História Daydreaming - Capítulo 49


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce
Personagens Alexy, Ambre, Armin, Bia, Castiel, Charlotte, Dakota, Debrah, Dimitry, Iris, Kentin, Li, Lysandre, Melody, Nathaniel, Rosalya, Violette
Tags Amor Doce, Romance
Exibições 46
Palavras 1.182
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Crossover, Festa, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Olá olá. Tudo bem com vocês?
Música Do Capítulo: Lana/Marina/Melanie/Halsey - Heart Games, Hurricane Wheels (Mashup) Mensepid Video Edit.

Capítulo 49 - Sempre Tem


Fanfic / Fanfiction Daydreaming - Capítulo 49 - Sempre Tem

Eu estava ali há quase meia hora e estava um saco. Cara, cadê as bebidas? A música foda? Toda aquela pegação? Cadê meus amigos?

A parte mais legal das festas é que não importa se ela estiver um saco, se seus amigos estão por perto, pode se tornar a mais foda de todas. E o Matheus não era meu amigo ainda. Eu não podia chegar nele e falar “Oh, seu otário, traz uma bebida pra mim”. Não é assim que as coisas funcionam, eu falaria assim com o Dake.

Meu celular toca e eu vou lá fora atender. Era a Rosa.

R: Olá minha biscate preferida.

A: Quanto amor. Que merda você fez agora?

R: Ãm, não sei. Talvez eu tenha vindo ao Brasil porque eu não estava aguentando de saudade da minha melhor amiga. Paguei um pouco caro, e não tem lugar para eu dormir, portanto, acho que eu realmente fiz merda, porém, uma merda que vale a pena.

A: Você está me zoando! Cadê você?

R: Tem mais alguém com cabelo do mesmo jeito que o meu? Menina, na sua frente.

A: Meu Deus! – Desligo.

- NÃO ACREDITO! – Todo mundo estava com ela. Gente, eu quero chorar. – Como que vocês conseguiram vir pra cá?

- Existe uma coisa chamada avião. – Dake diz e eu reviro os olhos. – Já usou? – Rio.

- Não. Eu vim pra cá voando.

- Meiguinha.

- Digamos que já tínhamos esquematizado tudo. Aí quando você disse que dava para a gente se matricular aqui, não pensamos duas vezes. – Alexy disse. – Papai ficou meio puto comigo, mas minha irmã é mais importante do que o sermão que meu pai vai dar.

- Meus pais ficaram meio que “vai para aonde você quiser, desde que não interrompa o meu trabalho”. – Rosa disse.

- Eu sou emancipado. – Nath disse.

- Eu já tenho 18 anos. – Dake falou.

- Foi só falar para a minha mãe que era você.  – Armin falou e eu sorri.

- O Leigh assinou então eu vim.

- Vocês são incríveis.

- Eu sei. – Alexy disse. – Eu estava observando, que festa mais chata hein.

- Alexy, você já viu alguma festa ficar chata com a gente?

- Pode entrar qualquer pessoa? – Lys pergunta e eu assinto.

Se eu estava feliz? Meu Deus! Felicidade não é nada perto do que eu estou sentindo. Acho que não inventaram algo para o que eu estou sentindo.

- Ann, quem são? – Matheus pergunta.

- Meus amigos. Espero que não se importe.

- Não, imagina.

- E eles vão se matricular logo cedo, então...

- Ah, melhor ainda. – Ele sorri.

- Matheus, você se importa de deixar isso aqui mais animado? Está me dando sono. – Ele ri.

- Claro.

Eu sei que sou muito confusa, mas eu ajo de acordo com o momento, entende? E no momento, o Castiel não se preocupou em vir junto com eles só por causa da gravadora, enquanto o Armin falou aquilo lá, e eu achei tão bonitinho. Sim, gente, eu não sei lidar com a minha indecisão. Ao mesmo tempo em que eu acho que gosto do Castiel, eu também acho que gosto do Armin, então eu não sei. Então eu fui falar com ele.

- E como vai a Iris?

- Um saco para ser sincero. Ela não entende as minhas piadas. – Rio. – E quando eu demoro em respondê-la porque eu estou jogando, ela fica me ligando até eu responder. Eu não tenho paciência Ann, então, eu mandei...

- Imagino. – O interrompo. – E não tem mais ninguém?

- Sempre tem.

- Quem?

- Isso é realmente bem óbvio. – Rio. – Annie, o que eu tenho que fazer para você me dar um pouquinho de bola?

- Não muita coisa. Eu sou muito confusa, sabe? Gosto de vocês dois ao mesmo tempo. – Ele ri.

- Ouvi dizer que quando isso acontece, é melhor que escolha a segunda pessoa, que no caso, sou eu, então... – Rio.

- Acho que tem razão, mas é melhor ir com calma. A última vez que ele soube que eu fiquei com você, ele me chamou de puta.

- Ele é uma puta. Não sei como ele consegue ficar com você, escrever coisas bonitinhas e ficar com outras ao mesmo tempo.

- C-Como?

- Ai, caramba! Eu fiz besteira. Não liga, esquece.

- Armin...

- Vai parecer que eu quero acabar com vocês dois.

- Armin...

- Ele não estava querendo vir pra cá por causa da Li.

- DE QUEM?

- Da Li.

Mas como assim povo? A Li? Amiga da Ambre? Como pode? Elas são amigas. Que talarica!

Mas mudando um pouquinho de assunto, o Armin estava tão lindinho, e estava tocando a nossa música. Por que as pessoas estragam esses momentos tão fofos? Aff.

- A LI, AMIGA DA AMBRE?

- Xiiiiiiiiiiiiiiiiiiiu. – Ele colocou o dedo na minha boca como se fosse um sinal de silêncio, porém ele se aproximou até demais de mim. E aquele calor já foi subindo, meu Deus! – Conheço essa música.

- Melhor do que ninguém. – Me aproximei um pouquinho mais.

POV’S ON ROSALYA:

- Eu tô falando. Nunca que cinza vai ser melhor do que azul. – Alexy disse. – Olha o meu cabelo, olha o seu.

- Dá pra te enxergar na outra esquina. Eu sou discreta.

- Quem é o tipo de pessoa que tem um cabelo cinza que bate no pé, e acha que é discreto? – Rio.

- Ainda não cheguei lá.

- Ah, essa música é tão bonitinha.

- Ainda mais com a Ann e o Armin dançando.

- Eita caramba!

- O que você acha?

- Eu não sou muito amores do Castiel, e eu acho o Armin tão amorzinho, e eu já falei com ele sobre a Ann, e parece mesmo que ele gosta dela.

- O Castiel era o meu melhor amigo, mas de um tempo pra cá, ele ficou tão sei lá.

- Nunca foi o meu então não posso falar muito coisa. – Solto um riso.

- Alexy, a gente deveria dar uns pegas. Fiquei carente.

- Olha que direta.

- Sempre. – Ele me beija.

POV’S OFF ROSA.

- Sério mesmo que a sua mãe deixou você vir pra cá só por causa de mim?

- Ela nunca gostou das minhas antigas namoradas, mas sei lá, ela te adora mesmo tendo conversado com você uma vez. – Sorrio. – Até porque é difícil não gostar de você.

- Não faz eu me apaixonar por você, não.

- Quem dera?!

- Eu não duvido.

- Jura?

- Sim. Eu me apaixono muito fácil.

- Melhor ainda porque eu já estou. – AI MEU DEUS! COMO LIDAR?!

- Armin...

- Não. – Ele sussurrou. – Só relaxa. – Ele me beijou.   

Não vou descrever porque eu nem conseguia pensar se o beijo tinha sido doce ou algo do gênero, mas foi sincero, não sei. Foi que foi uma beleza.

Paramos por conta do ar e ele estava me olhando diferente.

- Você beija muito bem, sabia? – Pergunto e ele fica envergonhado. – Não precisa ficar vermelho, só verdades. – Ele riu.

- Annie, você bem que podia mostrar o seu dormitório. – Ah, que safadinho.

- Com todo prazer. 


Notas Finais


Espero que tenham gostado :D
Não deixem de comentar e favoritar <3
Beijos beijos.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...