História Deadly Tales - Capítulo 7


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Drama, Hentai, Lendas, Magia, Misticismo, Mitos, Morte, Originais, Romance, Tragedia, Violencia
Visualizações 25
Palavras 1.393
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Comédia, Drama (Tragédia), Ecchi, Fantasia, Ficção, Ficção Científica, Hentai, Josei, Lemon, Lírica, Luta, Magia, Mistério, Misticismo, Romance e Novela, Saga, Sci-Fi, Seinen, Shoujo (Romântico), Shoujo-Ai, Shounen, Sobrenatural, Survival, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo, Violência, Yuri
Avisos: Adultério, Álcool, Canibalismo, Drogas, Estupro, Heterossexualidade, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Mutilação, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Suicídio, Tortura, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Serio tinha até esquecido que essa fic existia O^O

Capítulo 7 - Uma ultima tentativa


P.O.V Morte

–Você fez o que?!-Lúcifer acendeu algumas faíscas nas mãos quando bateu com as próprias na mesa oscilante de carvalho escuro que estava em seu escritório, quando recebe a noticia de que eu não matará seu “inimigo”

Eu encaro minhas pernas pálidas como as de um defunto enquanto as cruzo sobre a cadeira, que estava sentada.

–Não vou ficar repetindo as coisa para você, garanto que sabe o que lhe é dito na primeira vez que ouve algo –encaro aqueles olhos vermelhos como esmeraldas,efervescerem

–Morte,não brinque comigo,você não sabe do que eu sou capaz–ele me ameaça mas somente o recebo com um sorriso

–Em primeiro lugar,sem mim você não teria quem julgar, e em segundo,sei que você é capaz de aceitar mais um alma perdida em seu exercito...conhecendo você– Balanço a taça de vinho que estava tomando,o qual eu peguei assim que cheguei neste local–...sei que nunca recusa um pacto...-bebo um pouco do liquido– e também sei que não tem sido muito fácil aqui,desde que o Avareza e o Preguiça se foram

Sei que havia o cutucado em um ponto fraco,dois de seus pecados capitais haviam sido levados por Nightmare,Isso acabou trazendo um peço enorme,sobre o Equilíbrio dos mundos,e principalmente Sobre as costas do demônio que agora se encontrará na minha frente

Minutos se passaram até que a ideia finalmente penetra–se sua mente

–Somente desta vez...Eu vou lhe abrir uma exceção... e guarda minhas palavras,se Hambley trazer consigo qualquer tipo de problema...quem enfrentará as consequência disso será você –ele aponta o dedo para mim

E novamente rio com escárnio

–Se assim deseja–coloco minha taça sobre a mesa,e me viro para sair daquele lugar e saio ao som de algumas ultimas palavras que são ditas em um tom baixo

–Você não vai conseguir escapar dele para sempre...

Meu sorriso aumenta mais uma vez quando percebe a quem ele se refere

–Eu sei disso– Abro a porta e saio daquele local com um sorriso estampado na cara

Me deparo com Hambley que estava com dois demônios ao seu lado,ele pareciam lobos,com a diferença de tamanho,que superavam com facilidade qualquer,pessoa ali,dentes e chifres,grandes o suficientes para rasgar um ser em partes mínimas,por maior que fosse

Olho Fixamente os olhos dos animais,totalmente pretos,e eles entendem meu recado,evaporam como fumaça negra

–Ele aceitou... Fale com ele, esclareça o termo sobre todo tipo de proteção que deseja, para você e para sua filha, em seguida ele quebrará seu vinculo com Ele e você será livre como um pardal no inferno.

Ele pareceu sorrir com minha comparação e assentou com a cabeça, me fazendo um breve referencia.

–obrigado– sorrio em direção aquele ser,antes de ele adentrar a porta

Em menos de um minuto estou em casa utilizando, a técnica de Teletransporte,em meio as sombras da minha alma,que se exalavam do meu corpo para me mover,a lugares facilmente,infelizmente isso só se aplica a uma pessoa por vez,caso contrario seria muito mais fácil vir e voltar de qualquer que fosse os mundos

Marcus me esperava na entrada,ainda em sua forma animália,mas assim que percebe minha presença,assume a parte humana,aquele em que tenho um laço forte de amizade e confiança

–Como foi?-ele me pergunta,enquanto enquanto caminha em minha direção

Dou graças de que ele conseguiu adquirir algumas artimanhas uteis,como continuar vestido após a transformação,continuar com vestimentas

–Ele concordou, em mante-los a salvo– Encaro nossa moradia por um momento rápido –tem alguém em casa?

Minha pergunta foi direta devido ao meu nível de cansaço, evidente.

– A Saraab está,Dylan e Grace devem estar trepando em  algum lugar,por ai,  e enquanto a mim...vou caçar  –Ele fala abrindo um sorriso.Toda lua cheia Metamórficos de Lobos,na grande maioria,tem de “caçar” no mínimo um humano,para trucidar sua carne,e devora–la

Isto por mais desumano que pareça, é o que mantém a sanidade dos lobos, funcionando,é ingerindo carne de mortais para continuar com a humanidade que lhes resta,caso contrário...eles se tornariam animais por completo

Olhei para lua no céu,ela brilhava resplandecente entre as nuvens que tornavam o clima ameno, depois minha atenção se voltou para as tatuagens no pescoço de Marcus,em especial para uma lua minguante,que era coberta de espinhos

–boa sorte– lhe desejei com mais formalidade do que o necessário,então ele novamente tomou sua forma canina,e em menos de minutos estava se misturando aos tons escuros da floresta que cobria nossa moradia

Enquanto caminhei para a casa,ouvia os ossos em minha mão exposta,se chocarem um contra o outro

Ao fechar a porta,não encontrei Saarab em nenhum dos cômodos,até chegar ao segundo andar e encontrar a porta de seu quarto trancada,e o maldito cheiro de enxofre,escorregava por entre as frestas na porta,e a partir daquele momento soube que ela não estava sozinha

Tentei ignorar os sons emitidos do quarto da diaba, para ir diretamente para o meu.

Theo estava empoleirado na beira da janela, ele me viu, mas não teve reação, apenas se aconchegou, e tentou fingir que estava dormindo. Enquanto me dirigi ao banheiro, coloquei minha foice ao lado da porta, analisando aquela lamina uma ultima vez, vi meu reflexo, pálido e sem vida resplandecer.

Tranquei a porta atrás de mim, me permitindo dar um longo suspiro, antes começar a tirar lentamente minhas roupas, deixando que elas escorregassem sobre minha pele ate cair no chão.

Eu liguei a água da banheira, esperando com que ela enchesse então me sento em cima do vaso, e contemplo meu corpo nu, admirando algumas de muitas das minhas tatuagens.

Uma caveira em minha coxa direita, era envolta em desenhos tribais, um corvo em meu calcanhar, e em braço esquerdo, o braço normal, era coberto por rosas,flores negras e sombrias,que eram envoltas em chamas e espinhos,que terminavam um pouco antes de minha mão, essas eram apenas algumas de minha marcas

Eu não conseguia ver, mas sim sentir a ultima tatuagem, esta, diferentemente das outras, era mística, minhas costas brancas e gélidas, abrigavam duas asas, asas negras como a  noite, e puras como a de um anjo

Assim que e lembrei-me da existência de tal desenho, liberei um instinto que havia dentro de mim, instinto, que me permitia transformar aquele lindo desenho...em asas místicas e reais

Meus ossos se esticaram para fora de minha pele; a sensação por mais repulsiva que pareça,era algo bom, prazeroso e libertador,porém ao invés de seguirem os desenhos

Tais asas...eram ósseas,feitas inteiramente de ossos, sem penas, sem liberdade sem voou, apenas pesos, que eu permitia em raras ocasiões que se libertassem de meu corpo.Outrora,eu tinha asas normais,com penas pretas, longas e belas

Mas esse foi o custo de mais uma das lutas entre aquele que era...e sempre será meu pior inimigo...

A banheira encheu, e lentamente, meu corpo preencheu a água, e eu me envolvi em minhas próprias asas frias,enquanto mergulhava na banheira,sem me preocupar com a falta de ar,pois, como o meu nome diz...

Estou completamente Morta

P.O.V Narrador

A noite era fria, e no confim, mas escuro da subterra, um acordo era formada entre um emissário, e entre um servo daquele que era a preocupação de todo o mundo sobrenatural, tal servo não passava de uma vadia para o seu “chefe”

–Ele não vai ficar feliz com isso... -uma voz rouca era emitida, a voz pertencia ao emissário sem nome, de cabelos brancos, e olhos verdes, escuros, e pela já desgastada pela idade.

–Ele nunca fica feliz com nada – o servo afirma sarcástico, mas o emissário o encarava seriamente– Qual é o plano dessa vez?

O velho senhor agita as mãos magras, mórbidas e longas, seus movimentos eram lentos  e até mesmo mágicos,até que de suas mãos,se forma um rosa, um flor negro, que brota através da pele do home, porém sem lhe causar, dor ou dano

–Está flor, lhe indicara o caminho até a Morte– Assim que o senhor lhe entrega a flor com delicadeza, o jovem sentiu um arrepio da ponta de sua espinha até o fim de suas asas tão negras quanto à flor– Você é nossa ultima chance de capturá-la...

O jovem sorri

–Já acabei com quase toda a espécie dos Móridos... O que seria diferente nessa– O rapaz fala já abrindo suas asas para decolagem

–Não subestime o poder dela... Marcus...

–Ha. Tá Bom– Responde o mais jovem com sarcasmo–E...eu prefiro Ceifador –Diz Marcus antes de levantar voou,arrancando grandes montes de poeira com sigo,partido em direção a Morte...

Ou melhor, dizendo aquela que mudaria sua vida.

Continua...


Notas Finais


Bom...é isso, eu sei que ta meio fraquinho, mas é o que tem pra hoje meus amados leitores=T
Espero que tenham gussstadoooo
vlw,fui!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...