História Dead Memories - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens Jungkook, Personagens Originais, V
Tags Bts, Drama, Jungkook, Kpop, Taehyung, Taekook, Terror, Vkook
Visualizações 18
Palavras 947
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Violência, Yaoi
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Homossexualidade, Linguagem Imprópria, Mutilação, Nudez, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Essa fanfic é de minha autoria.

Esse é apenas o prólogo, o capítulo I será postado jájá! Espero que gostem, aguardem o capitulo I e até logo!

(Perdão pela timidez ><)

Capítulo 1 - Prólogo


Fanfic / Fanfiction Dead Memories - Capítulo 1 - Prólogo

PRIMEIRO CAPITULO –– PRÓLOGO

 

–– Você disse para a Mina, que eu estuprei ela? Porque diabos você disse isso? – Encaro a menina que estava amarrada ajoelhada em minha frente

 

–– Eu não disse isso! – Grita –– Ela estava bêbada naquela festa, todos estavam bêbados, então porque está duvidando tanto de mim?! – Ela mexe seu corpo demonstrando sua raiva

 

Agacho em frente da mesma e pego uma faca que estava no chão ao lado dela.

 

–– Por que você abriu a boca? Sabe, dizem que quem fala demais, deve perder a língua, pois são fofoqueiros. Acho que você não vai poder falar mais – Dou uma gargalhada alta

 

–– Por favor, tenha piedade de mim! – Escuto seus gritos abafados perto do meu rosto

 

–– Piedade é algo que eu não gosto, acho chato. – Me levanto enquanto vou atrás dela e pego a faca para cortar as cordas

 

–– Vai me soltar? – A mesma diz –– Se você me soltar... eu finjo que nada aconteceu. Não vou lhe denunciar – A mesma tenta unir suas mãos para me implorar

 

–– Por que eu faria isso? Segredos só funcionam se um estiver morto. Eu vou te dar 5 segundos para correr. –– Corto a corda e a mesma se levanta disparadamente

 

–– Um – Conto enquanto a mesma corre desesperadamente tentando achar a saída –– Dois –– Três –– Quatro – Pego a faca e coloco em mira –– Cinco – Jogo em direção ao corpo dela

 

Caminho perto da cena do crime, com seu corpo caído no chão, o sangue saía sem hesitação. Olho seu pescoço e o seu corpo e tinha apenas sangue e mais nada.

 

–– Eu te dei bastante tempo, porque você foi tão lenta? Se você tivesse ido um pouco mais devagar, a faca teria acertado à sua cabeça – Sorrio –– Mas acertou seu pescoço, o que eu faço? Você vai morrer em breve –– Encosto no corpo dela usando a minha luva preta para não deixar rastros –– Mas, você escolheu isso. Não é a minha culpa – Minhas gargalhadas aumentavam conforme o sangue saía do seu corpo, rápido e memorável. Boa noite, cinderela – Saio de perto dela e vou até a cadeira para pegar um papel

 

“Querida, Mãe

Eu não lhe contei sobre o que eu estava passando nesses últimos anos, mas eu estou com depressão. Meu corpo pede por mais e mais cortes, minha mente esta conturbada e eu não tenho saída. Eu pensei várias vezes em lhe dizer isso, mas, eu não tive certa oportunidade. Eu prometi que eu ia para uma faculdade daqui à 1 ano, mas, promessas falham. Você sabe, eu tenho sonhos, sonhos que acabaram. Não se preocupe muito com isso. Eu vou estar em um lugar melhor agora, talvez não. Mas eu com certeza estarei em algum lugar melhor que esse. Eu sei que você pode não acreditar, mas, eu precisei muito fazer isso. Estava aumentando cada vez mais e eu não aguentava mais isso! Eu preciso te pedir algo. Por favor, quando terminar de ler essa carta, me diga olhando para o céu e rezando que vai realizar.

Mamãe, eu realmente lhe amo, eu preciso que você me perdoe. Me perdoe, assim eu poderei ser aceita no céu. Já tenho pecados o suficiente para ser mandada ir para o inferno. Eu não posso ir para o inferno, se não... Minha alma vai chorar no lugar do meu corpo e dos meus olhos. Você me promete? Me promete que vai na igreja e vai confessar isso para o padre e vai rezar junto dele? Eu preciso do perdão! Eu errei... Eu sei que isso não era o que você desejava para mim.

Me perdoe, Mãe. Estarei sempre ao seu lado lhe protegendo de pessoas más!

Com amor, sua filha preciosa, Jeong Hyeon.”

 

Nua, com o seu longo cabelo solto. Ela era absurdamente linda. O tipo ideal de toda a Coréia e até fora do país, ela era de matar. Sardas em seu rosto, mestiça e linda. Ela era também o meu sonho, mas como diz a mesma, sonhos acabam. Ela tinha tudo; Uma boa família, um belo corpo, uma ótima aparência e inteligência. Ela só não tinha algo; Sorte.

Pego seu corpo e coloco em uma cadeira, a visto com seu uniforme escolar. Coloco maquiagem em seu rosto e batom. Penteio seu cabelo e faço tranças no lado direito do cabelo. Coloco uma corda enrolada em seu pescoço, amarro e levanto seu corpo. Conforme a corda pendurada naquela altura, era mais fácil de fazer o serviço sozinho. Tiro a cadeira de baixo de seus pés, passo a faca um pouco mais em seu sangue e jogo na mesma direção do pescoço dela como se fosse um suicídio. Melo sua mão de sangue e encaixo o papel na sua mão cheia de sangue.

 

 

–– Eu realmente queria lhe salvar, mas você não deixou! – Sorrio e deixo o local sem rastros ou qualquer coisa que possa me incriminar.

 

Pego um celular qualquer e ligo para a sua mãe, conforme o controlador de voz que muda o tom de voz, minha voz muda no mesmo instante quando eu falo.

–– Alô?! É a mãe da J-Jeong Hyeon?! Eu sou uma aluna da mesma classe escolar dela, e ela pediu para ir embora mais cedo, ai os professores e diretores deixaram porque ela estava se sentindo mal... Mas, eu fiquei muito preocupada com ela pois ela parecia muito estranha ultimamente, então eu segui ela... Ela está em um local escondido e abandonado em Gangnam – Seul. Já liguei para os policiais, mas é melhor a senhora ligar novamente! Sinto muito pelo ocorrido! Ela era maravilhosa para todos nós...  – Desligo o celular e jogo no chão quebrando com um martelo, limpo o local e saio.

 

–– Você devia ter tido consciência de que tipo de pessoa eu era antes de me denunciar.


Notas Finais


Comentem?


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...