História De repente, amor - Camren - Capítulo 63


Escrita por: ~

Visualizações 1.054
Palavras 1.003
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hello

Capítulo 63 - Não me envergonho de amar


Fanfic / Fanfiction De repente, amor - Camren - Capítulo 63 - Não me envergonho de amar

Camila levantou do sofá rapidamente e fitou seu pai que a olhou de forma confusa e se aproximou na cadeira de rodas. Ela temia pela reação dele, nao queria que fosse o oposto da reação que Sinuhe teve.

-como assim? Você gosta de mulheres? Como eu, sendo seu pai não notei isso?

Ele perguntou em tom calmo, dando a confirmação a ela de que tinha ouvido a conversa.

-eu não gosto de mulheres, eu gosto de uma mulher

-como isso foi acontecer? Eu...

-fique calmo Alejandro, você já deveria estar dormindo, em repouso 

-desde quando sabe sobre isso?

-ela confessou agora, mas eu soube desde o momento em que bati os olhos nela com a Lauren

-vocês poderiam parar de conversar como se eu não estivesse aqui. Papa, quando eu olho pra ela, eu vejo que não preciso de muito para ser feliz, porque eu já tenho ela e isso é tudo que eu poderia desejar. Alguém que se importa, que cuida de mim, que me dá amor, isso é impagável, e eu agradeço a Deus todos os dias em pensamento quando acordo, por ele ter colocado lauren em minha vida, e ter dado um colorido novo a ela. Então pai... Sim, eu estou completamente apaixonada por uma mulher, e eu sinto muito se não puder lidar com isso, mas eu não me envergonho de amar. Me sinto alguém melhor quando estou com ela

Alejandro ainda estava atônito, acho que surpreso seria a palavra mais ideal, ele apenas nunca imaginou algo assim, Camila gostando de uma mulher, romanticamente.

-e eu ser assim não mude o fato de eu ser ainda a sua garotinha e de você ser o meu herói da infância

Alejandro esticou os braços e ela se aproximou sentando no colo dele.

-querida, eu jamais ia te julgar ou ser contra algo que te faz feliz, só se isso fosse algo que te prejudicasse. Claro que você sempre será a nossa Kaki, nada mudou, eu só estou tentando entender as coisas, eu fiquei surpreso

-não vai ficar com raiva? Não está bravo comigo?

-claro que não, no que isso mudaria? Você continuaria a gostar dela, e isso só iria tornar a nossa relação de pai e filha, ruim, e eu jamais quero isso, você e sua mãe sabem, que apesar dos meus medos, e dos meus conflitos internos, vocês duas são as coisas mais importantes da minha vida, são algo que eu não viveria sem. Se está amando aquela mulher, eu quero poder conhecer ela melhor em breve, preciso saber se ela merece mesmo a minha preciosa filha

Camila sorriu e abraçou o pai. Sinuhe se juntou ao abraço. Ter o apoio da sua família era muito importante para ela.

-eu logo trarei ela, isso já me deixa um pouco mais tranquila, agora a preocupação será apenas com os pais dela, por causa da nossa grande diferença financeira...

-se eles julgarem a própria filha por causa disso, não estarão sendo bons pais. E a moça é linda filha, você tem bom gosto

-obrigada, Lauren é... eu não sei nem explicar,  ela é perfeita pra mim, em todos os sentidos, e eu a amo!

-nos fale um pouco mais sobre ela

Camila sentou no sofá animada e começou a listar as inúmeras virtudes de sua namorada. Contou como elas se conheceram, e de como Lauren fez sua vida mudar completamente, porque o amor, ele nos transforma para melhor. 

***

Normani estava com a cabeça encostada no peito de Dinah, enquanto passava os créditos do filme que já tinha acabado. 

-você sempre dorme

Disse acariciando o rosto de sua namorada. Desligou a TV e tentou, da forma mais delicada possível, pega-la em seus braços. Ela se mexeu um pouco, mas Dinah conseguiu leva-la até a cama. Puxou o shortinho do Baby doll para cima, pois mostrava parte da renda da calcinha que ela usava. Dinah suspirou observando o quanto Normani tinha pernas bonitas, e não conteve a vontade de dar-lhe um beijo na coxa direita. A morena abriu os olhos e viu que não estava mais no tapete com a namorada.

-como eu vim parar aqui?

-eu te trouxe, desculpa se te acordei, eu mal encostei, já tentando não te acordar

-mas eu senti você. Vem cá

A loira se aproximou e fitou os lábios carnudos e atraentes. Devia ser um pecado ser tão linda assim.

-me beija...

Dinah sorriu e segurou delicadamente na nuca dela, antes de aproximar seus lábios dos dela, e lapida-los com um beijo intenso e apaixonado. Enquanto se beijavam Normani baixou a alça da camiseta de Dinah e deu beijos na região do seu torso, sentando sob suas coxas e fazendo a loira suspirar. Ela passou as mãos pelas coxas torneadas e pela bunda impinada de Normani. Livraram-se do que se vestiam, ficando apenas com peças íntimas. Os dedos de Normani acariciaram por entre o vale dos seios fartos de Dinah, e foi beijada ali em seguida. As respirações já ofegantes, a morena rebolava no colo da namorada, enquanto ela abriu o fecho do sutiã e tocou os seios durinhos de Normani. Beijou a região lateral e chupou de forma delicada, deslizando a ponta de sua língua rapidamente.

-ah..

Ela gemia pressionando a boca carnuda da loira contra seu seio. Dinah gemia contra a pele macia dela. Logo se livrou de sua minúscula calcinha e tirou também a de Normani. Olhou bem para seus traços, sua boca entreaberta, seu olhar intenso. Beijou-lhe os lábios antes de conectar seu corpo ainda mais com o dela, posicionando sua infinidade junto a dela. Rebolando, sentindo sua pulsação e calor. Suspiravam e gemiam juntas. O calor descomunal fazendo-as chegar ao ápice em questão de breves minutos. Normani mordeu o lóbulo da orelha da namorada e deslizou sua língua na região do pescoço. Ambas gozaram uma para a outra de forma intensa. 

Os corpos quentes e ainda sentindo-se excitados pelo calor que o corpo uma da outra lhe proporcionavam. Deitaram, juntas, as pernas entrelaçadas. Dinah pousou sua cabeça sob o peito da namorada, sentindo seus batimentos cardíacos.

-eu te amo Mani

Sussurrou enquanto a ponta dos seus dedos acariciava-lhe a pele. Ela sorriu e puxou o edredom para cobri-las.

-eu também te amo Dinah Jane


Notas Finais


Qualquer erro ajeito depois. Escrevi pelo celular porque o carregador do meu notebook pifou💔 espero que tenham gostado ☺ Trolei vocês hahaha Alejandro é um paizão, tem que apoiar a filha


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...