História De volta para casa - Capítulo 5


Escrita por: ~

Visualizações 5
Palavras 1.161
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia)
Avisos: Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Estão gostando bbs?

Capítulo 5 - Mais uma taça de champanhe, por favor


Fanfic / Fanfiction De volta para casa - Capítulo 5 - Mais uma taça de champanhe, por favor

Dancei com Ted por um longo e indeterminado tempo, já estava ficando tenso os olhares das pessoas para nos dois, mas ele não se importava, e eu dava de ombros a opinião alheia.

  Ao longo de nossa dança, conversavamos sobre coisas alheias. Ele acaba me contando que está trabalhando na empresa de seu pai,  diz que esta fazendo a faculdade de administração e contabilidade, e que pretende tirar a carteira de motorista a alguns dias.

   Nos acabamos entrando em alguns detalhes de sua vida, e ele acaba me revelando algumas coisas.

- Irei assumir a empresa de meu pai, e estou me esforçando para conseguir fazer dar certo!!- diz ele em um tom severo.

- Achei que você ia fazer arquitetura, pois desde pequeno você sempre desenhou bem e sempre foi bom de raciocínio.. e me lembro de você querer seguir a carreira de seu tio Elliot.- digo, pois realmente ele desenhava maravilhosamente..

  Theodore sempre foi talentoso e inteligente, quando éramos pequenos, me lembro dele admirado com o trabalho de seu tio Elliot. Ele fica um pouco espantado com o meu comentário, deve estar se lembrando de quando me confessou que gostava de arquitetura.

  

-Eramos crianças, Sophie. E o posto que ocupo na empresa de meu pai, me faz pensar que escolhas não são oportunidades cabíveis a mim, preciso de certezas, convicção.- diz ele um pouco tenso, mas percebo um pouco de tristeza em sua voz, mesmo ele tentando disfarçar.

  O tom de voz dele, deixa claro que ele não tem muita escolha, deve ser difícil ter que administrar tudo e todos, é muito controle, agora percebo o porque de tanta necessidade de intimidar as pessoas. Talvez ele esteja se sentindo intimidado ou talvez ele precise de um pouco de espaço.

- Entendo, mas você ainda desenha?- digo tentando mudar de assunto, mas ele dá um sorriso tímido e divertido, lógico que ele não desenha, pois é um homem muito ocupado, que administra uma empresa daquele porte, porque  perderá seu tempo com desenhos? É uma pena, pois adorava seus desenhos.

- Devido a minha falta de tempo, não desenho mais com tanta frequência, mas tenho alguns desenhos guardados..- diz ele esperançoso, com um brilho no olhar, era este menino que eu sentia falta!! Perai, eu estou admitindo que sinto falta do Ted?! Nossa realmente, não esperava por isto.

- Gostaria de vê-los?..-  pergunta a mim, eu confirmo com a cabeça, rindo de orelha a orelha.

  Ele pega minha mão e me encaminha até a casa, muito discreto tenta não chamar a atenção, e entramos na casa sem sermos interrompidos por ninguém. A casa estava vazia, apenas alguns empregados caminhando apressados pelos corredores fazendo seus serviços.

   Depois de subir a escada, percebo que a casa permanece do mesmo jeito, apenas com alguns quadros novos, algumas fotografias da família dele, e móveis novos. Entramos em um longo corredor no segundo andar, ele vai na frente abrindo a porta de seu quarto, entro e vejo que esta totalmente mudado, fico abismada..

Ele então me trás ao presente, começando a falar novamente.

- Não estava esperando encontrar meus carrinhos ou meus bonecos, certo?- diz ele em um tom de brincadeira..

  Sorri para ele, que faz um sinal para eu entrar, entro e observo tudo.

- Não esperava seus bonecos, mas pelo menos seus gibis raros..- falo e ele solta a gargalhada.

  Falo e aponto para seus enormes livros que provavelmente são da faculdade, ele se senta na cama e me oferece a cadeira.

- Não se preocupe, meus gibis estão bem a salvos.. não foram substituídos por livros da faculdade!!-  ele sorri e vai até uma das gavetas e me mostra a  enorme coleção..

  Ele pega uma caixa grande e me mostra seus desenhos, sentamos na cama e ele me observa, eu vejo cada um de seus desenhos, ele aperfeiçoou e os detalhes estão divinos.

- você aperfeiçoou suas técnicas Ted, isto é sinceramente, magnífico!! É uma pena que não desenha com tanta frequência..- digo e ele me olha com admiração..

- porque acha isto? ..- pergunta a mim, eu logo desvio o olhar dos desenhos e vejo seus olhos impactantes procurando os meus.

- bem, porque você tem o dom da coisa, queria saber desenhar um terço que você sabe, você da vida ao papel!!- digo sendo sincera.

- Vida? Ele está em preto e branco, nunca termino um desenho que começo!!- diz explicando as linhas e traços inacabados, mas mesmo assim continua lindo.

-  Uma vida não precisa ser colorida, talvez já esteja pronto este desenho, só você que não o vê como deveria!! - Rebato e ele me encara abismado.

- Não o vejo como deveria? Como?! Se sou seu criador?- diz, esperando alguma resposta convicta.

  Logo somos interrompidos pela Nathalie, que adentra o quarto sem mais de longas, e me sinto indesejada por ela.

-Achei que estaria na sua festa Theodore, está perdendo uma gloriosa cena de confraternização..- diz ao me olhar..

- Creio que a confraternização prosseguirá ao longo da noite, estava mostrando alguns desenhos a Sophie, apenas..- diz ele em um tom de justificativa mesclado com raiva, talvez pela intromissão dela, mas mesmo assim ela se mantém intacta em seu belo vestido tomara que caia, e seu saltos altos.

-Como quiser querido, posso fazer companhia a vocês? Se importaria Sophie?- arrebata desafiando me a pensar em algo satisfatório a dizer, minha vontade é manda-la pastar, mas garanto que seus relinchos não são para me aborrecer, mas sim a Ted.

- Ela não se importaria, mas eu sim Nathalie!! precisamos de privacidade.. se poder se retirar..- diz ele em um tom grosseiro, e ela perde a majestade, me sinto pior, não quero me envolver em problemas.

  Mesmo com a grosseira atitude de Ted, ela permanece ali, intacta, e eu bamba sem saber como reagir. Eu me levanto e digo.

- Seus convidados devem estar te esperando Ted, provavelmente daqui a pouco vão cantar parabéns, é melhor irmos..- digo com o coração no peito, eu queria mais tempo com ele, mas não queria atrapalhar novamente o lance deles. Ele me olha e então guarda os desenhos.

- Como desejar, Sophie!!- diz um pouco desapontado, ele realmente parecia bem ao recordar momentos nostálgicos e felizes.

  Nós três descemos as escadas e voltamos a festa, ele me pede desculpas pela intromissão de Nathalie, ela realmente não tem noção de espaço. Quando cantam os parabéns, ele me procura discretamente com o olhar varrendo as pessoas diante de si.

   Phoebe me encontra me oferecendo mais um champanhe, logo me lembro das palavras que Ted se referiu a ela, ele se preocupa com a irmã mais nova, isto é compreensível. Eu e ela conversamos sobre muitas coisas, ela também percebeu alguns olhares de Theodore para mim, o que me fez corar o rosto todo, Ava prima de Phoebe e Ted, se juntou a nós e conversamos e riamos.. meu pai me cuidava, talvez se perguntando aonde eu estivera a pouco tempo, Deus me livre de suas perguntas!!

   Phoebe me apresenta a alguns amigos em comum dela e do Ted, alguns eram bem gentis e outros bem reservados.


Notas Finais


Deixa aquele comentário bacana ❤❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...