História De repente 30 - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Comedia, De Repente 30, Sasusaku
Exibições 261
Palavras 2.976
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Comédia, Famí­lia, Hentai, Magia, Romance e Novela, Universo Alternativo, Violência
Avisos: Álcool, Insinuação de sexo, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Ciumes


De repente 30


          Sasuke estava esparramado no sofá dormindo de boca aberta, como de costume estava sonhado com várias mulheres ao seu redor. E quando iria beijar uma loira sentiu algo duro bater em seu rosto o fazendo ir ao chão.

Bem feito.

— Ai. — Resmungou sonolento fixando o olhar em uma par de pernas a sua frente.

Subiu o olhar pelas pernas as reconhecendo no mesmo instante.

— Sakura? — Perguntou se sentando no chão olhando para o rosto da mulher que não estava nem um pouco agradável.

A patroa chegou.

A rosada estava de braços cruzados batendo o pé no chão com uma carranca horrível no rosto.

Se fodeu Uchiha.

— O sono estava bom? — Perguntou em deboche.

— Muito, por que me acordou desse jeito? espera o que faz aqui? — Perguntou sonolento se levantando.

Era uma vez um Uchiha.

— Mais é muito cara de pal mesmo, EU VOU TE MATAR. — Sakura rosnou o enchendo de tapas.

É assim que se faz rosada.

— Ei. — Ele tentou segurar os braços da rosada e caiu no sofá com a rosada em cima o enchendo de murros e tapas.

Luta livre ao vivo, peguem as pipocas.

— SEU IRRESPONSÁVEL FILHO DA MÃE. — Ela gritou o mordendo no braço.

Isso já virou canibalismo.

— FICOU DOIDA? — Gritou segurando os braços da rosada tentando tira-la de cima de si.

Mata ele Sakura, ele quase mata o teu filho.

— QUEM FICOU DOIDO FOI VOCÊ, QUER MATAR MEU FILHO SEU DEMENTE? — Ela gritou ofegante o olhando mortalmente.

— DO QUE VOCÊ TA FALANDO SUA MALUCA? — Ele trincou os dentes irritado.

Vai se fingir de inocente agora?

— Estou falando do fato de ter chegado em casa e Ryan estar dentro da piscina em cima de uma prancha, e do fato de alguém ter me parado na rua só para dizer que meu filho estava sozinho dentro de um carro desgovernado. Entendeu agora? — Ela cerrou os dentes dando leves tapinhas no rosto do moreno.

Ele piscou os olhos e sorriu amarelo.

— Eu não tenho nada haver com isso. — Se defendeu mentindo na cara dura.

Mais é muito cara de pal mesmo.

— VAI A MERDA SASUKE, VOCÊ É UM INÚTIL QUE NÃO CONSEGUE CUIDAR NEM DE UM BEBÊ. — Ela o empurrou saindo de cima dele.

— Escandalosa. — Sasuke resmungou revirando os olhos e ela o encarou séria.

— Vamos para o quarto, precisamos conversar. — Ela pediu seguindo em direção a escada.

Não queria que seus filhos vissem aquela discussão.

— Não tô afim. — O Uchiha bocejou se ajeitando no sofá.

É muito folgado mesmo.

— Vamos conversar agora. — Sakura ordenou trincando os dentes.

Sasuke a olhou de cima a baixo e riu.

— Você não manda em mim chiclete, me deixa em paz e vai encher a paciência de outro. — Murmurou ligando a televisão.

Olha que ela te troca por outro. Pelo Sasori para ser mais exata.

— Você é um idiota, infantil, se eu tivesse me casado com Sasori tudo seria mais fácil. — Ela murmurou balançando a cabeça.

Não disse?

Sasuke virou a cabeça lentamente em direção a rosada, agora a porra ficou séria.

— O que você disse? — Perguntou desligando a televisão a olhando com uma cara nada boa.

Eita, feriu o ego masculino do cara.

— Eu deveria ter me casado com Sasori— Soletrou lentamente com um olhar superior arrancando um sorriso irônico de Sasuke.

Nunca, diga que preferia ter se casado com o pior inimigo do marido.

Ele se levantou e se aproximou da mulher parando em frente a mesma, com os rostos quase colados.

— É uma pena, pois você se casou comigo. — Apontou pra si mesmo com um sorriso debochado no rosto.

Isso esfrega na cara.

— Grande bosta, ainda acho que isso é um pesadelo e que vou acordar a qualquer momento. — Ela revirou os olhos bufando.

Um belo pesadelo.

— Você vive falando que não me suporta mas eu aposto que você é louca por mim. — Sasuke deu um passo a frente a desafiando com o olhar.

— O que? não me faça rir seu idiota. — Ela sorriu irônica dando um passo para trás.

— É tão louca por mim que até se casou comigo. — Sorriu convencido.

Ele esta se achando a última bolacha do pacote. Pior que ele pode se achar o pacote inteiro, vai ser bonito assim aqui em casa.

— Eu digo e repito, vá a merda. — Ela soletrou e lhe deu as costas começando a subir as escadas.

— ADMITA IRRITANTE, VOCÊ ME AMA. — Ele gritou ela lhe deu o dedo do meio.

Eu te amo, quer casar comigo?

— NEM SE VOCÊ FOSSE O ÚLTIMO HOMEM DA FACE DA TERRA. — Gritou terminando de subir as escadas.

Isso foi profundo, magoo os sentimentos do cara.

— Mãe tô com fome. — Saito apareceu no corredor com uma cara emburrada.

— Pede pra sua irmã pedir pizza. — Mandou abrindo a porta do seu quarto e entrou no mesmo bufando.

Bela mãe.

Pegou uma toalha e seguiu em direção ao banheiro emburrada.

 — Arrogante idiota. — Resmungou tirando suas roupas as jogando em qualquer canto do banheiro.

Sasuke conseguia tira-la do sério.

— Estúpido convencido. — Continuou a resmungar e entrou no box ligando o chuveiro.

Soltou um suspiro fechando os olhos tentando relaxar, acabou que ela nem percebeu a porta sendo aberta e um ser inconveniente entrando no banheiro.  Sasuke não conformado de ter perdido a discussão foi atrás da rosada, e agora estava parado quase babando pelo corpo da mulher.

Quer um babador?

— Uou, eu tiro meu chapéu pra você irritante. — Ele abriu a boca olhando dos pés a cabeça.

Sakura se assustou e derrubou o sabonete no chão olhando apavorada para o moreno, que a olhava como se fosse come-la a qualquer momento.

— AAAAA, SAI DAQUI SEU TARADO. — Gritou tentando cobrir o corpo.

Já era, ele viu tudo.

— Calma irritante, já que sou seu marido tenho direito de avaliar produto. — Sorriu malicioso se aproximando do box.

Pode avaliar, vistoriar, saborear fazer o que bem quiser meu filho.

— NÃO SE APROXIME. — Gritou jogando um vidro de creme no Uchiha que desviou.

Um fato sobre Sakura, a mira dela não é nada boa.

— Também quero tomar banho. — Sorriu tirando a camisa e Sakura arregalou os olhos.

Ui o negócio ta ficando bom.

— ESSA CASA É ENORME VAI PROCURAR OUTRO BANHEIRO. — Gritou engolindo em seco.
 
— Esse me parece mais interessante. — A olhou com aquele olhar sedutor que fazia qualquer uma molhar a calcinha e levou as mãos ao zíper da calça.

— SASUKE NÃO OUSE. — Ela gritou apavorada.

Tira, tira, tira, tira, tira....

— O que foi chiclete? ta com medo? 

— Arg que ódio, se você não vai sair eu saiu. — Ela grunhiu pegando a toalha no gancho e se enrolou apressada.

Ah não foge.

— Logo agora que tava ficando bom? — Ele fingiu estar decepcionado e Sakura o empurrou passando por ele apressada.

Bateu a porta com força e ainda ouviu a risada do Uchiha.

— Filho da puta, esse babaca ainda vai me deixar louca. — Bufou saindo do quarto a procura de outro banheiro.

Ela estava toda ensaboada.

Enquanto andava pelo corredor escultou a campainha tocar, ignorou e continuou procurando um banheiro.

— MÃE ATENDE, É A PIZZA. — Sarada gritou do quarto e Sakura jogou as mãos para o auto.

— Será que não posso nem tomar banho em paz? — Resmungou descendo as escadas e quase escorregou no caminho.

 Ao chegar na porta a abriu e franziu o senho ao ver o homem a sua frente.

— Nossa, eu tô no paraíso. — Os olhos do homem brilharam e uma baba escorreu por sua boca.

— Lee? — Ela o olhou de cima abaixo, ele ainda usava aquele macacão verde.

— Sim minha deusa. — Ele olhava hipnotizado para as pernas da rosada.

Ela tossiu falso e deu um sorriso forçado.

— É, a pizza... — Ela pediu apontando para as duas pizzas nas mãos do rapaz.

— Aqui. — Ele entregou para a rosada rapidamente com um sorriso enorme no rosto.

— Quando custa? — Perguntou olhando em volta.

Precisava encontrar dinheiro.

— Nada minha linda, pra você eu dou até meu coração de graça. — Ele fez uma pose galante mexendo as sobrancelhas e Sakura fez uma careta desviando o olhar.

— Tudo bem, boa noite. — Sorriu forçado e fechou a porta na cara do homem.

Educação mandou lembrança, você destruiu os sonhos do coitado.

— Arg ele continua grudento. — Ela resmungou ao se lembrar que na adolescência o garoto vivia no seu pé.

Ela vivia fugindo dele.

— Quem continua grudento? — Sasuke perguntou descendo as escadas com uma toalha em volta do pescoço.

Estava apenas com uma bermuda preta e por um momento Sakura se perdeu no peitoral gostoso do moreno.

Preciso de um ventilador.

— Lee. — Ela sussurrou tossindo falso, tentando desviar o olhar da tentação.

Tu gosta que eu sei.

— Pizza, já estava na hora. — Ele tomou as caixas da mão da rosada seguindo em direção a cozinha.

— PAI NÃO COME TUDO. — Saito gritou descendo as escadas correndo em direção ao pai.

Oh povo guloso.

— Mãe eu dei banho na Aiko ainda falta o Ryan, ele tá no quarto brincando. — Sarada murmurou passando com Aiko no colo em direção a cozinha.

Sakura respirou fundo e subiu para o andar de cima, pegou Ryan no quarto e o levou para o banheiro onde tomaram banho juntos. Ela até que era boa em cuidar de crianças.

Diferente de certas pessoas que eu prefiro não citar o nome.

Deixou o menino na cama e foi se vestir, depois de vestida foi arrumar o menino que pulava na cama.

— Você é uma gracinha. — Ela fez cosquinhas no bebê que soltou uma risada gostosa.

Ele era uma fofura, era a cara cuspida de Sasuke.

— Mama. — Ele esticou os bracinhos e Sakura o pegou no colo.

— Você me chamou de mãe? — Ela sorriu emocionada.

Alguém em arruma um lenço? tô chorando aqui.

— Mama. — Ele a abraçou e Sakura o beijou.

Ela achava tão estranho mais ao mesmo tempo tão bom ser chamada de mãe, ainda não tinha caído a sua fixa.

— Vamos você deve estar com fome. — Ela murmurou saindo do quarto com o menino nos braços.

Ao chegar na cozinha ela encontrou todos sentados na mesa, Sarada comia calmamente olhando para o pai e para o irmão que estavam brigando por um pedaço de pizza.

Aiko estava sentada na cadeirinha se sujando toda com um pedaço de pizza.
 
 — Eu quero o último pedaço com tomate. — Saito choramingou puxando o pedaço de pizza.

— Você já comeu demais, o último pedaço com tomate é meu. — Sasuke retrucou puxando o pedaço pra ele.

— Pai deixa de ser chato. — Saito grunhiu fazendo bico.

Nada a declarar.

— Que baderna é essa? — Sakura entrou na cozinha atraindo todas as atenções para ela.

— Seu filho que é irritante igual a você. — O Uchiha bufou olhando feio pro menino.

— Ei. — Sakura e Saito se ofenderam.

— Deixa de ser criança Sasuke, dá o pedaço pro seu filho. — Sakura brigou colocando Ryan sentado na cadeirinha ao lado de Aiko.

Saito deu um sorriso vitorioso e Sasuke o olhou feio soltando a pizza.

Todos ficaram em silêncio e voltaram a comer, depois as crianças foram para a sala assistir e Sakura pegou os pratos sujos para lavar.

— Pode vir me ajudar. — Ela parou Sasuke quando viu que ele ia fugir de fininho.

O moreno bufou e acabou enxugando os pratos.

— Amanhã vamos ao lanterna de papel. — Sakura disse lhe entregando o último prato.

Sasuke a fitou e se lembrou do último lugar em que esteve.

— Claro, lá foi o último lugar em que estivemos juntos, depois eu não me lembro de mais nada. — Ele murmurou pensativo.

— Tenho minhas desconfianças da quela Senhora, lembra do bolo? — Ela o olhou sugestiva.

— Não acho que um bolo tenha feito isso.

— Vamos descobrir amanhã.

Quando terminaram seguiram para a sala e encontraram as crianças assistindo um filme. Os gêmeos já estavam dormindo no sofá e Sarada soltava alguns bocejos, Saito era o único que estava prestando atenção no filme.

— Todo mundo pra cama. — Sakura bateu palmas atraindo o olhar das crianças.

Sarada bocejou e se levantou com preguiça.

— Boa noite mãe, pai. — Murmurou sonolenta e subiu para o quarto.

— Boa noite querida. — Sakura sorriu olhando a menina se distanciar.

— Eu não vou dormir agora, o filme ta na melhor parte. — Saito resmungou.

Os barulhos de tiros ecoaram por toda sala.

— Velozes e furiosos? adoro. — Sasuke se jogou no sofá ao lado do filho com os olhos vidrados na televisão.

Sakura revirou os olhos e bateu o pé.

— Amanhã vocês vão acordar cedo. — Ela disse sendo ignorada.

Bufou e pegou o controle desligando a televisão.

Isso mostra quem manda.

— Ah não mãe, deixa de ser irritante. — O menino fez bico e Sakura abriu a boca incrédula.

Até tu brutos?

— Está vendo? até seus filhos te acham irritante. — Sasuke sorriu provocativo.

— Saito vai pro quarto agora. — Ela bateu o pé apontando para as escadas e o menino bufou passando por ela irritado.

— Me ajuda levar o gêmeos para o quarto seu inútil. — Ela disse para Sasuke pegando Ryan nos braços.

— Eu ainda vou te mostra o inútil. — Ele retrucou pegando Aiko.

Foi só eu ou alguém percebeu o duplo sentido nessa frase?

Sakura o ignorou e subiu as escadas com o Uchiha atrás de si.

— Essa menina é a sua cara. — Ele murmurou analisando o rosto de Aiko.

Agora que você veio perceber?

— Por isso que é bonita. 

— Depois eu que sou o convencido.

Eles colocaram os bebês no berço e Sakura sorriu olhando para os dois, ficavam ainda mais fofos dormindo. 

— Isso é tão estranho. — Sasuke comentou depois de um tempo em silêncio.

— Estarmos aqui? — Ela o olhou de lado.

— Termos filhos juntos. — Respondeu a olhando.

Ficaram se encarando em silêncio olhando-se nos olhos, igual aquelas cenas de filmes.

— Eu te odeio. — Ela murmurou e ele deixou um sorriso escapar.

Quebrou o clima.

— Sei que me ama. — Deu as costas e saiu quarto.

Sakura soltou um suspiro e deu uma última olhada nos filhos antes de sair do quarto e fechar a porta.

Seguiu até seu quarto que ficava no final do corredor e passou pela porta, parando na mesma ao ver o Uchiha tirando a bermuda ficando apenas de cueca e se jogando na cama.

Vêm pra minha cama, têm espaço suficiente para nós dois.

— O que você pensa que esta fazendo? — Ela perguntou o vendo rolar na SUA cama.

— Indo dormir? — Disse o óbvio.

— Você não vai dormir na minha cama. — Ela riu com ironia ele ergueu uma sobrancelha.

— Sua? e onde esta escrito o seu nome? 

Odeio quando falam isso.

— Sasuke eu não vou dormir com você. — Ela soltou um suspiro colocando a mão no rosto tentando manter a paciência.

Mantenha a calma Sakura ou vai criar cabelo branco.

— Vai sim, aproveita e coloca uma camisola bem sexy. — Ele mordeu os lábios olhando para as pernas da Haruno.

Ela o fuzilou com os olhos prestes a explodir.

— Sai da cama agora. — Ela bateu o pé trincando os dentes.

— Daqui eu não saio, daqui ninguém me tira. — Colocou os braços atrás da cabeça dando um sorriso presunçoso.

Aproveita essa tentação e se joga mulher.

— Arg eu te mato. — Ela rosnou pulando em cima dele e o mesmo sorriu a abraçando.

— Vai me mostrar o seu lado selvagem hoje? — Prendeu os pulsos da rosada a virando na cama ficando por cima da mesma.

Ui, o negócio ta pegando fogo.

— Me solta. — Ela murmurou ofegante o olhando nos olhos.

— Qual é irritante? sou seu maridinho deveria me dar um tratamento especial. — Ele sussurrou em seu ouvido descendo beijos pelo pescoço da rosada.

Ela prendeu a respiração e sorriu lhe dando um chute nas partes baixas, ele fez uma careta de dor e rolou para o lado caindo da cama.

— Tai o seu tratamento especial, ah e apaga a luz quando sair do quarto. — Ela sorriu maldosa puxando o lençol e se deitando na cama.

— Arg assim eu não vou poder ter mais filhos. — Sasuke choramingou rolando no chão.

Jura que tu ainda quer mais filhos? já não basta quatro pra tu tentar matar?

(...)

No dia seguinte todos já estavam arrumados e Sakura estava terminado de arrumar a bolsa dos bebês. Ela levaria Ryan consigo, não deixaria seu filho sozinho com Sasuke nunca mais.

Parabéns, essa foi a melhor decisão da sua vida.

— Vamos? — Ela chamou colocando os bebês em um carrinho duplo.

— Não vão mesmo comigo? — O Uchiha apareceu na sala mordendo uma maça.

— Não obrigada, eu e meus filhos temos muitos para viver ainda. — Ela sorriu falso começando a empurrar o carrinho para fora de casa sendo seguida por Sarada e Saito.

Sasuke bufou e os seguiu até a porta.

— Assim você me ofende, eu sou um ótimo motorista. — Ele protestou emburrado.

Sério?

— Imagine se não fosse. — Ela revirou os olhos abrindo o portão.

— Pai o senhor precisa ir no médico, já até se esqueceu como se dirigi. — Saito lhe deu uns tapinhas no braço e passou por ele.

O Uchiha ficou emburrado no portão os vendo se afastar, e quando iria entrar para dentro seu corpo parou ao ver um carro vermelho parar em frente a Sakura e as crianças.

Franziu o senho e crispou os lábios ao ver a pessoa que saiu de dentro.

— Precisam de carona? — O ruivo rodeou o carro parando em frente a Sakura com um sorriso no rosto.

— Sasori. — Ela sorriu com os olhos brilhando.

Os olhos do Uchiha vagaram do ruivo para a rosada sucessivamente e o mesmo fechou a cara, trincando os dentes.

Detector de ciumes pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi pi....

— Se quiserem posso levar vocês. — O ruivo apontou para o carro e antes de Sakura abrir a boca o Uchiha se intrometeu no meio.

— Não vai levar porcaria nenhuma. — Ele puxou a rosada pela cintura fuzilando o ruivo com os olhos.

Sakura o olhou assustada e desviou o olhar para o ruivo que encarava o Uchiha com os olhos faiscando de ódio.

Era impressão sua ou eles estavam prestes a se pegarem na porrada?

Não tenho dúvidas, alguém ai têm?



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...