História Dead Leaves 2: Beauty and The Beast ~ NamJin - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags A Bela, A Fera, Jin, Namjin, Rap Monster
Visualizações 92
Palavras 861
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Fantasia, Lemon, Magia, Mistério, Romance e Novela, Sobrenatural, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Álcool, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Capítulo 12 - Face to face


POV Jin

Meu pai tomava remédios para colesterol baixo e nesta época não haviam tantos tratamentos.

Eu costumava cuidar dele sempre que isso o deixava mais desconfortável. Naquela noite, antes de ir dormir, peguei sua caixa de medicamentos e preparei tudo para sua medicação rotineira. Mas, ao abrir a caixa, percebi que seus comprimidos haviam acabado. Ele reclamava de dor de cabeça, e o garotinho aqui, não sabia o que fazer.

- Não se preocupe, meu filho, irei ficar bem, apenas preciso dormir. – papai se levantou, porém, cambaleou para trás, sentando novamente na cadeira da cozinha.

- Eu vou sair para comprar remédios, fique aqui, por favor! – segurando seu braço, ajudei-o a repousar. Em seguida pegando meu casaco na poltrona e rapidamente, indo em direção à porta.

- Você não deveria sair, Kim Seokjin. – protestou Hyung Sik, segurando meu braço.

- A tal “fera” está a solta. – Min Ho comentou, sentado no sofá.

Balancei minha mão, me soltando.

- Desde quando vocês se importam? Espero que ela me encontre pelo caminho. – respondi, saindo assim que terminei a frase.

 

Caminhando pela rua escura, o frio estava intenso, meu casaco parecia apenas um pano inútil para me cobrir. Sempre que abria a boca, uma fumaça branca e densa se esvaia pelo ar. O clima parecia estar perto dos 10 graus, não muito diferente dos dias anteriores mas um pouco fresco demais para essa data do ano.

Pelo caminho, percebi o quanto as ruas passaram a ficar mais vazias e estranhas depois da catástrofe que estava acontecendo.

Não é que eu não tinha medo dela - a fera - mas o que eu poderia fazer? Precisava ver meu pai bem para assim poder ficar bem. Não havia outra solução, eu só esperava que a loja estivesse aberta.

Neste vai e vem de pensamentos, mais uma vez naquele dia, voltei a recordar que não havia visto Namjoon mais, durante uma semana inteira, exatos 7 dias, encontrei Jungkook, conversei com ele mas nem o mesmo sabia o estado de seu irmão, que ficava no quarto os dias inteiros e isso pareceu estranho, pensei em procurar por ele mas não parecia uma boa decisão.

Vendo uma única luz de comércio acesa, agradeci por perceber que esta era a farmácia. Peguei de meu bolso o dinheiro que tinha e a bula do remédio do meu pai.

- Boa noite. – comentei, a entrar no recinto.

- Boa noite. – o atendente disse feliz mas pareceu mudar de humor quando levantou a cabeça e me viu. – Ah, olá. – era aquele garoto da festa, de cabelos alaranjados.

- Eu conheço você. – falei sorrindo, ato que desmanchei assim que ouvi sua resposta.

- Infelizmente. – disse baixo, mas foi possível que eu ouvisse. – O que você precisa? – agora, sua voz estava firme.

- Deste remédio. – estiquei a mão onde segurava o papel e ele leu. Virou-se, pegou uma caixinha e me entregou.

- São 5.000 wons . – falou e desviou o olhar para o lado, demonstrando desinteresse. Paguei-o e me despedi.

- Obrigado. Passe bem… - esperei para lembrar seu nome.

- Hoseok. – resmungou.

- Ah, sim, até mais Hoseok. – “garoto estúpido”, pensei comigo.

 

Na volta para minha casa, a atmosfera parecia diferente, achei isso estranho. Era algo que me fazia ficar desconfortável. Arrepiei-me dos pés à cabeça e fechei os punhos, com certo medo.

À minha direita havia um mato alto, que não haviam cortado, atravessando-o era possível chegar na floresta. À minha esquerda, a estrada mal iluminada.

Olhei para trás tentando enxergar algo, mas nada. Até que ouvi a grama alta ao meu lado balançar e eu tinha certeza que aquilo não era só o vento. Acelerei o passo, um pouco apavorado.

O barulho começou a aumentar e acelerar também, ao meu lado. O chão estremeceu e com um barulho, senti a poeira em minhas costas, levantar. Parei e assim fiquei durante segundos, sem saber o que fazer quando senti um vendo diferente fazer meus cabelos esvoaçarem. Eu estava com medo de me virar quando decidi correr mas uma grande garra arranhou minha cintura e me fez cair.

Toquei a posição, recostando meus cotovelos no chão esperando que aquela fera me engolisse por inteiro mas ela não o fez, ela tinha em torno de três metros, com costas curvas e um pelo negro como breu. Seus olhos eram vermelhos e eu os encarei, sim, eu fiquei frente à frente com aquele monstro.

Ele parecia tão pasmo quando eu, uma onda avermelhada fez seus olhos brilharem por um momento e então ela uivou para o céu, ficando de pé em duas patas e se demonstrou mais alta do que antes.

Cerrei meus olhos, lembrando de meu pai, meus irmãos, o senhor Lee, em minha mãe que eu não havia conhecido e em Namjoon… esperando que aquela fosse minha morte, protegi minha cabeça com os dois braços e senti meus braços arderem, neste ato, a fera simplesmente foi lançada para trás, parando quilômetros de onde estávamos.

Eu não sei o que aconteceu, sinceramente, não quero saber, não sei se ela me seguiu ou se correu para o lado contrário. Eu apenas pensei em voltar para casa e assim fiz o mais rápido que pude.


Notas Finais


façam suas apostas: o que realmente aconteceu?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...