História Das Sombras para a Luz 2 - Redenção - Capítulo 34


Escrita por: ~

Postado
Categorias Turma da Mônica Jovem
Personagens Aninha, Carmem, Cascão, Cascuda, Cebola, Chikara Sasaki "Tikara", Comandante Astronauta, Denise, Do Contra, Dorinha, Eduardo "Dudu", Franjinha (Franja), Irene, Isadora "Isa", Jeremias, Keika Takeda, Luca, Magali, Maria Cebolinha, Maria Mello, Marina, Mônica, Nimbus, Quim, Sarah, Titi, Toni, Xabéu, Xaveco, Zé Luís
Tags Casgali, Cebonica, Xavenise
Exibições 54
Palavras 2.064
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Artes Marciais, Aventura, Colegial, Drama (Tragédia), Esporte, Famí­lia, Festa, Luta, Policial, Romance e Novela, Super Power, Super Sentai, Suspense, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 34 - Voltando com Tudo!


Fanfic / Fanfiction Das Sombras para a Luz 2 - Redenção - Capítulo 34 - Voltando com Tudo!

No episódio anterior:

Toni é salvo por Denise, que no começo decide lutar sozinha contra o monstro, fatiando-o, mas ele se regenerou e contra atacou, deixando ela machucada. Enquanto se recuperava, Toni despedaçou o inimigo de novo, o que acabou levando a descobrirem o ponto fraco do Kuromatsu. Unindo forças, Denise congela o inimigo e Toni o despedaça novamente. Sem conseguir se regenerar por causa do coração congelado, Toni começa a correr em busca do ponto fraco do inimigo e acaba encontrando. Numa tentativa desesperada, os cipós prendem o Toni, mas ele tem tempo de jogar o coração pra cima e Denise o destrói como sua foice bumerangue, vencendo assim o inimigo. Eles se cumprimentam concordando que é melhor lutar em equipe do tentar lutar sozinhos.

 

Enquanto isso na sala em que Cebola, Mônica, Cascão e Magali estavam, o número de inimigos só aumentavam.

Cascão- Cara, tá difícil aqui! Iáá! BRUM!- Cascão reclama enquanto soca um inimigo contra a parede.

Cebola- Você acha que não sei? OPS! –Cebola responde enquanto desvia de um inimigo que tentou pular encima dele.

Magali- Tô começando a achar que não foi uma boa ideia deixar a Denise partir sem nós! –Murmurava a magrelinha enquanto ainda defendia a Mônica e lançava pequenas rajadas de água nos oponentes que tentavam destruir o escudo.

Cascão- Não tinha como a gente adivinhar que essas coisas iriam aparecer assim sem parar!

Cebola- O problema é que as arvoras com sementes gigantes estão cuspindo essas porcarias uma após a outra! Se ao menos eu conseguisse uma brecha pra destruí-los!

Magali- Já faz muito tempo que estamos aqui! Tô ficando cansada!

Cebola- Eu também! Agh! –Um monstro pula encima do Cebola que voava e o careca acaba caindo de costas nos chão. –Sai de cima de mim! –VUSH! CRÁS! –Cebola revida lançando uma corrente de ar, levando o monstro até o teto, fazendo ele em pedaços.

Magali- Não dá mais... Magali se ajoelha, desfazendo o escudo.

Cascão- Maga!? Saiam, bichos imprestáveis! –Cascão pula encima de um deles que tentou atacar Magali e o girou, lançando encima de outros que caíram desmantelados.

Cebola- Cuidado Cascão! AAAHH!! –SOC! –Cebola soca a nuca do monstrinho que tentou atacar o Cascão por trás e em seguida fica do lado da gulosinha e do sujinho pra defender a Mônica. –Que ótimo... Agola felou tudo mesmo!

Cascão- Se a Maga ainda pudesse nos proteger com o escudo...

Magali- Não dá mais... Gastei muita energia, preciso descansar. –Ela se explicava, arfando.

Cebola- Acho que agora é só nós dois, Cascão!

Cascão- Se sobrar alguma coisa de nós, né?

Cebola- Não seja pessimista, casca de sujeira!

Cascão- Tô sendo realista, casca de cebola!

Cebola- Será que você não pode usar o seu fedor pra imobilizá-los?

Cascão- Haha... Muito engraçado! Eu tomo banho agora esqueceu?

Cebola- Foi mal... É que muito estranho isso... Não me acostumo!

Cascão- Bestão!

Magali- Gente preste atenção!

Cebola- Dloga!

Os monstros já havia os cercado totalmente. Eram muitos fora os que nasciam, e os três heróis precisavam descansar. Tudo parecia perdido até que...

???- Hum...

Cebola- Hã? –Cebola olha pra trás e seu coração disparava ao ver quem tinha acabado de abrir os olhos.

Cascão- Ei! A M... –Num gesto rápido ela se levanta-e...

Mônica- Saiam da frenteeee! -...Empurra o Cascão para o lado e corre contra os inimigos dando uma ombreada tão forte que derrubou vários deles de uma vez.

Magali- M-Mônica?

Mônica- Dá dá dá dá dá dá! DAAAAAH!!!

PLOTS! PLOTS! PLOTS! PLOTS! BOM!BOM!BOM!BOM!

Enfurecida, a dentuça começa a lançar meio mundo de bolas de fogo nos inimigos, incendiando dezenas deles.

Mônica- Tô de saco cheio disso! Iáiáiáiáiá!

POF!SOC!TUM!POU!PAF!PIMBA!

Parecendo que estava descontrolada, ela sai socando, chutando, dando gancho, voadora e cabeçada em tudo quanto era monstro, destruindo todos, fazendo daquela sala uma quebra cabeças de madeira. Tudo o que os outros três conseguia fazer era olhar aquela cena de olhos arregalados.

Mônica- GRRRR! Mais!?  TOMA! -BRUM!–Ela olha para cima, zangada ao ver mais monstro pularem pra cima dela, que os atacou com um gancho, desintegrando três de uma vez.

Cebola- M-Mônica? Destrua as árvores!

Mônica- UUUUUUUFFFF!!! –Ela puxa muito ar pra dentro do corpo, coloca a mão em forma de funil na boca e...

Mônica- FFFUUUUUUUU!!! PAFCHIIIWII! –Sopra com força, lançando uma enorme labareda continua nas árvores começando a derretê-las.

Cascão- Tá funcionando!

Mônica- FUUUUU!!! PAFCHIIIWII!

???- AAAHHHHHWWW!!! –Mônica continuava puxando mais ar e lançando fogo, que fazia um chiado muito alto e queimava todas as arvoras e inimigos, que gritavam até derreter totalmente.

Magali- Mô! No andar de cima! –Mônica pula até o primeiro andar e correndo em todas ás áreas e no corredor, acaba incendiando todos os inimigos ali.

Cascão- Será que ela precisa de ajuda?

Cebola- Acho que não... –Assim que Cebola ia voar pra espiar o que rolava lá encima, um monstro é lançado do corredor, quebrando parte do parapeito e caindo no térreo.

Mônica- Iáááá! Rááá! BRUM! –Mônica pula do alto e caia encima do monstro dando uma cotovelada violenta, finalizando a jogada.

Cebola- UOU!

Mônica- Arf..Arf...Arf... Grunf! –Ela se levanta e se limpa.

Cebola- Mônica... –Cebola olha pra ela com brilho nos olhos.

Mônica- Hã? –Ela olha pro Cebola.

Cebola- Mônica! Hahahaha! –Cebola na emoção corre até a namorada dando um forte abraça nela. –Que bom que tá tudo bem. –Ele respira aliviado, fechando os olhos.

Mônica- C-cê!? –Só depois de ser abraçada pelo Cebola que ela volta a realidade.

Magali- Amiga!

Cascão- Mônica! –Os dois correm e também dá um abraço nos dois, formando um abraço coletivo, estilo clube dos quatro.

Magali- Tô tão feliz que esteja bem!

Mônica- E-eu também! Pensei que tinha perdido vocês pra sempre quando vocês sumiram.

Cebola- É... Mônica...- Cebola e os outros desfazem o abraço e ele continua. –Nós não sumimos em nenhum momento...

Mônica- Não?

Magali- Sabe aqueles “monstros” que você tava atacando antes? –Ela pergunta fazendo aspas com as mãos.

Mônica- O que tem?

Cascão- Era a gente!

Mônica- O quê? Como assim? –Ela pergunta se assustando, sem entender.

Cebola- Uma árvore atacou você com um alucinógeno e você desmaiou e quando acordou começou a nos atacar descontroladamente, achando que éramos inimigos.

Mônica- Então aqueles dois que derrubei... Quem eram?

Cascão- Eu e o Careca! EHehe! –Cascão responde rindo e coçando a nuca.

Mônica- Puxa! Desculpa Cê, eu não queria...

Cebola- Tá tudo bem, Mô... Não foi nada... –Ele responde sem jeito.

Cascão- Ei, você também me deve desculpas, pois quase me fritou, como seu eu fosse linguiça de churrasco!

Cebola- Cala a boca, seu orelha! –PLEC! –Cebola reclama dando um peteleco na orelha do Cascão.

Cascão- Ai! Eu tava brincando pow! –Mas tudo acabou bem quando o Toni e a Magali te nocauteou e...

Magali e Cebola- CASCÃÃÃOOOO!!!

Cascão- AAAII! Tá bom! Parei... Que coisa...

Mônica- Tá explicado porque duas criaturas tinham me derrubado... Pensei que fosse o fim e... Peraí, você disse “Toni”?

Cascão- Disse.

Mônica- Onde ele tá?

Cebola- Ele foi na frente procurar a Carmen e depois a Denise apareceu aqui.

Mônica- A Denise também?

Cascão- Sim, ué! Quer a gente repita a mesma coisa toda hora! –POU! –AAAIII!

Mônica- Deixe de ser tapado! Eu preciso saber o que tá havendo! Pare de interromper com bobagens! –Mônica reclama, cerrando o punho após dar um cascudo no amigo.

Cascão- Ai... Foi mal... –Ele se desculpa massageando a cabeça. –A Dê apareceu aqui, mas recusamos ajuda pedimos pra ela ir atrás do Toni.

Mônica- Por onde eles foram?

Cebola- Por ali! –Cebola aponta para a porta distante do centro que o Toni e Denise entraram.

Mônica- Vamos correr então! –Eles apressam os passos, correndo em direção à porta.

 

Enquanto isso:

 

Denise- Tonho, você...

Toni- ¬¬

Denise- Digo.... Toni... Eheh... Tu acha que vai conseguir lutar desse jeito? –Ela pergunta ao vê-lo em mau estado.

Toni- Vou sim, e vou te mostrar como. Afasta-se um pouco. –Denise se afasta e ele agacha se encolhendo todo.

Denise- Que vai fazer?

Toni- Observe...- PPPPZZZZTT- AAAAHHHHHH!! –ZAAAASSSSHHH!!! –Levantando novamente e abrindo os braços, Toni cria uma aura elétrica em volta de si, usando-a para restaurar um pouco da sua saúde, recuperando-se um pouco dos ferimentos. –Pronto! –Ele conclui fazendo um pouco de alongamento.

Denise- Que dá hora, hein Loiruxo? Queria poder fazer igual! –Ela elogia enquanto eles começam a caminhar para próxima porta.

Toni- Bom, cada um com suas habilidades... Mas não pude usar muito poder, pois não tenho recarga suficiente nesse lugar todo coberto de plantas. Preciso economizar pra peitar a Carmen. –Ele explica enquanto eles adentram a próxima porta.

Denise- Isso se você conseguir né...

Toni- C-como assim? Não sou tão fraco assim não! –Ele resmunga, batendo a porta.

Denise- Você sabe do que to falando! –Ela retruca, cruzando os braços.

Toni- Bom, eu...

Denise- Você não vai ter coragem de bater nela né?

Toni- E você vai? –Ele tenta se defender.

Denise- Não vai ser nada fácil, porque eu e ela já fomos uma grande dupla de divas do limoeiro, mas isso é um caso de emergência! Não tenho escolha!

Toni- Bom... Eu já tive escolha... Eu encontrei nessa sala e tive a oportunidade de lutar contra ela...

Denise- ...Mas não fez nada, adivinhei? –Ela pergunta, franzindo o cenho.

Toni- É... não... –Ele responde, corando ao lembrar que quase beijava a loira.

Denise- Já tinha percebido que você tava apaixonado por ela! Hahaha!

Toni- Ah, nem começa, valeu? –Ele reclama, ficando nervoso e mais corado ainda.

Denise- Quem diria hein? Antes você nem dava bola pra Carmen, só de olho na Mônica, mas agora... Ahahaha!

Toni- Grrrr!

Denise- Tá, tá parei, parei! –Ela para fazendo gesto de rendição. –Falando sério agora... Na hora do vamos ver...

Toni- O que tem?

Denise- Você vai conseguir fazer algo contra ela?

Toni- E-eu... Não sei...

Denise- Toni, isso é serio, lindo! Como vamos derrotar a Carmen se você não fizer nada contra ela? Eu vou ter que lutar sozinha, é isso?

Toni- Não! Eu não vou deixar! É que...

Denise- “É que” o quê?

Toni- É que ela fez uma aposta comigo, dizendo que se eu derrotasse o Kuromatsu, ela ia me dar um beijo...

Denise- Putzgrila!!! E você acreditou?

Toni- Eheh, acreditei... –Ele responde sem graça. –É que ela se aproximou de mim e quase me beijou antes da luta começar...

Denise- Acorda Toni! A Carminha tá sendo controlada por um ID, assim como nós fomos controlados! Se ela quisesse mesmo esse beijo, teria dado naquela hora! A Carmen gosta de fazer charminho para os garotos, mas quando ela decide fazer algo, não muda de ideia assim! Do contrário, ela não colocaria um monstro tão forte pra você enfrentar! Monstro esse que quase o matou!

Toni- Grrr... Saco... –Toni murmura, mas logo fica calado ao ver que a Denise tinha razão. –“Como eu fui idiota!” –Ele pensava, ficando zangado.

???? GRRRRR....

Denise- Hã? O que foi... –Denise se assusta e olha pra frente.

Toni- Opa... –Toni também olha pra frente e vê a criatura semelhante ao Kuromatsu de joelhos no chão e olhando para os dois. Eles ficaram tão distraídos coversando próximos a porta que nem se deram conta que o monstro tava ali, de guarda na outra porta.

???- ROOOOOOAARRR! –A criatura fica de pé e começar a gritar.

Toni- Droga! Só faltava essa!

Denise- Calma, se derrotamos o outro, podemos derrotar esse também! Aqui ele tá em desvantagem! –Denise comenta tentando acalmar o Loiro ao ver que naquela área não tinha árvores para atrapalhá-los. Era somente uma sala um tanto apertada.

Toni- Sim, mas de qualquer forma teremos de desperdiçar mais energia! Desse jeito vamos chegar esgotados!

???- RRROOOOARR! –O monstro se prepara pra socar o Toni.

Toni- Pode vir! –Toni e Denise ficam em posição de guarda. O monstro já ia tentar enterrar o Toni com um soco e então.

???- AAAAHHH! –CRÁS! –CATCH! –Alguém entra arrombando a porta e empurra o Toni para o lado, segurando o soco do monstro com as duas mãos.

???- Devagar amiguinho!

Toni- Mônica!?

Mônica- Oi Toni! Como vai? –Ela pergunta olhando pra ele, ainda segurando a mão da criatura.

Magali- Olááá? ♪-Magali chega sorridente, junto com Cascão e Cebola.

Denise- Pelo visto conseguiram dar conta do recado! –Denise comenta, franzindo o cenho e sorrindo.

Cascão- Sim, graças a Mônica!

Cebola- Toni, Denise... Podem ir na frente! Nós quatro vamos deter essa coisa... –Cebola dá as ordens, ficando em posição de luta.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...