História De volta para casa - Capítulo 4


Escrita por: ~

Visualizações 6
Palavras 1.293
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Estão prontos crianças?!..
Não ouvi direito 👂...

Capítulo 4 - 18 anos do Ted


Fanfic / Fanfiction De volta para casa - Capítulo 4 - 18 anos do Ted

- Proponho um brinde ao meu filho, Theodore Raymond Grey!! Que sua vida seja repleta de felicidades e seus objetivos sejam todos realizados..- diz Christian, apontando uma taça de champanhe para os convidados.

   Quando arrecem tinha chegado a festa, fui procurar meu pai. Ele estava ao lado de um dos seguranças dos Greys, provavelmente ambos estavam trabalhando infiltrados no meio do povo todo. Havia muitas pessoas, meu palpite era que ambos eram parte do comitê da empresa de Christian, muitas mulheres com vestidos deslumbrantes, muitos homens de ternos, pareciam todos iguais, estavam iguais a uns pingüins, oque os diferenciava era as cores das gravatas estilo borboleta.

   Eu realmente não sabia oque eu estava fazendo ali, não sou um tipo de pessoa que fala mais de um idioma, não curso a faculdade, não tenho diploma ainda, não sei dançar elegantemente, mas uma coisa eu sabia. O único motivo de estar aqui, era o apreço que eu sinto por Theodore, um amigo de infância, como ele tinha se referido antes.

    Depois do discurso rápido e bem gesticulado de Christian para parabenizar seu filho, todos aplaudiram, e eu fiz o mesmo. Phoebe me encontrou e veio conversar comigo, dei um grande suspiro de alívio, não iria ficar mais sozinha, pelo menos por um tempinho.

- Sophie, você está linda!!!- exclama ela em um tom muito exagerado.

  Logo ela larga a taça de champanhe em uma mesa e me abraça, percebo que ela está um pouco embriagada.

- obrigado Phoebe, digo o mesmo de você, está se sentindo bem?-.. digo logo me soltando do abraço apertado.

   Ela realmente estava linda, seu vestido moldado no brilho, Phoebe era diferente de sua mãe, enquanto Ana optava por algo mais discreto, Phoebe usava um vestido vermelho radiante que moldava seu corpo, e atraía olhares de muitos homens. Ela tinha apenas 15 anos, e já tinha um corpo escultural. Muito vaidosa e sorridente, não tinha vergonha e adorava causar, pelo jeito ainda gosta de ser o centro das atenções.

- Estou ótima, quando soube que você iria voltar, fiquei muito feliz, precisamos sair para por o papo em dia!! Vem vamos até minha mãe, ela está ansiosa para rever você..- diz ela, já me puxando para perto de seus pais.

  Ah, não Phoebe!! Eu adoro sua mãe, mas passar na frente de tantas pessoas me faz querer por tudo oque eu comi pra fora. Quando chego perto, vejo Christian conversando com o avô de Phoebe, Ana fazia companhia ao marido. Ela solta a mão de Christian e vai me cumprimentar com um sorriso largo em sua face. Cochicha algo no ouvido do marido, que concede com a cabeça, e logo me lança um olhar, logo um frio me corre o corpo, Christian realmente é intimidador, ele me lance um olhar formal e gesticula um 'oi' com a boca, faço o mesmo, e volto a minha atenção a Ana, Christian acaba se distraindo com Theodore que se aproximava da gente.

-Sophie, querida. Quanto tempo? Como é bom revela, você realmente mudou, está uma linda menina..- diz ela amavelmente.

  Adoro a Ana, ela sempre foi gentil comigo, sempre me fez ficar a vontade. Depois de tanto desconforto quando cheguei a festa, me sinto um pouco mais leve, mas sinto a pressão aumentar, quando Theodore se aproxima. Uma dúvida surge em meus pensamentos, cadê Nathalie?!Logo respondo a Ana, preciso parar de pensar demais em coisas desnecessárias.

-Obrigada Sra. Grey, é muita gentileza da sua parte, também fico muito feliz em revela..- digo ficando vermelha, Theodore desviava alguns olhares para mim.

Oque ele está tentando fazer? Tentando me desconsentra? Não vai adiantar Ted, porque eu já paguei de idiota na sua frente hoje cedo, mas não vou bancar a idiota na frente da sua família, eu sei ser fina quando quero. Eu olhava seriados em que as pessoas falavam bonito!!

-Por favor, sem muita formalidade, pode me chamar de Ana, pois gosto muito de você, mesmo depois de tanto tempo que não vem me visitar!!-  diz ela, com um tom de cobrança, que vergonha, realmente eu me afastei bastante deles...

-Mãe, assim Sophie vai ficar sem graça, sem saber responder.. como esta Sophie?.- diz Theodore ao se aproximar.

Nossa mano!! Que tenso, ele deve ter ouvido tudo, não falei nada demais, mas agora não sei nem oque responder, fico vermelha e me sinto meia tonta.. cadê a minha alto confiança?!

- Parabéns Ted, felicidades..- digo, foi o melhor que podia fazer, eu estou a ponto de desmaiar e ele sabe do meu estado de pânico, contudo ele se divertia com a minha situação.

-Bom, crianças vou deixar vocês conversarem..- diz Ana se afastando.

   Não, volta!! Pelo amor de Deus!! Eu sei que o lugar está repleto de convidados e sei também que ela precisa dar um pouco de atenção a eles. Logo a perspicaz Phoebe volta a ser o centro das atenções, viva a Phoebe!!

- Você esta bebendo Phoebe? Não deveria tomar isto!! E sabe bem disto..- diz Ted logo pegando a taça de champanhe da irmã e terminando de toma-la..

  Ela logo faz cara de brava, mas sem nenhum argumento bom ela se retira, deixando Theodore a minha frente com aquele sorriso galanteador.

- Não dê ênfase a ela, é apenas uma criança querendo chamar a atenção dos pais... mas você não me respondeu, como você esta Sophie?.-  diz ele com cautela.

- Por que diz que ela quer chamar a atenção dos seus pais?..-  falo com naturalidade, me sinto intrometida em perguntar, mas saiu muito sem querer, falei por falar.

- bem, observador de sua parte!! Phoebe tem tudo oque quer, na hora que quer, bater de frente com meus pais é um hobby para ela. Que deselegante Sophie, não respondeu a minha pergunta..-. Ele sorri para o garçom que lhe entrega uma taça com algum tipo de espumante.

  Eu sei aonde ele quer chegar, ele gosta de me ver sem reação. Provavelmente ele queira tocar no assunto "estábulo". Logo fico vermelha e ele percebe, desabotoa um de seus primeiros botões de seu terno, perto da pescoço.

- Eu estou bem, obrigado por mostrar interesse..- digo sendo um pouco sarcástica, porquê quer saber 'como' estou?! Talvez queira ser educado e eu acabei sendo a  estúpida da história, como sempre!!

- Minha cara, só mostro interesse em pessoas interessantes!! Hoje cedo, fiquei preocupado com a sua reação..-  ele da mais um gole em seu espumante, me deixando vermelha, dei um sorriso de canto, nervosa e em estado de choque.. eu 'interessante'?! Da onde?..

- minha reação?.- digo tentando fazer a conversa mudar de rumo..

-sim, no estábulo você parecia realmente muito nervosa..- diz com um sorriso malicioso..

-nao queria atrapalhar. Não sabia que tinha pessoas lá dentro..- digo a verdade. Sinto minha garganta secar.

- Confio na sua palavra, afinal não tinha nada de interessante acontecendo naquele momento..- diz ele me oferecendo uma taça de espumante, eu necessito beber. Meu corpo esta reagindo as provocações dele, oque me deixa vulnerável.

-Acho que está noite, apenas você pode beber, ainda não tenho 18.. - dou um sorriso meio desconcertante.

- Fiz coisas piores quando tinha 17 anos, beber é o de menos, creio que as pessoas aqui por perto não sabem a sua idade, oque é proibido é mais gostoso..- eu pego a taça e dou um gole.

  O gosto do espumante não é muito agradável, mas estava com a garganta seca e estou muito nervosa, qualquer coisa que me oferecerem para beber eu estaria aceitando. Depois de beber, ele estendeu sua mão a mim.

- Uma dança? Faria essa desfeita Senhorita?..- diz com a mão esticada para mim, algumas garotas o cercavam com olhares e ele ali me pedindo uma dança..

-ah, não, quer dizer sim.. não faria esta desfeita..- pego sua mão, e ele sorri da minha confusão das minhas falas. Vamos até o centro do salão e dançamos, intermináveis músicas..

    


Notas Finais


Beijos de paz 💓


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...