História De volta para casa - Capítulo 3


Escrita por: ~

Visualizações 6
Palavras 1.571
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Capítulo tenso vindo por ai.. estão prontos crianças?!!
Não estou ouvindo direito 👂..

Capítulo 3 - Rosto neutro


Fanfic / Fanfiction De volta para casa - Capítulo 3 - Rosto neutro

Ficou uma tensão entre nós três, eu acabo me atrapalhando, tentando encontrar alguma palavra que seja adequada para o momento, então eu falo as seguintes palavras..

- me desculpe, eu realmente sinto muito..- digo nervosa, sentindo meu rosto ficar vermelho de vergonha.

Eu caminho tentando sair do estábulo, mas acabo voltando, pois o lado da saída é o oposto que eu tinha ido. Theodore aparentemente se diverte com a situação, então ele fala, quebrando o silêncio..

-Sophie?! Esta é Nathalie Martins, Nathalie esta é Sophie, minha amiga de infância..-

Eu sorrio para ele, "amiga de infância", ele realmente se lembra de mim, eu sorrio para ele, logo lembranças nostálgicas de nossa infância me vem à cabeça. Logo estendo a mão a ela, tentando ser educada ao cumprimenta-la, ela me deixa num vácuo eterno, eu passo a mão pelos meus cabelos, tentando não parecer mais idiota, ela apenas da um sorri tentando disfarçar a expressão 'saia, vc não é bem vinda', não a culpo, pois cheguei do nada e atrapalhei a transa deles.

- Meu pai me disse que você viria, seu pai está animado com a sua mudança para cá..-  diz ele, tentando ser educado ou tentando prolongar aquela palhaçada, no fundo ele se divertia me vendo naquele estado, nervosa e pagando mico.

-sim, ele está animado..- digo tentando parecer forte e determinada, mas são duas coisa que não combinam comigo.

   Acho que alguma coisa me diz que não vou me dar muito bem com Nathalie, ela deve me odiar ainda mais, depois que Ted falou "seu pai está feliz com sua mudança para cá!!"  Provavelmente ela me odeia só de saber que me mudei para cá. Me despeço indo em direção a saída, dessa vez estou indo ao caminho certo. Mais rápido que eu, Ted fala.

- te espero mais tarde Sophie, na minha festa, vai ser a algumas horas, conto com a sua presença.-

  Droga, eu tinha me esquecido que hoje era aniversário dele, que tipo de "amiga de infância sou eu?!" Eu dou lhe um abraço desejando tudo de bom e felicidades, Nathalie me fuzila com os olhos, ele me solta lentamente de seus braços, me olhando nos olhos, fico vermelha e depois pálida, me despeço e saio caminhando, quase correndo em direção a minha nova casa.

   Fecho a porta atrás de mim em uma rapidez absurda, meu pai que estava de terno sentando no balcão comendo um belo pedaço de bolo, me olha e franze a testa..

- querida, tá tudo bem? Aconteceu alguma coisa? Quer um pedaço de bolo? Você não comeu nada ainda..- diz ele me enchendo de perguntas.

   Eu tinha guardado um pouco de  coragem para ligar para minha mãe, porque eu sabia que ela gostaria que eu contasse como estava indo meu dia. Pego a coragem que me resta e respondo as intermináveis perguntas do meu pai, respondo brevemente, dizendo que eu estava bem, logicamente estava estampado na minha cara que eu não estava  bem. Depois digo que não aconteceu nada, novamente omiti, e logo termino dizendo que estou sem fome, isto era verdade pelo menos. Meu pai parece decepcionado com as minhas respostas curtas, mas  aliviado que nada tenha acontecido, subo as escadas para ir até meu quarto, me olho rapidamente no espelho perto do sofá, e vejo meu rosto pálido retomando devagar um tom rosado.

   No quarto, eu me deito na cama e tiro minhas botas, pensando em como ligar para minha mãe, ela iria tentar extrair toda informação que quisesse, e eu não estou disposta a ser torturada, estava cansada, então vou até a escrivaninha e pego meu celular é digito uma mensagem.. "oi mãe, blz?! Olha só conheço a senhora muito bem, e já imagino as suas perguntas, e já vou responder a elas. Estou bem (isto não é verdade, mas ela não precisava saber, não quero preocupa-la, afinal meu pai está se esforçando para me agradar), o lugar continua igual, apenas a casa do pai que está diferente, ele deve ter reformado, hoje reencontrei Theodore, ele me apresentou a namorada dele, acho que ela não gostou muito de mim (deve ser porque eu acabei de atrapalhar a transa deles. Minha mãe não precisava saber da vida ativa dele, na verdade, nem eu deveria saber da sua atividade), sou um amorzinho, quem não gosta de mim :).. não se preocupe atoa, enviei a mensagem porque estou indo pro banho e estou exausta, te amo bjo S2..".

   Pressiono 'enviar', eu queria ter coragem para ligar para minha mãe, mas já imagino que ela vai reconhecer  meu tom de voz ao telefone, então invento de dizer que estou exausta e indo pro banho. Eu não minto para meus pais, mas o último ocorrido me fez querer enfiar a minha cabeça embaixo chão, de tanta vergonha.

  

  Me levando da cama e pego meus fones de ouvido que estavam na escrivaninha, corro meus olhos pela grande janela e vejo a chuva começar novamente, então olho para a minhas malas que estão para ser desfeitas, me dá uma preguiça. As lembranças de hoje tem se mostrado persistente em minha cabeça, começando por hoje cedo. Me lembro da minha mãe ligando para meu pai de manhã, tentando revindicar a minha mudança, tentando me fazer ficar até o fim do ano com ela, esperando que o ano escolar passasse, mas nós sabíamos que era apenas uma desculpa. Quando chegasse no fim do ano, ela tentaria inventar uma outra desculpa convincente. Tomamos café e almoçamos juntas, a conversa entre eu e ela nunca morre, ja com meu pai, é um silêncio mortal. Ela tem um jeito espalhafatoso, ela é uma linda senhora de 40 anos, loira com olhos azuis, eu falei pra ela, que se eu chegasse a essa idade como ela esta, ficaria contente, ela fica mega empolgada quando é elogiada. Quando a vi no estado que ela estava, quando vim para cá, me fez perder o chão, não parecia a minha mãe.

    Deitada na cama, com o celular entre as mãos escutando uma agradável música, ele começa a vibrar, a música que eu ouvia para, me sento no centro da cama. Olho para  o celular tocando, era minha mãe, como ela sabe das coisas?! Mesmo estando longe? Eu tento ignorar para ver se ela desiste, mas não, continua tocando. Quando dou mais um pulo de susto, meu pai põem a cabeça para dentro do meu quarto..

- Querida, eu sou seu amigo, e quero muito que essa mudança de certo, se quiser dividir comigo algo, pode ficar à vontade... não vai atender? É a sua mãe?..- diz ele, como consegue mudar de assunto em menos de dois tempos?

  Eu faço que sim com a cabeça, e peço  licença para atender o telefonema, e ele sai, sei que ele está do outro lado da porta, entao entro no pequeno banheiro do meu quarto, sento no vaso,  penso e penso no que dizer, e tento acalmar minha respiração.

   Não pode ser tão difícil falar com a sua própria mãe, não é?! Eu encarei bem a situação com Ted e a namorada dele, não tenho o porquê ficar receosa de falar com minha mãe. Atendo o celular.

- Oii, filha!! Por que a demora em responder a minha ligação?- diz ela

-Oii mãe, eu estava no banho, e só vi a ligação agora..-  digo tentando parecer convincente, ela não vai acreditar, pois mandei uma mensagem p ela a menos de três minutos.

- Que banho rápido né Sophie?! Mas não precisa entrar em detalhes. Filha está tudo bem? Mesmo?- continua a tentar me tirar informações..

- Mãe já tenho 17 anos, acho que já sei lavar atrás dos ouvidos e limpar os pés. Está tudo bem, só estou com saudades..- digo tentando mudar de assunto.

-Você pode ter 30 anos, e ainda vou querer saber como vc esta!! E lave bem os ouvidos em!! Você me disse na mensagem que reencontrou com Theodore, como ele está? E Phoebe?-  curiosa é o nome do meio da minha mãe.

  Respiro fundo, eu sabia que ela ia vir com perguntas mais diretas, mas eu poço sentir o sorriso dela no outro lado da linha, ah mãe, o que dizer a você em relação a Ted? Ele continua sendo mais alto, porém agora ele está definido, seu cheiro maravilhoso quando dei um abraço de parabéns a ele, logo me lembro da Nathalie, oque me faz querer responder a minha mãe e tirar meu pensamentos da namorada dele, apesar que ele não a apresentou como namorada. Para!! Ordeno que pare de criar expectativas Sophie!!

- Sophi?- prossegue

-ah, mãe.. eu fui dar uma volta e encontrei ele, ele estava junto a namorada e me apresentou a ela, continua educado e muito gentil. Não encontrei com Phoebe ainda.-  pronto essa definição dele está ótima!

- Entendo querida, dê os parabéns e felicidades a ele por mim. É o aniversário dele, que presente do destino você se mudar justo hoje!!- diz ela me alfinetando.

- Mãe, nada de destino!! ele está feliz com a namorada dele!! - logo fico com o rosto vermelho...

-Nao disse em outras intenções!! Vc anda muito espertinha filha!!- diz ela rindo do meu estado de choque..

-mãe tenho que ir, te amo, beijo e se cuida..- digo tentando conter o riso..

-ah, tudo bem!! Seu pai é um careta, converse comigo quando vc precisar, eu vou deixar vc ir, te amo muito filha, se cuida!! - desliga..

  Minha mãe é uma peça, de repente entro no banho, e me arrumo para ir a festa de Ted.


Notas Finais


Ai ai ai.. oq será q vai rolar no próximo capítulo?! Estão ansiosos?! Eu tô uma pilha de nervos ehhehe


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...