História De volta ao lar - Capítulo 3


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Shall we date?
Personagens Alexy, Elias Goldstein, Luca Orlem, Lynn, Professor Conrad Schuyler, Rosalya
Visualizações 10
Palavras 1.450
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Slash
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 3 - Novo lugar, novos planos


Fanfic / Fanfiction De volta ao lar - Capítulo 3 - Novo lugar, novos planos

- Luca on - 

Quando recobrei a consciência, não tinha me atrevido a abrir os olhos ainda. Tentei mover algum músculo, ter certeza que todos os meus membros estavam onde deveriam estar. Após sentir que minhas mãos e meus pés estavam aparentemente funcionando, comecei a apalpar o lugar onde havia caído. Era gramado, e pela sensação, estava de noite.

Após tomar coragem, eu lentamente abri os olhos e observei à minha frente, a Lua, grande e esplendorosa. Ela estava muito maior do quê ocasionalmente. Tentei pensar numa resposta plausível pra aquilo, algumas das aulas que eu ainda frequentei deveriam servir pra algo.

- Superlua...

Murmurei comigo mesmo. Se em Gedonelune eu abri um portal com a ajuda do pó místico, o que me ajudou a chegar nesse mundo foi o fenômeno da Superlua. A Lua é um satélite natural perceptível a magia, fortalece uns, enfraquece outros, depende do dom do feiticeiro.

Levantei lentamente e passei a mão na minha cabeça, minha mente girava, eu estava muito atordoado. Soltei um suspiro e tentei me recompor. Logo procurei minha varinha, a encontrando rapidamente no bolso do meu casaco.

Olhei em volta e não vi nada além de um campo aberto. Independente de onde eu estivesse, eu iria me adaptar normalmente, tenho certeza. Só preciso achar as pessoas desse lugar.

Instantes e instantes caminhando. Vi a primeira luz, e depois um monte de luz! Reconheci grandes construções, eram prédios altíssimos, e vi várias carroças velozes passando por estradas de asfalto.

Eu tentei não me impressionar para não chamar atenção. Fingi ser algo normal pra mim e comecei a imitar as pessoas à minha volta, agindo como elas. Mesmo assim, notei que elas me observavam muito, provavelmente era a roupa. Pra mim, as roupas daquelas pessoas eram normais, mas por algum motivo elas achavam meu fardamento estranho. Eu tirei a capa para tentar me camuflar mais entre elas e a coloquei sob meu ombro. As pessoas pararam mais de me observar.

Adentrei em um dos prédios, esse parecia aberto ao público. Era espaçoso, muito iluminado e as pessoas pareciam se divertir e fazer compras. Ah, já fui para lugares assim quando saía com as meninas, são várias butiques reúnidas cheio de coisas caras que não me interessam, mas deixam as meninas gatas.

Me sentei em um banco próximo e soltei um suspiro. Eu não fazia ideia de onde eu estava e nem como eu iria me virar por lá. No meu bolso só tinham algumas Lunes, e eu não sei se eles iam aceitar a moeda do meu país aqui.

Enquanto eu estava perdido em pensamentos, eu vi um grupinho de jovens passar por mim. Eles eram os primeiros da minha idade que eu via por perto, o resto eram só adultos e crianças. Eu precisava aproveitar isso e tirar algumas informações deles, sem que parecesse que eu caí de paraquedas aqui.

- Luca off -

Lynn, Rosalya e Alexy estavam passeando pelo shopping mais movimentado da cidade. À noite era o momento perfeito, o pessoal ia assistir um filme de terror, e que horário seria melhor?

- Alexy, vamos procurar um lugar bom na praça de alimentação. Lynn, você compra os ingressos. Não esquece ninguém, hein?

Disse Rosalya, puxando o Alexy pelo braço. Lynn assentiu.

- Não vou esquecer, fica tranquila. Não esqueçam de guardar meu lugar, hein?

A garota brincou, rindo baixinho, em seguida se afastou deles e foi até a fila do cinema. Mesmo com uns rolos com os garotos da escola, Lynn ainda era uma garota solteira e estava procurando não se preocupar com isso, ela só queria se divertir com os amigos.

Enquanto aguardava na fila do cinema, Luca aproveitou para fazer a abordagem. Ele tocou no ombro dela, que logo se virou.

- Oi? ...

Disse a garota. O rapaz sorriu com todo o seu charme e levou as mãos às costas. Com a ajuda de sua varinha, discretamente, óbvio, fez surgir um ramalhete de flores.

- Pra uma moça tão bonita...

É óbvio que precisaria de mais do que isso para agradar uma garota como Rosalya, por exemplo, mas Lynn não resistia a essas chegadas dos rapazes. Como ela não recebia muito isso, era sempre surpreendente pra ela. A garota corou fraco, mesmo sendo de um completo desconhecido, e pegou as flores.

- O-obrigada...

- Não agradeça.

Disse o rapaz, com um sorriso. Luca sabia ser galanteador quando queria, ele é um rapaz muito bonito e seguro de si.

- Essa sua pulseira... Posso pegá-la?

Perguntou o rapaz. Lynn estava usando uma pulseira prata cheia de pecinhas da mesma cor. Ela logo removeu a pulseira e o entregou.

O rapaz pegou a pulseira e a apertou com um dos punhos, em seguida abriu a mão, mostrando que ela havia sumido. Ele logo levantou a outra mão, fechada, e a abriu, mostrando que ela não estava lá também. Ele fez isso para Lynn se manter concentrada no mesmo.

Após ludibriar a visão dela, ele a pegou carinhosamente pelos ombros e a virou de frente pra a fila. Lynn seria a segunda a ser atendida, em questão de segundos. Parecia até que ele havia mudado a posição dela na fila, o que realmente havia acontecido, ele novamente usou de sua magia para beneficiar a si mesmo. Não era muito justo, mas as pessoas não pareciam ligar, como se a Lynn realmente tivesse esse lugar por direito.

- C-como? ...

Ela murmurou. Assim que se virou pra ele novamente, o rapaz segurou uma das mãos dela e devolveu a pulseira, dessa vez brilhante num tom de roxo e lilás. Após isso ele beijou as costas de sua mão.

- É a sua cor preferida, não é?

- Como sabe? ...

O rapaz sorriu com charme novamente e deu uma piscadela pra a garota, que corou mais uma vez.

- Faça o que precisa fazer. Pode me ver depois de se divertir. Eu estarei próximo aos assentos, em frente do portão principal.

Ele se retirou em seguida, deixando a garota completamente perplexa. Ele já aprendeu uma coisa com ela: pela sua reação aos truques, esse era um mundo de pessoas que não mexiam com tal coisa, os famosos "trouxas". Luca deu uma risada baixa assim que se afastou mais dela, seria fácil demais tirar informações dessa menina.

x -- x

Lynn retornou rapidinho ao seu grupo de amigos, com todos os ingressos na mão.

- Vocês viram? ...

Perguntou a garota, sentando-se perto deles.

- Vi o quê?

Questionou Rosalya, parecia focada no celular, provavelmente enviando mensagens pro namorado, Leigh.

- O cara de cabelo verde. O... Er... Puxa, esqueci de perguntar o nome dele.

- O que é que tem? Gamou em alguém na fila do cinema?

Disse o Alexy, rindo baixinho em seguida. Lynn corou muito e deu um soquinho de amigo no braço dele, com um sorriso sem graça no rosto.

- Ele é bem bonito... Olha o que ele fez na minha pulseira.

A garota mostrou a pulseira, o que fez Rosalya e Alexy arquearem a sobrancelha.

- Ela não era prata?

Rosa pegou a pulseira de Lynn e começou a passar a unha nela, a fim de "remover" a tinta ou o que fosse que o rapaz havia feito, mas não saía, era como se já tivesse sido fabricada assim.

- Só sei que esse cara é um mágico de primeira. Ele também me deu rosas...

- Uau, você tá na mira dele, com certeza!

Disse Alexy, ele adorava brincar com esse lance de namoros com a Lynn.

- Ele me pediu para nos encontrarmos naqueles bancos na entrada do shopping. O que vocês acham? Não é perigoso se encontrar com estranhos assim?

- Carai, você tá num shopping, Lynn, não tem como ele te sequestrar sem testemunhas.

Alexy respondeu, rindo baixinho da timidez que a Lynn fingia não ter.

- Conhecer uma outra pessoa num lugar super movimentado não faz mal. Só não entra em carros de estranhos.

- Alexy tá certo.

Rosalya respondeu, devolvendo a pulseira de Lynn.

- Pra ele perder tempo mudando a cor de uma pulseira de 1,99, é porque ele quer algo a mais contigo, mas se faça de difícil! Eu não vou aceitar que o cara pense que é fácil chegar na minha amiga como se ela fosse uma qualquer.

- Rosa!

Exclamou Lynn, corando muito.

- Relaxa, amiga, vai dar tudo certo. Só tenta não ficar boba na frente dele. Aí depois vocês tiram uma foto e você me mostra se o boy é carregado mesmo, hein?

Rosalya piscou pra Lynn, que só faltava colocar a cabeça num buraco de tão vermelha que estava.

- Vamos pedir logo os nossos lanches, antes que chegue o horário do filme. 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...