História Darling Kim Samuel - Capítulo 5


Escrita por: ~

Postado
Categorias 1PUNCH
Tags Samuel
Visualizações 23
Palavras 2.239
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 10 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Romance e Novela

Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Espero que estejam gostando. s2

Capítulo 5 - Complicações


Fanfic / Fanfiction Darling Kim Samuel - Capítulo 5 - Complicações

- O que está acontecendo aqui? Esperem, não precisam responder não quero saber, tchau vocês dois se merecem. – diz Cho-Hee chorando.

- Cho-Hee espera por favor.

Naquela hora eu não queria saber de nada eu só desci as escadas rapidamente para sair de lá.

- Me deixa Samuel.

- Por favor me escuta. – Samuel puxa Cho-Hee.

- Da para você me esquecer?

- Ei o que está acontecendo aqui?

- Pergunta para o seu filhinho, agora tchau.

Tudo o que eu queria era sair dali e foi o que eu fiz, eu sai peguei um táxi e fui para a minha casa.

- Samuel o que está acontecendo aqui? Porque a sua namorada saiu daquele estado?

- Porque? Pergunta para essa... Garota eu vou acabar com você.

- Filho o que ouve?

- A Young-Soo entrou no meu quarto e de alguma forma ela soube que a Cho-Hee estava vindo para cá e acabou me beijando, e a Cho-Hee... Ela viu o beijo.

- Meu Deus Young-Soo porque você fez isso?

- Eu só estava tentando ajudar.

- Ajudar? Garota você destruiu o coração da menina que eu amo, aliás cai fora da minha casa, ANDA! – Samuel puxa Young-Soo em direção a porta.

- Calma filho.

- ANDA GAROTA! Aí que ódio de você. – Samuel joga Young-Soo para fora e bate à porta.

- Samuel tenha calma.

- Mãe eu amo a Cho-Hee ela foi a primeira garota que eu me apaixonei de verdade. – Samuel coloca a mão na cabeça sentando-se no sofá.

- Eu sei mas ficar nessa situação não vai adiantar nada.

- Não vai mesmo, vou ir até a casa dela.

- Filho é melhor não, deixa ela esfriar a cabeça e amanhã vocês conversam.

- Ta.

- Vai para o seu quarto descansar.

- Ok, vou tentar...

Quando eu cheguei em casa liguei para a minha mãe pedindo para ela vim para casa, ela estranhou o fato de eu já estar em casa então ela veio o mais rápido possível.

- Filha cheguei.

- Estou no quarto.

- Oi, como foi o jantar?

- Mãe...- Cho-Hee chora.

- Ei o que ouve filha?

- Quando eu cheguei na casa do Samuel vi ele beijando a ex namorada dele.

- Que? Como assim?

- Foi isso mesmo que a senhora escutou.

- Calma filha vai ficar tudo bem. – Haneul abraça Cho-Hee.

Eu estava muito triste parecia que alguém arrancou meu coração e pisou nele, depois que minha mãe conversou comigo fui dormir, no dia seguinte acordei e havia um monte de mensagem e ligações do Samuel. Ignorei todas as mensagens e não retornei as ligações, então ele ligou novamente e eu resolvi atender.

- O que você quer?

- Me escute por favor, Cho-Hee eu jamais te trairia eu te amo.

- Jamais? Mas traiu né, Samuel eu confiei em você, te dei meu coração, e o que você fez com ele? Você amassou e jogou fora, os te amo que eu te disse eram o que? Xingamentos? Olha se você não quiser que eu te bloquei no meu celular para de me mandar mensagens e me ligar.

- Cho-Hee eu te amo, não desliga por favor.

- Tchau.

Quando eu desliguei fui para o banheiro tomar banho para tentar relaxar um pouco, enquanto eu estava banhando as memórias me atacaram com as lembranças que havia do nosso namoro, passeio sábado e o domingo deitada no meu quarto. Na segunda de manhã fui para o colégio e no intervalo a escrota da Seulgi veio encher meu saco.

- Porque está com essa cara garota? O Samuel terminou com você?

- Não quero falar sobre isso. – Cho-Hee sai andando.

- Espera. – Seulgi dá um sorriso irônico. – Ele terminou, que foi ele se tocou que você é feia?

- Me deixa.

- Volte aqui. – Seulgi puxa Cho-Hee. – Me passa o número dele.

- Não.

- Anda.

- Eu não vou passar.

- Ok então, meninas pegam o celular dela.

- Nem ousem.

Ai que ódio, se elas pegaram meu celular? Quase pegaram.

- Garota devolve o meu celular, ou...

- Ou o que? Você vai me bater?

- Não seja por isso. – Cho-Hee dá um tapa na cara da Seulgi.

Nessa hora a diretora estava passando, e quem saiu como errada? Claro eu.

- O que está acontecendo aqui?

- Ela me bateu diretora.

- Seulgi volte para a sua sala e você senhoria Cho-Hee me acompanhe.

- Que? Porque? Ela que começou!

- Anda Cho-Hee, venha.

- Aish.

A garota que me irritou e eu que levo a culpa, legal em.

- Meu Deus Cho-Hee o que está acontecendo com você? Você não é desse jeito.

- Foi ela que começou.

- Cho-Hee você deu um tapa no rosto da sua colega de classe.

- Colega? A Seulgi não é amiga de ninguém.

- Desculpe mas vou ter que chamar a sua mãe aqui.

- Ta...

Ela ligou para a minha mãe pedindo para ela ir na minha escola, quando minha mãe chegou a diretora conversou com ela por um tempo e depois fomos embora.

- Filha eu sei que não está sendo fácil para você, mas... Não é motivo de você bater na cara da menina.

- Eu sei mãe... Me desculpe. – Cho-Hee olha pela janela do carro triste.

- Haneul olha para Cho-Hee. – Ei você quer ir almoçar fora?

- Sim...

- Ok então.

Fomos para um restaurante, almoçamos e depois fomos embora para casa, quando eu cheguei em casa o One me ligou.

- Oi.

- Oi Cho-Hee.

- One se o Samuel pediu para você falar comigo, não vai adiantar.

- Não pode ficar tranquila, ele nem sabe que estou falando com você.

- Hum, o que você quer então?

- Eu quero saber o que está acontecendo, o Samuel não dá notícias desde sexta.

- Ele não te contou?

- Contou o que?

- Me encontra no parque que eu te conto.

- Ok.

Quando eu desliguei fui para o parque, chegando lá avistei com o One e fui falar com ele.

- Oi One. – Cho-Hee fala com um tom de de voz triste.

- Oi, o que ouve? Você e o Samuel andam estranhos.

- Achei que ele já tinha te contado.

- Ele não me contou nada.

- Vou te contar então, sexta teve um jantar na casa dele.

- Isso eu sei.

- Então, ele me chamou para ir nesse jantar, chegando lá na casa dele a mãe dele disse que ele estava no quarto dele com a Young-Soo.

- Young-Soo?

- Sim, e quando eu fui no quarto dele... – Cho-Hee respira fundo. – Ele e a Young-Soo estavam se beijando.

- QUE?

- Isso mesmo.

- Mas o Samuel jamais te trairia, ele gosta muito de você Cho-Hee.

- Mas ele traiu, e parecia que ele estava gostando do beijo.

- Meu Deus.

- Eu sinto a falta dele, mas o que ele fez foi muito errado.

- Eu sei, só que você tem que entender uma coisa a Young-Soo é capaz de tudo.

Ele tinha razão a Young-Soo era capaz de tudo, mas mesmo assim eu não tinha cabeça para pensar nisso.

- O celular do One toca. – O Samuel está me ligando.

- Pode atender.

- Espere só um minutinho.

Enquanto ele falava com o Samuel, eu fiquei pensando na cena do beijo do Samuel e da Young-Soo.

- Eai Samuel.

- Eai.

- O que foi?

- Você poderia vir aqui em casa?

- Sim, eu só vou me despedir da Cho-Hee e já vou.

- Ela está com você?

- Sim.

- Ela te contou algo?

- Sim, cara o que você fez em? Ela está bem triste.

- Eu sei, eu me odeio por isso.

- Não se odeie, tenho certeza que a uma explicação para isso.

- E tem mesmo, venha logo que eu te conto tudo.

- Ok, agorinha estou aí.

Não demorou muito e o One veio falar comigo.

- Voltei.

- Oi...

- Eu já vou indo o Samuel pediu para mim ir na casa dele.

- Ok, eu também já vou indo.

- Tchau Cho-Hee fique bem ligo ta?

- Vou tentar, tchau One.

Depois que nós nos despedimos eu fui para a minha casa e o One para casa do Samuel.

- Então ela te contou a história?

- Sim, cara que merda que você fez?

- Eu não fiz nada, a Young-Soo que entrou no meu quarto e me beijou.

- Difícil vai sei explicar isso para Cho-Hee.

- Eu sei, sinto tanta falta dela.

- E ela sente a sua.

- Sério? Ela te disse isso?

- Sim.

- Então ela ainda gosta de mim? – Samuel sorri.

- É... Acho que sim.

O tempo passou rápido depois que eu conversei com o One, no sábado resolvi ir andar um pouco, fui ao parque e depois para o shopping que era próximo dali e no caminho eu encontrei a Young-Soo e suas amigas, vocês não vão acreditar o que ela fez... ELA JOGOU SUCO EM MIM.

- Meu Deus garota olha o que você fez comigo! – Cho-Hee fala com o tom de voz alta. – O que eu te fiz em?

- Me desculpe seu chifre é tão grande que acabei não te vendo, uau ele é tão chamativo.

Nessa hora o Samuel e o One estavam passando.

- O que está acontecendo aqui? Você está bem Cho-Hee?

- Tinha que ser, o que? Vocês voltaram agora?

- Eu só estou tentando ajudar.

- Não preciso da sua ajuda! – Cho-Hee sai andando tentando limpar sua roupa.

- Cho-Hee espera. – grita One.

- Agora não One, me deixa.

Parecia que tudo estava dando errado para mim, tudo mesmo.

- Meu Deus Young-Soo dessa vez você pegou pesado. – Nam-Kyu olha decepcionada.

- Verdade Young-Soo isso não se faz, vamos embora Nam-Kyu. – Sun-Jung puxa Nam-Kyu pelo braço.

- Vamos.

- Samuel olha para Young-Soo. – Meu Deus Young-Soo não estou te conhecendo mais, gostava de você quando te conheci, agora nem sei quem é você. – Samuel sai andando.

- Venha Young-Soo quero conversar com você. – One puxa Young-Soo.

- Ta...

- Young-Soo o Samuel anda triste e a Cho-Hee também.

- E o que eu tenho haver com isso?

- Quando vocês dois namoravam ele gostava de você, até você ir embora.

- Hum.

- Ele sofreu muito quando você partiu, até ele achar a Cho-Hee e agora você faz isso, se você não quer que mais ninguém se afaste de você resolva isso logo! – One se levanta e sai andando.

- Young-Soo fica parada olhando para o nada. – Realmente eu passei do limite.

A onde eu ia meu mundo desmoronava, o único jeito era eu ficar na minha casa assistindo doramas ou sei la o que, depois que cheguei em casa fui tirar minha roupa então escutei a campainha tocar, e adivinhem quem era... A YOUNG-SOO.

- O que você está fazendo aqui? Vai tentar me humilhar até na minha casa? Espero que saiba que isso não vai dar certo.

- Pode ficar tranquila, eu só quero conversar.

- Conversar? Nossa, como você descobriu a onde eu moro?

- O One me passou o endereço.

- Hum sim, então o que você quer conversar comigo?

- Posso entrar?

- Ta, entra aí.

Se eu estava com medo? Claro que eu estava ela podia me matar, talvez isso seja exagero, mas ok.

- Então Cho-Hee vim pedir desculpas pelo o que eu fiz.

- Só? – Cho-Hee olha desconfiada.

- Não, vim dizer também que...

- Que?

- O Samuel não te traiu.

- Como assim?

- Quando eu soube o que estava acontecendo entre vocês fiquei com raiva e resolvi me vingar acabando com o namoro de vocês.

- Que? O que você está querendo dizer com isso?

- Eu fingi ser sua amiga para saber coisas sobre vocês, e quando eu descobri que você iria no jantar na casa dele resolvi agir, eu vi quando você chegou na casa dele e então beijei ele e você acabou vendo.

- Você acabou com a minha felicidade e com a do Samuel também.

- Eu sei, me desculpe por isso...

- Meu Deus Young-Soo... – Cho-Hee fica chocada com o fato.

- Eu quero consertar o que eu fiz.

- Percebi, eu te desculpo, mas não vamos ser amigas.

- Eu entendo... Sabia que isso iria acontecer mesmo.

Depois dessa conversa fiquei pensando em mandar uma mensagem para o Samuel pedindo para ele me encontrar, e foi o que eu fiz.

“ –Me encontra amanhã no parque as 15h30min, precisamos conversar. ”

Ele viu a mensagem e não respondeu, será que desistiu de mim? Tudo de ruim estava passando em minha cabeça. No domingo de tarde fui ao parque como o combinado cheguei lá e não tinha visto ele, fiquei esperando por um tempo e nada dele, e quando eu estava perdendo as esperanças resolvendo ir embora.

- Oi. – Samuel sorri.

- Oi.

- Tem alguém sentado aí?

- Eu estou esperando meu namorado chegar.

- Hum, achei que você era solteira.

- Não sou. – Cho-Hee dá uma risadinha.

- E como vocês vão?  

- Tivemos uns probleminhas, mas espero que estejamos bem.

- Samuel vai até Cho-Hee. – É claro que estamos bem princesa.

- Senti sua falta oppa.

- Eu também senti a sua. – Samuel pega no rosto de Cho-Hee. – Eu te amo tanto. – Samuel beija ela.

- Eu também te amo oppa. 


Notas Finais


Até o próximo cap. s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...