História De repente 30 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Comedia, De Repente 30, Sasusaku
Exibições 302
Palavras 3.731
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 2 - Dois malucos e quatro crianças.


 

De repente 30

 

A garota olhava de senho franzido para os pais imaginando que eles tinham problemas mentais, eles pareciam dois loucos gritando, com certeza haviam acordado toda vizinhança.

— Mamãe viu uma barata de novo? — Uma voz infantil foi ouvida e todos olharam para porta encontrando um menino de cabelos negros e olhos verdes, ele tinha um bebê no colo, era um menino fofo de cabelos e olhos negros.

Apresento-lhes os filhos do casal.

O garoto mais velho têm 6 anos e seu nome é Saito, digamos que o garoto puxou a personalidade do pai. O bebê em seu colo tinha apenas um ano e se chama Ryan, ele tinha uma irmã gêmea a mesma se chamava Aiko.

Eles eram uma graça.

— Saito cadê a Aiko? — A garota mais velha perguntou pegando o bebê no colo.

Essa era sarada a filha mais velha, a mesma tinha 10 anos. Ela tinha a inteligencia da mãe e aparência do pai.

— Ta dormindo, o Ryan acordou com os gritos mas aquela menina têm um sono de pedra. — Saito respondeu soltado um bocejo.

Acho que nem preciso citar pra quem essa menina puxou dorminhoca.

— Kami, o que esta acontecendo aqui? — Sakura olhava apavorada para as crianças.

São seus filhos mulher, pode abraçar eles não mordem.

— Eu vou fazer o café. — Sarada disse saindo do quarto com o irmão no colo.

— Sarada eu quero panquecas. — Saito a seguiu deixando o casal de doidos para trás.

O quarto ficou silencioso e nenhum dos dois ousava falar uma palavra, estavam paralisados, em transe. Aquela situação era muito para a cabecinha deles.

— AQUELAS CRIANÇAS ME CHAMARAM DE MÃE. — Sakura gritou apavorada puxando os cabelos.

Ela começou a bater na própria cara para ter certeza de que estava acordada, mas vendo que não estava funcionando ela olhou para a porta do quarto e engoliu em seco correndo para fora.

Precisava descobrir o que estava acontecendo.

— ONDE VOCÊ VAI? — Sasuke gritou correndo atrás da Haruno.

E assim se começa uma maratona.

Ela corria desesperada pelos corredores daquela enorme casa desconhecida, achou  a escada que dava ao andar de baixo e a desceu correndo, por pouco não tropeça e desce rolando, ao chegar no meio da enorme sala ela avista a porta da frente, não pensou duas vezes e saiu em disparada para a rua.

— SAKURA. — Sasuke a seguia já cansado de tanto correr, aquela casa era enorme.

Era uma mansão. Nem preciso dizer que eles são ricos não é mesmo?

Ao saírem do lado de fora encontraram uma grande piscina e um lindo jardim, Sasuke parou um minuto para tomar folego, como já estava cansado daquele jeito? ele jogava bola todos os dias e não se cansava facilmente.

É a velhice chegando meu filho.

Sakura saiu pelo portão e parou na calçada olhando para todos os lados, o lugar era familiar, era Konoha, tinha certeza disso.

Ela sabia que era Konoha, mas algo estava diferente, estava mais...evoluída? A Haruno passou a mão no rosto e ficou andando pela calçada tentando encontrar alguma explicação para aquela loucura.

— Bom dia Senhora Uchiha. — Uma mulher a cumprimentou ao passar ao seu lado.

Cérebro processando...

Acordou ao lado de Sasuke, estava mais velha, crianças a chamaram de mãe, uma velha a chamou de Senhora Uchiha,  Konoha estava evoluída, e apenas agora ela percebeu a aliança dourada em seu dedo.

Tendo um ataque em 1..2...

— NÃOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOOO. — Gritou desesperada sentindo o choro entalado na garganta.

E com sua super inteligencia ela entendeu o que estava acontecendo, era loucura mas ela entendeu.

— COMO EU PUDE FAZER UMA LOUCURA DESSAS? — Gritou começando a chorar, seu sonho era se casar com Sasori e construir uma família, agora de uma forma bem medonha ela descobre que se casou com o Uchiha comedor.

Onde estão as câmeras?

Sasuke que estava admirando seu reflexo na piscina se achando o rei da cocada preta, ouviu o grito da Haruno e seguiu em direção ao portão.

— Por que ta gritando chiclete? — O Uchiha perguntou olhando ao redor.

Mas ela não respondeu apenas ficou o encarando com cara de velório. Ela estava na dúvida entre se matar ou matar ele.

Momento tensão.

Ela o analisou por inteiro parando o olhar na barriga de tanquinho e os músculos de fora, ele estava bonito, muito mais bonito e gostoso. Mas o que adiantava ter toda aquela cobertura deliciosa por fora e o produto for ruim por dentro?

Ela queria se matar

—  ARG QUE ÓDIO, COMO ISSO FOI ACONTECER? EU SÓ POSSO TER SAMBADO EM CIMA DA CRUZ PRA MERECER UM CASTIGO DESSES. — Ela berrava pulando enquanto puxava os próprios cabelos.

As pessoas que passavam na rua a olhavam de senhos franzidos. Um mulher até tampou os olhos do filho.

A coitada estava ficando louca.

— Terminou o Show? — Sasuke perguntou com tédio quando ela parou de pular.

— É Konoha, estamos em Konoha. — Murmurou ofegante colocando as mãos na cintura.

— Isso eu já percebi, eu quero saber é o que esta acontecendo. — Ele revirou os olhos e ela segurou a vontade de vomitar, e puxou o moreno para dentro da casa.

Chega de escândalo na rua.

— Contando com os meus cálculos, de acordo com tudo o que esta acontecendo eu suponho que estamos no futuro. — Ela respondeu o soltando no meio do jardim recebendo uma careta bugada do Uchiha.

— Repete, eu parei de ouvir em cálculos. — Murmurou passando a mãos nos cabelos.

Sakura revirou os olhos e bufou. Oh homem burro.

— ESTAMOS NO FUTURO. — Ela gritou abrindo os braços atraindo o olhar do Uchiha para seus seios.

— Só no futuro mesmo pra você ter peitos. — Ele deu um sorriso malicioso olhando para os seios da rosada que ficou vermelha de raiva.

— VOCÊ OUVIU O QUE EU DISSE SEU DEMENTE? ESTAMOS NO FUTURO. — Ela gritou pegando uma pedra no chão jogando em direção ao moreno que desviou.

— Ouvi e Isso não é normal. — Ele respondeu a olhando feio.

Imagina, é super normal, isso acontece todos os dias por ai.

— Não é nada normal, mas de alguma forma esta acontecendo. Nós estamos no futuro, presos dentro de nós mesmos mais velhos. E de uma maneira bem estranha e ridícula estamos casados e temos FILHOS JUNTOS. — Ela disse com os dentes cerrados apontando o dedo para o Uchiha, ela estava furiosa e descontrolada.

Se pergunta em como pôde ter se casado com aquele imbecil? Só podia estar drogada, essa era a única explicação. Sasuke a drogou e se casou com ela.

O Uchiha ficou calado e passou a mão no rosto soltando um suspiro.

— Então, quer dizer que eu te comi? — Ele quebrou o silêncio e Sakura o olhou vermelha e incrédula.

Comeu e não foi só uma vez não.

— Não vou responder isso. — Ela negou tentando manter a calma.

— Isso é loucura. — Ele murmurou balançando a cabeça.

Ele não queria acreditar que aquilo estava acontecendo.

— Uma tremenda loucura. — Ela concordou batendo o pé.

— E agora? 

— Agora vamos tentar descobrir como isso aconteceu e tentar voltar ao nosso tempo normal. — Sakura disse massageando as têmporas.

— Hn. 

— Vamos manter a calma, ninguém pode descobrir o que esta acontecendo, vamos procurar pista e tentar agir como deveríamos agir nessa idade, nada de pânico.  — Ela continuou e soltou um suspiro passando por ele indo em direção a entrada da casa.

Sasuke assentiu pro vento e a seguiu, mas é claro que ele não conseguiu se conter e seus olhos sem querer querendo, desceram para a bunda da Haruno que também estava maior.

Ela estava bem gostosa naquela camisola curta, e aquele rebolado era de deixar qualquer um louco.

Constatou que havia se casado com ela apenas pela bunda que era bem redonda e gostosa. Isso mesmo ele se casou pela bunda, os peitos e as coxas vieram de brinde.

— BELO TRASEIRO HARUNO. — Gritou e ela lhe deu o dedo do meio por cima do ombro o fazendo rir.

Sakura se perguntava de onde vinha tanta safadeza.

Entrou em casa e respirou fundo ao ouvir o barulho das crianças na cozinha, respira Sakura você consegue, são seus filhos.

— Nada de pânico. — Murmurou pra si mesmo seguindo em direção aos barulhos e berros com Sasuke atrás de si.

Ao chegarem na cozinha encontraram a maior bagunça, Sarada estava no fugão fazendo panquecas e ao mesmo tempo mamadeira para os gêmeos, que estavam sentados na mesa se esgoelando de tanto chorar. Saito estava emburrado olhando para a panqueca queimada no prato.

Sua irmã realmente não sabia cozinhar. 

— Kami. — Sakura sussurrou assustada olhando para toda aquela bagunça.

Sasuke não reparou a bagunça, ele estava mais ocupado olhando apavoradamente para cada um dos seus supostos filhos. O Uchiha estava preste a dar um piripaque, ele realmente caprichou no serviço, quatro filhos? Sakura estava se sentindo uma chocadeira.

— Posso entrar em pânico agora? — Perguntou olhando apavorado para Sakura.

Sakura engoliu em seco e sorriu nervosa.

— Vamos, temos que fazer alguma coisa. — Disse nervosa entrando na cozinha.

Sasuke preferiu ficar parado na porta onde parecia mais seguro. Homens. São todos uns covardes.

— O que esta acontecendo aqui? — Sakura se pronunciou tentando parecer firme e colocar moral na bagaça.

— Mãe ajuda. — Sarada choramingou a olhando em súplica.

Sakura olhou para todos e resolveu dar um jeito de calar os bebês chorões, se aproximou dos dois e seu olhar parou na menina que era sua cópia cuspida, ainda não tinha a visto.

Ela era linda os cabelos eram rosas em curtinhos, os olhos verdes brilhavam feitos duas esmeraldas, sem perceber deixou um pequeno sorriso escapar, pegou a menina no colo com cuidado e olhou para o pequeno pingente que tinha na pulseira do bracinho gordinho, onde estava escrito seu nome, "AIKO". 

A balançou em seus braços tentando a acalma-la e a menina calou a boca abraçando a mãe. A rosada sorriu e olhou para o outro bebê que estendia os bracinhos fazendo bico pedindo colo.

— Sasuke pega ele. — Ordenou para o Uchiha que a olhou incrédulo e desviou o olhar para os lados fingindo que não era com ele.

Até colocou as mãos no bolso e começou a assoviar.

— Eu acho que vou ali... — Ele sorriu nervoso se virando pra sair.

— Pega ele agora. — Ela disse pausadamente com os dentes cerrados.

Ele engoliu em seco e deu meia volta se aproximou do bebê, ele estava tão nervoso que suava frio. Pra que tanto medo? é só um bebê, até parece que ele vai te comer, e é seu filho caso ainda não saiba.

Depois de muita luta ele pegou o menino o segurando desajeitadamente, esse é pai de primeira viagem.

— Mãe tô com fome. — Saito reclamou fazendo bico.

A rosada olhou para o menino e mordeu os lábios, haviam um pequeno probleminha. A Haruno não sabia cozinhar.

— Sua irmã está fazendo panquecas. 

— Chama isso de panqueca? — Ele bufou apontando para a panqueca queimada dentro do prato.

— Não dá, desisto, queimou tudo. — Sarada bufou se sentando na mesa de braços cruzados fazendo bico.

E agora rosada? têm quatro bocas famintas e você não sabe nem fritar um ovo. Aiko começou a chorar em seu colo e ela tentou de tudo mas a garota não calava a boca.

— O que ela têm? — Perguntou tentando fazer a garota calar a boca.

— Fome. — Sarada respondeu se apoiando na mesa.

— E o leite? — Sakura olhou para o fugão que estava uma bagunça.

— Queimou também. — A garota respondeu bufando.

Parece que a Sarada tem a quem puxar.

— Sasuke faz alguma coisa. — A rosada se virou para o moreno com um olhar de suplica.

Sério que tu vai pedir ajuda logo pra esse inútil?

— Não vêm não, eu também estou com fome e não sei fritar nem ovo — O moreno disse tentando afastar Ryan que estava puxando seus cabelos.

Como eu disse, um inútil.

— Tô com fome. — Saito quase gritou e Sakura estava prestes a enlouquecer.

— Calma, segura ela aqui. — Sakura entregou Aiko para Sarada e correu até os armários.

Abriu todas as portas encontrando várias caixas de cereal. Pegou quatro caixas e as colocou em cima da mesa, depois pegou quatro tigelas um litro de leite. Sorriu satisfeita quando as crianças atacaram o cereal com leite, é claro que para os bebês ela fez mamadeira.

Pronto problema resolvido. E o dia foi salvo graças a Sakura Haruno, correção Sakura Uchiha.

— Vou ter que comer cereal em todas as refeições? — Sasuke perguntou chateado levando uma colher cheia a boca, começando a mastigar com descrença.

— Não reclama de barriga cheia. — Sakura o olhou feio.

— Vocês não vão se arrumar? — Sarada perguntou olhando para os pais.

— Se arrumar pra que? — Sasuke perguntou virando a tigela na boca fazendo um barulho irritante ao beber o leite.

— O que aconteceu com vocês hoje? estamos atrasados para escola e para o trabalho de vocês. — Sarada estava com um senho franzido olhando para os pais.

— Trabalho? claro o trabalho... —  Sakura sorriu sem graça.

A pergunta era, do que eles trabalhavam?

— Pai eu exijo que o baka do Hideki saia do time. — Saito disse fazendo bico olhando para Sasuke que fingiu que não era com ele, tava mais interessado e lamber o leite da tigela.

Que grande pai.

— Sasuke responda seu filho. — Sakura sorriu forçado o olhando mortalmente.

— Eu não tenho filho. — O moreno respondeu na maior calma do mundo e levou uma colherada na cabeça.

Coitado, ele apenas tinha esquecido.

— VOCÊ É IDIOTA? — Sakura gritou perdendo a paciência e Sasuke a olhou com cara feia.

— DÁ PRA PARAR DE JOGAR AS COISAS EM MIM CARALHO? SERÁ QUE VOCÊ NÃO PERCEBE QUE É UMA TREMENDA DE UMA IRRITANTE. — O Uchiha perdeu a paciência e bateu a tigela na mesa com força.

As crianças o olharam assustadas para os dois, seus pais nunca brigaram desse jeito.

— Pai você falou palavrão. — Saito disse o olhando como se ele tivesse cometido o maior crime do mundo.

A casa deles tinha uma regra, era proibido palavrão.

— Vocês já estão arrumadas para a escola? — Sakura perguntou séria sem tirar os olhos do Uchiha.

Isso muda de assunto.

— Faltam arrumar os gêmeos. — Sarada respondeu baixo.

Era estranho ver seus pais brigando.

— Quem fica com eles? é alguma babá? — Sakura perguntou desviando o olhar para a garota.

— Mãe, a senhora se esqueceu que a dona Gertrudes se demitiu semana passado por que estava com pedra nos rins? — A garota olhou para a rosada com um olhar estranho.

— É me esqueci, e esqueci com quem deixamos os gêmeos também. 

— Vocês levam para o trabalho. — Saito respondeu olhando para a mãe com tédio.

— Como assim leva para o trabalho? — Sasuke que estava emburrado resolveu abrir a boca. Não tinha gostado nada daquilo.

— Vocês estão bem lerdos hoje em. — Sarada resmungou balançando a cabeça.

— Eu só preciso saber de uma coisa, eu sou jogador de futebol? — Sasuke se debruçou pela mesa olhando esperançosos para as crianças que o olhavam como se ele fosse louco.

É minha gente, o sonho do Uchiha era ser um jogador, jogador profissional e famoso.

— Era, se esqueceu de que esta aposentado? — Sarada murmurou revirando os olhos.

Sabe aquela alegria que vem e vai embora no mesmo estante? era a de Sasuke. Como assim aposentado?

— Aposentado? e quantos anos eu tenho? — O Uchiha estava indignado, estava jovem para se aposentar.

— Pai você ta bem? to começando a me assustar. — Sarada o olhou estranho.

— Só responda. — Disse entre dentes com um sorriso forçado.

— 30. — Respondeu e Sasuke abriu a boca.

Sakura apenas observava calada comendo seu cereal.

— E por que diachos eu me aposentei tão novo? — Ele bufou cruzando os braços.

Ele sempre dizia que iria jogar bola até ficar velhinho gagá.

— Se esqueceu que deslocou o quadril brincando de cavalinho com a mamãe? — Sarada disse na maior calma do mundo e Sakura cuspiu o leite que estava em sua boca na cara de Sasuke que estava a sua frente.

— O QUE? — Ela olhou incrédula começando a tossir.

— Foi bem no dia que vocês quebraram a quinta cama, tia Ino disse que a mamãe é muito selvagem. — Sarada continuou e Sakura se engasgou.

Tenho pena das crianças dessa casa, coitadas não devem dormir a noite.

Sasuke passou a mão no rosto olhando incrédulo para Sakura, não sabia se ria ou chorava. Ele se aposentou por que deslocou o quadril fazendo sexo? nunca havia ouvido tamanha barbaridade na vida.

— Viu o que você fez? não sabia que você era dessas, fica ai bancando a santinha quando na verdade é uma selvagem deslocadora de quadris. — Ele a olhou com repreensão balançando a cabeça.

Claro, ela fez todo o trabalho sozinha.

— Não fala mais nenhuma palavra. — Ela ergueu o dedo respirando fundo com o olho esquerdo piscando em um tique nervoso, depois da barbaridade que ouviu se recusava a olhar pra cara dele.

— Hn. 

— Podemos ir agora? estamos atrasados. — Sarada os chamou com tédio e Sakura se levantou.

 — Vêm comigo Sarada, me ajuda a arrumar os gêmeos. — Ela pegou Aiko e Sarada pegou Ryan, depois saíram da cozinha seguindo em direção ao andar de cima.

— Então pai, você vai tirar o Hideki do time? — Saito perguntou e Sasuke o olhou.

Era estranho para ele ser chamado de pai. Era assustador, se as crianças não fossem a cara dele o mesmo acharia que aquilo tudo não existia.

— Que time? 

— O nosso. 

— Nós temos um time?

— Na escola, se esqueceu que esta sendo nosso treinador? — O garoto bufou revirando os olhos.

Hoje seu pai estava mais bocó do que o normal.

— De jogador de futebol a treinador de moleques catarrentos, parabéns Sasuke, parabéns. — O Uchiha falou pra si mesmo balançando a cabeça.

Saito o olhou e estranho e se levantou da mesa saindo da cozinha de fininho, seu pai não estava bem hoje.
 
Depois de meia hora todos já estavam devidamente arrumados, Sakura estava vestida em uma calça branca e uma blusa da mesma cor, com a ajuda de Sarada descobriu que era pediatra, fez a maior dança da vitória ao saber que seu sonho fora realizado.

— Todos prontos? — Ela perguntou segurando Aiko olhando para os outros filhos que estavam em fileira na sala.

— Falta o papai. — Sarada respondeu com Ryan no colo.

— Tô pronto. — Sasuke descia as escadas na maior calma do mundo vestindo uma camisa preta.

— Agiliza seu lerdo. — Sakura saiu na frente e o bando foi atrás.

— Agiliza seu lerdo, quem foi que disse que ela é a líder? — Sasuke a imitou resmungando e os seguiu.

Quando viu que sua mãe estava meio perdida no meio do jardim, Sarada passou na frente indo em direção a garagem.

Lá tinha 2 carros, uma Ferrary preta e uma mini vã cinza.

— Uou que máquina. — Os olhos de Sasuke brilharam ao olhar para a Ferrary.

As crianças ignoraram e Sarada abriu a porta da mini vã, Sakura ajudou a colocar os bebês nas cadeirinhas e quando Sarada e Saito se acomodaram ela fechou a porta.

Primeira etapa bem sucedida, agora só havia um pequeno probleminha de nada.

— Sasuke, você sabe dirigir? — Ela perguntou nervosa olhando para o Uchiha.

Ele a olhou, olhou para o carro, a olhou mais uma vez e pro carro de novo.

Depois de longos segundos em silêncio ele respondeu.

— Claro que sei. — Respondeu girando as chaves na mão fazendo pose.

Detector de Mentira pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi.

— VOCÊ DISSE QUE SABIA DIRIGIR. —  Sakura gritou apertando o cinto com força.

Sasuke dirigia feito louco em alta velocidade, estava se achando um piloto de formula 1,  Sakura e Sarada gritavam em pânico e Saito estava quase dormindo. Os gêmeos eram os únicos que estavam rindo e se divertindo.

Esses puxaram ao pai, liga não.

— E SEI. — Ele retrucou passando em um sinal vermelho em alta velocidade.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA, OLHA O GATO. — Sarada gritou apontando para o gatinho preto que atravessava a rua na maior calma.

Era uma vez um gatinho.

Sasuke arregalou os olhos e tentou frear, mas já era tarde de mais, ele bateu no gato e o coitado voo por cima do carro.

— FOI MAL, DESCANSE EM PAZ. — O louco gritou.

Como se o gato fosse escuta-lo, tsc. Esses assassinos não tomam jeito mesmo.

— SEU MONSTRO, ERA SÓ UM POBRE GATINHO. — Sakura gritou com lágrimas nos olhos.

— EU NÃO TENHO CULPA SE ELE TAVA NO MEIO DA ESTRADA.

O coitado do gato que não têm culpa de um louco estar dirigindo.

— Dizem que quem atropela gato preto têm sete anos de azar. — Saito murmurou na maior calma.

Nem parecia que tinha um louco no volante.

— Impossível ter mais azar do que eu já tenho. — O Uchiha olhou de canto de olho para Sakura que chorava a morte do pobre gato.

— PAI A VELHINHA, NÃO MATA A VELHINHA. — Sarada gritou desesperada.

Sasuke virou o volante rapidamente desviando da velha e subindo na calçada.

— SAI DA CALÇADA SEU LOUCO. — Um homem gritou correndo para não ser atropelado.

— AAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAAA. — Sakura e Sarada gritaram quando o Uchiha saiu da calçada e desceu uma ladeira em alta velocidade.

Os gêmeos sorriam e batiam palmas e Saito tirava a meleca do nariz na maior calma do mundo.

— PARA ESSE CARRO UCHIHA, VOCÊ VAI NOS MATAR. — Sakura gritou de olhos fechados começando a rezar.

Sasuke revirou os olhos e quando chegou ladeira abaixo deu um giro no carro o estacionando em frente ao hospital, sorte a sua que o hospital era o mesmo da sua época e ele sabia o caminho.

— Calma, pra que tanto escândalo? todo mundo ta inteiro. — Ele sorriu apoiando o braço no volante.

Estava se sentido um piloto profissional.

Sakura o olhou com os olhos tremendo, seu cabelo estava parecendo uma bufa de leão.

— Eu acho que vou vomitar. — Sarada resmungou enjoada.

Não demorou um segundo e ela vomitou dentro do carro. Todos fizeram careta e viraram o rosto.

Sakura tirou o cinto e pegou Aiko no colo com sua bolsa, deu um aceno para as crianças e saiu do carro apressada.

— Limpa essa sujeira, deixe as crianças na escola e lembre-se que o Ryan é por sua conta. — Disse para o Uchiha e deu as costas indo a passos rápidos em direção a  entrada do hospital.

Sasuke a olhou se distanciar e engoliu em seco desviando o olhar para o bebê que babava e depois para  vômito.

Sakura você só pode ser doida pra deixar Sasuke tomar conta de um bebê.

— Pai acho que Ryan fez o número dois. — Saito murmurou e o Uchiha deixou a cabeça cair no volante.

— O que eu fiz pra merecer isso? — Choramingou ao sentir o fedor consumir todo o carro.

Calma Uchiha, seu sofrimento está apenas  começando.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...