História De volta à 2016 - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Ficção, J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Mistério, Rap Monster, Reply 1988, Reply 1997, Romance, Suga
Exibições 26
Palavras 2.467
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Harem, Mistério, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Eae? Aviso logo que será um capítulo longo. Para os que gostam obrigada, para os que não gostam vai ler outra fic! (Mentira volta aqui que o cap ta lindo ahauahuahaua)

Obs: provavelmente a linda capa que eu fiz não de para ver por inteiro ;-; então eu meio que cortei ela pra vocês verem como é a parte de cima.

Capítulo 2 - As duas faces de Kim Taehyung.


Fanfic / Fanfiction De volta à 2016 - Capítulo 2 - As duas faces de Kim Taehyung.

Eu não pensei duas vezes antes de ligar para o tal do kim, eu não estava com medo dele, muito embora estivesse curiosa para saber o que as palavras “muito mais que isso” pudessem significar. 

Disquei o número e esperei a pessoa atender, tremendo de nervosa. O que eu iria falar? “ah! Olá tudo bem? Tava passando pela rua e decidi ficar rica conquistando o coração de seis caras, você pode me ajudar?”. Se antes eu já não tinha pouca ou nenhum dignidade, o que será que eu não tenho agora? 

—Alô?- uma voz estranhamente familiar soou do outro lado da linha. 

—Er...o-oi, eu gostaria de falar com k-kim Taehyung por favor. 

—O próprio.-eu já estava nervosa o suficiente e o cidadão ainda inventa de não falar muito. Ò céus porque o universo parece não conspirar a favor da minha existência? 

—B-bom, é que eu...bem...eu... 

—Kim Jang Mi? 

—S-sim, como sabe meu nome? 

—Bo Ra me falou de você, nos encontramos hoje no café MOMO?.-ela havia falado de mim pra ele, mesmo dizendo pra eu não falar com ele? Como assim? 

—S-sim.-então sem nenhuma cerimônia ele desligou.—Aish! Sujeitinho mal educado. 

Eu fui para o café e já esperava lá há mais de 30 minutos. Finalmente resolvi ir para casa, enquanto me dirigia à saída estava com meu celular em mãos e meus olhos grudados neles. Até que algum cidadão sem nada pra fazer resolveu bloquear meu caminho. Eu fui pra direita, ele foi, eu fui pra esquerda ele foi também. 

—Eu vou pela direita.-falei ainda sem olha lo. 

Então eu fui pela direita. E sabe o que aconteceu? Isso mesmo, ele foi também. Me controlando e guardando o resto de paciência que ainda tinha, fui pra esquerda e o desgraçado foi também, e estavamos nisso bem há uns 10 segundos. Já era, ele me provocou, ele que começou.

—YA! FICOU LOUCO? POR ACASO QUER MORRER SEU FILHO DE UMA P***, QUE NÃO TEM P**** NENHUMA PRA FAZER E VEM ENCHER A M**** DA MINHA PACIÊNCIA.-e eu fazia tudo isso enquanto batia no seu peito.(imagine um beep a cada palavrão.)  

Eu esperei alguma reação do indivíduo mas tudo o que ele fez foi jogar a cabeça pra trás e começar a rir sem parar. 

—YA!-eu chamei sua atenção, e por um instante ele parou de rir e disse: 

—Hum...então Bo ra tinha razão, você tem pavio extremamente curto.-quando ele falou isso eu me senti como se tivesse sido pega numa pegadinha por alguma câmera escondida. Gostaria de enfiar minha cara em algum lugar não visível aos olhos humanos. —Prazer, Kim Taehyung ou só Tae. 

Agora que parei para ver, o filho da mãe era Vogue dos pés à cabeça. Como um modelo devidamente esculpido e divinamente trajado, isso era apenas um mero detalhe se comparado a sua beleza. Ele era lindo. Seu sorriso era lindo. Mas estranhamente eu senti duas coisas. 

A primeira- eu te conheço de algum lugar. 

A segunda- falta de carisma. Eu não me afeiçoei aquele ser divinamente feito pelos deuses. Como se fosse uma maçã. Linda por fora, mas podre por dentro. Bem...talvez as palavras de Bo ra estivessem me deixando paranóica, ou não. 

—Você não quer se sentar? Ou prefere ficar recepcionando os clientes? -eu sentei na mesa ainda não o observando atentamente, coisa que ele estava a fazer nesse exato momento.   

—Então por onde começamos?- perguntei impaciente. 

—Que tal pelo começo? Por que solicitou meus serviços? 

—Bem...esse é o problema. Eu não sei que tipo de serviço você faz. 

—Não sabe? Vou tentar resumir. Eu sou um prostituto de noite e de dia trabalho numa boate gay como um dançarino de meio período.-eu estava horrorizada, não pelo fato dele se prostituir e dançar , mas sim porque Bo ra havia me dado o numero de alguem que nao podia me ajudar em nada no meu problema, alias talvez a mesma estivesse me pregando uma peça e me olhando de algum lugar daquele café apenas esperando o melhor momento pra rir da minha cara.

—MAS O QUÊ?

—O quê?-ele me cortou sério. 

—N-n-ada! Você pode muito bem dar por aí à noite... Que-quer dizer, você t-tem todo o direito sobre seu próprio corpo.Embora eu a-ache que prostituição não é algo certo, aliás ilegal não é?-eu estava nervosa e gaguejando. 

—Dar? Quem disse que sou eu que dou?- nesse instante eu devo ter ficado azul de vergonha, mas sabe aquela famosa cara de “meu deus o que eu tô fazendo aqui” misturada com “eu com certeza cheguei no poço fundo da vergonha”, pois é.



—É...eu...bem.. Eu não me expressei corretamente...-derrepente ele começou a rir como uma hiena com câncer. 

—Ya! Jang Mi! Era mentira.- sua risada histerica continuava, ate ele me olhar sério e dizer.—Mas se quiser meu serviço de prostituição eu o ofereço por metade do preço à você. 

—Sr. Kim taehyung! 

—Brincadeirinha. Bem, como posso dizer isso...eu sou um conselheiro amoroso.-nessa hora eu bebia um chá gelado que acabou indo parar na cara do tal kim.—Me-me desculpa.-falei enquanto ele limpava seu rosto.—Mas você disse conselheiro amoroso? No que diabos isso pode me ajudar? Tem certeza que foi você quem ajudou a Bo ra? 

—Absoluta. Mas eu não sou apenas um conselheiro. Faço um trabalho especial chamado: Coelho de meio período.-novamente eu acabei cospindo o chá gelado no seu rosto. 

—Omo! Omo! Omo! Me perdoe.

—Ya! Será que é você que quer morrer agora? Pare de cuspir chá no meu rostinho.-falou ele se fingindo de ofendido.

—Coelho de meio período? O Que é isso?  

—Já ouviu falar de Alice no país das maravilhas?- eu acenei.—Para você entrar no país das maravilhas eu serei seu coelho, que ira te guiar durante tpreg  Entendeu? 


—Na verdade não.-ele fez cara de decepção.

—Você é como todas as outras mulheres que me procuram. Querem ficar ricas da noite pro dia. Mas nem sequer tem algo em mente. Para sua sorte eu sei o que você quer. 

—E o que eu quero?-falei expressando mais curiosidade que o esperado. 

—Quer ser uma garota de cheongdam. (Cheongdam é o bairro mais luxuoso de seoul.)  

—QUÊ? Que diabos é isso?

—Em outras palavras, quer se casar com um cara muito rico, em entrar para o luxuoso mundo de Cheongdam. 

—Entendo. Então basicamente, você vai me ajudar a conquistar os caras que eu tenho em mente? Quantos casos seus já deram certo? 

—De uns mil casos? Apenas um. Park Bo Ra. 

—Um? 

—Foi como eu lhe disse, todas as mulheres apenas querem ser ricas, não tem mais nada na mente além disso. Bo ra era diferente, ela tinha metas, objetivos, ganância e coragem no olhar. Em duas semanas eu consegui ajuda-la. Mas porque sinto que por uma eternidade não consiguirei isso pra você? 

—Não é como se eu não tivesse metas e objetivos. 

—Então me conte quais são? 

—Minhas meta é apenas uma: fazer os 6 homens pelo qual sempre tive uma queda se apaixonarem por mim. 

—Hum...isso é uma boa meta. Mas como conseguirá isso? 

—Acho que é aí que você entra. Não é mesmo?  

—Provavelmente. Eu trouxe nosso contrato, tem absoluta certeza de que quer isso? Quer dizer...você não poderá voltar atrás. 

Absoluta certeza. Ta aí uma coisa que eu não tinha. Mas desespero, eu tinha de sobra. 

—Sim, certeza. Onde esta o contrato?-ele me apresentou a folha que eu lia atentamente. Até claro eu ler umas coisas bem, como posso dizer, estranhas.


•CONTRATO DE PARCERIA•

A(O).                                está assinando um contrato com.                       no qual a(o) contratante concorda expressamente com os termos abaixo.

•A(o) fará tudo o que fora instruído pelo seu coelho branco.

•O coelho não se resposbiliza pela desistência do(a) contratante não importa a circunstância.

•Contato físico com o coelho só ocorreram com a autorização deste.

•Se algo der errado, tanto para  um lado, quanto para o outro, este contrato jamais existiu, e o(a) contratante jamais viu ou falou com seu coelho.

Bem o ultimo termo me assustou um pouco. 

Em absolutamente nenhuma circunstância, você deverá recusar ou recuar em relação à qualquer coisa dita pelo seu coelho.

—Ya! Sr.kim Taehyung! Que tipo de contrato estranho é esse? O que é um coelho branco? Por que eu desistiria? Contato físico? O que daria errado? Recusar ou recuar? 

—Você faz muitas perguntas. Em primeiro lugar não me chame de sr. Kim Taehyung, chame de Taehyung, ou Tae. E esse contrato foi elaborado especialmente pra você, por que pelo que Bo ra me falou você é uma pé atrás e rebelde. Eu tinha que me garantir de alguma forma não é? Se não você poderia fugir com meu dinheiro. 

—Ya! Acha que eu sou que tipo de pessoa? Eu com certeza não fugiria. 

—Se não fugiria, significa que vai fugir agora? Esquece. É melhor você não assinar, vai que você amarela.-o quê? Ele me chamou de amarelona? Na mesma hora eu peguei o papel da sua mão e assinei. Talvez tenha sido impressão minha mas juro que o vi dar um sorriso suspeito de mais. 

—Pronto! Sua vez. Assina. 

—Okay.-e ele assinou.—Será um prazer te ajudar? 

—Era pra soar como uma pergunta ou afirmação?-ele não disse nada, apenas deu um sorriso de canto enquanto recolia os papéis e os colocava dentro de uma pasta.—O que acha de comerçarmos amanhã?-eu perguntei. 

—Amanhã? Agora! Não quero perder muito tempo com você. 

—Tudo bem então vamos pra minha casa? 

—Ne.(Ne é a forma que se diz sim em coreano, mas troca-se o N pelo D.) 

Quando chegamos no meu “lindo” apartamento, ele desferiu um comentário que atingiu a alma. 

—Você deveria arrumar essa bagunça. 

—E você deveria ficar de bico calado. Nunca mais fale mal da minha bagunça organizada.-ele levantou as mãos em sinal de rendimento.  

—Você tem alguma informação sobre seus pretendentes? 

—Algumas informações? Eu sei absolutamente tudo sobre eles.-peguei minha pasta que tinha foto de cada um dos 6 garotos. 

—Omo! Que stalker!-ele deu um sorriso quadrado, que fofo!—Me dá aqui-ele falou enquanto olhava as fotos.—São rapazes muito bonitos tenho que admitir, mas qual a idade? 

—Varia entre 22 á 27 anos. 

—Hum...me fale um pouco sobre cada um deles.-e eu expliquei exatamente assim: 

— Esse é o Kim namjoon 25 anos, ele é um médico, seu super QI desde a infância o fez entrar na faculdade muito cedo.Nós éramos chegados no ensino médio, ele era bem, atraente na época, e ainda é. Ele é mega rico.-Taehyung apenas acenou com a cabeça indicando o próximo. 

—Esse é Kim Seokjin 26 anos, trabalha como designer de moda, ele é bem conhecido por aí.-Tae parou de olhar para foto por um segundo e olhou para mim.—Você sabe que correm boatos por aí dizendo que ele é...

—Gay? Dificilmente isso é verdade, por que Jin já namorou por um longo tempo pelo menos 2 meninas no ensino médio e fundamental. 

—O tempo passa, ele pode ter mudado.-meu primeiro amor de infância virou gay? Nada contra mas, logo meu primeiro amor?—Que seja. Continue. 

—Esse é Jung Hoseok 22 anos, trabalha administrando a empresa do seu pai, junto com o mesmo. Lembro que ele era um ótimo corredor na época do colégio, pensei que iria se tornar um ou algo do tipo. Bem... Ele é rico, muito rico.  

— Esse é o famoso min yoongi.

—Famoso? 

—Sim, nós éramos os mais próximos no nosso grupo de amigos. 

—Pera. Todos os seus pretendentes eram seus colegas de turma? 

—Nem todos, alguns eu apenas conhecia de vista.-ele me olhou por um instante, mas depois continuou a olhar os papéis. —Como eu dizia Min yoongi 23 anos, é um jornalista recém contratado. Fiquei sabendo que logo que foi contratado quiseram dar-lhe o maior cargo da empresa, por ele ser rico, mas ele apenas negou dizendo que começaria como todos. Enfim ele é um doce de pessoa, tal afirmava seu antigo apelido defeituoso. 

—Defeituoso? 

—Sim, era pra ser sugar, mas ele ficou conhecido por suga. 

—Jeon jung kook 22 anos, ele é ágora um famoso jogador de baduk reconhecido mundialmente. Ele quis virar jogador profissional assim que saiu da escola, eu lembro que ele era bem tímido e muito protegido por nós, espero que o mundo não tenha corrompido a maravilhosa personalidade dele. 

—Hahaha, não sei não hein. Vai que o cara é um cafetão jogador de baduk?-ao perceber meu olhar em chamas ele tratou de se desculpar. 

—Por último mas não menos importante Park Jimin 27 anos, é chef  no melhor restaurante de cheongdam, no qual ele também é dono. Assim como Hoseok eu apenas conhecia Jimin de longe. Ele era lindo de mais pra tocar. E eu nem preciso falar que ele é... 

—Rico.-me interrompeu Taehyung. E eu ri. 

—Bem vai ser difícil uma vez que são seus ex-colegas e você não mantem contato há séculos. Mas já que assinou o contrato continuaremos com isso. 

—É basicamente...-Taehyung não parava de me lançar olhares que queriam dizer “eai? Lembrou de alguma coisa?” e isso estava me deixando curiosa.  

—Acho que já vou...-ele parou como se dissesse “qual é o seu nome? ” 

—Jang Mi, Kim Jang Mi.- derrepente ele começou a rir loucamente. 

—O que? Como assim? Seu nome é realmente Kim Jang Mi? Seus pais te deram o nome de uma planta? (Jang Mi significa Rosa em coreano, e rosa é uma flor.)

—Aish! O que foi? qual é o problema do meu nome ser o noeme de uma flor? 



—Nenhum, nenhum.-ele falava segurando a risada.—Eu achava que era tipo um codinome ou algo do tipo, nunca imaginei que fosse seu nome de verdade, I'm sorry?-falou dando seu sorriso quadrado e virando a cabeça pro lado. 

—Sai logo daqui Taehyung.-ele fez cara de surpresa. 

—Wow, você disse mesmo o meu nome?-eu já estava o empurrado pra fora da minha casa, e batendo a porta na sua cara. Do outro lado da porta pude escutar ele dizer: 

—Até mais Rosinha, e eu peguei o seu numero tá? 

—SAI LOGO DAQUI! 

Quando já estava quase dormindo recebi uma mensagem da, Bo ra? 

Mensagem on

E aí? Assinou o contrato? 

Sim. 

Achei que tivesse dito o que seria melhor pra você. Mas já que quis me ignorar, mais tarde arque com as consequências. 

Ele não era tudo que você falou, quer dizer, não era tão ruim ou bom, sei lá. 

Pelo visto ele conseguiu te enganar. Você deveria manter os olhos mais antentos. 

Mas a única coisa que eu não entendi é... Porque falou de mim pra ele? 

Mas...Eu nunca falei com ele, até porque o contrato que nós fizemos me impedia de falar com ele logo ao termino de seus serviços. Do quê você esta falando?  

Mensagem off 

Espera, então Bo Ra nunca falou com ele? Então como ele sabia tanto a meu respeito? Definitivamente algo estava errado. E meu sexto sentido me avisava isso desde o momento que ele resolveu bloquear meu caminho. 

•Duas coisas sobre Kim Tae Hyung•  

1°-ele definitivamente não é quem parece ser. 

2°-ele definitivamente parece saber quem eu sou. E isso não me parece algo bom.





Notas Finais


Eaí gent? Acho que o nosso kook ta bem parecidinho com o Taek de reply 1988 né? Mas não se preocupem porque como o próprio Taehyung falou as pessoas podem mudar.
E o que será que o nosso Tae duas caras ta aprontando? Comentem e favoritemmmm
Postagens diárias -^


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...