História De Volta ao Início - Capítulo 16


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Ação, Comedia, Romance, Suspense
Exibições 2
Palavras 4.331
Terminada Não
LIVRE PARA TODOS OS PÚBLICOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Romance e Novela, Violência

Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Oi gente.... Infelizmente perdemos duas pessoas especiais, stay e charlie. Eles irao fazer mta falta. Peguem os lencinhos pq o cap hj está bem emotivo.

Capítulo 16 - Memórias felizes



Pov Kimberly
     Hoje era o dia do enterro da Stay e Charlie. Passei a noite em claro chorando e minha mente fazia questão de passar e repassar a hora em que Stay foi atingida por um tronco que a correnteza levava e ainda com Charlie em seus braços.
...
" - Eu te passo o Charlie -disse Stay e Buck assentiu- 
     Buck estava a uns dois metros já de Stay, ela posicionou Charlie...
- CUIDADO... -Gritou Noah- 
     Stay olhou pra trás... Plaft!... 
Um tronco a tinha acertado 
- NÃOOO -Buck tentou segurar mas ela já havia desmaiado com Charlie- 
- Buck -Noah disse com a voz embargada-... Olha 
- Ahh, não... Não... STAY...CHARLIE -gritou Buck- 
- ... Uma cachoeira -Noah olhou pra onde eu, Kim e Lua estávamos-.. Uma enorme cachoeira
      Era uma impressionante caída de mais de 20m, nem se via onde terminava, pois a floresta era muito densa... Noah correu o mais rápido que pode na lateral dela, e conseguiu alcançar Stay e Charlie. Se abaixou rapidamente e segurou as mãos dos dois... Eles estavam a 1m da caída.
- AHHH -Noah gritava tentando puxar-los pra si- eu não vou conseguir... Stay...Charlie -ele chorava-... 
- Não -Noah gritava batendo as mãos na água... Stay e Charlie haviam caído cachoeira abaixo- 
- NÃOOO... - Lua e Kim choravam desesperadamente- "
...
     De repente a raiva me consumiu por saber que Stay e Charlie poderiam estar vivos se não fosse sr.p.
- ARGH!!! -Gritei pegando vários objetos, tacando na parede enquanto chorava e tentava extravasar toda a minha raiva- 
     Sento na cama e vejo um porta retrato de todos nós.
- Porque? -sussurro com a voz embargada. Uma de minhas lágrimas caíam no porta retrato e escorre pela foto, limpei e abracei o porta retrato-
- Kimberly -Buck entrou no quarto assustado. Sua expressão se suavizou ao me ver-
      Buck se aproximou de mim e me abraçou, chorei ainda mais.
- Vai ficar tudo bem -Buck disse triste- mesmo que não pareça...
- Buck -falei- não precisa ser otimista. Olha como terminou Stay e Charlie... -repirei fundo- A única coisa que eu tenho certeza é que nada está e nem vai ficar bem... Com nenhum de nós
      Senti o meu celular vibrar, olho e vejo que é uma mensagem de Noah. 
"Preciso falar com você."
      Logo veio na minha mente flashbacks da conversa entre eu e Noah. Buck se despediu me dando um beijo na testa.
- Vou terminar de me arrumar -Buck disse- fica bem
    Dei um sorriso fraco que vacilou quando Buck desapareceu da porta. Peguei meu celular.
"O que você quer Noah?", enviei pra ele.
"Conversar com você", ele respondeu.
"Já conversamos bastante", falei.
     A conversa que tive com Noah a uns dias atrás não saia da minha mente... Eu gostava mesmo de Noah... Ou era coisa da minha cabeça.
- Vamos? -Buck aparece novamente na porta pronto-
     Sua expressão era triste e seus olhos vermelhos só confirmavam que ele havia chorado. Dei um abraço forte nele.
- Agora é minha vez de dizer que vai ficar tudo bem -falei- 
....
Pov Noah
   Tudo que tínhamos construído juntos acabou ali.. A esperança, os sonhos, os medos, cada sorriso, gargalhadas de madrugada, um correndo do outro na calçada da mamãe.. Todo nosso carinho vai ficar apenas nas lembranças. 
   Eu sinto como se meu peito fosse explodir e mal consigo respirar apenas por pensar que nunca mais vou ve-la ou tocar em seu rosto outra vez, eu me pergunto... Será que a dor de perder uma pessoa é tão ruim como estou sentindo? 
   Tenho medo, não sei lidar com isso, e eu a amo, amo essa baixinha, amo seu sorriso inocente e seu jeito desastrado..
...
"- Hey Noah!.. Chama a mamãe, acho que quebrei meu pé -ela gritava de longe e ria ao mesmo tempo-
   Stay estava pendurada pelo pé na árvore, tínhamos apenas 5 anos e ela sempre foi assim, atrapalhada.
- Stay! Calma eu vou chamar a mamãe -eu dizia rindo-
   Até que uma hora depois estávamos na cama dela e seu pé enfaixado.
- Viu Stayzinha, não pode simplesmente subir na árvore sem minha autorização -eu tentava dizer sem rir mas acabo caindo na gargalhada junto a ela-"
...
"- Ohh Noah... Será que ele vai sobreviver? -Stay me perguntou com os olhos cheios de lágrimas e soluçando-
- Hey linda, ele é forte.. Lembra da nossa borboleta?.. Lembra quando ela era uma largatinha?.. Nós dois sempre ficávamos olhando e cuidando dela esperando ela criar asas e sair voando... É assim com os cachorrinhos também linda, eles nascem, crescem, se casam e tem filhotes -eu falei alisando suas costas enquanto estávamos ajoelhados diante de nosso cachorrinho Bob-
- Ma.. Mas Noah, o que isso tem a ver? -ela dizia alisando os pelos cinza do nosso cachorro-
- Tem a ver pequena, que depois de um tempo de espera eles encontram seus caminhos, eles seguem seu caminho com Deus... Entende?... Deus mandou ele para cuidar de você e agora que o Bob já cuidou de você e de mim também, ele vai viver com Deus -eu digo abraçando-a e enquanto ela chorava-"
...
"ATIM!
   Eu espirrava por conta do resfriado que já tinha tomado conta de mim. Deitado olhando pro teto sonhava com a hora que a Stay iria aparecer na porta, abrir um sorriso e me chamar para brincarmos como ela sempre gostou... Mas eu estou doente e não posso brincar.
- Noah -ela entrava no quarto com uma vasilha de sopa, seus cabelos estavam em uma Chiquinha, seu nariz vermelho pelo frio e seu vestidinho vermelho combinava com sua pele branca.
- Stay, pensei que não iria vir -sorrio fraco-
- Nunquinha.. E adivinha o que eu trouxe pra você? -Stay dizia com aquela voz doce que ela era-
- O que lindinha? -Perguntei curioso-
- AHA!.. Eu trouxe uma sopa, porque papai do céu me disse que se você tomar essa sopinha que eu fiz com minha mamãe, você vai melhorar e ai nós vamos poder brincar  -Stay sorria como se tivesse comido algodões doces que ela tanto ama, sentou na cama ao meu lado toda desajeitada e me ajudava a tomar a sopa-"
...
"- NOAH!!.. EU VOU CAIR SEU IDIOTA!! -ela brigava comigo enquanto eu a jogava no alto e pegava-
- Calma pequena -eu ria dela enquanto a colocava no chão-
- Vou te bater se fizer de novo -Stay dizia mostrando os punhos-
- Ah claro, me deu até medo -eu ria fingindo estar com medo-
- Pode correr já! -ela me olhava brava e eu saí correndo rindo- volta aqui! -Stay veio em minha direção, corremos mais ou menos dois quarteirões e ela não me alcançou até que eu a deixei me pegar-"
...
   Não vou aguentar, não sou forte sem ela, não dá, não tenho mais lágrimas, meu coração sangra, meus joelhos não aguentam mais e eu caio diante o caixão vazio dela..
...
Pov Lua
- Bom, ela sempre foi irritante -digo chorando e abro um sorriso sarcátisco- mas sempre foi forte e verdadeiramente um anjo de pessoa.. Ela sempre chorava por qualquer coisa mas quando o assunto era ajudar o próximo ela sempre foi a primeira a ser voluntária... Minha irritante baixinha se foi, e com ela se foi um pedaço meu, todo motivo de eu aguentar tudo sem sair batendo em todos e dando patadas... Sempre foi ela... E pra sempre será -respiro fundo- já Charlie, podia ter todos os defeitos do mundo mas sempre foi o melhor amigo, namorado e conselheiro.. Não tenho nada a dizer.. Não consigo nem falar, somente dizer que eles eram tudo.. E agora.. Uma outra parte de mim se foi.
      Um sentimento ruim, uma dor que não dava pra ser medida.. Apenas o que restaram foram lembranças...
...
"- Fui no médico Lua -Charlie disse sério com a mão no peito- e ele me disse uma coisa muito séria 
- O que ele disse?! -Perguntei preocupada. Meu coração acelerado e minha mente imaginando terríveis coisas-
- Ele disse que... -Charlie começou e deu uma pausa- se eu não te beijar, eu posso morrer... O que eu faço?
     Cruzei meus braços de raiva e revirei os olhos.
- Que morra então -falei desviando meu olhar-
- Você me deixaria morrer -Charlie falou sorrindo- e nunca mais olhar para essa oitava maravilha do mundo
     Ri e olhei em seus olhos.
- Jamais suportaria perder você -falei e o beijei-"
...
"- Lua deixa eu falar -Charlie tentava falar e eu já estava impaciente-
- Fala logo -falei com os braços cruzados-
- Eu te amo demais -ele disse sorrindo e tentando me roubar um beijo-
- No momento eu estou com raiva -falei irônica- me diga isso mais tarde."
...
"Eu estava falando com ele mas pelo visto seus pensamentos estavam em outro lugar...
- Charlie! -Chamei ele que se assustou e eu ri- no que estava pensando?
     Charlie demorou um pouco pra responder, parecia novamente distante.
- Estava pensando nas outras garotas eu já fiquei -ele respondeu na maior tranquilidade-
- Oi?! -Falei com raiva, cruzei meus braços- me explica isso
      Charlie deu aquele enorme sorriso, como se não tivesse dito nada demais.
- Lua... -Ele me puxou pra perto e eu tentei desviar mas não consegui- não é o que você está pensando
- Eu tô pensando em muitas coisas -respondi- inclusive ir embora
     Charlie se aproximou do meu rosto.
- Estava pensando em todas as mulheres que eu já fiquei -ele repetiu e eu bufei de raiva- mas agradeci muito por não ter dado certo com nenhuma delas... Só assim eu te conheci e percebi que nenhuma delas se comparam a você... 
      Confesso que quando Charlie disse aquilo um sorriso surgiu no canto da minha boca, tentei difarçar mas eu sabia que ele tinha percebido."
...
     Enquanto olhava para o caixão que mesmo vazio por dentro representava tanto, não conseguia conter a minha raiva por não ter conseguido evitar isso.
- Cadê você pra me dizer que tudo isso vai passar? -Falei para o caixão de Charlie-
       Percebi que Charlie não era mais uma lembrança que eu julgava ser ruim, eu ainda o amava muito e percebi tarde de mais. Me arrependi de não ter ouvido as desculpas dele... Chorei ainda mais em seu caixão e Katy veio me consolar.
- Lua -Ela me chamou calmamente me segurando-
      Olhei em seus olhos inchados e tristes, e a abracei forte enquanto soluçava.... Eu havia perdido o grande amor da minha vida e uma das minhas melhores amigas.
...
Pov Kim
    Respiro fundo antes de começar. Repito em minha cabeça 10 vezes que sou forte o bastante para fazer um discurso, e começo..
- Forte, querida e única... Cavalheiro, amigo e atrevido -paro um pouco e olho ao redor- duas pessoas muito queridas e amadas, não existe ninguém no mundo que possa ocupar o lugar deles... Eu amava essa baixinha tanto quanto aquele atrevido -soluço- um dia, vamos nos ver de novo.. Sempre vou lembrar de cada detalhe amiga e amigo... Vocês são demais.
...
Pov Jason
   Tenho duas opções, jogar as flores nos caixões ou apenas recitar algumas palavras. Dou preferência a primeira opção e observo o caixão vazio mas que possuia grande significado.. A memória de dois amigos.
- Que Deus os proteja e os cuide, nos encontraremos em breve -falo jogando as flores e saio sabendo que duas grandes partes de mim se foram-
...
Pov Katy
- Um dia eu sei, nós ainda nos veremos.. E eu concerteza darei os melhores e mais fortes abraços que eu puder. A perda de Stay e Charlie me fez ver que a importância deles era imensa na minha vida, e o vazio que me resta.. É enorme. Palavras é muito pouco pra expressar o quão maravilhosos eles foram em vida e que mesmo depois da morte eles não perderam o seu valor.
Stay era forte mesmo aparentando ser frágil, uma pessoa admirável pela coragem e determinação. Nunca me deixou na mão, sempre quando eu precisei ela estava lá. Stay deixava a própria dor de lado pra me fazer sorrir quando eu chorava.. Muito mais que amiga, muito além de melhor amiga.. Ela era uma irmã -repirei fundo, as lágrimas não paravam de cair mas eu deixei, deixei que caissem e levasse a minha dor embora- e Charlie era simplismente Charlie. Um cara incrível com capacidade de tratar os problemas de maneira simples. Sempre focado no que queria, determimado, bem humorado.. A vida pra ele era "Ser feliz e mais nada". Aprendi com ele que seguir em frente é necessário, problemas todos tem, mas só quem tem corajem e determinação consegue passar por cima de tudo isso... -Respirei fundo e fechei meus olhos obrigando algumas lágrimas caírem- eu nunca.. Nunca vou esquece-los... Eles simplesmente fizeram parte da minha vida. E quando eu mais precisei... Eles estavam lá pra me ajudar.
...
Pov Buck
    Seu olhar doce e seu sorriso tranquilizador não saiam da minha mente. Quanto mais eu tento afastar a dor que Stay deixou no meu coração, mais parece não ter solução a não ser senti-la. Me lembro com tristeza dá última vez que nos falamos, se arrependimento matasse pelo menos nós dois estaríamos juntos nessa... Aliás, nós três. 
     Charlie era o tipo de amigo que todos deveriam ter, alto astral, parceiro. Mesmo não estando vivendo em uma fase muito boa ele sempre tentou amenizar as coisas.
- Não era para terminar assim -falei indignado e olhei para o seu caixão-
     Um sentimento de raiva e de indignação me consumiu, senti alguém encostar sua mão em meu ombro.
- Buck está acontecendo alguma coisa? -Kim perguntou preocupada-
- O que está acontecendo é que Stay e Charlie morreram por causa de um assassino, e todos pensam ser um acidente -falei baixo-
- As pessoas vão perceber sua indignação -Kimberly disse enquanto limpava suas lágrimas- também estou com raiva mas não podemos deixar transparecer nada
       Mesmo com raiva, concordei. Olhei uma última vez para o caixão dos dois...
- Descansem em paz -falei para Charlie e Stay- porque nem isso em vida tiveram... Paz.
...
Pov Noah
    Imaginar a minha dor é impossível, agora nem sei como recomeçar sem eles.
    Os caixões vazios já haviam descido, todos já haviam feito suas últimas homenagens. Alguns começaram a ir embora...
- Noah -a mãe da Stay encostou levemente em meu ombro direito. Me virei pra vê-la, seus olhos estavam inchados e vermelhos- nós estamos indo embora... Você vem com a gente?
    Repirei fundo e olhei pros meus amigos que estavam também indo embora.
- Vou com meus amigos... -falei- vamos ficar juntos
    Ela sorriu de leve e concordou.
- Vamos Sloan -ela disse- tchau Noah
- Tchau Sr. Katherine
    Assim que se afastaram fui em direção aos meus amigos. Kimberly me olhava pensativa e logo em seguida desviava o olhar.
-Vamos? -Falei baixo pra katy-
    Katy concordou enxugando as lágrimas.
- Vamos -ela respondeu baixo também-
   Nos dividimos em dois carros, Buck levou Kimberly e Jason pra casa, e eu, Katy e Lua fomos juntos em outro carro pra lá também. Quando saimos do estacionamento, uma leve chuva caía...
- Vou fechar as janelas -avisei e elas concordaram-
    Só se ouvia a respiração funda das duas dentro do carro.
- Então é assim que acaba -Katy disse sem esboçar nenhuma reação- primeiro Charlie e Stay... Logo seremos os próximos
- Acidente de carro -falei irônico e com muita raiva- não podemos nos separar por nada
- Eu estava pensando... -Lua começou- sabe, sobre o que houve desde que fomos a Itália... O homem... Sr.p -ela disse- porque?... Não fizemos nada...
- Lua você sabe que não pode contar a ninguém -Katy falou-
- Eu sei Katy -Lua respondeu indignada- e é isso que me deixa com mais raiva... O que ele quer da gente... Quem é ele?
- Ainda acho que devíamos continuar atrás dele -falei- manter todos nós em alerta, não nos separar e virar presas fáceis... Ele deixou uma carta lembram? Uma não, várias... Devíamos analisar e tentar entender o que ele quer com a gente
- Vingança.. -Katy falou entre os dentes- é só isso que ele fala... Quase morremos!.. E vocês ainda querem correr atrás disso?!
- Katy entenda... Ele não vai parar -Respondi- enquanto não nos matar,  assim como fez com Charlie e Stay... Ou vocês acham que foi um acidente de carro como a polícia relatou -dei uma pausa pra me acalmar- o que a Lua quer dizer é que não dá mais, adiamos muito isso... Até seus pais sofreram por causa dele
   Katy abaixou a cabeça e logo em seguida se virou e ficou observando  a janela do carro. Olhei pra Lua e ela fez a mesma coisa.
- Me desculpe mas não posso deixar isso acontecer de novo -falei e percebi que tinha fechado o sinal longe e se formou um pequeno engarrafamento-
   A chuva estava aumentando e o vidro estava ficando embaçado, liguei o limpa vidros que ajudou bastante mas mesmo assim era difícil ver o que se passava na frente.
- Noah -Katy falou pegando a flanela e limpando os vidros na parte de dentro- vai com cuidado
- Obrigado -agradeci-
    O sinal abriu e o engarrafamento foi acabando. Tinha um carro na minha frente que tava na velocidade da lesma, não tava nem ai pra nada, os carros já tinham passado do sinal e ele andando bem devagar, o sinal ficou vermelho novamente.
- Esse carro tá de brincadeira -Lua disse- passa por cima dele 
- Calma -falei sorrindo fraco pra Lua- espera abrir o sinal 
- Vai que a pessoa tá com dificuldade de dirigir nessa chuva -Katy disse- deve ser um senhor de idade
  Derrepente o sinal abriu e o carro a frente continuou parado.
"Peeeem!" as buzinas soaram e era possível ouvir muitas pessoas gritando.
- Eu vou lá ver se eles estão com algum problema -falei tirando o cinto de segurança e pegando a sombrinha-
- Cuidado Noah -Katy falou preocupada-
- Pode deixar -respondi abrindo a porta e também o guarda chuva-
   Saí do carro e a barulheira era grande, muita gente gritando, ameaçando, nem olhei pra trás... "Toc toc" bati fraco na janela do carro, o vidro era escuro, não dava pra ver quantas pessoas estavam ali dentro.
    Depois de um vácuo, olhei pros lados e resolvi tentar de novo... "Toc toc"... Esperei alguns segundos e quando ia desistir, o vidro desceu bem devagar revelando apenas uma pessoa dentro. 
- Desculpa incomodar é que... -comecei-
   Era um homem, de casaco moletom com o capuz tapando o rosto, ele não se virou pra me ver, manteve os olhos a sua frente... "Eu conheço ele" pensei e num estalo me arrependi de ter saído daquele carro.
- Não pode ser -falei baixo mas ele ouviu. Me virei pras meninas e gritei- CORRE KATY... LUA
    Apenas vi uma sombra que na mesma hora sacou uma arma, corri pra direção do carro.
"POW POW POW POW"
    Muita gente gritando e correndo, abri a porta do carro e me protegi.. Por enquanto.
- Lua.. Katy -falei olhando pras duas- é ele... Precisamos sair daqui
- O que a gente faz? -Lua perguntou-
   Olhei pra ela e pisei no acelerador.
- Como você mesma disse -respondi- vamos passar por cima... SE ABAIXEM!
"POW POW POW POW" 
   Alguns vidros foram atingidos, acelerei o máximo que eu podia.
- Vou ligar pra Kimberly -Katy disse encolhida- 
- Buck, Jason e Kim estão correndo perigo -Lua falou deitada no banco de trás-
- Mais do que a gente? -Falei irônico- duvido
- Pensando por esse lado -Lua disse me dando razão- 
   O carro estava com toda a força e logo conseguimos sair dali, continuaram atirando no carro mas eu precisava ver a pista, então as meninas continuaram abaixadas e eu tive que ficar sentado. Olhei pelo retrovisor... 
- Droga, droga... DROGAA -gritei batendo no volante-
- O que houve dessa vez? -Katy perguntou-
- Eu tenho duas péssimas notícias -falei com raiva- a primeira é que estamos sendo perseguidos...
- Isso nós notamos pelos tiros de perto... -ela respondeu- 
- Estou me preparando psicologicamente pra segunda péssima notícia -Lua disse-
   Respirei fundo antes de falar .
- Éhh -comecei- a segunda é que acabou o combustível... Não vamos muito longe
"POW"... "TRACK".. Outro vidro do carro quebrou... "TUFF".
- Eu não quero ser pessimista mas tá difícil hein -gritei com raiva-
   Lua e Katy estavam abaixadas e choramingando. Tentei aumentar a velocidade mas o barulho do carro estava estranho.
- Me diz que o pneu não estourou -Katy falou baixo-
- Desculpe te desapontar -falei e olhei pras duas, elas estavam desesperadas, seus olhares tristes. Apenas balancei a cabeça negativamente-
- Acabou né? -Lua falou triste enquanto algumas lágrimas caíam de seu rosto-
- Não diga isso Lua -Katy disse esticando seu braço e pegando a mão da Lua- quantas vezes já escapamos dele... Essa vai ser mais uma
    O carro foi dando sinal que iria parar a qualquer momento, pensei rápido.
- Meninas -chamei-as- vamos ter que correr
- Como Noah? -Lua perguntou- ele vai nos matar!
    Olhei pro espelho que dava vista pro carro de trás. Eles estavam razoavelmente longe.. Era a única chance.
- Não temos outra escolha -respondi-
- Vamos tentar Lua -Katy segurou com força a mão de Lua- é nossa última chance
   Lua respirou fundo.
- Vamos -Ela falou-
- Nós estamos juntos nessa -eu disse olhando pras duas-
   O carro estava diminuindo a velocidade e com isso o carro atrás estava a nos acançar.
- No três -falei olhando pra encosta do meu lado e do lado da Katy mato- vamos pular, vocês primeiro e logo vou estar atrás
- Noah não vai dar certo -Katy disse desesperada- vamos ser acertados pelos tiros
- Vou tentar jogar o carro na nossa  frente, pra ser uma barreira -falei- qualquer erro pode matar um de nós
- Vamos logo Katy não temos muito tempo -Lua disse se preparando-
- Lua tem razão -concordei- 1... 2...
- Espera! -Katy falou e se aproximou rápido de mim me beijando. Ela me olhou com lágrimas nos olhos. Eu estava surpreso e sem ter o que dizer- pode ir -ela continuou com a mão na porta igual a Lua-
   Fiquei sem reação por alguns segundos, minha mente estava confusa... Como eu diria a ela?
   Me repreendi mentalmente, aquele não era o momento apropriado. Me concentrei.
- Éhh... Continuando -falei- só se joguem no mato e corram se possível o máximo que puderem, tem uma encosta ao lado de vocês..  Esperem ela terminar pra vocês pularem e se esconderem atrás dela... Esperem... AGORA!!
   Lua e Katy pularam, eu virei o carro de lado. Tentei sair do carro o mais rápido possível  e segui as duas. Demos a volta e fugimos por trás, muitos matos altos do nosso tamanho... "AII!"
   "Lua!" pensei quando reconheci a voz. Corri mais rápido e encontrei Lua mancando e Katy tentando carrega-la.
- Ela torceu o tornozelo -Katy disse-
- Tá doendo muito Noah -Lua se queixou- 
    Peguei Lua nos braços e carreguei.
- Não vai dar pra eu correr -Falei pra Katy- vai na frente e procura algum lugar pra nos esconder, qualquer coisa
- Pode deixar -Katy assentiu e correu na frente-
    Assim que ela sumiu de vista Lua se virou pra mim chateada.
- Isso não se faz -Ela falou-
- O que? -Eu perguntei-
- Iludir a Katy -Lua respondeu- ela não merece isso
- Pera lá, eu não iludi ninguém -falei e logo desconfiei fazendo um cara feia- como você...
- Eu ouvi você falando com a Kimberly Noah -Lua disse baixo- você está mentindo pra Katy
- Eu não menti pra ninguém, já falei -respondi irritado- eu amava a Katy...
- Você não me ama mais? -ouvi Katy dizer atrás de mim. Sua voz estava embargada e seus olhos cheios de lágrimas. Ela se recompôs e continuou- ou melhor nunca me amou de verdade...
    Ela saiu correndo me deixando com Lua nos braços.
- Eu não queria que ela soubesse desse jeito -falei com a cabeça baixa- 
- Me desculpe -Lua disse triste- eu..
- Não Lua -respondi- a culpa não é sua, é minha... Eu já devia ter conversado com ela
    Olhei em volta, só se via mato, árvores, e algumas grandes pedras. O dia estava nublado e o céu bem escuro, a qualquer momento iria chover de novo.
- Lua eu tenho que ir atrás dela -falei- mas não vou conseguir te levar e depois te trazer de novo
- Já entendi -ela respondeu- preciso de um lugar pra ficar escondida... Ali! -Lua disse apontando e então fui até lá-
    Era apenas algumas pedras juntas que provavelmente rolaram do alto da encosta.
- Perfeito -Ela comentou- 
- Tem certeza estrelinha -falei. Eu não queria deixa-la ali, sem nem poder correr, mas também não podia deixar a Katy fazer alguma besteira-
- Vai lá Noah -Lua assentiu- toma cuidado 
- Tá bom, pode deixar -falei sorrindo fraco saindo devagar-
   Assim que dei as costas, deu um aperto no meu coração. Dói saber que a Katy tá sofrendo e me dá raiva de saber que sou eu que estou fazendo ela sofrer.
   Já estava bem longe da Lua, correndo e torcendo pra que a Katy tenha se escondido e não tenha sido pega.
...
Pov Lua
    Eu estava angustiada Noah e Katy correndo perigo... Argh!!! Eu tinha estragado tudo, não era pra ser assim... O que que eu fiz?! 
    Olhei pra um lado, depois pro outro... Bem eu não estava tão escondida assim também... "Preciso pensar num jeito de me esconder melhor!" pensei.. "Como se me esconder fosse acabar com todos os problemas" pensei irônica.
    "Trannn trann"... "Meu celular!" pensei alegre pegando ele.
- Achei que tinha deixado no carro -falei sorrindo e desbloqueando a tela..  Logo meu sorriso vacilou e meu coração acelerou, minhas mãos estavam tremendo e... Bem.. Eu estava correndo perigo.
 


Notas Finais


É isso gente... Ate segunda. Comentem e favoritem. Bjs


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...