História De volta para casa - Capítulo 1


Escrita por: ~

Visualizações 10
Palavras 1.007
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Graças aos 3k no Wattppad.. queria compartilhar minha história também no Spirit (ideia de alguns leitores que pediram-me) muito obrigado pelo carinho e espero que vcs tbem se apaixonem pela Sophia e Theodore..
~Sophie Souzas.. (se quiserem ver minha conta no Wattppad ❤)

Capítulo 1 - A casa dos Grey


Quando saí de casa, milhões de  coisas vieram em minha mente, idéias intrometidas, idéias que não são bem vindas.. Olhei os olhos castanhos de minha mãe encher de lágrimas, droga, ela realmente não vai parar de chorar?! Assim eu me sinto pior. Meu pai sempre aparece quando é inoportuno, acredito que se preocupa comigo, lógico que sim!! Se não se importasse, nao me obrigaria a morar com ele.

    O fato é, meus pais se separam quando eu era pequena, e desde então a única ligação que eles tem, sou eu!! Não é novidade pra mim ver a distância que tomou a  história de romance deles, meu pai vive para o trabalho, nem nos fins de semana larga de ser: guarda costas, motorista, agente, homem de recados e outros serviços que ele presta ao grande e poderoso empresário  e CEO Christian Grey.

   Meu pai ganhou 100% da confiança dos Greys, creio que pelo esforço e dedicação, ele se dedica tanto a eles que esqueceu da família que ele havia construído, ele sempre esteve ao meu lado quando estive doente, ou quando o Sr. Grey viajava..

   A pontualidade do meu pai sempre foi impressionante, se você dissesse para ele vir às 11h, às 11h ele se fazia presente. E assim que deu 17h ali ele estava com um dos carros dos Greys, sou péssima com nomes de carros, mas uma coisa qualquer ignorante podia saber é que este carro é lindo de morrer e caro pra cacete!! Se eu fosse dona dele, com certeza nao o deixaria entrar na nossa comunidade.

    Meus pais trocam algumas palavras, que palhaçada isto ai, eu aqui fora do assunto, sendo que sou o assunto. Enquanto eles conversam eu fico observando a vista, vejo a senhora Janne olhando para o carro é depois para meus pais, ah velha futriqueira!! louca para espalhar as novidades pelo bairro, vejo o carteiro entregar as cartas e o cumprimento, será que a velha vai contar para o bairro inteiro que eu dei 'oi' ao carteiro?! Não seria novidade, ela adora aumentar as coisas, principalmente criar histórias na cabeça dela!!

- oi, querida.. vejo que não vai levar muita coisa, depois eu posso vir e buscar o resto se vc precisar..-

Inicia meu pai a conversa, mas dou de ombros, pois se eu abrir a minha boca, com certeza coisas boas não saíram, ele se oferece para pegar as duas mochilas que estou levando, eu me direciono até minha mãe, e cochicho no ouvido dela.

- não se preocupe, com certeza ele não vai me aguentar, e estarei de volta..-

ela sorri em resposta ao que acabei de falar, suas bochechas rosadas ficam molhadas por causa das lágrimas. Quando me despeço dela, duas coisas me passam a cabeça: a primeira, será que eu realmente vou conseguir cumprir com oque acabei de dizer a ela?!. Segundo, será q fiz uma boa decisão ao por meu All Stars branco em um dia que está prometendo chuva?! De repente um sorriso irônico sai de minha boca, me divirto com meus pensamentos, é óbvio que ele não vai me aturar, e vai desistir.

    Entro no carro, junto com as duas mochilas, uma com roupas, e a outra com material escolar. Sento-me na frente com meu pai, pois não quero ir atrás como uma 'Mileide', porque eu não sou uma Grey, e também porque penso que eles sentam nesses bancos de couro com o bumbum hidratado deles.. que nojento!! Paro de pensar em detalhes sórdidos, e logo foco na música que estou escutando, graças a Deus!! Meu fone de ouvido me faz companhia.. meu pai, percebe meu desinteresse em relação a mudança, tenta puxar assunto, e eu só respondo o com um "aham", qualquer ignorante percebe a minha 'animação' a respeito da mudança. Logo depois  que saímos do bairro, vejo a Giovanna encarando o carro, logo me dá um certo prazer em não ve-la pelo próximo mês, garanto que meu pai não vai me suportar por um mês, diria q um mês já é o suficiente de mim, rio por dentro.

- Tenho que abastecer, quer alguma coisa da lojinha do posto?-

Eu o encaro, com dúvida, oque eu possa vir a querer da lojinha do posto? Que pergunta idiota, será q ele pensa q eu preciso de um boné pra me proteger do sol? Aff, logo me cansa só de pensar, eu iria responder "quero talvez uma passagem para fugir, ou um toddynho para me embebedar, se possível".. respiro e falo..

- um Toddynho.. -

Ele me olha curioso, talvez leia meus pensamentos sobre me embebedar com um achocolatado, ou talvez ele só esteja confuso, pois foi a frase mais cumprida que falei com ele até agora.

- tudo bem, se importa de ir comprar querida? Tenho q cuidar do carro..-

De novo respondo com um "aham", ele revira os olhos, e me entrega o dinheiro.. que audácia me olhar daquele jeito, virando os olhos!! Só porque voltei a responder brevemente as suas perguntas sem noção, ele devia ter ido comprar pra mim o Toddynho, é o mínimo depois de me tirar da minha mãe. Vou até a loja e compro o toddynho,  meu pai deu R$500,00 reais para o frentista, puta merda, esse carro usa muita gasolina, aí que tá a diferença do pobre e pro rico, eu aqui na humildade comprando um toddynho por R$3,00 reais, achando caro, sendo que lá no mercado ta uns R$2,50, eu penso sempre em poupar, provavelmente os Greys não sabem o significado de 'poupar'..

- mas alguma coisa? -

Pergunta a atendente, eu iria pedir uma colher pra cortar os pulsos, ironia de novo, ou talvez eu perguntasse se tinha alguma outra saída p mim fugir, mas eu estava sem minha mochilas, sem minha carteira, nem ia adiantar, pois na carteira só tem a identidade e o cartão do hospital, vai que eu passe mal?! Pelo menos eu tenho um cartão q me garante o internamento...

- Só isto..-

Pego o troco, e volto para o carro, e agito o toddynho e voltamos a estrada.

A chuva começa, e logo depois estamos na frente da mansão dos Greys.


Notas Finais


Espero que tenham gostado, estou nervosa hehe.. por favor não esqueçam de curtir ou de salvar na biblioteca, comentários tbem são bem vindos..


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...