História De um jeito diferente! - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Harry Potter
Personagens Gina Weasley, Harry Potter, Hermione Granger, Ronald Weasley
Tags Aventura, Fantasia, Harry Potter, Magia, Suspense
Visualizações 369
Palavras 2.510
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Fantasia, Hentai, Magia, Mistério, Romance e Novela, Suspense, Violência
Avisos: Álcool, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Lindos, precisei postar o capítulo novamente, nem todo mundo teve a notificação do capítulo.
Link e trailer nas notas finais.
Ps: Os história vai continuar com a mesma essência, Harry e Gina serão os focos.
Assim como os filhos deles na segunda temporada!
Beijos! 😊

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction De um jeito diferente! - Capítulo 1 - Prólogo

Pov Narrador:
Londres - Godric's Hollow - 16 anos antes.
 
       Era uma noite fria e chuvosa Godric’s Hollow estava em um completo silêncio, a vila bruxa estava tomada pelo medo e pavor, os tempos eram sombrios e ninguém se dava ao luxo de andar na rua mais do que o necessário o comércio sempre fechado, não parecia nem de longe  a vila charmosa que a anos era procurada por bruxos que desejavam começar um lar.
      Pelas ruas escuras cobertas por neve e pela fina camada de água, graças aquele chuvisco desagradável do inverno, um jovem casal andava com certa pressa olhando para os lados estavam com um pequeno embrulho nos braços e aparentavam desespero, como se estivessem fazendo algo errado. O homem parecia saber exatamente o que estava fazendo, já a mulher andava com as pernas vacilando, olhava para aquela pequena vila ainda meio desorientada, apertava o embrulho em sua mão com força. Era como se o que fossem fazer ali, de certa forma estivesse doendo nela.
−Tem certeza que precisamos fazer isso? − A jovem mulher perguntava olhando para o embrulho em suas mãos com a voz chorosa.
−Claro que precisamos você ouviu o que eles falaram, essa criança não é normal ela não pode crescer em nosso meio será terrível para os nossos negócios e estaremos fazendo um bem a ela, pelo que disseram a família é rica. Estamos fazendo o melhor.
−Que tipo de monstro nós somos?
−Não faça essa pergunta agora. Estamos prestes a nos tornar referência em odontologia Londres será pouco para nós dois, como explicaremos uma filha como ela? Céus como podemos ter concebido isso? Se convença, é uma lástima ter essa criança em nossas vidas.
−Espero que você esteja certo.
−Não se preocupe, eu estou.
−Vamos a casa é logo ali.
    O homem olhava para a bela casa enquanto a mulher colocava o pequeno embrulho na soleira da porta, quando ela fez menção de bater na mesma foi repreendida.
−O que pensa que está fazendo?
−Pense o que quiser, mas eu me sinto mal de fazer isso. Não vou deixar ela morrer de frio, quem sabe quando notarão a presença dela aqui.
−Isso não é problema nosso, talvez essa coisa nem morra.
−Eu vou bater e esteja pronto para correr. − Dizendo isso a mulher olhou uma última vez para a criança e fazendo talvez a melhor coisa que poderia, lhe desejou internamente sorte e que ela fosse feliz. Bateu na porta saindo em disparada com o homem.
 
    Dentro da casa o jovem casal Potter admirava seu filho Harry recém nascido, tinha apenas duas semanas de vida, era incrível que mesmo com todo o caos e terror que rondava o mundo bruxo eles conseguissem estar felizes, construíram a sua família mesmo sabendo que poderia não ser o melhor momento. Estavam distraídos, Lilian reclamava de todo esforço que fez para ter a criança para ela ser uma cópia fiel de seu marido, quando ouviram alguém bater na porta.
−Está esperando alguém? −Lilian perguntou para seu marido.
−Não. Talvez Aluado, mas a essa hora ele só viria se estivesse bêbado e bom se ele estivesse nesse estado não bateria na porta.
−Lene e Sirius também não viriam, a noite está chuvosa e parece que a pequena Astória está resfriadinha.
Ficaram pensativos até que Thiago pegou sua varinha descendo a escada.
−Não acha que está exagerando?
−Os tempos são sombrios querida.
−Um comensal não bate na porta, Potter.
−Ainda gosto de como você me chama de Potter. − Thiago disse piscando para a mulher enquanto descia as escadas olhando para todos os lados, sua alma de auror o fazia desconfiar até mesmo da própria sombra, abriu a porta não encontrando ninguém, já iria fechar se não fosse o pequeno barulho que lhe lembrava muito um miado de gato, olhou para o chão vendo um bebê enrolado em alguns panos, porém com o rosto um pouco molhado pelos pingos de chuvas trazidos pelo vento, olhou para todos os lugares e o que encontrou foi apenas o deserto da noite.
        Pegou a pequena menina no colo secando seu rosto.
Assim que sentiu a pequena em seus braços algo diferente passou por ele, Thiago conhecia esse sentimento era o mesmo de quando viu seu filho nascer, não percebeu quando uma lágrima solitária caiu de seus olhos, estava hipnotizado.
−Quem é amor?- Sua esposa lhe perguntou o tirando do transe, ele apenas virou mostrando a criança.
−A deixaram em nossa porta, sozinha no frio, como fizeram isso?
Lilian chocada se aproximou.
−Tão linda e tão sozinha. Por que alguém a deixaria?
−Eu não sei. Pode parecer estranho o que eu vou dizer, mas eu não vou deixa lá.-Thiago falou e Lilian sorriu.
−Parece que você gostou de ser pai mesmo, está preparado para isso em dose dupla? Ela parece ter a mesma idade do Harry.
−É estranho, mas estou sim.
−Vamos fazer o certo Thiago, amanhã olho no Ministério para ver se tem algum registro de criança sumida ou sequestro...
−Ela foi deixada, não tem ninguém a procurando. Você não entende Lilian, não encontramos ela, ela que nos encontrou.
−Eu sei querido, mas e se em algum lugar existe alguém a procurando? Como se sentiria se lhe tirassem Harry?
Thiago concordou.
−Por hora ficaremos com ela. −Lilian disse e a menina chorou.
−Acho que ela está com fome, vou lhe dar um banho quente e amamentar, hoje Harry terá que dividir. Amanhã olharei os registros bruxos e os registros trouxas, se de fato não tiver busca para ela, providencio os papéis da adoção.
A noite foi inquietante para o casal, Lilian assim que começou a amamentar sentiu uma conexão forte com a menina. 
Estavam no quarto do pequeno Harry, Thiago com o menino nos braços e Lilian amamentando a garotinha.
−Será que ela é bruxa?
−Certamente que sim, Godric's Hollow é uma vila bruxa.
−Por quê na nossa porta?
−Somos ricos, Potter, talvez a família não tenha como criar.
−Se a adotarmos mesmo, teremos que contar para ela um dia, ela crescerá sabendo disso. Por sermos Potter nossa vida não é das mais secretas.
−Isso não será problema, ela nunca se sentirá menor por isso. −Thiago ia falando quando um patrono atravessou o quarto.
−Dumbledore −Lilian afirmou.
"Prevejo que a essa altura vocês já estejam com a menina, Minerva recebeu a confirmação que um jovem casal trouxa estava esperando uma menina bruxa, são pessoas terríveis e ambiciosas os planos para a criança eram péssimos, com essa caça aos nascidos trouxas fiquei com medo do que fariam a ela. Informamos aos pais que se tratava de uma criança bruxa e a reação foi das piores então eu lhes disse para deixar a criança na porta de vocês, sei que farão um bom trabalho."
−Esse homem. −Lilian falou com um sorriso olhando para a criança, enquanto Thiago estava com a expressão maravilhada.
−Bom, parece que não sou mais minoria na casa. −Lilian constatou.
−Como a chamaremos?
−Hermione, era o nome da minha vó. − Lilian disse e Thiago se aproximou com Harry nos braços.
−Seja bem vinda, Hermione Potter.
 
1 ano depois - Sede da Ordem da Fênix.
 
−Para com isso Pontas, já deveria ter se acostumado com a língua venenosa da Rita e esse jornal nojento. Ela te persegue desde seu namoro com a Lilian. − Sirius tentava falar para um Thiago Potter que rasgava em mínimos pedaços o Profeta Diário.
−Mas agora é diferente Almofadinhas, estão falando da minha filha, já se passou um ano, por que é tão interessante relembrar que adotamos Hermione? Não foi um ato de caridade como essa cobra coloca.
−Tente focar naquilo que temos que mudar−Lupin falou.
−Temos novas informações? − Sirius perguntou.
−Lúcio e Narcisa vão chegar a qualquer momento, melhor irmos para a sala.
−As vezes me pergunto, como Lucio e Narcisa viraram nossos amigos e Pedro nosso inimigo.- Thiago falou pensativo.
−Bom, Narcisa nunca foi ruim e também nunca chegou a se tornar uma comensal, acho que o seu mau passo foi casar com o Lúcio, e bom ele mudou com o nascimento de Draco, um filho traz humanidade a gente. − Sirius o alertou.
−E Pedro, talvez a gente nunca descubra qual foi a real motivação dele, um rato é e sempre será um rato. −Lupin encerrou.
     Entraram na sala que estava ficando cada vez mais barulhenta, os Weasley com os seus seis filhos e Molly com um grande barrigão, só eles já eram o suficiente para encher qualquer ambiente, no fim já era possível concluir que tinham mais crianças presentes na reunião da Ordem do que adultos.
−Podemos começar? −Thiago perguntou impaciente, assim que percebeu a chegada dos Malfoys.
−Bem se vê que vocês não tem uma pontualidade britânica. −Sirius pirraçou Lúcio.
−Nâo vou responder sua gracinha Black, Draco pegou a vassoura a acabou quebrando uma cristaleira que estava na família Malfoy a anos, não existe reparo que corrija aquilo.
−Acho que esse menino é um bom maroto.
−Bom, Lucio o que tem para nós? − Dumbledore perguntou.
−Na próxima noite, Você Sabe Quem tentará tomar o Ministério.
−Plano audacioso, quantos comensais? −Thiago perguntou.
−Todos.
− Temos que montar um bom plano, será quase impossível aplacar todos os comensais e Voldemort−Sirius disse.
−Vamos conseguir, precisarei de todos vocês. −Falou Dumbledore olhando para todos por cima de seus óculos meia lua, certamente que o diretor e líder da Ordem já tinha um bom plano para aquela batalha.
 
      Como era de se esperar, a Ordem passou a noite em claro, traçando planos, reunindo aliados. Claro que os homens insistiram para que suas mulheres ficassem, mas eles precisavam de todos e não tinham a menor intenção de perder essa batalha contra Voldemort, deixar ele assumir o ministério era entregar o mundo bruxo nas mãos de um sádico.
     Hagrid conseguiu bons aliados como, Gigantes e centauros, Lilian e Marlene se comunicavam muito bem com os mesmos, os Centauros eram esperto, já os gigantes, bom eles contavam com a força bruta e a quantidade era o suficiente para criar uma barricada a pele era mais grossa o que impedia os feitiços, estava tudo pronto para um grande confronto.
   Quando a outra noite caiu, sem que qualquer um percebesse, tinham conseguido reunir um grande contingente.
Partiram para o Ministério, os Gigantes seriam os elementos surpresa.
    Voldemort esperava alguma resistência, mas jamais aquela, Gigantes pisando em seus comensais, a Ordem mais preparada e decidida do que nunca, conseguiu avançar com muita dificuldade, ficou frente a frente com Thiago Potter.
Sorriu debochado e quando pensou em acertar qualquer feitiço no Potter, foi desarmado e recebeu um feitiço da morte, os comensais que estavam ali vivos, desapareceram em horror ao ver seu Mestre morto, Pedro não pensou duas vezes em se agarrar ao corpo aparentemente morto de Voldemort e desaparatar.
     No outro dia e nos anos que se seguiram a notícia que mais repercutiu no mundo bruxo, foi a grande batalha e o triunfo de Thiago Potter sobre Voldemort. Aparentemente o mundo bruxo entrava em uma fase de paz.
Bom era isso que todos pensavam, até agora.
 
15 anos depois - Casa dos Potter's
 
−Harry e Hermione Potter desçam agora.
−Mãe, Harry escondeu meus livros.
−Eu não fiz nada eu juro, para que eu ia querer os seus livros?
−Você acha que eu tenho um diário.
−Por que eu me interessaria pelo seu diário?
−Me devolve Harry. PAIII
−Harry devolva os livros da sua irmã e o diário.- Thiago falou sério.
−Então você tem mesmo um diário? - Harry perguntou risonho.
−Pai- Hermione repreendeu Thiago.
−Foi mal, e o que tem de mais ela ter um diário?
− E se ela escreve sobre garotos?- Harry falou e Thiago arregalou os olhos.
− Você escreve sobre garotos?
− Mãeeee
−Harry Thiago Potter devolve o diário agora. E parem de amolar Hermione sobre garotos.
−Por que você não nos fala sobre Gina, Harry?- Lilian perguntou e Hermione gargalhou.
−Boa mãe.
−O que tem a Gina?
−Seu pai viu vocês se beijando nas férias.
−Nossa Thiago Potter como você é fofoqueiro.
−A meu filho, eu fiquei emocionado por você beijar uma ruiva.
−Quero ver se fosse eu. −Hermione resmungou.
−Não seja boba minha filha, quem teria coragem de beijar a filha de Thiago Potter.
− Vocês me irritam. − Hermione falou descendo.
−Adolescentes. − Thiago falou e voltou a atenção para Harry.
−Gina é minha amiga gata, muito gata, ficamos no verão e é isso apenas isso.
−Você não sente nada por ela?
−Não nesse nível.
−Que bom, pelo que eu soube Dino está bem interessado nela. − Hermione falou para o irmão.
−Dino? − Harry falou tentando controlar a raiva e todos olharam para ele com caras de risos.
−Quer dizer, eles não tem nada a ver, mas isso não é problema meu.
 
Estação de King Kross:
 
       Hermione, Gina e Astória conversavam animadamente.
−Harry de manhã ficou bem sem graça quando minha mãe perguntou sobre o beijo de vocês, e antes que me mate quem falou foi meu pai, ele viu. − Hermione falou e recebeu um dar de ombros da ruiva.
−Você ainda gosta dele? −Astória perguntou.
−Não, eu era uma criança. Eu sei superar diferente de vocês. −Gina virou o jogo.
−Olha deixa o Draco fora disso, nos entendemos no verão e estamos namorando.
- E o papai Black sabe disso? −Gina perguntou debochada.
−Não, mas pretendo contar assim que chegarmos a Hogwarts, quero um namorado vivo.
−E o seu irmão também, finalmente nos entendemos.
−E o papai Potter e o irmão ciumento já estão sabendo?
−Segui a linha da Ast, e depois o Harry não tem muita moral, imagina quando o Rony souber que vocês se pegaram as férias inteiras?
−Para de falar nisso.- Gina repreendeu e logo elas estavam rindo.
 
−Rony e Draco, vocês estão estranhos. Draco tem até um motivo, está com medo do meu padrinho descobrir sobre ele e a Aust, mas e você Rony?
−Ele tem bons motivos.- Draco falou debochado.
−Mas você também está agitado Harry− Rony falou inquisidoramente.
−Impressão sua.
Os adolescentes foram se despedir dos seus pais.
−Draco, Rony e Harry peguem leve nesse penúltimo ano−Narcisa pediu e os meninos fingiram assentir.
−O trem já vai partir tenham um bom ano. − Lene desejou.
Hermione olhava para os lados parecendo um pouco decepcionada.
−Ele tem um bom motivo querida− Lilian disse 
−Desde que meu padrinho e Tonks casaram ele está mais distante de mim.
−Querida, Tonks foi a melhor coisa que aconteceu ao seu padrinho e você um grande presente, ele certamente tem uma boa razão.
−Espero que ele me escreva. −Ela falou com a cabeça baixa sendo abraçada pela mãe.
−Vou escrever todos os dias e você acha que eu perderia o penúltimo embarque da minha afilhada preferida. − Lupin falou surgindo atrás de Hermione, que o abraçou surpresa.
− Não seja falso Aluado, sou sua única afilhada. − Hermione disse ganhando um beijo na testa do padrinho.
 
      O trem apitou e os seis embarcaram para o penúltimo ano de Hogwarts, eles só não contavam com o que estava por vir, tudo estava prestes a mudar principalmente a aparente paz.
 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...