História De todo o meu ser - HunHan. - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Personagens Originais
Tags Amor, Chanbaek, Drama, Humor, Hunhan, Kaisoo, Lemon, Love, M-preg, Romance, Slash, Sulay, Tragedia, Yaoi, Yunhan
Visualizações 62
Palavras 2.394
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishoujo, Bishounen, Drama (Tragédia), Ecchi, Famí­lia, Ficção, Fluffy, Lemon, Musical (Songfic), Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Slash, Visual Novel, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Bissexualidade, Gravidez Masculina (MPreg), Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Sexo, Suicídio
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Oiie.
Meus bombons, eu peço desculpas pela demora de postar os capítulos.
Eu quero avisar desde já que vocês voltem para o capitulo um e o leiam, pois eu o editei e coloquei o texto em fim. Mas esse aviso só vale para quem já estava acompanhando tudo e add a historia quando eu ainda não tinha postado o capitulo.
Peço desculpas pelos erros ortograficos e por falta de qualquer coisinha.
Espero que gostem e aproveitem bastante.

Kisses de mel <3

Capítulo 2 - Capítulo 2.


Eu acenei para um táxi que passava, o mesmo parou e o taxista meu olhou de cima abaixo passando a língua nos lábios, e eu apenas revirei os olhos entrando no táxi.  

— Para onde docinho? -Perguntou ele de forma descarada me olhando pelo retrovisor. 

— Não me chame de docinho, caso contrario eu dou trinta tapas na sua cara. — Disse de cara fechada. — Eu quero que me deixe no Upper East Side... 205 East 92nd street, no The Easton Luxury. — Disse entregando meu cartão Platium para ele, que arregalou os olhos e entregou a maquininha de cartão se desculpando. Eu digitei a senha e a cota foi descontada na hora, os exatos US$ 25,00, já que eu estava um pouco longe. 

Quando cheguei ao meu destino, desci do táxi na frente do prédio. Entrei no Hall e logo cumprimentei o segurança. Caminhei até o elevador e parei na frente do mesmo, até que ele foi aberto revelando um simpático senhor. 

— Boa noite. — Disse ele de forma simples. — Para qual andar o senhor deseja ir? 

— Para o décimo sétimo andar. — Disse por fim, ouvindo aquela insuportável música de elevador. 

Após ser deixado no andar desejado, agradeci ao rapaz atrás de mim e me dirigi a porta do apartamento de Yixing. Toquei a campainha, esperando pacientemente. Segundos depois o senhor Jeremias me atendeu, lançando um olhar surpreso ao me ver. 

— Senhor D.O! A quanto tempo. — Disse ele cordialmente. 

Jeremias é o mordomo da família Kim a mais de 50 anos. Lembro-me de quando eu o conheci pela primeira vez, me fazendo pensar se ele era um daqueles que se acham em qualquer lugar... Ou aqueles que são exceções a regra. E realmente ele é uma exceção a regra. Talvez a forma como ele se porta seja um tanto formal... Por mais que o seu trabalho exija isso, ele ainda sim mantem o carisma e a simpatia que cativa a todos , deixando um ambiente mais relaxo e simples, quebrando um pouco da "fantasia" que o ricos tem de que tudo e lindo e perfeito, me fazendo pensar se tudo o que eu já vi até hoje possa se comparar com o senhor Jeremias. 

— Olá senhor Jeremias... Sim, já faz alguns meses. — Disse sorrindo. 

— Oh, perdoe-me. Entre por favor. — Disse ele me dando passagem. 

Eu entrei e vi a linda decoração do apartamento de meu irmão. Fiquei um tanto deslumbrado ao ver que ele tinha exatamente tudo o que sonhou a anos atrás. 

— Eu irei avisar ao senhor Yixing que está aqui, tenho certeza de que ele ficará contente em vê-lo. — Disse o senhor Jeremias. 

Ele se dirigiu ao quarto principal e me deixou esperando na entrada. Coloquei meu casaco na arara de roupas e me dirigi a sala. Minutos depois ele confirmou que eu poderia prosseguir. Caminhei calmamente até a porta do quarto de Yixing e dei duas batidas, ouvindo logo em seguida um "entre". E assim o fiz. 

— Xing? — Perguntei fechando a porta. 

— No banheiro. — Disse ele e eu me dirigi ao mesmo. 

— Oi. — Disse me sentando no récamier ao lado da banheira. 

— Eu estava com saudades. — Disse ele me dando um beijo no rosto. -Nunca mais veio aqui. 

— Sim, é verdade... É que ultimamente tudo anda tão corrido — Disse suspirando. 

— Eu imagino... E como vão as coisas? — Perguntou ele. 

— Eu encontrei ele... — Disse baixo. 

— Como assim ele? Vocês não se veem a mais de oito anos... — Disse ele surpreso. 

— Eu sei... Mas eu quero saber como isso aconteceu... Isso não deveria ter acontecido de forma alguma! — Disse me levantando e andando de um lado para o outro. 

— Exatamente, não deveria ter acontecido... Você se encontrou com o SeHun? — Perguntou ele me olhando desconfiado. 

— Bem... Foi apenas um encontro amigável... Eu acho... — Sussurrei a ultima parte. 

— Como assim amigável? E como você "acha" isso? — Perguntou ele fazendo aspas com os dedos. 

— Eu não sei tá legal? Foi por acaso... EU não sabia que iria encontrá-lo lá. — Disse um tanto desconfortável, voltando a sentar no récamier e encarando meus próprios pés. 

— Olha LuHan... Você está em um território perigoso... Não é fácil reencontrar ex-namorados... Mas também não se pode dar esse prazer a eles... — Disse Yixing saindo da banheira e vestindo seu roupão. 

— Eu sei.. É só que eu não consegui dizer "não" ao SeHun... Foi mais difícil do que você possa imaginar... — Disse e logo fiz uma comparação. — Olhe você e Junmyeon... Ele nunca consegue dizer um simples "não" a você... E o Yunho não consegue dizer um simples "não" a mim... Eu sei que é injusto... Mas eu não consegui... 

— Não venha colocar eu e meu marido no meio da sua loucura... Eu sei que é difícil negar algo a quem se ama... Mas você ainda o ama? Você realmente havia superado ele? — Perguntou Yixing me colocando entre a cruz e a espada, me fazendo refletir o quão estúpido eu fui por ter caído em uma conversinha. 

A questão é... Eu realmente queria fugir dele? Ou me entregar de braços abertos para o primeiro homem que amei?. Bom, essas são perguntas que nem eu sei responder direito.. Mas eu sei que isso poderia ser um ato de fraqueza... Mas EU não sei se realmente estou fraco a ponto de me entregar a ele... Ou se eu realmente quis me doar e dar trela a esta conversa. Por mais que já tenha se passado anos desde que eu e SeHun terminamos, eu ainda lembro de cada sensação que eu tive com ele, de cada lembrança que eu pude desfrutar ao lado dele. 

— Eu não sei mais nada... Eu pensei que havia superado o SeHun... Mas essa conversa que eu tive com ele mostra o quão difícil é esquecer dele. — Disse me dirigindo ao quarto com Yixing em meu encalço e me joguei na cama. 

— LuHan... Você não pode colocar em risco tudo o que lutou para conquistar... Eu sei que você teve sua história ao lado de SeHun... Mas isso tudo pode desmoronar a qualquer momento e você sabe que não será fácil. — Disse Yixing se sentando ao meu lado. 

Eu entendo o ponto de vista de Yixing... Mas o problema e que eu quero me reaproximar de SeHun. Talvez seja algo impulsivo, talvez não seja... Mas o grande "X" da questão é que eu estou dividido entre meu marido e meu ex. Eu sei que isso é uma coisa horrível de se pensar, mas eu não sei o por que de SeHun ter mexido tanto comigo neste exato momento. EU não sou mais um garoto de 23 anos que sonha em se tornar um maquiador profissional, e nem que sonha em viajar para a Europa para tirar fotos e deixar no meu mural de viagens... Eu apenas estou tentando entender como isso tudo aconteceu, como isso veio acontecer neste momento da minha vida, justo no momento em que eu tinha tudo sob controle e que eu sabia e me sentia seguro dentro do ambiente que eu estou. 

— Olha eu não sei como isso veio acontecer justo nesse momento! Eu não quero ver tudo o que eu batalhei desmoronar pela simples presença do SeHun. — Suspirei. — Eu sei que isso pode ser arriscado... Mas eu quero muito ter a amizade dele de volta isso me fazia tão bem...  

— Isso mesmo, disse muito bem... Fazia, no passado, ou melhor... Nunca fez bem a você... Você querer ser amigo da pessoa que te fez sofrer por um ano e oito meses não merece nem se quer o desprezo, não merece nada... Você esqueceu que ficou passando com uma psicóloga por quase um ano? Ou o quanto nosso pai ficou mal por te ver assim? Ou quantas semanas de trabalho o Yifan perdeu para estar ao seu lado? Eu, ele, o Kyung-Soo, o nosso pai e o Yunho ficamos ao seu lado quando ele preferiu te deixar e o fazer sofrer... — Disse ele se levantando da cama e cuspindo as palavras em minha face. 

Yixing me expôs a verdade nua e crua, me fez ver o quão difícil é para alguém controlar os próprios sentimentos, quem dirá ter controle sobre a própria vida, quando se tem uma situação destas nas mãos. Por mais que eu já tenha vivido muitas coisas em minha vida, nada se compara a isso... A insegurança que se instalou em meu peito, o medo que tomou posse do meu ser, o desejo que invadiu meu coração e a dor que tomou minha alma. Eu olhei para Yixing e senti seus braços me puxarem para um, abraço calmo e quente. 

— Eu não quero que minha vida desmorone por causa do SeHun... Eu não suporto a ideia de que ele voltou... Eu só queria que isso tudo fosse um pesadelo, e depois eu acordaria nos braços de Yunho, sem me preocupar com isso... Sem me preocupar com SeHun... — Soltei um suspiro melancólico e sofrido. 

— Eu sei Lu... Não podemos fugir do passado ou evitar o futuro... Mas tenha certeza de que você pode contornar essa situação e evitar que uma tragédia aconteça... EU sei que é duro ouvir isso, mas não pense que a família dele vai tolerar algum ato de traição... Pode parecer tudo lindo e perfeito... Mas na verdade essa farsa toda é pior que uma bomba. — Disse ele me olhando. — Você acha que eles vão aceitar você se algo acontecer? Não, eles não vão. Nós não fazemos parte do mundinho deles... Para mim foi um sacrifício quando eu conheci a família do Junmyeon...  Eles demoraram muito tempo para me aceitar... Primeiro por eu ser pobre, depois por eu ser um chinês caipira que mal sabia se portar à mesa... Eu comi o pão que o diabo amasso, literalmente... Mas olhe onde eu estou hoje... Estou no topo, EU consegui superar tudo e todos... Nunca pedi nada para Junmyeon, a não ser seu amor... Mas eu jamais deixei que alguém pisasse em mim só por eu não ser um deles

— Eu sei... Eu também não tive lá muita sorte no meio da família D.O... Mas como eu sempre fui muito amigo de Kyung-Soo, eu consegui ser mais o "amigo" do que o namorado do Yunho... Demorou para que eles se acostumassem com a ideia... Mas mesmo assim não foi fácil. — Disse com meus olhos pesados. 

— Mas veja só onde estamos... Três chineses caipiras que ganharam o mundo... Yifan se tornou um dos principais investidores chineses na Coreia, eu me tornei fotógrafo profissional e você um estilista e maquiador bem sucedido que sempre está nos principais eventos de moda do país... — Disse ele e deixou um pequeno selar em minha testa. — Não se preocupe... Ele não poderá fazer nada a você... 

— E assim espero. — Finalizei me deitando na cama ao lado de Yixing. 

Por mais que nós tenhamos evoluído bastante desde que chegamos aos Estados Unidos, eu deixei que tudo ao meu redor se desfizesse apenas e deixei minha mente vagar para a minha infância. O lado bom de se recordar do passado com clareza, é que as comparações se tornam mais nítidas e vividas... Mas ao mesmo tempo se torna algo sombrio e doloroso, pois a todo instante eu lembro de minha mãe... Aquela que me amou mais que todos, aquela que sempre me apoiou, que sempre esteve ao meu lado até em meu coração. 

Dói saber que eu não a tenho mais. Pode ser egoísmo meu pensar desta forma... Mas eu não consigo deixar de pensar em como minha vida poderia ser se ela ainda estivesse aqui. 

— Sabe Xing... Talvez tudo o que passamos até gora tenha sido bom. — Disse o olhando. 

— Como assim? — Questionou ele. 

—  Tudo o que passamos foi bom para que aprendêssemos...Nós nos casamos novos e com nossos primeiros namorados. Junmyeon tirou a sua inocência e a sua pureza... Não de forma rude ou bruta, mas com a mor e carinho... Ele cuidou de você quando ninguém mais pode... Eu tive Yunho como um anjo em minha vida... E pra ser sincero eu acho que ele é bom demais para ser verdade.— Disse colocando minha mão em seu rosto. 

— Eu sei... Junmyeon é muito bom para mim... Ainda acho engraçado a forma como nos conhecemos... Dentro de um taxi. — Disse Yixing em um ton nostálgico. — Mas de qualquer forma eu sempre agradeço a qualquer que seja a força divina, por ter posto Junmyeon em minha vida... 

— Parando para pensar, tudo o que vivemos até hoje, me faz questionar se não seria diferente se nossa mãe estivesse aqui... Eu gostaria que ela pudesse ver com seus próprios olhos tudo o que nós temos hoje. — Disse tristonho. 

— Eu sinto tanta a falta dela... É uma pena que ela não conheça os netos... Ou seus genros. — Disse ele. — Eu posso até ouvir Yifan dizendo para que nós deixemos o passado quieto... 

— É verdade... Deve ser muito pior para ele quando chega o dia das mães... Por mais que nós também sofremos, para ele deve ser difícil, pois ele sempre foi muito apegado a nossa mãe. — Suspirei ao lembrar do passado. — Eu não consigo gosta da Hong Mei... Aquela não deveria ter conhecido nosso pai... Aff, pior pessoa para se escolher como esposa. 

— Também não é para tanto LuHan... Ela pode até ser falsa, mas é legalzinha... E faz nosso pai esquecer a saudade que ele sente da mamãe. — Disse Yixing. 

— Tá, agora chega de conversa chata e vamos focar nas novas que eu tenho...  

—  Que novas? — Disse Yixing. 

—  Eu fui escalado para organizar e maquiar os modelos para o próximo baile da Vogue esse mês... — Disse sorrindo. 

—  Mentira? Ai que ótimo... Quero um convite VIP. — Falou Yixing de forma brincalhona. 

— Pode deixar senhor Kim... Mas... Um certo fotógrafo foi escalado para trabalhar ao meu lado... — Fiz suspense. 

— Quem? 

—  Você! — Disse eufórico. 

— Tô passada vinhado! 

Eu comecei a rir escandalosamente e vi a cara de incredulidade de Yixing. Esse era o bom de sempre ter ele acessível... Eu sempre pensei que conseguiria viver sem ele em qualquer lugar, mas a verdade e que eu não consigo ficar longe da sombra dele. Sempre que eu olho no olhos de Yixing, eu consigo ver os olhos de minha mãe refletindo para mim. Talvez eu seja ainda mais dependente da minha família do que eu pensei... Mas mesmo assim, eu não consigo ver os D.O com minha família, não como minha família de verdade... Por mais que me doa e por mais ingrato que seja isso... Me perdoe Yunho.


Notas Finais


Bom gente, é isso.
Espero que tenham gostado e até a próxima.
Se preparem por que ai vem quentinhas.
Kisses, amo vcs.


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...