História De repente... amor... - Capítulo 21


Escrita por: ~

Postado
Categorias MasterChef Brasil
Personagens Ana Paula Padrão, Erick Jacquin, Henrique Fogaça, Paola Carosella
Tags Ana Paula Padrão, Masterchef Brasil, Paola Carossela
Visualizações 159
Palavras 1.643
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, FemmeSlash, Romance e Novela
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Nem demorei tanto assim dessa vez, obrigada pelo comentários e por não desistirem de mim.
;)

Capítulo 21 - Capítulo 21


Fanfic / Fanfiction De repente... amor... - Capítulo 21 - Capítulo 21

Capítulo 21

 

 

PADRÃO

 

 

Eu e Paola estávamos em perfeita sintonia, os dias que se seguiram foram ótimos, não brigamos e ainda conseguimos fazer vários planos para um futuro bem próximo. Sonhávamos com uma casa grande, com um quintal lindo para fazermos uma horta, pensávamos também na cozinha para Paola fazer suas maravilhosas comidas e muito espaço para Fran poder crescer em meio a natureza e as brincadeiras mais legais da infância, incluindo a ideia de uma casa na árvore.

 

Passamos uma semana na praia de miniférias em comemoração ao nosso namoro, tivemos folga nas gravações e aproveitamos para ter uma semana inteirinha em família eu, Paola e Fran. Já tinha um amor gigantesco por ela e esse sentimento só crescia cada vez mais.

 

Em um desse dias que estávamos na praia tive a melhor sensação do mundo quando Fran me chamou de mãe pela primeira vez.  Foi tão intenso e lindo que chorei abraçada a minha filha.

 

Acho que talvez ter um filho era o meu único sonho não realizado ainda, até aquela tarde de sol sentada na areia quando estávamos fazendo castelinhos e Fran me olhou e disse.

 

- Mama, vamos para água? – Paola me olhou meio que sem entender e eu fiquei paralisada sem conseguir responder. A princípio pensei que ela estava chamando Paola, mas ela se levantou e esticou o braço em minha direção e continuou.

 

- Vamos mama eu quero entrar no mar... – a puxei pelo bracinho e a abracei em meio as lágrimas. Estava extremamente emocionada e Paola veio se juntar aos nossos braços em meio a choros e sorrisos de felicidade. Quando finalmente me acalmei tinha um sorriso gigantesco nos lábios e junto dele um coração preenchido de maneira única. Nos afastamos um pouco, olhei para minha filha e disse

 

- Filha, acho que se sua mãe me permitir posso te chamar dessa forma daqui para a frente, pois o carinho e amor que sentia por você já era enorme e agora ficou ainda maior. Vou te contar um segredo: eu sempre tive o sonho de ser mãe de uma menina assim como você e hoje esse sonho está sendo realizado graças ao seu amor e ao amor da sua mãe por mim - olhei para Paola, ela tentava enxugar as lágrimas que escorriam e responde.

 

- Aninha, vou adorar que você compartilhe o amor de mãe pela nossa filha. Fran com certeza já tinha esse amor gigante por você e hoje ela só o denominou te chamando de mãe. Tudo o que eu mais quero nessa vida é que sejamos uma família linda e feliz. Nossa filha vai ser duplamente amada tendo eu e você como mães – falou com um sorriso lindo enquanto me abraçava e beijava carinhosamente minha testa. Nossa loirinha se manifestou impaciente.

 

- Agora mãe vamos comigo até o mar, por favor.

 

Peguei Fran no colo e fomos nos deliciar naquele imenso mar. Meu coração transbordava de amor e eu estava plenamente feliz.

 

 

 

CAROSELLA

 

 

Nossa viagem foi incrível. Ficar uma semana todinha com Ana e Fran só me dava mais certeza do que eu queria para o resto da minha vida. Era essa família que eu queria para mim. Tudo o que eu sempre quis foi poder viver em paz e com amor e assim criar a Fran. Amor era o que não faltava quando o assunto era Ana Paula Padrão, aquela mulher era feita dele e com certeza isso era o que mais me encantava nela e eu ficava mais apaixonada a cada dia.

 

Foi muito difícil nos separarmos depois de uma semana todinha juntas, chego a dizer que foi até dolorido. Acordar e dormir com Ana ao meu lado já tinha se tornado meu hobby preferido e não ter aquele sorriso lindo para me dar bom dia fazia meu coração doer.

 

Nossa rotina voltou ao normal. Logo voltaríamos a gravar o MasterChef e eu estava muito feliz pois só assim voltaria a ver Ana todos os dias, o que não aconteceu desde quando voltamos das nossas miniférias.

 

Ana sempre foi apaixonada pelo trabalho assim como eu, mas ela era uma pessoa viciada nele e mesmo já fazendo muitas coisas ela sempre dava um jeitinho de agregar algo a mais na sua rotina. Isso me deixava feliz pois sabia que ela se sentia realizada mas não tínhamos tempo para ficarmos juntas e eu sentia muita falta dela.

 

Acabei me afundando no restaurante para preparar alguns novos pratos pois queria dar uma incrementada no cardápio antes das gravações da final do MasterChef.  Nos afastamos ainda mais. Nos falávamos rapidamente por telefone. Estava triste com a nossa distância e louca de saudade mas entendi que tínhamos vidas completamente corridas e no momento certo nos encontraríamos.

 

No meio da semana, já se passava da meia noite e eu estava sozinha no Arturito experimentando alguns temperos e combinações quando meu celular tocou.

 

- Argentina?

 

- Oi Minha Pequena, tudo bem?

 

- Tudo sim e com você?

 

- Estou bem, morrendo de saudade de você meu amor...

 

- Também estou com muita saudade paixão...você ainda está no Arturito?

 

- Estou sim, porque?

 

- Estou aqui na porta esperando você abrir para eu entrar.

 

- Yo estoy descendo.

 

Não sei por qual motivo estava nervosa de encontrar com ela, já fazia mais de uma semana que não nos víamos. Cheguei na porta de vidro do restaurante e foi impossível não abrir um sorriso ao ver Minha Aninha ali tão linda.

 

- Entra Ana.

 

- Você está sozinha Paola? – ela pergunta me devorando com os olhos.

 

- Sim – respondi sentindo meu coração acelerar.

 

- Perfeito Argentina.

 

Ela veio em minha direção, jogou a bolsa no chão, me empurrou contra o balcão do bar e me beijou de forma rápida, bruta e urgente. Retirou o lenço, soltou meu coque, sugou meu lábio enquanto eu afundava minha mão em sua nuca e puxava levemente seus cabelos. Comecei a beijar seu pescoço e mordisquei o lóbulo da sua orelha. Ela gemeu baixinho e gostoso no meu ouvido.

 

Saímos dali e fomos nos beijando nos corredores. Subimos as escadas praticamente sem folego. Coloquei ela em uma das bancadas da minha cozinha espalhando algumas coisas no chão. Ainda nos beijávamos quando ela abriu os botões da minha camisa e retirou a peça. Passeou as mãos por minhas costas até encontrar o fecho do sutiã. Abriu deixando meus seios livres. Parou de me beijar, seus olhos estavam mais escuros e vi todo tesão naquele olhar. Ela passeou a língua por meu mamilo e pôs-se a suga-lo. Joguei a cabeça para trás e gemi baixinho. Segurei com força em sua cintura e arranquei seu vestido. Ela estava linda e sexy com os cabelos bagunçados e eu estava com um desejo enorme de tê-la para mim.

 

Beijei seu pescoço, seu colo, retirei seu sutiã, suguei seus seios demoradamente enquanto ela puxava levemente meus cabelos. Deitei-a na bancada e desci meus beijos e meus toques por toda extensão do seu corpo. Retirei sua calcinha e encaixei minha boca direto no seu ponto de prazer. A cada toque da minha língua seus gemidos aumentavam conforme minha vontade de ouvir ela gritando meu nome no momento do seu orgasmo.

 

Parei sob protestos velados em seu olhar, a desci da bancada, virei-a de costas para mim, puxei de leve o seu cabelo aproximando seu pescoço da minha boca e a fazendo gemer com cada beijo e mordida que eu dava ali.

 

Abri um pouco suas pernas e coloquei dois dedos dentro dela que estava pronta para me receber. Comecei a estocá-la com força enquanto ela gemia cada vez mais alto e eu a sentia cada vez mais molhada e quente. Senti as pernas dela tremerem e ela gritou meu nome alto.

 

- Paola....não para.....me come mais rápido que eu estou gozando para você.....

 

Enquanto ela recuperava o folego, peguei-a no colo e levei-a ao escritório. Já saciada ela me amou de forma intensa no sofá. Nos recuperamos e aproveitei para levar minha namorada para minha casa. Naquela noite ainda tivemos uma sequência de outros quatro deliciosos orgasmos. Dormimos da forma mais clichê e deliciosa....a noite toda de conchinha...

 

Acordamos tarde, o sol clareava o quarto e assim que me virei olhei para Ana linda dormindo de uma forma deliciosa. Estávamos totalmente nuas com apenas cobertas cobrindo nosso corpo.

 

Tentei levantar bem devagar mais foi em vão, assim que ameacei tirar meu braço do corpo dela a mesma acordou me puxando e me beijando calmamente com doçura e amor.

 

- Bom dia minha Carosella.

- Bom dia minha pequena, que saudades eu estava de ter você nos meus braços.

 

- Eu também estava com muitas saudades de você meu amor.

 

- Precisamos ajeitar nossos horários, não dá para ficar tanto tempo longe de você pequena.

 

- Eu sei meu amor, vamos precisar dar um jeitinho nos nossos horários

 

- A Fran também está com saudades.

 

- Com a Fran eu já me redimi, prometi passar o sábado todinho com ela, agora só falta me redimir com a mãe da minha filha linda.

 

- Com a mãe você já se redimiu também, embora nunca seja demais um pedido de desculpas... - falo olhando-a de forma maliciosa e retirando a coberta do meu corpo nu.

 

Nos abraçamos e nos beijamos novamente e acabamos nos acalmando no chuveiro depois de fazermos amor da maneira mais pura e linda onde nossos corpos entraram em perfeita sintonia.

 

Ana recebeu um telefonema do novo produtor do programa a chamando para um almoço. Eu que estava sentada na cama fiquei furiosa com a forma doce e gentil com que minha Ana começou a tratar aquele Gustavo que eu não conhecia e já não gostava.

 

Assim que ela desligou o telefone se trocou de maneira rápida e me deu apenas um selinho dizendo que estava atrasada para encontrar Gustavo e Pato. Eu fiquei ali remoendo minha raiva e meu ciúme.


Notas Finais


Acho que logo esse amor todo vai dar uma balançadinha.
Comentem me digam oque estão achando.
BEIJOS


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...