História Dead Leaves - Capítulo 6


Escrita por: ~ e ~Neh_Chan

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Bts, Colegial, Juventude, Romance
Visualizações 20
Palavras 1.945
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Esporte, Festa, Ficção, Musical (Songfic), Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Hellow Hellow
Mais um capítulo de nossa história por aqui.
Boa leitura!

Capítulo 6 - The Lovers


Fanfic / Fanfiction Dead Leaves - Capítulo 6 - The Lovers

Jess

 

 A aula chegou ao fim, corri novamente ao vestiário para trocar de roupa. Jimin estava sentado na arquibancada mexendo no celular. Aproximei-me dele, estava tão concentrado que nem tinha percebido minha presença.

– Jiminnie – coloquei a mão em seu ombro.

Ele jogou o corpo para trás arqueando surpreso. Eu ri da cara que ele fez.

– Quer me matar do coração? – perguntou indignado.

– Se eu quisesse, eu sairia correndo de lingerie na rua.

– Pra mim seria normal te ver fazendo isso, você quase vem pra escola assim. – riu.

Dei um tapa no braço dele, que o fez rir ainda mais.

– E a Harry? – perguntou se levantando.

– Ela sorriu de volta – comecei a soltar pulinhos felizes.

– Eu disse pra você ter paciência – segurou meus ombros para que eu parasse de pular, eu era mais baixa que ele – Harry logo logo vai aceitar essa sua mudança de comportamento.

– Tomara – sorri – Aí eu tô cansada – levantei os braços lentamente – Me carrega? – eu perguntei fazendo biquinho.

Ele riu e me colocou sobre suas costas. Andamos assim até  o local  que meu carro estava estacionado.

– Você quer carona? – eu disse abrindo a porta do carro.

– Não confio em você no volante – riu, eu o olhei com cara feia – Não precisa.

– Ei  – eu disse animadamente – e se você fosse dormir lá em casa.

–O que? – ele riu – Eu e você? Sozinhos? Juntos? – ele se atrapalhava nas palavras.

Ri.

– É, algum problema?

– Não nenhum – riu de nervosismo  – Então vamos – ele disse entrando no carro.

– Vamos – sorri.

Conversamos um pouco no caminho, ele estava mais quieto que o normal, parecia incomodado com a ideia de dormir na minha casa.

– Você está bem? – perguntei estacionando o carro.

– Sim – riu – Por que?

– Parece nervoso –sorri enquanto saia do carro​.

Ele saiu em silêncio, e me acompanhou entrando na casa.

– Pode entrar – eu disse tímida

Ele sorriu, entrou observando o lugar.

– Você mora sozinha, nesse lugar?

– É– suspirei – É meio solitário, mas eu já me acostumei – soltei um sorriso fraco.

– Não devia ficar sozinha assim – disse aproximando-se do meu  rosto. Minha respiração começou a acelerar, me afastei na velocidade mais rápida que consegui alcançar.

– Olha eu só tenho um quarto – ri – Você não se incomoda de dormir comigo, não é?

O corpo dele enrijeceu.

– Não – gaguejou – Eu só não acho que seja uma boa ideia.

– Por que? – encarei o séria – O que você acha que  vai acontecer se dormirmos juntos? – aproximei meu corpo do dele.

Nossos rostos estavam pertos demais. Ele me encarava de um jeito estranho.

– Acho melhor eu ir embora – ele disse afastando-se.

Peguei o pelo braço.

– Jiminnie – ele me encarou confuso –Não vai, somos melhores amigos lembra?

– É verdade – ele sorriu – Isso foi estranho Parker. – disse me empurrando.

“ o que foi isso que acabou de acontecer?” pensei

– Agora é o Jimin que eu conheço – devolvi o empurrão.

Ele riu.

– Certo – sorriu – Nós vamos deitar agora?

– Se você quiser.

– Eu tô morrendo de sono – Bocejou.

– Então vamos – eu ri.

Puxei-o pelo braço arrastando-o até o quarto. Ele não tinha levado nenhuma roupa para dormir, então em um simples ato, arrancou a camiseta que usava arremessando-o a longe. Eu tinha sim um certa intimidade com Jimim, mas nunca tinha visto ele sem roupa. Meu corpo enrijeceu, eu não conseguia parar de olhar para a barriga tanquinho dele, eu sentia que estava ficando vermelha da cabeça aos pés, mas não conseguia parar. 

– Por que as garotas fazem isso?– riu.

– Isso o que? – desviei meu olhar envergonhada.

– Ficam encarando minha barriga. – contorceu o rosto – Tem alguma coisa errada com ela?

Encarei ainda mais a barriga, ele tinha uma tatuagem no lado direito, eram escritas em chinês.

– O que significa? – eu disse apontando para a tatuagem.

Ele baixou os olhos encarando os símbolos.

– É uma metáfora chinesa, diz que a minha adolescência está chegando ao fim.

– É bonito – disse distraída.

– A minha barriga ou a tatuagem? – riu.

– Os dois – gaguejei – Eu já volto. – disse pegando meu pijama e me enfiando dentro do banheiro.

Eu peguei a roupa sem ver o que era, rezei para que não fosse nada muito curto. Por sorte não era, uma calça e uma camiseta comprida. Me vesti rapidamente e sai do banheiro. Ele estava deitado na cama olhando para o teto do meu quarto, era tão bonito que me dava tontura. Aproximei-me dele e deitei ao seu lado. Ele virou e sorriu. Eu não sabia o que dizer.

– Por que quis que eu viesse dormir aqui? – perguntou.

– Porque...eu não queria ficar sozinha – olhei para cima – E sua companhia me faz bem.

– A sua também me faz bem – passou a mão em meu rosto.

Jimin ao contrário de mim, morava com seus pais, mas eles nem se importavam muito com o que ele fazia, o que acabava sendo mais triste que a minha situação.

Eu cheguei mais perto abraçando o corpo dele.

– Jiminnie – sussurrei – Me prometa uma coisa?

– O que ? – ele disse olhando para mim

– Você é um garoto muito lindo, e muitas meninas cercam você – desviei meu olhar. – Me prometa que não vai me abandonar quando começar a namorar alguma garota, eu sei que não vai poder dar atenção pra mim por conta dela, mas por favor, não me deixe.

Ele sorriu triste.

– Jess, eu nunca abandonaria você. – beijou minha testa

Eu não sabia se aquilo era ciúmes, ou medo de realmente perde-lo. Eu não queria ficar sem ele, e concluí que faria de tudo para mantê-lo por perto.

 

 

 

Harry

 

Suga e eu continuávamos na cafeteria, tomando diversos copos de café e pra variar, discutíamos.

– Como você não conhece ele ? -dizia indignado.

– Yoongi não precisa de tudo isso só porque eu não escuto esses rappers que só você conhece! -disse revirando os olhos.

– Eu tô indignado demais isso sim.

– Você exagera! 

– E você não sabe nada de música. -sorriu irônico.

– Precisamos conversar. -disse séria.

– Manda. 

– Sobre Namjoon! 

– Não quero falar disso. -disse ele.

– Por favor! -fiz cara de gato de botas.

– O que você quer saber ? -disse derrotado. 

– Eu não entendi você "não querendo" que eu me aproxime dele. -disse fazendo aspas. 

– Eu não quero e pronto não tem motivo! 

– Tem que ter, vocês são amigos! 

– Somos amigos mas não significa que eu confio totalmente nele. -disse óbvio. 

– Mas...-me interrompeu e pediu a conta.

– Não quero falar sobre isso ok ? -disse parecendo cansado. 

– Tá bom.

– Quero tirar umas fotos no parque...vamos ? -perguntou depois de entregar o dinheiro para o balconista.

– Claro. -disse baixo.

– Não fica chateada eu só quero te proteger idiota! -sorriu bagunçando meu cabelo.

– Meu cabelo seu panaca! -disse rindo e dando um tapa em seu ombro.

– Vamos logo. -me puxou para o estacionamento. 

Entramos em seu carro, e logo partimos para o parque que eu acreditava ser mais bonito naquele momento do dia, quando anoitecia. Ao chegarmos, descemos do carro e Suga pegou sua câmera, logo a ligando e tirando algumas fotos da rua.

– Sorria! -disse apontando sua câmera pra mim e eu fiz o que pediu, sorri alegre. 

– Eu gostei! -disse olhando a foto. 

– Ficou legal. -deu de ombros.

Andamos pelo parque, enquanto eu corria atrás de tartaruguinhas na beira do lago e ele só ria e tirava mais fotos minhas. 

– Você fica legal na câmera! -sorriu olhando as fotos salvas. 

– Eu tô toda descabelada, olha isso! -disse rindo da foto.

– Continua leg...-foi interrompido.

Um casal de idosos tinha se aproximado de nós, pedindo para que Suga tirasse uma foto deles no lago, ele logo concordou e se posicionou.

– Sorriam! -disse eu sorridente. 

– Ficou muito boa. -disse o senhor vendo a foto e pedindo para que meu amigo o enviasse.

– Obrigada! -disse a senhora simpática.

– Sem problemas. -disse Yoongi.

– Vocês formam um casal muito bonito! -disse a senhora começando a caminhar com seu marido.

– Nós não...-tentei dizer mas já era tarde, o casal se afastava cada vez mais de onde estávamos. 

Começamos a caminhar lentamente em silêncio, apenas observando os atrativos do parque, e Suga continuava tirando fotos então eu logo me pronunciei.

– Para com isso! -disse emburrada.

– Você fica menos estranha nas fotos. -disse rindo.

– Vamos tirar uma foto nossa idiota. -disse tomando a câmera de sua mão e a posicionando em uma árvore colocando o temporizador.

Subi em suas costas e sorrimos como duas crianças idiotas, logo o flash dispara indicando a foto já salva. 

– Olha a nossa cara! -disse ele e rimos juntos.

– Ah ficou legal, mas parece que a gente caiu de algum lugar.

– Eu gostei...te mando depois! -disse guardando a câmera.

Depois de nossa engraçada sessão de fotos, voltamos para o carro, dessa vez indo para minha casa, chegamos rápido e eu logo o encarei. 

– Hoje foi divertido! 

– Concordo. -disse ele. 

– Até mais panaca! -disse fazendo um hi-five com ele e descendo do carro.

– Tchau idiota! -acenou do carro.

Entrei em minha casa e Nona logo apareceu segurando um balde de pipocas.

– Oi Nona! -beijei sua bochecha e comecei a subir as escadas. 

– Não durma tarde! -Nona ralhou.

– Pode deixar. -disse rindo.

Nona tinha uma aparência adorável, ela era uma senhora de idade, baixinha e fofa. Ela veio para cá conosco quando nos mudamos, era viúva e não tinha filhos, ela cuidava de mim há anos, então se juntou a nós. 

Deitei em minha cama e logo recebi uma mensagem, vinda de Namjoon, o que estranhei totalmente já que não tinha passado meu número pra ele.

"Oi." -disse.

"Como você tem meu número ?" -digitei em resposta.

"Tenho meus contatos".

"Imagino! LoL" -o respondi.

"Quer tomar sorvete amanhã ?"-perguntou.

Comecei a pensar nas consequências daquilo, Suga provavelmente me mataria, infelizmente, sou inconsequente demais pra tudo isso e apenas digitei em resposta.

"Claro" 

Eu estava um pouco receosa, pelos comentários e boatos da escola, mas a curiosidade falava mais alto em minha cabeça, eu não tinha medo dele, na verdade eu queria entende-lo.

"Amanhã depois do nosso treino de futebol" 

"Nosso ?" -perguntei.

"Vou te treinar durante a temporada." 

"Sério?"

"Claro ><"

Comecei a sorrir, afinal ele não era uma pessoa ruim, talvez ele só fosse incompreendido, eu provavelmente estou me metendo em uma confusão, mas eu não tinha nada a perder e então tomei a decisão que tentaria ajudar Namjoon, eu só não sabia se isso daria certo ou não. 

"Suga idiota �� te enviou uma imagem" brilhava no visor de meu celular, logo abri a conversa e vi nossa foto no parque, printei o alerta de notificação e o enviei.

"Eu adoro seu nome no seu celular -print- Lol" -o enviei.

"Devia ser Suga maravilhoso, isso sim -_-" -respondeu.

"Não gosto de mentir"

"-dedo do meio-"

"Simpático" -o enviei.

Olhei novamente a foto e comecei a rir, as pessoas achavam que Suga e eu namorávamos, isso era muito engraçado, já que nos conhecíamos há anos e nunca tivemos esse tipo de relação. 

"Obrigada por hoje idiota! Lüv ü" -enviei.

"Sem melação que não combina com meu estilo" -respondeu.- "mas eu até que te acho legalzinha".

"Não quero mais amizade." 

"Lol...você não sabe brincar" -me enviou em seguida.

Selecionei nossa foto e coloquei na pequena máquina reveladora, que ele havia me dado de aniversário no ano passado e ela logo começou a imprimir. Quando pronta eu reparei melhor, a foto tinha ficado incrível, nossos rostos emanavam alegria e amizade, logo a coloquei grudada no mural em cima de minha cama com a legenda no verso escrita "big brö", sorri e me deitei novamente.

Comecei a pensar sobre Jess, ela afinal não era ruim, eu estava quase cedendo, mas eu ainda tinha meus receios sobre o tipo de pessoa que ela era, eu não estava totalmente convencida, eu a daria uma chance, qualquer imprevisto eu voltaria a despreza-lá, pode parecer duro, mas era nossa realidade, eu tentaria confiar em Jess.


Notas Finais


Esperamos que tenham gostado!
Comentários são legais.
Beijo beijo
~Mari e Gabi 💕


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...