História Dating Surprises - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Chanyeol, Chen, Suho
Tags Chanho, Era Pra Ser Drabble, Eu Culpo O Twitter, Suyeol
Exibições 74
Palavras 1.528
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Romance e Novela, Shonen-Ai, Yaoi
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Olares~~

Como eu disse na tag, isso era pra ser uma simples drabble, mas depois de uns papos com a Lari (valeu, mana) e uma outra mana do twitter, isso virou mais uma loucura minha.
Quero agradecer aos shippers suyeol e ao conteúdo de altíssimo nível que Chanyeol me proporcionou pra que eu escrevesse essa fic (links lá embaixo).

Nossa, eu pareço uma louca falando.
Enfim, embarquem nessa história maluca e
Let's let!

Capítulo 1 - Capítulo Único


 Park Chanyeol era um desastre no campo amoroso, porém um mestre na arte de levar pés na bunda; Foram muitos que levou ao longo da vida. Agora, entretanto, ele rezava para que a vida – e sua sorte- não resolvessem lhe tapear mais uma vez.

Ele estava de olho nesse cara há meses, o veterano de Enfermagem, bonito, sorridente e gentil. Kim Junmyeon era o nome do seu escolhido. Chanyeol estava obcecado pelo rapaz, não conseguia evitar seguí-lo com os olhos por todo o campus; assim como não conseguiu evitar se morder de ciúmes – e uma inveja considerável- quando descobriu que ambos tinham um amigo em comum. No entanto, o rapaz resolveu deixar seus pensamentos irracionais de lado e focar em partir para a ação com o veterano.

Foi numa tarde de terça-feira, depois de um seminário muito bem executado, que o Park se encheu de coragem e foi atrás de Jongdae, seu contato infiltrado, e pediu de joelhos para o colega conseguir um encontrinho entre ele e Junmyeon. Jongdae se fez de difícil por dias e extorquiu tudo que podia de Chanyeol, até finalmente concordar em ser seu pombo correio do amor.

Foi na segunda-feira seguinte que o Park recebeu uma mensagem toda tímida de Junmyeon, dizendo que se ele quisesse os dois podiam tomar um café juntos no dia seguinte. Chanyeol quase enfartou tamanha a alegria. O aluno de História da Arte mandou trezentas mensagens agradecendo Jongdae, quase lambendo o chão que o colega pisava, mas sua alegria caiu por terra quando o Kim afirmou ter aumentado um pouquinho as qualidades do Park. Chanyeol entrou em pânico imediato. O que ele faria quando encontrasse Junmyeon ao vivo? Ele precisava ser o mais incrível e namorável possível.

Na terça-feira de manhã, Chanyeol recebeu outra mensagem de Junmyeon, todo educado como sempre, explicando que não poderia sair, mas se estivesse tudo bem para o Park, ele poderia ir até sua casa. Chanyeol surtou mais um pouquinho, mas garantiu presença, apenas para descobrir que não tinha ideia de onde ficava a rua que o crush morava. Junmyeon disse que não tinha problema, informou qual ônibus o rapaz tinha que pegar e falou que o esperaria no ponto para que caminhassem até o apartamento juntos.

Isso era sinal que Junmyeon estava tão disposto a bater uns papinhos com Chanyeol quanto o outro, certo? Ou então Jongdae aumentou um pouquinho demais a história.

Quando chegou a tarde, Chanyeol já estava com os nervosos destruídos e se remexia sem parar no banco do ônibus. A senhora ao seu lado quase lhe deu umas cotoveladas para que ele se controlasse. O Park estava certo de que ela podia lhe dar umas porradas que nada mudaria.

Ele passou cerca de 15 minutos debatendo sobre fugir ou não de Junmyeon, mas quando o ônibus parou no ponto e ele avistou a cabeleira escura do rapaz dos seus sonhos, ele viu que suas chances de escapar ileso tinham ido ralo abaixo. Os segundos que demorou para caminhar até a porta do ônibus e descer as escadas foram os piores de sua vida. Ele começou a repensar o que estava vestindo- camadas demais. Como Junmyeon ia sacar todo seu corpo super incrível por debaixo daquilo?- , como ia se apresentar, o que ia dizer.

Oh, Deus, ele ia falar com Kim Junmyeon!

Junmyeon, por outro lado, estava adorável com um casaco preto e suéter de gola alta, cobrindo o rosto; bem diferente do casaco claro e suéter de gola alta que o Park estava usando - terrível. O mais velho tinha um sorriso todo fofo, que fez Chanyeol tremer na base e gaguejar na sua primeira tentativa de lançar um avassalador, “Oi. Agora me chama de previsão do tempo e diz que tá rolando um clima”.

“O-Oi, eu sou Park Chanyeol”, foi sua nem tão avassaladora apresentação. Com as mãos no bolso, postura de macho alfa- que estava mais pra lobinho assustado- e sorriso no rosto.

“Oi.”, a resposta veio meio tímida com um rubor delicado nas bochechas do mais baixo. Chanyeol sorriu mais uma vez, alternando seu peso entre uma perna e outra. Estava animado. “Está frio aqui, vamos logo.”

Os dois caminharam lado a lado até o apartamento do Kim, conversando sobre coisas bobas como qual era o pokémon mais badass ou como Junmyeon sabia todas as coreografias do Red Velvet. O mais velho até deu um gostinho de Russian Roulette quando entraram numa rua menos movimentada.

Park Chanyeol achava ter alcançado o nirvana enquanto conversava tão abertamente com o futuro enfermeiro, mas ele teve certeza mesmo quando adentrou o apartamento do rapaz. Tudo ali cheirava doce como Junmyeon – aquilo era muito estranho de se dizer? Chanyeol não tinha certeza. -, tudo era perfeitamente arrumado e adorável.

“Aqui é apertado, mas dá pra dois.”, o Kim lhe lançou um sorriso doce.

“Pra mim parece ótimo.”

“Você gosta de macarrão, né? Só tenho isso em casa.”, riu todo sem graça. “Eu acho que devia ter calculado melhor os detalhes.”

“Não se preocupa com isso. Eu nem preciso comer!”, Chanyeol disparou como uma metralhadora, recebendo um olhar surpreso do outro.

“Ok,” ele riu. “Mas acho que deveríamos. Comida é um ótimo tópico de conversa.”

E Junmyeon até que estava certo. Eles separaram os ingredientes, cortaram, temperaram e cozinharam juntos. Chanyeol aproveitou pra perguntar sobre Junmyeon e o outro fez o mesmo. O Park descobriu que o Kim queria mesmo é medicina, mas acabou escolhendo enfermagem por causa de sua avó, e Junmyeon descobriu que além de um amante da arte, Chanyeol era ótimo músico.

Os dois descobriram que suas vozes mesclavam bem, enquanto amassavam alho para um refogado. E quer dizer, Chanyeol era atrapalhado e impulsivo, Junmyeon era calmo e tímido. Mesclavam com perfeição em vários níveis.

O macarrão com legumes aleatórios, que fizeram juntos, resultou em um ótimo jantar descompromissado. Chanyeol julgou estar no paraíso, mais uma vez, enquanto assistia o menor comer tentando não rir das bobeiras que ele dizia.

Será que consigo pelo menos um segundo encontro?, ele pensava entre uma mastigada e outra.

Depois do jantar, Junmyeon recolheu os pratos e talheres e levou-os para cozinha, dizendo que lavaria tudo depois. Chanyeol até protestou afirmando querer ajudar, mas foi cortado pelo mais velho. O Kim retornou da cozinha e sentou ao lado do Park, no sofá de três lugares.

“Então,” ele começou e Chanyeol tremeu. “por que quis sair comigo?” o Park quase se engasgou com saliva.

A mente de Chanyeol nunca trabalhou numa velocidade tão alta quanto naquele momento. Ele precisava formular uma resposta decente. Uma que não entregasse que ele era um analfabeto amoroso com muito hormônio pra gastar e pouca oportunidade, e ao mesmo tempo fizesse Junmyeon se atrair por ele.

“Você é adorável.” Ele quis se matar assim que proferiu as palavras. Adorável?! Sério mesmo? Você não diz a um homem de 25 anos que ele é adorável.

“Adorável?” ele riu alto. “Essa é nova. Nenhum namorado jamais me disse isso.” ÓTIMO! Agora você ofendeu o crush, seu idiota! “O que exatamente é adorável sobre mim?” ele parecia verdadeiramente curioso.

“O jeito que você cora, fora que você é pequeno e fofo.”, Chanyeol respondeu, mas a vontade de morrer estava bem presente. Ele não sabia onde enfiar a cara.

“É verdade, né? Eu coro com facilidade.” Junmyeon riu novamente, se inclinando de leve na direção de Chanyeol. O Park congelou quando o outro praticamente empurrou-o no sofá e quase lhe escalou. “Mas pequeno e fofo é uma associação que fica por sua conta.” Os olhos eram felinos, como se soubessem cada pensamento sujo que passava pela cabeça do Park naquele momento.

“Hm, é o que parece.” Foi a única frase que o mais novo foi capaz de dizer. Ele estava todo duro, braços, pescoço, pernas,... Chocado pra dizer o mínimo.

“São associações comuns, mas tão mentirosas.”, ele pareceu se lamentar. “Você me achando pequeno e fofo quando, na verdade, o buraco é um pouco mais embaixo.” Chanyeol engoliu em seco.

“Eu estou um pouco confuso.”, admitiu. “Do que estamos falando exatamente?”

 Junmyeon se ajeitou sobre Chanyeol, prendendo-o no sofá. “Vou te ajudar a descobrir.”

 

E Chanyeol descobriu mesmo. Fofo, frágil e adorável definitivamente não são os adjetivos certos pra serem usados quando o assunto é Kim Junmyeon. Talvez você deva tentar surpreendente, dominador e bom-pra-porra. Inclusive este virou o nome de contato do digníssimo no celular do Park.

Depois daquele primeiro encontro, onde muitas coisas foram descobertas, abertas e provadas, Chanyeol não largou do pé do Kim até ele topar um segundo encontro, e um terceiro, e um quarto... Ambos mal notaram quando começaram a andar por pracinhas nos dias de inverno como se fossem os namoradinhos mais felizes do mundo. Ou quando Chanyeol parou de tentar bancar o bonzão na frente do mais velho e aceitou internamente que era ele quem levava uns tapinhas de amor de vez em quanto.

No fim, Junmyeon e Chanyeol realmente mesclavam perfeitamente, suas vozes, suas personalidades divergentes e os estereótipos que quebravam um com o outro. Mas falando com muita sinceridade, Chanyeol não estava nem aí pra nada disso porque Junmyeon tinha acabado de ligar convidando-o pra repetirem aquele macarrão com legumes aleatórios.

 


Notas Finais


Eu achei isso bem bleh e engraçado de um jeito bem estranho, mas fazer o quê? Meu humor é assim, brota de maneiras inesperadas e é sem graça.
Me digam o que vocês acharam akjdkhf

Ah, minhas inspirações
https://twitter.com/imexosgf/status/802174515857924096
https://twitter.com/filemyeon/status/802278116001456129
Beijos aos envolvidos, inclusive.

Espero que vocês tenham curtido,
Kissus ^^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...