História De volta ati - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Mitologia Grega
Personagens Personagens Originais
Visualizações 8
Palavras 2.381
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Crossover, Drama (Tragédia), Ficção, Luta, Mistério, Romance e Novela, Saga, Shoujo (Romântico), Sobrenatural, Violência
Avisos: Heterossexualidade, Linguagem Imprópria, Nudez
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir culturas, crenças, tradições ou costumes.

Capítulo 2 - O sonho!


 

Continuação..

 

Cinco horas haviam se passado logo após o Hope ter chegado já era 3:54 da manhã Hope estava do meu lado sobre a cama dormindo e eu ainda não havia conseguido pregar os olhos pensando no Derek, Me levantei e fui a sala assistir um pouco de TV.

 

Hope despertou as cinco da manhã, desceu as escadas a minha procura e assim que me viu deu um sorriso largo de menino brincalhão me fazendo sorrir um pouco, Caminhou até a cozinha trazendo um pote de biscoitos e a jarra de suco se sentou ao meu lado e assistiu comigo enquanto comia. O filme que passava era de terror Hope se assustava direto com as partes assustadoras do filme até se engasgar com o Suco chegou. Ri de sua cara e depois ele ficou sério fingindo se fazer de durão na qual me fez rir mais da cara dele. 

- Hope? 

~ Oi?

- Vamos ser mais claros um com o outro? você vai conviver comigo por um tempo até conseguirmos achar o Derek e seu amigo vamos tentar ser amigos OK?

~ Por mim tudo bem - Me aproximei do maior num pulo e comecei a fazer cafune em seus cabelos. 

- Nossa que inveja olha esses cabelas. 

~ Gostou? são meus tira os olhos. - Faço carinho nos mesmo fazendo o maior relaxar sobre meus braços, logo após se deitar em meu colo Nessa calmaria toda as horas foram se passando e o filme já havia acabado. Só dei por mim quando despertei um pouco sentindo o cheiro do pescoço do Hope Eu estava sendo carregada para algum lugar mas não entendi bem para onde era fui deitada sobre a cama e coberta e depois apaguei por completa. 

 

~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~~

 

- Me deixe ir, Você não sabe quem eu sou por favor me solte. - Ouvi uma voz distante e meio rouca saí um pouco da escuridão que cobria meu rosto e não acreditei em que meus olhos podiam ver meu homem meu Derek estava amarrado sobre uma cadeira com as mão para trás enquanto um Homem em pé segurava uma especie de Chicote em sua mão esquerda.

- Derek! - Com um grito alto de me aproximei do maior mais senti que minha presença ali não era percebida.

~~ Por que eu lhe soltaria Demonio dos infernos? vocês mataram pessoas da minha família eu deveria perdoar vocês? 

- Não fomos nós, nós não matamos humanos por favor acredita em mim - O maior recebe uma chicotada sobre seu peito nu fazendo aquela parte do seu corpo sangrar, Meu peito doeu e tentei fazer algum mais foi impossível.

Meu sonho tomou totalmente outro rumo dessa vez eu estava sozinha fora daquele lugar, estava em uma especie de patio enorme tinha paredes e o chão com pisos xadrezes caminhei um pouco em frente passando por uma cortina enorme que separava um local do outro e assim que passei voltei para trás, Um lobisomem outra vez em minha frente eu não estava apavorada mais sim com medo esse contia ódio nos olho, não conseguia ver as cores originais. 

~~ Você nunca vai conseguir domina-lo. 

- Nunca duvide de uma meia humana. O amor pode tudo. 

~~ Eu o transformei, ele nunca vai lembrar de você. 

- A bela conseguiu mudar a fera e acabou o amando e com seu amor quebrou o feitiço então nunca  duvide. 

~~ Para isso precisa da palavra chave - O mais velho ria. 

A fera atacou me pegando pelo pescoço e num respirar sentiu meu cheiro, recuou ao tentar me machucar mais  segurou meu pescoço enquanto rugia alto, meus olhos cerrados pelo medo, meu medo dominado. 

- Alexandre por favor, por favor, por favor me solta. - Abri meus olhos e olhei sobre o local não havia nada no local a menos uma pequena caixa a fera olhou para a mesma que com seu rabo a jogou contra a parede a fazendo quebrar, o mais velho caçador saiu correndo daquele local pois seu encantamento tinha sido quebrado, A fera voltou a prestar atenção em mim e seus dedos super grandes apertaram meu pescoço a ponto de machucar, Minha respiração parou por um momento é como se eu tivesse levado um soco na caixa do peito voltou. gritei para o lobo me soltar minhas lágrimas caiam mais a fera que me soltou ao perceber que o Caçador havia fugido. chamei pelo nome do meu amado que me olhou rapidamente depois voltou a ficar feroz. 

- Derek, Olha para mim? , Derek, Derek, - Segurei sobre o braço da fera que num pequeno empurro de braço tentando livrar-se de mim me fez bater contra a parede, não me importei com o baque e me levantei e segurei sobre o rosto da fera nossos olhos se encontraram por um segundo  numa combinação de cores castanhos médios se combinaram, uma lágrima escapou dos meus olhos ao poder ver a face do Meu homem, a fera voltou a si e com a desconexão cai fraca no chão de joelho. 

- Derek, Derek, Derek, amor para por favor - A fera olhou para mim e pude ver em seus olhos que a fúria havia ido embora, meu homem dominava aquele corpo novamente, mais mesmo assim queria recuar, veio até mim e eu toquei sobre seus pelos ainda um pouco ciente. - Não vá muito longe. - O maior saiu correndo daquele local e eu fiquei me levantei e fui até um local não percebi onde e com um assovio avistei o Hope de longe com mais lobos ao seu redor e acabei caindo daquele local sem saber mais nada após disso.

 

 

Levantei num susto da cama e vi o Hope a minha frente com as mãos enroladas num pano. comecei a chorar ali mesmo Hope me pegou em seu colo. 

~ Xii, não chora minha pequena, não chora. eu sei que essa foi difícil - Hope acariciava meu cabelo enquanto sua outra mão me segura a mão esquerda. 

- Foi horrível vê-lo daquele jeito, Hope ele não parece ele nós temos que procura-los ou todos vão ficar como ele. 

~ Assim, que amanhecer temos que ir trás deles o mais rápido possível! mais antes vamos cuidar de você primeiro. - Olhei para cama o travesseiro estava com sangue eu me sentia fraca e tonta.

- O que aconteceu?

~ Você havia dormido no sofá se lembra eu lhe trouxe para o quarto e quando dei por mim que as horas se passaram e você não havia acordado, subi para ver  que estava acontecendo, você estava chorando dormindo e depois começou a gemer de dor seu nariz começou a escorrer sangue e quanto mais eu limpava mais escorria tentei parar mais te fiz engasgar e parar de respirar, a desespero bateu você não acordava e nem respirava tentei limpar com tudo, lençol cotonete então deu um murro com as duas mãos sobre seu peito e você voltou com tudo, e graças a deus você está aqui. - O abracei fortemente e com o impulso caímos para trás comigo em seu colo. 

- Preciso buscar o meu homem o mais rápido possível, e vou precisar da sua ajuda - Me levantei e rapidamente abri a porta do banheiro do meu quarto indo para baixo do chuveiro, Hope me olhava de longe e quando saí de toalha ele continuava me olhando. 

~ Você parece bem mais eu sei que não está. 

- Está tudo bem Hope, só precisamos ir encontrar seu amigo e rapidamente conseguiremos acha-los. - Troquei de roupa colocando uma calça jeans e um moletom preto, peguei algumas roupas do Derek que o maior havia deixado lá para mim usar quando eu quisesse e as dei para o Hope que ficou mais lindo do que já era. - Vamos! 

~ Aonde?

- Mata a dentro. - Saímos de casa era mais ou menos duas da tarde, a rua não ficava muito cheia a essa hora as pessoas da cidade estariam em seus trabalhos ou em suas casas com suas famílias. Assim que entramos mata adentro Hope começou a correr e pular pelas árvores sem se afastar muito de mim, com um pequeno uivo de chamado mais não tão alto, ficamos esperando naquele mesmo local no ponto mais ato daquele lugar. mais de acordo com as horas ninguém havia chegado.  Voltamos para casa após muito o Hope insistir, fui para o quarto trocar de roupa por volta das Sete horas, ouvi alguns vizinhos brigando e outros até namorando em frente a sua porta de casa enquanto eu ficava vigiando a floresta pela varanda do quarto o Hope se aproximou e me abraçou por trás. 

~ Não pegue um resfriado sua pequena, você tem que está forte e firme para quando chegar a hora poder conseguir ter forças para chamar por ele. - Virei para o Hope e abracei sua cintura já que era maior que eu mal conseguo chegar a seu ombro. 

- Estou tão preocupada com eles. 

~ Eles vão ficar bem, inclusive já temos uma peça chave de que precisamos, não olhe agora mais meu amigo está do outro lada da rua no telhado do vizinho nós olhando - Segurei a camisa do Hope com um pouco de medo e o maior me fez carinho assoviando para o amigo dele. ~ Não tenha medo meu amor, ele tem um nome só assim que ele cair por cima de você chame-o - O maior sussurrou o nome do maior que estava a metros longe de mim e me soltou, olhei com receio para o mesmo que me fez virar para a janela. A fera por sua vez correu até mim por cima dos telhados e num pulo invadiu meu quarto caímos sobre o chão e a fera olhou sobre meus olho, nossos olhos se tornaram azul escuro e a ferra recuou. 

- Carlos, Carlos, Carlos por favor pare! - Em um puxão senti o Hope me pegar pelo braço me segurando em seu colo, não me contive em segurar as lágrimas e o Hope alisava minhas costas pedindo calma. 

~ Carlos, finalmente é bom te ver em forma humana cara. - Soltei os meus braços do pescoço do Hope e olhei para o Homem moreno com um cavanhaque com barbas rasa e marrom sem camisa com um abdomen definido. 

C ~ Cara, finalmente estou lhe vendo também, Obrigado S/n, obrigado por ter me trazido de volta. 

- De nada. - Sorrio um pouco e olho pro Hope com os olhos cheios de lágrimas e faço um pequeno bico. 

~ Não fica assim meu amor -  Hope caminha comigo até a cama e tira sua camisa dando pro seu amigo. ~ Não fica assim na frente dela se o namorado dela te pega assim você tava morto.

C ~ O que eu posso fazer? acabei de virar humano não sabia. - Observo os dois calada em quanto o Hope me fazia carinho.

~ Vai tomar um banho cara, Desce as escadas e vira a esquerda a primeira porta que você ver é o banheiro.

C ~ Está bem. - Hope voltou a me olhar e sorri sem graça. 

~ Sua tarada! 

- Eu não, vocês que ficam sem camisa e eu sou culpada?

~ Deixa o Derek saber disso. - Faço bico enquanto brincava com os músculos da barriga do maior. 

 

As horas se passavam e ficamos todos nos sofá olhando a TV em silencio. 

C ~ Soube que tem um caçador pelas redondezas. 

- Sim, e vamos precisar de sua ajuda, precisamos descobrir o local. 

C ~ É arriscado para qualquer um lobisomem chegar perto daquele local como vou? 

~ Não vai, só vai vigiar as pessoas da ponta da cidade leste, enquanto eu olho a sul e a S/N vai para norte. repare em pessoas que tem casa e estabelecimentos grandes de segundo a mais andar olhe cada face e como você é bom em gravite desenhe suas faces mais pessoas estranhas entendeu?

C ~ Sim! - Carlos não era homem para descanso, por um minuto mal sentou um pouco e já saiu nem tive tempo de lhe dizer as localizações da cidade 

 

Hope e eu nós separamos também, os locais aonde eu estava eram tranquilos todos ali vivia em harmonia então desiste de lá, enquanto caminhava pela cidade até localização do Hope sente uma coisa ruim ao mesmo tempo confusa para a minha cabeça enquanto passava em frente a um restaurante ali. em frente. Virei a rua passando pelo local indo a Sul quando sinto uma tontura e chamo pelo Hope num grito, O maior pula do telhado da casa ao lado e corre até mim. 

~ S/n você está bem? - O maior se senta do meu lado enquanto tento voltar ao normal. 

- Estou mais tive uma pequena tontura, logo após passar por aquele restaurante - Aponto para o restaurante e o maior se levanta. 

~ Aquele com piso xadrez ou aquele com cortinas em frente a porta?

- Piso xadrez? cortinas - Um flash Back passou sobre minha memorias me fazendo olha-lo. - Achamos o lugar disfarçado. Em um assovio Hope chamou o Carlos que veio até nós, o dono do estabelecimento após ouvir o assovio apareceu e olhou nós três finge está passando mal e Carlos me segurou no colo, passamos novamente pela frente do estabelecimento normais e só para disfarçar.

- Amor, nosso bebê está querendo me deixa louca compra pizza para mim? to com desejo - Hope abriu um sorriso largo tentando segurar a vontade rir enquanto nos afastamos do local. 

Assim que chegamos em casa Caros me colocou no sofá e Rapidamente foi tirando a camisa, olhei para os maiores que começaram e se despir ali 

- Hope o que foi?

~ Não sabemos, só começou do nada. 

- Hope, hope, hope para agora, Carlos, Carlos, Carlos para por favor. - Os maiores sentaram-se sobre o sofá e respiraram fundo. 

~ Aquele local está enfeitiçado. 

C ~ Feitiço dos infernos, Porra eu vou arrancar a cabeça daquele filho da puta. 

- Carlos, calma para agora se senta aqui e relaxa um pouco. você só vai precisar ficar longe o mais possível daquele local, Vocês dois. 

~ Está bem S/N. 

- Amanhã vamos procurar por novas pistas, e salvar todos que estão presos naquele lugar. 

 

Continua...~



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...