História De repente amor. - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Divergente
Personagens Beatrice "Tris" Prior, Tobias "Quatro" Eaton
Exibições 256
Palavras 9.718
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Ficção, Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Cheguei e quero agradecer a todos os comentários, teve uns novos e fiquei muito contente em saber que estão gostando... ♥
Agora vamos de capítulo porque me empolguei kkkk Vih,Belatity, Luna, Isa, Sah... Dedico a vocês este capítulo como agradecimento pela força...

Boa leitura 🍃🍃🍃

Capítulo 14 - Capítulo 14


Fanfic / Fanfiction De repente amor. - Capítulo 14 - Capítulo 14

Nova York 21 de outubro

Sexta.

Hoje é o dia em que vou conversar com Peter, Max meu advogado também relutou um pouco mas como sou uma menina muito esforçada consegui dobrá-lo. Todos já estão cientes do ocorrido com o que foi encontrado no quarto de Peter e papai não sabe quem é muito menos o Caleb, pois quem levava e buscava nós dois na escolinha era a mamãe, então não tem como perguntar

- Tris ? Tem certeza que quer fazer isso ? Chris me pergunta.

- Claro amiga, eu preciso saber porque depois de 14 anos me observando e me perseguindo ele resolve agir dessa forma, e se ele tiver passado por algum trauma ? Como se diz um gatilho para começar a fazer tudo isso. Digo calma para a minha amiga que está sentada de frente pra mim num restaurante.

- Mudando de assunto, amanhã vamos no Shopping. Ela diz.

- Fazer o quê ? Pergunto.

- Vamos passear, vamos todas as meninas juntas. Ela diz me fazendo revirar os olhos, odeio ficar andando no shopping.

- Chris... Começo a resmungar.

- My little poney nem adianta tentar me conduzir, você sabe que sou pior que você. Ela completa me deixando sem fala.

- Little poney é você, idiota. Resmungo.

Pagamos a conta e vamos andando para a empresa ja que é relativamente perto, mas quando estamos chegando na Eaton's sinto algo bater em mim, vejo tudo rodar e só escuto zumbidos, não sei ao certo o que estão querendo me dizer, sei lá o que aconteceu só sei que estou sendo sugada para a escuridão e logo ela consegue porque é mais forte do que eu.

Pov Chris.

Desespero.

Desespero toma conta de mim quando Beatrice voa para o outro lado da rua depois de um carro pegá-la em alta velocidade, não consigo pensar só grito pra ela aguentar que já estão chegando, e vão levá-la para o hospital, minha vontade é de abraçá-la e chacoalhar seus ombros até ela rir e dizer que era uma pegadinha, mas sei que não posso tocar no corpo para maiores contusões. O motorista do carro está aparentemente desnorteado, não sei se pelo acidente ou pelo bafo de álcool, lembro-me de avisar alguém e a única pessoa perto o suficiente para ajudar é o namorado da minha amiga então reúno minhas forças e tento me controlar.

- Alô ? 

- To..bias ?

- Sim ? Quem é ?

- To..bias é a Chr...is.

- Chris ? O que aconteceu ?

- Tob..ias a Tris... está no Hospital vem logo.

Desligo.

Espero que ele tenha entendido o que quis dizer, mando uma mensagem no grupo dizendo para todas irem ao hospital urgente quando puderem. Finalmente a ambulância chega e nos leva para o hospital, não consigo entender, a ambulância leva os dois machucados no mesmo carro.

- O que você tem na cabeça ? Pergunto ao homem do outro lado do carro sendo atendido e medicado.

- Me desculpe... Ele diz com lágrimas nos olhos, mas essas lágrimas me saíram como de falsidade, eu sei que acidentes acontecem, mas não com alguém próximo o bastante para me abalar como a Tris, uma menina que enfrentou tantas adversidades tantas coisas para viver, e agora corre o sério risco de não viver mais.

- Srta. Por favor avise a família da vítima, acidentes acontecem. Diz um enfermeiro.

- Cala a sua boca o que você estaria fazendo se fosse algum ente querido seu  numa ambulância podendo morrer por causa de um alcoólatra que sabe que não deve beber e dirigir mas faz isso. PORRA HOJE É SEXTA FEIRA A TARDE, HORÁRIO DE ALMOÇO O QUE ESSE MERDA PENSA ? digo/grito com o enfermeiro que fica calado enquanto o tal motorista fingi chorar.

- Se acontecer qualquer coisa mais grave com a minha amiga você vai pagar por isso e não vai ser pouco, ridículo.

- Me perdoa moça, eu juro que não vi vocês, me perdoa.

- É claro que não viu, estava com a porra do olho onde ? No semáforo que não era. Digo alterada.

- Vocês podem ficar calados ? Já estamos chegando. Diz outro enfermeiro.

Não contenho minhas lágrimas e começo a soluçar, não queria avisar o tio Andrew mas vou incubir Caleb desse fato. Respiro fundo e ligo para Caleb avisando o que tinha acontecido, me sento na sala de espera do hospital e aguardo notícias da minha irmã loira que tanto amo.

Pov Tobias.

Eu não sabia o que fazer, não entendi muita coisa do que a Chris disse mas resolvo ligar para a Tris só dá caixa postal, ligo para a Chris e também dá caixa postal, opto por ligar para Caleb mas sou interrompido por uma Shauna descabelada, ofegante e com maquiagem borrada, meu coração aperta e presumo que ela saiba o que está acontecendo.

- Shau o que aconteceu ? A Chris me ligou mas não entendi nada. Digo respirando com dificuldade.

- Elas foram almoçar juntas, e na volta um carro atropelou a Tris, ela estava desacordada. Shau diz com lágrimas nos olhos e automaticamente começo a chorar junto.

- Não, a minha Tris não... Digo já me levantando pegando minhas coisas e correndo para a sala do meu pai, literalmente correndo porque todos estão me encarando de olhos arregalados.

- Pai. Digo entrando na sala dele.

- O que foi Tobias ? Ele pede alarmado com meu desespero.

- Estou indo pro hospital, a Tris... Foi atropelada. Digo sentindo as lágrimas molhando meu rosto.

- Filho... Marcus diz e me abraça apertado. - Peça por gentileza que Susan vá com vocês elas são amigas e se ela já sabe deve estar querendo ir pra lá também, leve a Shauna e corre filho. Eu te amo, assim que sair daqui vou para lá. Meu pai diz me soltando do abraço.

- Obrigado pai... Te amo. Digo e saio correndo.

- Shauna fala pra Susan deixar a recepção e nos encontrar na garagem vamos atrás da Tris. Digo firme mas chorando ao mesmo tempo.

Deus deixe ela estar bem, deixe ela estar bem... Oro baixinho enquanto dirijo a toda velocidade para o hospital, assim que chego Chris corre e pula no meu pescoço chorando desesperada.

- O que aconteceu ? Me conta por favor. Peço encarando a Chris.

- Nós almoçamos, e quando estávamos voltando para a empresa um homem atropelou a Tris, e foi horrível e... O homem parece que estava bêbado mas tinha tanto sangue... Ela diz e chora de novo.

- Chris se acalma, não adianta ficar assim vem tomar uma água. Diz a Shau chorando mas menos que a Chris.

Me sento na cadeira e choro em silêncio, ligo para o Max.

- Max é o Tobias, venha rápido para o hospital pois Beatrice foi atropelada e está na emergência, o cara que bateu nela está bêbado, quero esse cara preso quando sair daqui, não quero ver a cara dele, então faça valer seu salário.

Desligo.

- Tobias ? Escuto a voz de Zeke.

- Zeke... Digo e choro mais no ombro do meu irmão amigo.

- Vai ficar tudo bem, vai ficar tudo bem eu sei que vai. Ele diz chorando também.

É tão lindo ver o quão amada minha pequena é, uma criatura que encanta a qualquer um, talvez seja por isso que Peter estava a perseguindo, por ela ser única.

(...)

Depois de 3 horas na sala de espera vou a cantina pegar um café forte pois estou com sono e dor de cabeça, mas algo me chama a atenção um homem alto meio loiro pegando um bolo de dinheiro da mão da Cara, tiro uma foto da cena e envio para Max perguntando se esse cara era o tal do bêbado e ele confirma. Sabia que não ia ser coincidência. Volto para a sala, Andrew chegou faz cinco minutos e nos abraçamos compartilhando da dor e do medo de perdermos nossa boneca.

- Família Prior ? Pede um médico alto, dos olhos azuis deve ter a minha idade.

Todos nos levantamos e fomos falar com o médico.

- Como está a minha filha ? Andrew pergunta.

- Bom a boa notícia é que ela vai sobreviver, mas vamos ter que esperar ela acordar para sabermos se ela... poderá voltar a andar, pois ela quebrou uma vértebra da coluna, mas pelo local nada que uma boa fisioterapia não a ajude, mas agora depende do organismo dela, teve algumas contusões na costela mas não quebrou nenhuma, luxou o tornozelo e quebrou um dedo e está com um coágulo de sangue no cérebro, e esse é o nosso maior medo, ela poderá perder a memória em partes porque o coágulo está pressionando a parte de memória. Diz o médico relaxando.

Meu Deus além da minha mulher poder ficar sem andar, ainda pode esquecer de mim. Isso não pode estar acontecendo. 

- Tobias ? Max me chama.

- Oi ? Respondo me aproximando dele.

- O rapaz que atropelou a Tris, ele é fichado e acho que foi proposital, lembra da mensagem de texto enviada pra ela essa semana ? Já entrei com uma liminar contra ele e Cara, já temos uma prova disso tudo. Ela não vai escapar. Max diz mas quando vou responder sou interrompido

- Tobias ? Escuto a voz que menos queria no mundo.

- O que você quer aqui ? Quase grito no hospital.

- Vim prestar minhas condolências, fiquei sabendo do que aconteceu e achei horrível. Ela diz falsa. VÍBORA penso comigo mesmo.

- E como você ficou sabendo ? Pergunto nervoso.

- Se você não sair daqui agora você também vai parar numa daquelas salas de emergência Nitta, tenho certeza que tudo isso tem dedo seu, então se manda daqui antes que eu quebre seu nariz e não vai ser nada bonito. Shauna diz entre dentes com a voz rouca do choro.

- Tobias que eu saiba vocês nem estavam juntos não é ? Ou estavam ? Nitta pergunta para mim ignorando Shauna que rola os olhos para trás e fecha as mãos em punho.

- Não te interessa nada sobre a minha vida, nem sobre a vida da Beatrice a única coisa que importa é que eu a amo e você não passa de um inseto, se toca e sai do meu caminho antes que seja tarde demais. Digo bravo.

- Mas amor...

Nitta não termina de falar porque Chris já lhe deu um bom gancho no queixo fazendo Nitta cair pra trás e começar a ficar roxa de ódio.

- Quem você pensa que é ? Sua ridícula. Nitta diz quase gritando.

- Pergunta pra sua amiga Cara quem eu sou, ela se lembra bem de mim e agora cai fora daqui senão você vai levar bem mais de um soco. Chris diz e eu a abraço pra ela se acalmar.

Nitta nos fuzila com os olhos e vai embora.

- Que mulherzinha mais sem noção. Zeke diz nervoso.

Bufo e caminho em direção ao Andrew.

- Andrew ? Peço.

- Oi filho ? Ele responde com os olhos inchados do choro.

- Vai dar tudo certo não vai ? Peço com lágrimas nos olhos.

- Vai filho. Nossa menina é forte. Eu sei que é... Ele respira fundo e abaixa a cabeça chorando 

(...)

Nova York 04 de novembro

Sexta

Hoje faz duas semanas que Tris está desacordada mas pelo menos o coágulo foi se desmanchando aos poucos, não corre mais o risco de perder a memória.

Tobias o que você vai fazer com sua namorada ? Sem poder andar, sem poder se mecher direito, e sem poder transar loucamente como faziam, vou dar todo o suporte necessário para a minha mulher. 

- Tobias filho vai em casa tomar um banho e trocar de roupa, eu fico aqui com a Beatrice e além do mais Caleb e Andrew devem estar chegando. Diz meu pai me tirando dos meus pensamentos.

- Tudo bem, só vou tomar banho e me trocar já venho. Digo saindo do hospital desleixado, tenho trabalhado bem pouco quase nada na verdade, sempre tem eu e uma das meninas pra olhar nossa pequena em coma.

Pov Marcus.

Digo para Tobias sair e estendo uma mão sobre a cabeça da Tris e a outra sobre a coluna da mesma, e oro para meu Deus.

- Senhor, te apresento a vida da Beatrice meu Deus, faça senhor um milagre na vida dessa mulher, uma mulher tão boa meu pai, ponha tuas mãos de cura sobre ela, que ela volte a andar e a recuperar suas energias senhor, por favor meu pai faça-o logo. Em nome de Jesus. Amém.

Tiro minhas mãos de cima dela e passo a mão por seu cabelo admirando sua força e lealdade. Suspiro e me sento na cadeira ao lado dela pegando sua mão e acariciando, Tris se tornou minha filha mulher que não tive, fiquei muito bravo com o que aconteceu, mas já estamos movendo ações e tomando medidas para prender o tal homem e a Cara, meu filho foi muito esperto em tirar aquela foto, sou tirado dos meus pensamentos por um aperto carinhoso na minha mão e olho para o rosto da Tris.

- Obrigado meu Deus maravilhoso. Digo em voz alta. - Tris está me ouvindo ?

Ela apenas consente com a cabeça, e de olhos bem abertos com surpresa.

- Vou chamar um médico, quer alguma coisa ? Pergunto.

- Água. Ela diz fraco e faz careta, deve estar com dor.

- Só um minuto meu amor. Peço e aperto a campainha várias e várias vezes, até aparecer duas enfermeiras.

- Minha nora acordou. Digo sorrindo.

- Luna vá chamar a Dra Vih. Diz uma das enfermeiras.

- Olá Beatrice, sou a Belatity está se sentindo bem ? Ela pergunta molhando um lenço com água e aplicando sobre os lábios da Tris.

Tris dá um meio sorriso e a tal da Luna volta com uma médica.

- Olá Tris seja bem vinda, sou a dra. Vih e sou sua médica, além de sede sente algum desconforto ? A dra. pergunta.

- Fome e dor nas pernas. Ela diz e eu arregalo os olhos para a dra. que sorri.

- Beatrice você sabe onde está ? Vih pergunta.

- Hospital.

- Sabe quem é este senhor ? 

- Seu Marcus meu chefe e meu sogro. Ela diz meio sorrindo.

Sorrio mais ainda.

- Posso contar o que aconteceu com você ? A boa dra. Pergunta.

- Sim. Por favor. Ela pede.

- Você estava voltando de um almoço com a Chris, então um carro em alta velocidade atravessou o sinal vermelho e te atropelou, você chegou no hospital desacordada e perdeu muito sangue, teve um dedo quebrado, costelas machucadas, luxou o tornozelo, ficou com inchaço no cérebro e quebrou uma das vértebras da coluna e esse era um dos meus maiores medos de você perder os movimentos das pernas, mas pelo o que diz, está as sentindo e isso é maravilhoso, e está reconhecendo as pessoas, você é realmente um milagre de Deus Beatrice e ficou duas semanas em coma desacordada, hoje é dia 04 de novembro. Dra. Vih diz.

- Beatrice, acompanhe a luizinha. Pede a Belatity ligando uma lanterna na frente dos olhos, enquando a Luna aplica algo no remédio de Tris.

- Daqui a pouco as dores vão passar e o fisioterapeuta vai vir aqui para ver como estão a elasticidade dos seus movimentos tudo bem ? Luna pergunta.

- Tudo bem, obrigada enfermeiras. Tris diz.

- Nos chame pelos nomes por favor, Belatity e Luna. Belatity diz apontando para ela mesma e a outra.

- Tá legal, alguém sabe do meu namorado ? Tris pergunta.

- Aquele deus grego do Tobias ? Vih pergunta me assustando.

- O próprio. Tris responde sorrindo para as três moças que sorriem para ela.

- Ele foi em casa trocar de roupa, mas já já está aqui. Explico para Beatrice.

- Ele ficou aqui esses dias todos não foi ? Tris pergunta no meio sorriso.

- Sim, e vai ficar muito bravo porque você acordou bem na hora que ele saiu. Diz a Vih. - Com licença vou atender outros pacientes, qualquer coisa me chamem meninas. Diz a boa dra. E sai andando.

- Também já vamos, daqui a pouco Yan virá te ver, até mais Tris. Diz a Luna e as duas saem também.

- Pelo visto fiz amigas mesmo desacordada. Tris diz e ri.

- Como é bom te ver assim filha. Digo e dou um beijo na sua testa.

- Obrigada seu Marcus. Ela diz e cora um pouco.

Pov Tris

Isso é estranho, acordar num hospital e saber de tudo o que aconteceu e ainda por cima corri um sério risco de perder os movimentos das pernas e esquecer de todos que amo, isso eu nunca ia superar, esquecer de tudo já imaginou ? Graças a Deus está tudo bem, tirando essa dor nas pernas. Seu Marcus disse que ia comprar algo para eu comer já que estou com fome, disse que ia atrás da Dra. Vih, pra saber o que posso comer.

- Beatrice ? Chama um rapaz alto, magrelo, de olhos verdes e cabelo raspadinho. 

- Sim ?

- Sou o Yan, prazer e é ótimo saber que você sente as pernas.

- É e estão doendo muito. Luna me deu remédio mas não sei se não faz efeito. Digo 

- Ótimo, com licença pode cobrir sua cintura com o lençol ? Vou precisar mexer nas pernas e você está de bata. Ele esclarece e eu coro. Me arrumo cobrindo minhas partes íntimas e ele meche no meu pé.

- Sente isso ? Ele pergunta fazendo massagem no meu pé.

- Isso está bom. Digo e sorrio e ele sorri mais ainda.

- E isso ? Ele pede mechendo na panturrilha.

- Sim. Esclareço.

- Isso ? Ele pergunta apertando minha coxa.

- Sim. Digo e coro de vergonha, só quem toca ali é o Tobias.

Yan repete tudo de novo com a outra perna.

- Consegue levantar a perna ? Yan pede.

Levanto-a com dificuldade e dor mas levanto.

- Muito bom, dobra os joelhos. Ele pede e eu o faço. - Ótimo Tris, você está muito bem, sentiu algum desconforto evidêncial ? Pergunta.

- Sim para levantar a perna doeu muito. Digo sincera.

- Tudo bem, vamos fazer algumas sessões de fisioterapia e você vai estar bem melhor depois. Até mais Beatrice tenha uma boa noite. Ele diz e sai.

Espero mais uns trinta minutos e meu pai entra no quarto com Caleb ao seu lado.

- Papai está tudo bem. Digo o acalmando pela sua cara de surpresa.

- Oh minha filha. Ele diz e me abraça assim como Caleb, choramos os três juntos é muita emoção, mas quero ver Tobias, ele está demorando.

- Filha...é... Como se sente ? Papai me pergunta cauteloso.

- Eu já soube de tudo pai, estou bem lembro de tudo e todos, e sinto minhas pernas. Digo sorrindo no fim.

- Ah que alívio. Diz o Caleb.

Todos sorrimos, Marcus chega com canja e um suco de laranja natural.

- A dra. Vih disse pra comer devagar. Ele diz me entregando a bandeja.

- Obrigada ah estou morrendo de fome. Digo abrindo a vasilha com minha canja.

Tomo bem devagar como a médica legal indicou e por fim tomo meu suco de laranja. Logo depois chegam todas minhas amigas com seus namorados.

- Meninas, preciso ir ao banheiro. Peço.

- Tris você está com sonda. Chris diz.

- Não consigo. Digo xingando baixinho. -  chama a enfermeira para me ajudar ? Peço.

- Vou chamar. Diz a Shauna saindo do quarto.

Depois de 2 minutos aparece a Belatity.

- Belatity preciso ir ao banheiro. Digo fazendo bico e ela ri para mim.

- Todos podem me dar licença para eu poder tirar a sonda da Tris ? Ela pede.

Todos assentem e saem do quarto me dando privacidade, ela tira a sonda e me põe de pé, no começo dói muito, mas Bela me ajuda a ir até o banheiro, olho para o chuveiro e penso que um banho seria ótimo.

- Quer tomar banho não é ? Ela pergunta

- Seria perfeito. Digo sorrindo.

- Espere sentada aqui não tente se levantar sozinha tudo bem ? Ela diz.

- Tá bom, obrigada. Peço e sorrio.

Bela sai fechando a porta do banheiro e volta depois com uma cadeira adaptada para banheiro, toalha sabonete e a Luna volta junto.

- Não tenha vergonha de nós tudo bem ? Demos banho em você todos os dias durante essas duas semanas. Luna diz e eu coro.

- Vou tentar. Digo meio sem graça.

As meninas me ajudam com o banho e colocam um vestido meu mesmo, penteio os cabelos e escovo os dentes.

- Agora sim me sinto eu de novo. Digo sorrindo. - Obrigada meninas. Completo.

- Por nada, se cubra e fique quieta agora, tenha uma boa noite tente descansar.  Diz a Luna.

- OK, obrigada por tudo e bom trabalho. Digo sorrindo.

Estou deitada na cama rindo muito com todos meus amigos e estou muito mas muito preocupada com Tobias que só ia trocar de roupa e voltar, mas e se ele dormiu ? Se ele tem ficado comigo não deve estar dormindo direito.

- Zeke, você pode me fazer um favor gigante ? Peço.

- Fala aí, eu faço. Ele diz.

- Você ainda tem a chave da casa do Tobias ? Pergunto.

- Tenho sim.

- Será que você pode ir lá para ver se tá tudo bem ? Ele disse pro seu Marcus que iria só trocar de roupa e já vinha, mas está demorando muito, mas só para checar se ele estiver dormindo deixe ele dormindo por favor. Peço

- Claro vou lá agora mesmo, já volto amor. Ele diz para Shau dando um selinho nela.

- Tá volta logo. Diz a Shau

Pov Zeke.

Eu estava preocupado com Tobias também, nessas duas infernais semanas ele não saia daquele hospital, saia e coisa de uma hora estava de volta. Quando Tris me pediu isso quase sai gritando de felicidade. Chego na casa dele e está tudo apagado, entro devagar no caso dele estar dormindo para não acordá-lo, vou até seu quarto e quase infarto com o que vejo, Tobias nu na cama e Nitta nua a seu lado, taças provavelmente com vinho.

- MAS QUE PORRA ESTÁ ACONTECENDO AQUI ? Grito pra eles acordarem.

Tobias dá um pulo da cama assim como Nitta, Tobias está meio desnorteado acredito porque estava dormindo ou essa louca drogou ele. Tobias olha pro lado e quando vê Nitta ao seu lado nua também faz uma cara de dar medo e começa a gritar.

- O QUE MERDA VOCÊ ESTÁ FAZENDO AQUI JOANITTA ? 

- Tobias você não lembra ? Ela diz com aquela voz de vaca machucada.

- Não tenho que lembrar de nada, eu cheguei em casa, tomei banho e me deitei um pouco, você não estava aqui, como entrou na minha casa ? Ele pergunta irritado e Nitta arregala os olhos.

- O que quer que você tenha dado a ele, não funcionou Nitta, se troca e cai fora daqui antes que chamemos a polícia. Eu digo.

- Eu...eu..não...dei nada pra ele. Ela diz gaguejando.

- Vai embora da minha casa, e não ouse voltar aqui essa é a segunda e última vez, da próxima você vai presa. Ele diz e se levanta pondo uma cueca, uma calça e uma camisa.

Depois de menos de cinco minutos Nitta já foi embora.

- Melhor você trocar a fechadura e reforçar a segurança essa louca vai acabar estragando seu namoro com a Tris, já pensou se é ela aqui e não eu ? Pergunto.

- Eu sei, e agora o que veio fazer aqui ? Ele pergunta.

- Vim ver o motivo da sua demora. Digo encobrindo a Tris.

- Ah, então vamos. Ele diz e saímos de lá, levo Tobias no meu carro e vamos conversando no caminho.

Recebo um texto da Shau dizendo que vão fingir pro Tobias que a Tris esqueceu dele... Povo mal. 

Tento não rir e continuamos conversando.

- Tobias agora que chegamos devo te dizer que a Tris acordou. Digo na defensiva.

- Acordou ? Como assim ? E só agora tu me avisa ? Ele diz todo feliz.

Saímos do carro e caminhamos em silêncio até o quarto da Tris entro primeiro dando uma piscada pra ela e Tobias fica na porta a encarando.

- Tris, esse é o Tobias. Diz a Chris

- Oi. Ela diz.

- Oi. Ele responde já começando a querer chorar.

- E quem é Tobias papai ? Tris deveria ser atriz, ou mulherzinha safada.

- Ele é seu namorado meu amor. Andrew diz e sorri para Tobias.

- Não consigo gente desculpa, eu lembro sim de você meu bobão vem me dar um abraço. Ela diz com lágrimas nos olhos.

Os dois se abraçam e nós estamos todos emocionados.

- Aí... Tris grita e põe a mão na cabeça e por um momento penso que faz parte da peça só que ao ver a cara de todos percebo que não é.

- Alguém chama um médico. Andrew grita e tenta acalmar a Tris, o barulho da máquina que marca o coração dela faz um barulho alto e rápido, as batidas do coração estão muito rápidas e ela se contorce de dor na cama, até vários médicos nos afastarem e mandar nós saímos.

- O que foi isso ? Eu pergunto num sussurro para a Shau.

- Eu não sei. Ela diz e começa a chorar, assim como a Chris, Lyyn, Mar, Susan, Caleb, Andrew e até Marcus estão chorando em silêncio com medo.

Uma médica sai do quarto da Tris e todos ficamos tensos.

- Bom, ela teve uma convulsão cerebral, agora está sedada e mais calma, vamos tentar não pressioná-la tudo bem ? Qualquer coisa que ela não se lembre não se assustem. Com licença. Ela diz e sai.

Pov Tobias.

Estava tão feliz, mas ela não durou nem trinta segundos de um abraço já que ela começou a gritar e nos desesperar, foi muito aterrorizante ver minha mulher daquele jeito, nessas duas semanas só comia porque as meninas ficavam me dando comida senão não iria ter comido, estou muito feliz porque ela se lembra de tudo e está sentindo as pernas, mas essa dor dela me preocupou e muito, estou com medo de alguma sequela.

- Vai ficar tudo bem filho, vai ficar. Meu pai diz me abraçando.

Nessas duas semanas eu tive um pai que não conhecia desde que minha mãe faleceu, e sinceramente depois desse episódio da Tris eu o entendo, mesmo que minha reação fosse diferente da dele eu o entendo depois de muitos anos sentindo sua falta. Marcus Eaton virou para mim um pai espetacular, acho que não tenho mais ciúme da Tris com Andrew, sim eu sabia que tinha um pai mas não considerava aceitá-lo para tal posto. Agora são 22hrs da noite, a maioria das meninas já foram embora só ficou a Shau e a Susan, Andrew está dormindo numa poltrona, e Caleb dormiu no colo da Susan, Zeke está abraçado a Shau quase dormindo, pedi para meu pai ir embora e amanhã cedo ver com o Max como está a situação da Cara e do tal homem que atropelou a Tris.

- Com licença moça, será que posso dormir no quarto da minha namorada ? Pergunto para uma enfermeira que passava.

- Claro, fique a vontade. Boa noite. Ela responde.

Me despeço do pessoal e entro pro quarto da Tris para dormir um pouco. Estou tão cansado mas ao mesmo tempo preocupado, demora mais umas duas horas até que consigo dormir.

Nova York 05 de novembro

Sábado.

Pov Tris.

Eu não queria preocupar todos ontem, mas a dor veio tão forte e tão intensa que tive que gritar para tentar diminuir, o que não adiantou muita coisa, acordei agora e vejo Tobias dormindo na poltrona todo torto, meu coração se quebra de vê-lo assim por causa de mim, Luna e Belatity já foram embora e vieram se despedir, elas são muito legais e duas fofas, dra Vih também passou por aqui mas creio que seu plantão já acabou, estou com vontade de ir ao banheiro, será que consigo ir sozinha ? Vou tentar. Me sento na cama devagar para não dar tontura, respiro fundo algumas vezes e me levanto seguro na cama com o medo de cair, minhas pernas ainda doem bastante, mas não sei o porquê, arrasto o suporte do soro que está no meu braço e me apoio nele até o banheiro.

- Tris ? Escuto Tobias.

- Espera aí, estou no banheiro. Respondo alto.

Termino de ir ao banheiro e volto devagar para a cama, Tobias ajuda eu me sentar e ele diz que vai comprar nosso café da manhã, e fico acompanhada com meu pai e Caleb.

(...)

- Olá Beatrice sou a Dra. Sah Freire, como se sente nesta tarde ?

- Olá, estou bem, não estou com dor de cabeça e minhas pernas ainda doem um pouco e me chame Tris. Respondo.

- Tenho uma boa notícia para você, vamos fazer uns últimos exames e se der tudo certo na segunda você pode ir para casa. Ela diz iluminando meu resto de dia.

- Graças a Deus. Digo soltando uma lufada de ar.

- Daqui a pouco vamos vir te buscar tudo bem ? Até mais. Ela diz e se retira.

- Olha que maravilha filha. Meu pai diz.

- Mas vou poder trabalhar não é ? Já estou duas semanas sem trabalhar. Digo e bufo pensando que Tobias nem seu Marcus vão querer me deixar trabalhar.

- Trabalhe de casa meu amor, mas confortável. Caleb diz.

- Estava com saudade de vocês. Digo e sorrio 

- Você não imagina quanta falta faz a sua comida meu anjo, Edith cozinha bem mas não é como o seu tempero.

- Edith é ? Pergunto meio sorrindo.

Papai fica vermelho Caleb e eu trocamos olhares e deciframos.

- Pode nos contar tudo Andrew Prior. Digo fazendo bico.

- Não tem nada que contar. Ele retruca.

- Não adianta disfarçar pai, estamos só nós aqui, pode contar tudo. Caleb comanda.

- Tá legal, tá legal, crianças curiosas. Ele resmunga. - Edith é a empregada que o seu Marcus contratou para mim, e ela é bem bonita e estávamos nos conhecendo até acontecer seu acidente. Ele diz e fica parecendo um pimentão.

- Pena que estou sem celular, queria tirar uma foto dessa sua cara pai. Digo e rimos.

- Vocês só me fazem ficar com vergonha. Papai diz e rimos de novo.

- Nós amamos você papai, se essa Edith for boa para você nós vamos amá-la também. Digo e suspiro.

- Ela nunca vai tomar o lugar de Natalie. Nosso pai diz nos fazendo ficar com os olhos marejados ao lembrar da mamãe.

- Oi amor voltei. Diz o Tobias com uma mochila com todas as coisas que pedi. - Devo dizer que Chris e Shau que escolheram tudo. Ele suspira.

- Diz que você trouxe roupas normais pra mim ? Pergunto e ele sorri de lado.

- Eu sei o que você gosta de vestir por isso trouxe isso. Ele diz levantando uma regata da banda System.

- Eu te amo. Exclamo sorridente.

- Papai poderia comprar um suco de laranja para mim por favor ? Peço fazendo carinha de pidona. 

- Claro meu anjo, já volto. Ele diz e sai.

- Caleb vou tomar banho, enrola o pai um pouco. Digo e rio.

- Ah agora entendi, nada de safadeza viu, estamos no hospital.

Rio deixando Tobias vermelho.

- Pode deixar enrola ele uns 15 minutos acho que dá tempo, obrigada. Peço.

Assim que Caleb sai beijo Tobias com saudade, o mesmo me retira da cama em seus braços puxando o suporte do soro. Tobias tira meu vestido com cuidado, por causa do caninho no meu braço, liga o chuveiro tira a roupa dele e entramos no chuveiro juntos, meu namorado me dá banho como nunca me deu e isso me faz amá-lo cada vez mais, imensamente mais. Tobias me lava devagar e com carinho, terminando nosso banho ponho outro vestido de alcinha que é o que dá para por aqui e me cobrir, Tobias me carrega de volta para a cama e se senta ao meu lado.

- Deita comigo ? Peço.

- Claro. Ele diz e se deita ao meu lado passando seu braço por baixo de mim ficando de ladinho encosto minha cabeça no seu peito e respiro leve fazendo ele se arrepiar, passa uns cinco minutos e sinto sua respiração ficar calma me levanto um pouco e vejo que ele dormiu.

(...)

Tobias dormiu a tarde inteira e uma boa parte da noite, nem viu quando fui fazer meus exames e amanhã sai o resultado, tomara que dê tudo certo e na segunda eu saia dessa droga de hospital.

Nova York 07 de novembro

Segunda.

Graças a Deus acordei e hoje é segunda feira, dia de ir embora porque meus exames ficaram bons e deu tudo certinho, Tobias desde sábado está estranho e não sei o motivo mas para ele não me contar deve ser grave, seu Marcus como sempre o meu sogro e anjo amigo fez de tudo por mim e me garantiu que vou trabalhar de casa por pelo menos duas semanas, que foi o que a dra pediu de repouso pro meu corpo se recuperar de vez. Papai foi embora para Chicago ontem a tarde pois hoje tem trabalho e acho que ele está com saudade da Edith também, Caleb hoje tinha prova e não pôde ficar para me levar para casa mas meu namorado lindo está aqui dormindo em baixo de mim, e eu já estou tão bem que estou sentindo minhas pernas moles por ele, estou com saudade dele dentro de mim entrando e saindo Tris você está uma descarada :o, estou mesmo com muita saudade do corpo do meu namorado, homem tem essas coisas de ereção matinal, eles acordam com o membro duro pronto pra ação, e isso é engraçado, Matthew sempre queria de manhã e eu sempre fui preguiçosa, mas com o Tobias não, com ele não tem preguiça, não tem hora, não tem local, meu corpo fica em chamas quando ele está perto e ainda mais seminu como agora, ele está só de bermuda sem camisa.

- Amor você está com febre ? Tobias pergunta me fazendo corar.

- Não, to com fogo mesmo. Digo e rio da cara que ele faz. - Porque você é tão gostoso ? Pergunto e sorrio pra ele que fica meio sem graça.

- Tris eu estou a muito tempo sem você, não fica falando essas coisas sacanas pra mim por favor. Ele pede fazendo bico.

Que faço questão de morder e passar a língua, lábios carnudos convidativos e gostosos, Tobias geme com meu ato.

- Acho que não sou a única a estar com tanta saudade assim. Digo e o abraço sentindo seu membro me dar oi na coxa. - Não faz assim, estamos no hospital não podemos fazer amor aqui. Resmungo.

- Eu não mando, ele tem cabeça e pensa sozinho. Ele diz e eu caio na gargalhada.

- Você... Você não existe. Digo parando de rir porque fiquei com falta de ar de tanto rir..

Tobias ri comigo e se levanta.

- Vem, vamos tomar um banho para sair daqui. Ele diz.

- Não, eu tomo banho em casa, quero sair logo.

- Tá vou atrás do médico para te dar a alta se troca. Ele diz e vai saindo.

- Onde você vai ? Pergunto.

- Acabei de falar atrás do médico.

- Tobias você não vai andar assim por ai. Digo apontando pro seu peito sem camisa e fazendo cara de brava.

- Ah... ele diz e põe uma camisa. - Eu te amo ciumentinha. Ele diz e me dá um selinho.

Enquanto meu namorado gostoso e gato sai, ponho uma calça jeans cintura alta, meu tênis e minha blusa de rock, penteio a juba e faço um coque mal feito com alguns fios caindo no rosto, me olho no espelho e vejo que emagreci bastante, preciso comer pra engordar de novo, passo um blush pra melhorar a cara de morta, escovo os dentes e me sento na cama esperando meu namorado voltar, o que não demora muito.

- Bom dia Beatrice, sou a dra. Isa e vou te liberar mocinha não minta pra mim. Ela diz e eu concordo. - Está tendo enjôo ? 

- Não.

- Apetite ?

- Se eu pudesse comeria um boi. Digo e rio.

- Dor ?

- Pernas um pouco nada demais apenas um desconforto, mas o fisioterapeuta disse que vou melhorar aos poucos porque meus nervos estão tensos. Digo.

- Cabeça dói ?

- Não, só algumas tonturas mas considerei minha alimentação, não como muito bem aqui. Digo.

- Ótimo, alguma outra coisa ? Pergunta.

vontade de transar penso comigo.

- Não senhora. Respondo.

- Tudo bem, Tobias compre esses remédios e essas vitaminas, ela está com anemia mas comendo bem e tomando as vitaminas vai estar bem em pouco tempo. Tenha um bom dia e espero não te ver por aqui tão cedo. Ela diz solta uma piscadela e sai.

Rio da cara do Tobias.

- Vamos embora daqui meu amor. Digo e solto uma piscada pra ele.

(...)

 Chegamos em casa e corro pro banheiro para tirar esse cheiro de hospital.

- Toma banho comigo ? Pergunto maliciosa e ele sorri.

- Sim, não perderia por nada esse banho, vai enchendo a banheira que já volto, quer água, suco algo ? Ele diz e eu rio.

- Não obrigada. sorrio.

Ponho a banheira para encher, jogo sais de aroma morango, e vou tirar a roupa, me olho no espelho por inteiro e fico com vergonha estou mais magra do que o normal e isso me lembra das zueiras da infância, preciso engordar de novo. Desligo a torneira e me sento na banheira me recostando na beirada, lembro da cena da Anastácia e Grey na banheira. Uffa que calor.

Sinto a presença de alguém no banheiro e sei que é meu namorado, abro os olhos para ver aqueles olhos azuis magníficos e me surpreendo ao vê-lo nu se masturbando levemente.

- Você quer me matar não quer ? Pergunto o puxando para mim.

Tobias sorri e entra na banheira ficando atrás de mim, sinto seu membro nas minhas costas me lembrando que ele quer tanto quanto eu. Sorrio com o pensamento e nos lavamos, ele me lava e eu lavo ele, depois de me sentir limpa o suficiente me viro de frente para ele passando minhas pernas pelo seu quadril, roçando nossas intimidades.

- Hm. Gememos juntos.

- Estou com tanta saudade. Ele diz e beija minha boca com desejo, sinto meus lábios inchando pelo recente beijo violento, me sinto encharcada e gemo seu nome baixinho, trocamos mais alguns beijos desesperados.

- Geme alto pra eu ouvir, quero ouvir você, eu sei que você me quer. Ele sussurra no meu ouvido me fazendo gemer mais alto com o pedido.

- Cacete Tris ... Tobias resmunga levantando meu quadril se encaixando na minha entrada e me penetrando devagar, sinto seu membro entrar centímetro por centímetro, nunca senti assim desse jeito, todas as vezes que fizemos foi maravilhosa mas dessa vez é a melhor não sei porque.

-Ah... Gemo alto com o seu membro latejando dentro de mim, sinto minha intimidade pulsar por ele, ansiando seu membro entrando e saindo. Começamos a nos movimentar devagar, quando eu desço o meu quadril ele sobe o dele fazendo ficar mais profundo, seguro nas bordas da banheira para me impulsionar e ir mais rápido.

- Mais rápido Tris, mais... Ele diz e começamos a derramar água no chão do banheiro todo, nos movendo como animais. Começo a fazer movimentos rápidos e precisos, enquanto isso beijo seu pescoço e deixo leves mordidas na sua mandíbula que está trincada pelo esforço que estamos fazendo.

- Tris eu vou... Ele começa a dizer mas para soltando palavras disconexas, sinto meu ventre tremer e minha intimidade começar a sugar e a puxar todo o seu precioso líquido, gozamos juntos e isso foi maravilhoso.

- Essa foi a melhor. Digo ofegante. - Porque será ? Pergunto.

- Porque dessa vez não usamos camisinha. Ele diz tranquilo e eu arregalo meus olhos.

- É o que ? Pode indo comprar pílula do dia seguinte não quero ter um filho agora. Digo apavorada.

- Você não toma nada ? Ele pergunta. - Nenhum contraceptivo ? 

- Não só camisinha. Digo mais calma.

- Hm, acho melhor você começar a tomar então, porque eu não quero mais usar aquele treco. Ele diz.

- Foi muito bom mesmo. Admito. - Vou marcar médico essa semana ainda. Concluo.

- Tá então, já que você vai tomar a pílula amanhã, podemos fazer mais hoje sem. Ele diz e nos levantamos, secamos, e continuamos nus, até dar fome continuamos fazendo mais amor por muitas vezes.

(...)

Nova York 08 de novembro 

Terça.

Hoje vou começar a trabalhar de casa, e o Tobias antes de ir para a empresa comprou minha pílula salvadora, tenho consulta marcada para quinta feira já, achei maravilhoso e rápido. Faço almoço reforçado com bastante legume e suco de laranja com beterraba, tomo meus remédios minhas vitaminas e almoço, depois de almoçar ligo para o Tobias.

- Tris ?

- Oi amor, desculpa incomodar mas é que você pode trazer pra casa o projeto de Cancun que não consegui terminar ? Por favor pede para a Shau que ela sabe onde está tudo.

- Ta bom amor, está tudo bem ? 

- Está sim, to com saudade já.

- Eu também meu amor, mas... temos que trabalhar.

- Ta bom vou te deixar trabalhar, eu te amo. Beijo.

- Também te amo meu amor, muito, tchau. 

Desligo.

Não sei o que fazer de jantar, pesquiso na internet pratos ricos em vitamina e ferro e fico fuçando mais algumas coisas, anoto o que preciso e vou ao mercado e a novidade ? De carro, Chris deixou o dela comigo. Aleluia!!! Obrigada Deus!!! 

Vou ao supermercado e compro tudo que preciso, escolho um bom vinho com indicação da internet claro, quando estou no caixa sinto alguém apertar minha cintura, tomo um susto e me viro bruscamente o que foi ruim pois me deu tontura.

- Ei, você está bem ? Ele pergunta me segurando.

- O que quer aqui Matt ? Pergunto nervosa.

- Vim no mercado. Ele diz debochado.

- Claro. Digo bufando e continuo a por minhas compras no caixa.

- Ta de mal humor é ? Que foi já terminou com o boyzinho ? Ele pergunta.

- Não Matthew, por favor me deixa em paz não estou bem para ficar me estressando. Digo já mais nervosa ainda.

- Não está bem ? Porque ? O que aconteceu ? Ele pergunta e parece preocupado de verdade.

- Fui atropelada e ainda estou com algumas dificuldades.

- Foi atropelada ? Quando ? Me conta isso. Ele pede.

- Estava voltando do almoço com a Chris quando um carro passou sinal vermelho e me pegou em cheio, fiquei bem machucada e fiquei em coma por duas semanas. Digo e suspiro cansada.

- Nossa Tris, eu nem imaginava me desculpa. Ele pede me abraçando.

- Ta tudo bem deixa eu ir, tchau Matt. Me despeço.

Vou para casa guardo as compras pondo o vinho na geladeira e faço o jantar, acho que está bom. Mas não sei se o Tobias gosta de brócolis recheado com queijo e presunto, então faço também bife a parmegiana com bastante queijo. Espero meu namorado para jantar enquanto isso fico lendo um pouco e sinto uma leve tontura, deve ser as letras pequenas, fecho o livro e escuto barulho na porta e abro meu melhor sorriso para receber Tobias. Ele entra em casa sério e nem me olha direito mas acho que chorou, meu peito aperta o que será que aconteceu ? 

- Amor está tudo bem ? Pergunto na esperança dele me abraçar e me dizer o que o atormenta.

Ele não responde nada, sinto meus olhos marejarem por ele estar me tratando assim, eu não fiz nada, juro que não fiz nada para ele agir assim comigo. Ele pega uma bolsa dele embaixo da cama a que ele trouxe com suas coisas e começa a por suas roupas dentro bravo socando tudo dentro da maldita bolsa, opto por não falar nada e ao invés de soltar as palavras solto benditas lágrimas, minha vista está turva por conta delas. Ele não me olha nem uma vez, dá uma última olhada pra ver se não está esquecendo nada e tenta sair do quarto mas entro na sua frente.

- Porque está fazendo isso Tobias ?

- Sai da minha frente Beatrice. Ele diz ríspido.

- Não até você me dizer o que está acontecendo, eu não fiz nada pra você. Digo ainda chorando.

- Imagina se tivesse feito não é ? Ele diz com a voz rouca e dura.

- Tudo bem, mas quando eu descobrir o que está acontecendo não espere que eu vá atrás de você porque que eu não vou, seja lá o que esteja acontecendo acho que já provei o bastante de que te amo e de que nunca faria nada que te faça mal, eu te deixei por causa da Nitta Tobias, porque ela ameaçou te matar, eu deveria ter morrido naquele acidente. Digo brava e saio da sua frente, ele se mantém parado engolindo minhas palavras. - Pode ir Tobias, e não volte mais. Digo apontando para a porta.

Sem me olhar ele coloca a bolsa nas costas e sai da minha residência me deixando para trás chorando como uma criança que perdeu os pais, sinto aquela velha dor da perda da minha mãe voltar sinto uma tontura e tudo fica escuro.

Pov Tobias

Saio daquela casa me sentindo um lixo humano, estou quebrado, meu coração estilhaçado e sinceramente, eu não sei no que pensar e no que fazer, ligo o carro e deixo me levar quando percebo estou em casa. As palavras da Beatrice não param de ecoar na minha cabeça, quando ela disse que devia ter morrido naquele acidente fiquei com vontade de mandar ela calar a boca e abraçá-la, mas não podia. Saio do carro e entro em casa com as novas chaves que troquei por causa da Joanitta, meu telefone toca e vejo que é um número desconhecido.

- Alô.

- Tobias Eaton ? 

- Quem deseja?

- Por favor, me ajuda eu não sei o que fazer eu só estava passando e vi a porta aberta e quando entrei a Tris estava caída no chão com sangue na cabeça, corre pro hospital já chamei uma ambulância.

- O quê ? Quem é você ?

- Sou o Matthew o ex namorado dela.

- Ex namorado e amante não ? Eu vi as fotos de vocês no mercado.

- Olha Tobias quer saber ? Ela não merece alguém como você, eu sim a amo de verdade porém não via Beatrice desde aquela idéia idiota de segui-la para Cancun, no mercado ela apenas me contou do acidente e a abracei por que ela estava querendo chorar, mas já sei então porque Beatrice está desse jeito.

Desligou.

Ele desligou na minha cara ? Mas que cara mais filho da p***. Então apenas eles se abraçaram nada demais, eu pedi uma chance para Beatrice e acabei de fazer ela evaporar junto com essa foto imbecil, porque eu acreditei de primeira que ela iria me trair ? Porque ? Droga.

Corro para o hospital e assim que chego vejo Matthew chorando encostado numa cadeira.

- Cadê ela ? Pergunto nervoso.

Ele limpa suas lágrimas e tenta se recompor.

 

- O que quer aqui ? Ele pergunta desaforado.

 

- Eu sou o namorado dela. Digo.

 

- Que a deixou por uma mentira tenho plena certeza de que você disse coisas que não deveria pra ela. Ele diz.

 

- Não, não disse nada para ela. Respondo sentindo o peso do que fiz, dei outra mancada.

 

- Tobias ? O que faz aqui ? Dra. Isa me chama.

 

- Dra. Por favor, me dá notícias da Tris não sei o que aconteceu. Digo apavorado.

 

- Fui eu que chamei a ambulância, ela estava caída no chão com sangue na cabeça e desmaiada. Matthew se intromete.

 

- Pode deixar Tobias, vou verificar como nossa menina está. Ela diz e sai quase correndo.

 

- Pelo visto você é conhecido. Matthew diz.

 

- Sou, ela ficou duas semanas em coma, então eles me viam aqui todos os dias durante duas semanas. Digo ríspido.

 

- Me desculpa cara pelo o que disse, não duvido que você a ame, mas eu no seu lugar não acreditaria em qualquer coisa que saem te mandando, uma prova disto é hoje, você só deve ter entrado pegado suas coisas e saído, não viu a mesa que estava te esperando muito menos a mulher que você tem a sorte de te amar, eu fiz uma besteira enquanto namoramos, e aquilo estragou não só meu namoro mas a minha vida, percebi que ela não iria voltar comigo depois de seis meses indo atrás dela e ela nem me retornava as ligações. Tris não perdoa traição e eu descobri isso tarde demais. Ele diz.

 

Penso nas suas palavras e vejo que ele está totalmente certo.

 

- O que tinha na mesa ? Pergunto.

 

- Um jantar com direito a vinho e velas. Ele diz e abaixa o olhar.

 

Ela deve ter feito um jantar para nós dois e eu como sempre estraguei tudo.

 

- Me desculpe como te tratei eu estava nervoso. Digo.

 

- Tudo bem, nós amamos a mesma garota, porém ela ama você. Ele diz e suspira pesado.

 

(...)

 

Depois de quase uma hora o dra. Isa aparece.

 

- Tobias as notícias não são boas. Ela diz e meu peito aperta.

 

- O que aconteceu Isa ? Pergunto engolindo em seco.

 

- Ela deve ter sentido tontura e caiu, bateu a cabeça na quina do móvel tomou 5 pontos mais ela vai ter que ficar em observação, ela ficou nervosa com alguma coisa ? Ela pergunta.

 

- Sim, nós brigamos e eu saí de casa. Digo cabisbaixo a culpa é toda minha.

 

Ela suspira. - Avisa a familia e as amigas ? Por favor ? Ela vai ter que ficar pelo menos uns três ou quatro dias para vermos essas tonturas. Ela diz e se vira para sair.

 

- Isa onde ela está ? Pergunto.

 

- Acho melhor você não ir lá, mas ela está no 702. Ela diz e vai embora.

 

- Posso vê-la ? Matthew pergunta.

 

- Claro foi você que a socorreu. Digo e me sento pegando o telefone e ligando para meu pai.

 

Pov Tris.

 

Estou com dor de cabeça e não é pouca, parece que tem alguém bem pesado e grande sentado em cima da minha cabeça, meus olhos estão pesados e me sinto esquisita, meus nervos estão tensos, sinto meus olhos marejarem só de lembrar do que Tobias fez com a gente, ele não tinha o direito de fazer aquilo, ainda mais sem me dar uma explicação, a única coisa que me vêm a cabeça é medo de perdê-lo, mas dessa vez não vai ter volta, eu já o perdoei mesmo sem saber o porque dele agir daquele jeito, mas ele não precisa saber disso, vai ser melhor para nós dois.

 

- Com licença. Diz Matthew.

 

- Matt ? O que faz aqui ? Pergunto surpresa.

 

- Fui eu que te trouxe Tris, eu estava passando na sua rua e vi a porta aberta estranhei e fui ver, então você estava desmaiada com sangue na cabeça, eu me desesperei. Ele diz rápido.

 

- Ah...obrigada por ter me ajudado. Peço.

 

- Você não tem que agradecer nada, eu te amo e você sabe disso. Ele diz e passa a mão na minha cabeça tirando meu cabelo da frente do meu rosto.

 

- Matthew. Digo o repreendendo.

 

- Desculpe, me perdoa por tudo o que eu já te fiz ? Ele pede com lágrimas nos olhos.

 

- Eu já te perdoei Matt, na verdade eu acho que te perdoei no mesmo dia depois de chorar muito, mas eu não perdôo traição você sabia disso e mesmo assim preferiu arriscar. Digo engolindo em seco.

 

- Eu não sei onde estava com a cabeça quando me envolvi com aquela garota, não é justificativa mas se eu te disser que acho que só queria experimentar você acredita ? É sério eu nunca tinha transado com nenhuma outra garota antes de você, de certa forma a minha vontade era de ter só você, queria casar e ter pelo menos cinco filhos. Ele diz e sorri ao mencionar as crianças.

 

- Você lembra de como iriam se chamar ? Pergunto nostálgica lembrando das nossas conversas sobre o futuro antes de nos separarmos.

 

- Lembro, acho que eram Elizabeth, Evan, Hector, Aline e Alex. Ele diz tentando lembrar.

 

Rio. - Está bom de memória. Digo e ele sorri.

 

- Só vim aqui te dar um beijo, seu namorado está lá fora ligando pros amigos e sua família. Ele diz e me dá um beijo na testa. - Você é incrível, nunca esqueça disso.

 

- Matt, eu quero muito que você conheça uma mulher que te faça feliz como você me fez um dia. Digo já com os olhos marejados.

 

- Eu também espero conhecer alguém parecida com você. Ele diz e sorri triste. - Tchau eu te amo. Ele diz baixo mas consigo ler seus lábios.

 

Então ele se vai fechando a porta atrás de si, Matt com toda certeza me fez feliz enquanto pôde, sinto falta dele como amigo pelo menos isso ele nunca me traiu. Escuto batidas na porta e Tobias entra no quarto com cara de choro.

 

- Como você está ? Ele pede.

 

- Bem. Respondo.

 

- Me desculpa tá legal, eu deveria ter conversado com você mas eu estava nervoso demais, achei melhor esfriar a cabeça e depois conversava. Ele diz se sentando ao meu lado.

 

- Você fez a sua escolha. Digo seca.

 

Tobias perde seu olhar me encarando, ele reconhece que está errado só não sabe que estou decidida a não voltar com ele seja lá o que tínhamos.

 

- Já avisou Caleb ? Pergunto.

 

- Já, eles estão vindo. Ele diz.

 

- Obrigada, pode se retirar e voltar para onde você estava indo. Digo com a voz rouca pelo choro não derramado.

 

- Tris eu vou ficar aqui. Ele diz e tenta pegar na minha mão, a recuo e digo séria.

 

- Não, já disse que estou bem e é melhor você ficar longe de mim. 

 

Ele respira pesado com lágrima nos olhos e sai do meu quarto.

Meu coração acelera e solto meu choro preso, minha cabeça agora tem um elefante preso nela e deitado de tão pesada que está, contínuo chorando que nem percebo quando durmo.

 

Nova York 10 de novembro

Quarta.

 

Acordo meio tonta, de imediato minha reação é gemer e por a mão na cabeça.

 

- Tris. Caleb diz me assustando.

 

- Oi. Digo seca com a voz rasgada.

 

- Está com dor ? Ele pede.

 

- Está doendo. Resmungo pondo a mão na cabeça.

 

- Vou chamar o médico espera só um pouco. Ele diz e se retira.

 

Caleb volta com a dra Vih. 

 

- Bom dia Tris, está aqui de novo mocinha o que aconteceu ? Ela pede entrando na sala medindo minha pressão e olhando a sua prancheta.

 

- Me encontraram desmaiada na sala da minha casa, desmaiei e bati a cabeça. Digo calma mas com a voz grossa.

 

- O que estão me dando de remédio ? Pergunto 

 

- Só dipirona para dor de cabeça. Porque ? Ela pergunta.

 

- Estou meio grogue, minha lingua tá arrastando e parece que tá inchada. Digo séria.

 

- Abra a boca. Ela pede e o faço.

 

- Na hora que caiu deve ter mordido a língua, ela está inchada fique tranquila não é nada demais. Ela diz e se retira.

 

- Quer algo mana ? Caleb pergunta preocupado.

 

- Quero um suco de laranja bem gelado. Digo.

 

- Já volto. Ele diz e sai do quarto.

 

Eu estou muito grogue, não consigo pensar direito, sinto meus olhos lesados de novo e escuto a porta.

 

- Olá querida. Escuto aquela voz e me apavoro. - Adeus querida. Ela diz aplicando algo no meu soro.

 

- Nitta o que está fazendo ? Pergunto apavorada.

 

- Relaxe e durma, até mais tarde. Ela diz e sai do quarto me deixando pra trás apago.

 

(...)

 

Pov Caleb

 

Tris estava estranha, não sei o que era mas estava, tanto é que ela perguntou para a médica o que estavam dando a ela. Tobias o tempo todo estava na sala de espera chorando e deitado na cadeira, ele me contou tudo o que aconteceu a minha primeira reação foi querer bater nele, mas pensei bem e isso tem cara de armação dessa tal Nitta que quer acabar com a minha irmã/mãe. 

 

- Tobias estou indo buscar um suco para Tris quer um café ? Pergunto.

 

- Eu quero ela Caleb. Ele diz e fecha os olhos sua barba já está aparecendo e ele está com olheiras, visivelmente está sofrendo pela merda que fez.

 

- Sinto muito nisso não posso ajudar. Digo e me viro.

 

- Espera vou com você. Ele diz e se levanta. - Como ela está ? Ele pede.

 

- Ela acordou estranha, tanto é que perguntou para médica o que estavam dando a ela. Digo me lembrando da Tris.

 

- Mas o que será ? Pergunta ele preocupado.

 

- Você ama tanto ela e só faz merda não é ? Se não tivesse feito aquilo ontem estaria ao lado dela agora, espere eu conversar com ela e tentar entender aquela cabeça ai te conto. Digo para ele.

 

- Obrigado. Ele diz e contimuamos andando até a cantina do hospital tão familiar para nós.

 

(...)


Notas Finais


E aí gostaram ???

Tá tenso viu kkk e ainda tem mais 😱

Beijos e ???

Comenteeeem ♥♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...