janela e o mundo a fora dela-que fez isso pela a sua filha.

-Eu fiz por mim. Eu preciso voltar a ser o que eu era antes. Eu gostava. Eu me sentia vivo.

-Eu gostava dela-ela sorri de lado-ela era a única que dizia coisas que te faziam rir e tremer ao mesmo tempo.

Tempos atuais

Harley Quinn

Dizem que o tempo cura todas as feridas. Mas quanto maior é a perda, mais profundo é o corte. E mais difícil é o processo para ficar inteiro novamente. A dor pode desaparecer, mas as cicatrizes servem como lembrete do sofrimento. E o deixam preparado para nunca mais ser ferido. Enquanto o tempo passa… Nós nos perdemos em meio à distrações. Agimos por frustração, reagimos agressivamente, nos entregamos à ira. Durante todo o tempo tramamos, planejamos e esperamos ficar mais fortes. E sem que percebamos, o tempo passa. E estamos curados, prontos para começar de novo, era o que o Joker dizia.

Piso no acelerador da minha Lamborghini rosa e azul em direção ao cassino na Costa Oeste de Gotham City. E com sorte eu encontraria o dono do cassino, Ra's Al Ghul. Vejo uma mensagem de Joker em meu celular e jogo o mesmo pela janela. Eu resolvi ignorar certas pessoas, e gostei do resultado.

Desço do carro e entro rebolando no cassino chamando a atença de todos. Subo no palco junto com as prostitutas que estavam ali. Danço sensualmente ao som da música Applause-Lady Gaga. Todos olhavam encantados enquanto eu movimentava o meu corpo.

Se a fama tivesse um intravenoso
Amor, eu poderia aguentar
Ficar longe de você, eu
Encontrei a veia, coloque aqui

Vivo pelos aplausos, aplausos
Vivo pelos aplausos, aplausos
Vivo pela maneira que você torce e grita por mim
Os aplausos, aplausos, aplausos

 

Seguro-me na barra de ferro e lambo a mesma quando vejo quem eu tanto queria, entrar no cassino. O mesmo parece se assustar com a minha presença ali e eu sorrio. Faço um movimento com os dedos para que ele venha até mim. Ele caminha em minha direção e eu desço do palco. Ra's Al Ghul puxa o meu braço e leva-me até uma sala nos fundos do cassino.

-Coringa sabe que está aqui?-ele coloca a sua espada em meu pescoço.

-Pode se dizer-abaixo a sua espada-que eu não pertenço mais a ele. Vamos conversa sobre negócios. 

Ele faz um sinal para que eu sente e eu faço o mesmo. Ele caminha até o armário e enche um copo com whisky para mim. Pego o mesmo e viro na garganta.

-Que tipo de covarde desisti da própria filha?-ele joga as informações na mesa de onde se encontra Lucy.

-Você não sabe o que está falando-pego as folhas e rasgo as mesmas-eu não ligo para onde a minha filha está.

-Então o que quer, Arlequina?-ele me entrega a garrafa de whisky.

-Eu quero que me diga em que galpão o Joker está escondido-viro o copo na boca.

-Sabe, Harley-ele caminha até mim-eu respeito você, mas ele é o rei-ele tenta encravar uma agulha em meu pescoço.

Dou um soco em seu rosto e ele se afasta com a mão em seu nariz sangrando. Pego a seringa e aplico em seu pescoço e imediatamente ele desmaia e cai no chão.

-Nunca ataque a rainha-olho para a porta e vejo Rocco, um dos capangas de pudim batendo palmas para mim-eu estive esperando por você-sorrio para o mesmo.

-Alguém tinha que deter você, Arlequina-sorrio e arqueio a sobrancelha.-se não for eu, vai ser outra pessoa.

-É mesmo?-pego meu bastão e aponto para o mesmo-quem eu vou matar depois de você?

Ele permanece em silêncio e se aproxima de mim. Pego o meu bastão e o coloco em cima dos ombros.

-Quando alguém diz que eu não posso fazer algo. Provo que está errado-aponto minha arma para ele-Aqui está outra oferta minha. Vocês todos podem morrer.

Pego minha arma e dou um tiro em seu peito fazendo com que o mesmo cai no chão. Olho para Rocco e Ra's Al Ghul.

-Vocês estavam pensando que eu era apenas uma loira burra-pego uma granada e preparo para jogar a mesma na sala-mas eu peguei os dois. Nem loira eu sou de verdade.

Tiro a trava e jogo a mesma na sala enquanto a vejo pegar fogo. Caminho para fora do cassino e avisto uma Lamborghini Roxa à espreita. Pego minha Lamborghini rosa e azul e dirijo o mais longe possível de Gotham City.

Joker

Caminho em direção ao antigo quarto de Harley Quinn em um dos nossos galpões escondidos. Tiro o pano de ouro que cobria o espelho de Ojesed. Uma imagem distorcida colorida aparece no mesmo e aos poucos vai tomando forma. 

-Sentiu minha falta?-Harley aparece e sorri para mim.

Sempre achamos que vamos ter mais tempo. E aí, o tempo acaba.

-Eu queria que estivesse aqui-acaricio o rosto da mesma.

-Eu estou aqui bobinho-ela sorri de volta-mas na sua mente.

-Eu vou esperar por você, quantas noites e dias, você precisar. E quando quiser que eu vá até, eu irei. Não antes.

Pego a foto de Harley Quinn e eu com a legenda "Harley, baby. Amo você, para sempre"  E dou um longo suspiro enquanto seguro a foto. 

-Eu sempre soube que você era o meu amor. De alguma estranha forma eu já sabia. Assim que te vi alguma coisa em mim mudou. Meu sorriso, meu jeito de mexer no cabelo, minha forma de olhar a vida. Quando a sua mão tocou meus dedos um sentimento tranquilo invadiu o meu peito. Esse mesmo sentimento dura até hoje e tenho certeza que vai viver aqui dentro para sempre. Sabia que era você. Sabia que era no seu peito que a minha cabeça repousaria. Sabia que era nos seus braços que meu coração sossegaria. Sabia que era na sua boca que meus segredos seriam revelados. Sabia que era a sua mão que a minha buscava. Sabia que era o seu sonho que procurava o meu sonho. Sabia que com você eu entenderia e aprenderia essas coisas que hoje a gente sabe que levam o nome de amor. Nunca quis alguém que me prendesse. E você, mais do que ninguém, me liberta todos os dias. Inclusive de mim mesmo. Quando algo muito bom acontece é para você que quero dar as melhores notícias. Quando um fantasma me atormenta é em você que eu quero buscar abrigo. Você é minha parceira, meu amor, meu bem mais precioso. Nada, nada mesmo, é mais importante do que esse sentimento tão bonito e verdadeiro. E que cresce e se solidifica a cada dia, a cada gesto, a cada palavra, a cada certeza. Obrigada por existir na minha vida. Eu tinha um medo danado de amar. Hoje ele foi embora...por você.

-Está sentindo saudade?-Sybil aparece na porta.

-Isso é particular-cubro o espelho de volta-o que você quer?

-O seu amor-ela caminha até mim e acaricia o meu rosto-eu posso fazer essa dor passar.

Empurro a sua mão e paro em frente a janela e observo a chuva fria que caia na mesma, molhando todo o quarto.

-Eu posso te fazer voltar a ser o que você era antes de ir para o Arkham Asylum e conhecer a Harley. Posso te tornar o caos mais temido de toda Gotham, de todo o mundo. Eu posso apagar de sua mente-ela para ao meu lado na janela-e será como se ela nunca tivesse existido-ela segura levemente o meu queixo e me faz olha para ela-você só tem que pedir Joker.

Penso em todos os momentos que passei com Harley. O quanto ela me mudou e me tornou essa pessoa fraca que eu sou hoje. Quantas vezes eu deixei meus planos de lado e dei preferência a Harley? Eu precisava ser o Joker, que um dia eu fui.

-Eu quero-falo, e ela sorri para mim-eu quero que apague Harleen Quinzel, de uma vez por toda da minha vida. 

-Fico feliz por isso-ela coloca suas mãos em volta do meu rosto-você vai ser famoso, não haverá um pessoa que não conheça o seu nome.

Em questão de segundos, era como se minha insanidade estivesse livre novamente. Sem nada que me prendesse ao meu antigo eu. 

 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...