História De volta ao lar - Capítulo 4


Escrita por: ~

Postado
Categorias Amor Doce, Shall we date?
Personagens Alexy, Elias Goldstein, Luca Orlem, Lynn, Professor Conrad Schuyler, Rosalya
Visualizações 12
Palavras 1.766
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 12 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Crossover, Escolar, Fantasia, Magia, Romance e Novela, Slash
Avisos: Bissexualidade, Linguagem Imprópria, Spoilers
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 4 - Mistérios de uma noite passada


Fanfic / Fanfiction De volta ao lar - Capítulo 4 - Mistérios de uma noite passada

Logo após o filme acabar, o grupinho se retirou do cinema e começou a caminhar em direção ao ponto de encontro marcado pelo rapaz de cabelos verdes. Luca já estava esperando.

- Quer que eu vá até lá com você, Lynn?

Perguntou Alexy. Ele brincava, mas se preocupava com a garota também.

- Tá maluco? Ela precisa ir sozinha, pra perder o medo.

Disse Rosalya. Lynn suspirou e logo parou em seguida, ao ver o rapaz de longe.

- É ele ali...

- Uau, ele é um gato mesmo.

Comentou a Rosa.

- Eu não sou muito de elogiar os caras na frente de vocês, meninas, mas põe gostoso nisso.

Disse Alexy, rindo baixinho. Lynn corou mais ainda.

- Eu vou lá, não é tão difícil assim. Só é estranho receber uma cantada tão rápida.

- Foi o vestido que eu comprei pra você, tenho certeza.

Disse a Rosa, rindo baixinho.

- Bem, vai lá, menina. Se joga no boy!

Rosa brincou, em seguida se retirou com Alexy e deixou Lynn e o outro rapaz a sós. A garota soltou um suspiro e arrumou mais o vestido que estava usando, ela estava um pouco nervosa, mas não queria demonstrar. Ela tinha medo de gaguejar, de falar algo subtendido, de falar baixo demais, ela tinha medo de ficar ridícula na frente do mesmo. Parecia que Lynn nunca havia falado com um rapaz, mas a última vez fazia muito tempo, e ela já estava familiarizada com os rapazes da escola, esse era completamente desconhecido. Ela tomou coragem e deu mais alguns passos adiante.

- Olá...

Disse a garota, se sentando ao lado do rapaz.

- Ah, oi. Não está desconfortável por eu ter te chamado, né?

Disse Luca, com um sorriso no rosto, virando-se pra ela.

- Er... Não, tá tudo bem. Não é muito comum garotos desconhecidos se interessarem por mim, mas eu me acostumo.

A garota tentou brincar, rindo baixinho. O rapaz também riu.

- Legal. Qual o seu nome, moça?

- Lynn. Lynn Darcy. E o seu?

Por um instante, Luca lembrou do seu nome de nascença, revelado pelo seu professor. "Luciano Orudeus Gedonelune". Ele pensou por um momento em dizer, mas negou a si mesmo. Não. Seu nome era Luca Orlem. 

- Luca. Luca Orlem.

- É um nome bonito. Você é estrangeiro?

- Se eu fosse, eu não estaria falando tão bem com você. Não sou bilingue.

Disse o rapaz, rindo baixinho.

- Ah, então de que lugar da França você é?

Por um momento, a mente do rapaz travou. França, mais uma informação. Mesmo ele não tendo resposta para proferir, ao menos ele conseguiu descobrir algo útil.

- Sou intercambista. Nasci aqui, mas estudei fora nesses últimos anos.

- Ah, que legal! Qual o nome da sua escola?

O rapaz engoliu em seco. Se ele inventasse um nome, soaria ridículo. Queira ou quer não, ele não iria mentir agora.

- Er... Gedonelune.

- Uau, onde é isso?

- Ah, nem queira saber. E qual o nome da sua escola?

- Sweet Amoris. Não é muito longe, todo mundo conhece.

Disse a garota, sorrindo fraco.

- Lá acontece os melhores eventos, por isso a escola é tão divulgada. Se você quiser aparecer lá, seria legal.

- Quando vai ser o próximo evento?

Perguntou o rapaz, com um sorriso doce nos lábios, levando uma mão por trás de Lynn e repousando a mão em seu ombro, como se fossem um casal de namorados. Embora isso tenha feito a Lynn corar um pouco, ela não se incomodou.

- H-hum... D-daqui a alguns dias. Tá todo mundo se preparando para ver a próxima Superlua.

- Superlua?

Logo Luca acabou se lembrando do motivo que o trouxe a esse local. Sua mente começou a trabalhar naquele mesmo instante, ignorando Lynn por alguns segundos.

- Sim... Algum problema?

- Hum? Ah, não... Eu só estou intrigado, é um fenômeno interessante. Posso ir vê-lo com vocês?

- Acho que a escola vai aceitar visitantes, nesse dia. Se você quiser ir, o evento começa às oito!

- Ótimo, te espero lá. Espero que esteja ainda mais bonita do que naturalmente já é.

O homem pegou a mão dela e beijou as costas novamente, deixando a Lynn envergonhada.

- Você é tão... Gentil.

- Se eu estiver incomodando, basta me avisar. Não quero me tornar um rapaz inconveniente para moça tão bonita.

Lynn deu um sorriso fraco e negou com a cabeça.

- Fique tranquilo, eu até tô gostando.

Ela riu baixinho. Eles continuaram conversando por um bom tempo, e ele tentou arrancar outras informações dela até que enfim acabou-se o assunto. Eles tomaram um sorvete, que ele "pagou" ludibriando discretamente o vendedor com magia, e se retiraram do Shopping em seguida.

- Foi ótimo passar essa noite com você, Luca.

- Eu que o diga, docinho. Espero te ver mais vezes...

Ele a beijou na bochecha, dessa vez, o que fez a garota sorrir. Ela já estava mais acostumada com os carinhos do rapaz.

- Se quiser me ver, é só ir na escola. Às vezes estou pelo pátio.

- Irei procurar, não se preocupe. Até, meu lírio.

Disse o homem, em seguida se retirou. Infelizmente mais outra vítima do Luca, fisgada. Ele não era cruel, mas ainda era muito irresponsável. Não se importava com as consequências, ele apenas queria tomar proveito das coisas até poder voltar para Gedonelune são e salvo, e resolver algumas coisas com seu "professor". 

x -- x

Conrad abriu a porta do dormitório do rapaz, e não encontrou absolutamente nada fora de ordem. Ele saiu, e foi até os arredores da escola, não encontrando nada também. Os alunos começaram a ajudar nas buscas, até mesmo Leon foi chamado para tentar detectar a magia de Luca, mas era como se a aura dele tivesse desaparecido por completo. Conrad estava preocupado, mas tentava manter-se intocável.

- Ele fugiu, é óbvio.

Disse Randolph. Os três professores estavam na sala de reunião, debatendo sobre o caso.

- É impossível, ele não tocou em nada. Até as janelas estão intactas.

- Mas ele levou a varinha.

Disse Loran.

- Exato! Com a varinha, ele não precisa de mais nada, principalmente um aluno com a experiência e habilidade que ele tem.

Completou Randolph. Conrad já estava começando a ficar aflito.

- Ele não teria a capacidade de fugir sem deixar rastros.

- Isso depende. Ele estava diferente ou estranho, na última vez que você o viu?

Perguntou Loran. Conrad engoliu em seco. Luca estava realmente estranho, como se estivesse aflito com o seu futuro, como se estivesse pressentindo que iria ser expulso independente dos esforços do professor. Ele soltou um suspiro em seguida.

- Ele estava preocupado, é a única coisa que me lembro.

- Ele levou apenas a varinha. Luca sabe as políticas da academia. Os alunos só ficam com suas varinhas quando obtêm o diploma. Fora essa exceção, ele teria que devolvê-la obrigatoriamente. Preocupado com o que ia fazer fora da academia, ele pegou a varinha e fugiu.

Disse Randolph.

- Está resolvido, fim de papo! Quem tem deus, que reze para ele, pois com a criatividade de Luca, nunca o encontraremos mais! Ele pode estar em qualquer lugar, agora.

Completou o homem. Logo os dois professores arrumaram seus materiais e se retiraram para dar continuidade às aulas. Mesmo assim, o professor Schuyler permaneceu na sala, pensativo. Ele não conseguia engolir essa ideia, Luca não era tão inteligente assim, ao seu ver.

x -- x

Liz estava caminhando pelos dormitórios mais próximos do quarto de Luca, conversando com alguns estudantes, perguntando se eles haviam visto ou ouvido algo suspeito naquela noite, quando se repente ela notou a porta do quarto do rapaz entreaberta. Curiosa, a menina se aproximou e observou a brecha. Elias estava lá dentro. Ele estava sentado na borda da cama do rapaz.

- Elias? ...

A garota adentrou ao local e arqueou a sobrancelha, confusa.

-Você também tá ajudando?

Perguntou a garota. Elias continuou em silêncio por um tempo. Ele estava virado de costas pra ela, segurando uma das pinturas feitas por Luca.

- Liz... As pinturas dele... Ele as deixou aqui.

Disse o rapaz, em seguida suspirou e virou-se pra ela.

- Eu ouvi a conversa dos professores alguns instantes atrás, e é impossível que Luca tenha fugido!

Liz ficou ainda mais confusa, até sem palavras. Ela nunca havia visto Elias defendendo o Luca, ou até pior, preocupado com ele.

- As roupas, o caderno de desenhos, as pinturas, malas, lembranças, tudo tá aqui, Liz! As janelas, olha elas...

O rapaz foi até a janela e tentou abri-la, porém a mesma estava emperrada por dentro.

- Seria impossível ele ter fugido pela janela, sendo que ela continua fechada por dentro!

- T-tá, Elias, tudo bem, eu não duvido de você, mas onde quer chegar?

- Os professores erraram, e nós precisamos provar isso. Não podemos desistir do Luca... Er...

Elias engoliu em seco, e parou de falar por um tempo. Liz desconfiou.

- Não podemos desistir de procurar o Luca. Ele pode ter sido sequestrado fora da academia. Aqui dentro não houve nada, tá tudo do mesmo jeito que ele deixou.

- Mas porque alguém sequestraria o Luca?

Perguntou Liz, dando de ombros. Ela não duvidava do Elias, até estava conseguindo entrar na linha de raciocínio dele, mas não fazia ideia por onde começar.

- Eu não sei... Sinceramente, eu não sei. Ele pode ter sido um peste às vezes, mas não à ponto de merecer algo desse tipo. Ele tinha a varinha e poderia se defender, mas não o fez. Por quê?

Elias encarou a garota novamente.

- Quer dar uma olhada lá fora? Talvez o Leon ajude.

- Sim, talvez. Me encontra no pátio, depois das aulas.

Disse o rapaz, em seguida se retirou, mas antes que pudesse alcançar a porta, Liz segurou seu braço.

- E-espera... Porque essa preocupação toda com o Luca?

- Ué, ele é nosso colega de classe. O caso dele não te preocupa também?

Perguntou o rapaz, a encarando dessa vez.

- É claro que sim! Mas você foi o mais azucrinado por ele. Ele fez uma roda gigante quase te esmagar! E de repente... É como se você gostasse dele.

- Não vem me estranhando, hein?!

Elias puxou seu braço dela.

- Luca é um peste e merecia sair da academia, mas não dessa forma! Não de uma forma a qual eu não pudesse presenciar com meus próprios olhos. Assim que o encontrarmos, ele irá embora como uma pessoa normal, e finalmente eu terei paz.

Disse com convicção, em seguida se retirou, deixando Liz perdida em pensamentos.



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...