História Dear brother - Capítulo 27


Escrita por: ~

Postado
Categorias 5 Seconds Of Summer
Exibições 106
Palavras 2.729
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Adultério, Álcool, Heterossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ola lindos, como vocês estão? eu to ótima
SIM EU DEMOREI, SIM EU MEREÇO UM TIRO, mas novembro para mim foi tão corrido, eu entrei de férias da faculdade tem apenas alguns dias, mas eu continuo trabalhando, ENTÃO DESCULPAS
BEM VINDO AO ULTIMO CAPITULO DE DEAR BROTHER, infelizmente ou felizmente, esse dia chegou
VOU DEIXAR UM CAP EXTRA COM UM TEXTINHO BONITINHO PARA VCS, ENTÃO AO TERMINAR DE LER É SÓ IR PRO PRÓXIMO
Muito obrigada por todos os incríveis comentários nos últimos capítulos, sério, quando eu acho que vocês chegaram no limite de serem os melhores do mundo, vocês vão lá e se superam, eu recebi comentários que me emocionaram e espero que vocês continuem sempre aqui comigo <3
Bem vindo aos novos leitores, não sejam tímidos <3
Chega de enrolação e boa leitura ;)
Ps: Desculpas qualquer erro, revisei o capitulo, mas pode ser que ainda exista
Ps 2: Leiam as notas finais <3

Capítulo 27 - Dear Brother


-Oi Dec- ele disse me abraçando com força

- Luke – falei abraçando com intensidade

Era real

Era real como jamais havia sido, sentir o calor do seu corpo novamente, sentir seus braços em volta do meu corpo, sentir seu cheiro e poder piscar várias vezes sabendo que não era um sonho. Era real.

-Luke – disse ainda o abraçando – Luke, é você mesmo?

-Claro que sou eu Dec – ele disse se afastando para poder me encarar, mas eu o abracei novamente – Dec, pode ficar calma sou eu

-Dec, é realmente ele – ouvi a voz de Calum, que de certa forma me acalmou

Me separei aos poucos do meu irmão, desfiz o abraço, mas segurei suas mãos, parecia que a qualquer momento minha mãe me acordaria daquele sonho. Eu o encarei procurando algum defeito, algum indicio que aquilo era obra da minha imaginação, de que estava delirando, mas não, não era delírio. Era real

-Luke... – digo mais uma vez sorrindo

-Meu Deus do céu December, é ele sim – Calum diz ao meu lado sem paciência – Olha ta vendo – meu amigo diz dando um abraço em meu irmão

Logo todos nossos amigos estavam abraçando Luke, eu ainda estava em choque, a algumas horas ele estava em uma cama de hospital, e agora estava de pé, ali, no baile...Era real?

-Eu admito, até para mim que sabia que isto iria acontecer, está sendo bem emocionante – Sabrina diz ficando ao meu lado, enquanto Ashton conversa com Luke

-Você sabia disso? – Pergunto encarando minha amiga

-Em partes sim, vou deixar ele explicar melhor – ela diz

Fico um tempo observando a cena entre os meninos conversando animados sobre qualquer assunto, Michael deixa escorrer uma ou duas lagrimas, mas logo limpa elas, era como se Luke não tivesse ficado quase 3 meses em coma, era como se ele sempre estivesse ali, do nosso lado, ou como se tivesse viajo e voltado apenas hoje

-Meninos – Sabrina chamou os garotos, que a encararam – Vamos deixar eles a sós? Eles têm muito que conversar

Os garotos concordaram que sim e se afastaram, percebi que algumas pessoas ainda encaravam Luke, talvez por que eu a quase cinco minutos estava fazendo um discurso sobre ele estar presente na nossa vida, mesmo em uma cama de hospital

-Vamos? – Ele disse estendendo a mão

-Para onde?

-Conversar em algum lugar mais calmo

Dei a mão para ele e assim que saímos do ginásio a música alta e animada voltou. Caminhamos pelo pátio e sentamos em um banco que havia ali, estávamos sozinhos, me sentei de frente para Luke ainda segurando sua mão, eu tinha medo de larga-la e ele desaparecer

-Eu ainda não ganhei nenhum beijo seu desde que eu cheguei – ele disse dando um sorriso de lado

Não me dei ao trabalho de responder, não com palavras, eu o puxei pela gravata e o beijei. Era como se fosse nosso primeiro beijo, naquela noite na festa, meu coração estava acelerado, me senti como uma garotinha de 13 anos dando seu primeiro beijo, me separei dele mas permaneci de olhos fechados, um filme se passava na minha cabeça. Abri meus olhos lentamente e ele em encarava sorrindo

-Acho que agora eu mereço alguma explicação – disse passando a mão pelo seu rosto

-Bom, se você quer saber, eu realmente estava em coma, não era encenação nem nada, mas pareceu mentira quando o médico me falou, por que era como se eu tivesse em um sono profundo, sem noção do mundo – ele disse – Quando eu acordei, me lembra de tudo, do tiro, da ligação, mas era meio distante, como um sonho, não parecia real

-Quando você acordou? Eu fiquei com você durante esses meses todos e você se quer manifestava qualquer sinal de melhora

-Não sei explica, eu simplesmente acordei eu acordei no início dessa semana, para mim eu havia ido no hospital por causa do tiro, então imagina meu choque quando o médico me disse que eu fiquei dois meses em coma

-Você disse início dessa semana? – Perguntei perplexa – Por que ninguém me avisou?

-Calma Dec, acordei e Calum e Michael estavam no quarto, eles começaram a chorar, e eu simplesmente não entendia, eu só queria te ver, saber se você estava bem, logo depois o médico entrou em meu quarto, e eu fiz alguns exames, eu estava bem, me lembrava de tudo, até do tiro, apenas esses dois meses são como um borrão- ele falou calmo - avisaram para os nossos pais, você não estava em casa quando ligaram para eles

-Devia ter saído com a Sabrina – pensei em voz alta- Ainda sim Luke, não é justificativa, você acordado a uma semana e eu sem saber de nada

-Dec, a culpa não foi deles, eles queriam contar para você o quanto antes, mas eu não deixei

-O QUE? – Falei mais alto – Por que não?

-Por que assim que as coisas se acalmaram, Calum me contou que você não estava saindo de casa, contou que você culpava – ele disse e eu abaixei o olhar

-Mas a culpa é minha

-Não Dec, a culpa é daquele homem, se eu estivesse acordado eu jamais, em hipótese alguma, te acusaria pelo tiro que eu levei – ele disse e então me deu selinho rápido – Enfim, Calum me contou que essa era a semana do baile, então decidi fazer essa surpresa, Calum, Mike, Ash, Sabrina e até nossa família sabia disso

Abri a boca espantada, então foi armação? Comecei a dor socos em seu braço, ele riu por que na verdade se que provocavam alguma dor, eu não estava com raiva dele, mas era muita informação para ser processada

-Eu te odeio – falei meio aos risos dele – Mas, se todo mundo sabia que você viria, por que então a Sabrina pediu para eu fazer aquele discurso?

Ele deu um meio sorriso e me beijou novamente

-Queria ouvir da sua boca a falta que eu fazia – ele falou – Você sempre foi essencial para mim Dec, durante muito tempo eu escondi o que senti, e mesmo que você vivesse um romance comigo, eu tinha medo de você me abandonar, então aquele discurso só afirmou que você me ama tanto quanto eu te amo

-Eu te amo seu bobo, eu sempre vou te amar

O puxo então para um beijo ainda mais profundo na qual ele corresponde de imediato, agora eu estava em seus braços, e nunca mais sairia dali.

Por mim eu ficaria o resto da noite no pátio, beijando e conversando com Luke, mas eu tenho amigos que ao beberem demais ficam animados, e foi isso que aconteceu, Calum e Michael chegaram gritando, mandando nos dois entrarmos para curtimos a festa, por que íamos ter a vida inteira para namorar, mas aquele seria o último dia de todos nós juntos e blá blá blá, eu estava tão feliz que nem discuti, afinal eles estavam certos, eu tinha uma vida para ficar com Luke

[...]

-TCHAAAAAAAAAAAAAAAAAAAU – Mike gritou mais uma vez antes do taxi ir embora da porta da minha casa

Calum, Michael, eu e Luke dividimos o taxi, já que os meninos haviam bebido bastante aquela noite. Sabrina e Ashton haviam sumido antes das 3:00 da manhã, e eu tinha um palpite para a onde eles tinham ido

- O que... – Perguntei rindo quando Luke me pegou no colo- Luke, nós não estamos casando

-Não, mas acho que essa noite merece uma comemoração –ele disse dando uma gargalhada alta ao bater a porta com o pé

-Luke! – O repreendi – você sabe que horas são? Vai acordar nossos pais

-Como que eu vou acordar nossos pais, se eles estão em Melbourne

-O que? – Eu falei quando ele me pôs no chão – Luke Robert Hemmings, você não vale nada

-Ah, mas aí que você se engana, eu estou valendo muito, estou valendo o seu amor – ele falou e eu não pude deixar de sorri – Eu te amo Dec

Ele não me deixou responder, já que me puxou para um beijo. Quando sua língua invadiu minha boca pude sentir a saudade que eu tinha dele, e ele de mim, eu precisava de Luke, assim como um ser humano precisa de oxigênio. Suas mãos dedilharam minhas costas até a achar o zíper do vestido, onde ele facilmente abriu, em segundos a roupa deslizou pelo meu corpo e foi parar no chão

-Agora sim – ele disse me encarando apenas de lingerie preta

Pulei em seu colo e ele me agarrou, nosso beijo foi ganhando emoção, ficando ainda mais acelerado. Ele parou o beijo apenas para subir as escadas, e eu não pude deixar de rir

-Está rindo? – Ele perguntou ao entrar no seu quarto, me jogando em sua cama – Como eu senti falta da sua risada

-Não quero rir, quero gemer seu nome – disse encarando

Ele mordeu os lábios com força, não demorando para tirar a camisa e a calça, ficando apenas de cueca, nós não queríamos preliminares, nós não queríamos joguinhos ou brincadeiras, nossos corpos clamavam um pelo o outro

-Vou te fazer gritar o meu nome – ele disse deitando em cima de mim me beijado

Minhas mãos arranharam suas costas e ele gemeu sob os meus lábios, ele abriu meu sutiã jogando o mesmo longe

-LUKE! – Gritei ao sentir sua boca sobre o meu seio

Meu irmão não ficou ali por muito tempo, e assim que sua boca me soltou gemi baixo em protesto. Ele tirou minha calcinha e sua cueca, pegando o preservativo em sua cômoda

-Desculpas por estar sendo tão rápido, mas eu preciso de você – ele disse

-Luke – eu o chamei e ele me encarou- Anda logo, antes que eu enlouqueça

Aquilo foi suficiente para meu irmão me penetrar com força. Assim como eu sentia falta de seu beijo, de sua presença em meu dia a dia, eu sentia falta do seu corpo, que de certa forma me pertencia. A cada estocada Luke e eu gemíamos mais alto, ele me beijava e dava chupões em meu pescoço, já eu arranhava cada centímetro de suas costas e nuca, nossos gemidos rompiam o silencio da noite e do escuro. Após alguns minutos eu e ele gozamos, ao mesmo tempo. Seu corpo caiu sobre o meu, e eu senti o suor de seu peito sobre mim, senti sua respiração ofegante, e senti alguns beijos sendo depositados em minha bochecha

-Um minuto – ele disse se levantando e saindo de dentro de mim

Eu fechei meus olhos tentando recuperar o ar, mas me parecia impossível.

-Dec?

Abri meus olhos e encontrei meu irmão de cueca, sentado na cama, em suas mãos havia uma caixinha preta

-O que é isso?

Ele abriu a caixinha e lá dentro havia um anel, simples, com uma pedrinha no meio

-Eu estou a um tempo já pensando em qual momento fazer isso, pedir isso... – ele falou me encarando -  Mas agora, depois de tudo isso, de tudo que nós passamos, agora é o melhor momento – ele falou tirando o anel e colocando em meu dedo – Quer namorar comigo?

Encarei meu dedo, estava escuro, mas eu conseguia ver perfeitamente a pedrinha no meio do anel brilhando, era simples, mas era lindo

-É obvio que eu aceito Luke! – Eu disse e ele soltou o ar pela boca- Estava com medo da resposta?

-Sim – ele falou relaxando e eu ri

-Eu te amo Luke Hemmings

-Eu te amo December Hemmings

Ele me beijou, me deitando novamente. Eu não trocaria aquele momento por nada, eu sempre me senti completa, mas nada substituirá o que eu estava vivendo, eu estava transbordando. Eu amava Luke por toda a sua extensão, com seus defeitos, suas qualidades, ele não me completava, ele me transbordava, me transbordava de todos os sentimentos, e eu amava aquilo, amava ele. Era real, como jamais havia sido

 

[...]

Três anos depois

-Tá bom – eu disse mais uma vez no telefone – Liam, eu já disse que amanhã eu vou te pegar no aeroporto, por nada nesse mundo eu iria esquece – eu falei dando uma pausa ouvindo meu primo do outro lado – Eu sei que você não sabe andar por Los Angeles, mas eu e Luke não vamos te soltar no meio do nada né

Eu disse e então encarei a porta, meu namorado me encarava dando um sorriso e logo apontando para o seu relógio

-Liam, eu preciso ir, amanhã as 10:00 vou estar no saguão do aeroporto te esperando, beijos te amo!

Desliguei assim que eu ouvi a resposta dele. Guardei rapidamente o telefone na bolsa, indo passar meu batom. Depois que Luke acordou do coma muita coisa mudou, após algumas semanas eu voltei a conversar com Liam, e aos poucos com toda a família Payne, Nora e Edward me pediram perdão, e eu obviamente aceitei, hoje em dia eles também são minha família. Havia convencido meu primo de passar suas férias aqui, já que após nosso avô aposentar, ele havia virado presidente da empreiteira. Soube meses depois que John acabou morrendo em um acidente de carro, e de certa forma aquilo me surpreendeu, eu tinha raiva dele, mas não desejava sua morte

-Ele realmente acha que você vai esquecer de buscar ele? – Luke perguntou me abraçando por traz, eu nós encarei no espelho

-Sim, você sabe que ele tem pânico de ficar perdido, Liam se orienta muito bem em qualquer lugar do mundo, menos nos estados unidos! – Falei brincando

Como eu disse, muita coisa havia mudado. Após nos formarmos, eu e Luke fomos aprovados em várias faculdades australianas, mas um pouco antes do ano novo nós viemos para os estados unidos, para ser mais preciso Los Angeles. Luke cursava música enquanto eu optei por engenharia elétrica, era difícil ficar longe de nossos pais, mas não estávamos sozinhos, Ashton, Michael e Calum também cursavam música, a banda havia tomado uma proporção maior e ganhado atenção depois que a banda McFly  elogiou um dos covers dos meninos. Já Sabrina havia ido para Nova York, cursar teatro, apesar da distância ela e Ashton ainda namoravam, o que me alegrava, eu não imagino um sem o outro. Michael e Calum haviam se assumido, e apesar do início o preconceito do pai de Mike ser grande, ele percebeu que a alegria de seu filho era com Calum e que o amor era verdadeiro e correspondido, então ele acabou aceitando.

-Olivia ligou mais cedo – Luke falou

-Ela vai vir? – Perguntei esperançosa, mas ele negou com a cabeça- Jason é um chato

-Dec, ela está gravida de 9 meses, ele só está preocupado

-Ela só está gravida Luke – disse revirando os olhos – Mas tudo bem, semana que vem nós vamos para lá mesmo, temos que comprar o presente de natal da Anne

-Você não sabe se é menina, ninguém sabe, é surpresa

-Eu sinto Luke, vai ser menina

Olivia estava grávida de seu primeiro filho, ela havia se casado logo após se formar na faculdade. Atualmente ela ainda morava em Sidney, mas agora com seu marido em outra casa, trabalhando como advogada em um grande escritório

-Pronto! – Disse tentando me maquiar – Vamos? Os meninos já devem estar nos esperando

-Vamos – ele disse me dano um beijo na testa, me encarando

-O que foi?

-É tão estranho parar para pensar que estamos saindo para comemorar o seu aniversário de 21 anos, parece que foi ontem quando demos nosso primeiro beijo, tivemos nossa primeira noite, comemoramos o nosso aniversario

-Passamos por todos aqueles apertos – falei mordendo os lábios

-Aqueles apertos que nos deixaram ainda mais próximos, mais fortes – ele falou me abraçando de frente – ano que vem nós formamos, e vamos seguir nossas vidas

-Juntos – eu o interrompi – Você não vai se livrar de mim tão cedo Hemmings

-Eu nunca vou me livrar de você – ele falou – Eu te amo desde os meus 13 anos, e isso nunca vai mudar, mas acho que está na hora de pensar em mais netos, afinal a filha de Olivia não pode ficar sozinha

-Aí Deus Luke, imagina nos dois sendo pais – falei brincando

-Pode acreditar, eu imagino muito isso – ele falou me dando um beijo

Aqueles beijos fez um filme se passar na minha cabeça, aquilo acontecia todas as vezes que nós nos lembrávamos do nosso passado. Luke me amava desde os 13 anos dele, mas eu o amava desde que eu o conheci, eu negava para mim mesma, mas lá dentro eu sempre soube disso e agradeço todos os dias a Deus por não ter deixado ele e nem eu desistir desse amor

-Eu te amo Dec

-Eu te amo meu querido irmão

 

FIM

 


Notas Finais


ENTÃO, ESSE É O FIM DA MINHA PRIMEIRA FIC, MUITO OBRIGADA DE TODO O MEU CORAÇÃO, EU AMO VOCÊS!!!!
ps: passem pro proximo cap que la tem um textinho que eu fiz
-Por favor comentem o que acharam, eu levo muito opinião de vocês a serio por que ai eu sei se eu estou acertando ou não
-Queria me sentir mais próximas de vocês, então comentem de quais fandons vocês fazem parte <3
-Qualquer coisa falem comigo pelo Twitter (vamos conversar amiguinhos :3) : https://twitter.com/wh0horan_
* My letters to you (calum) : https://spiritfanfics.com/historia/my-letters-to-you-6769332
* Into you (luke): https://spiritfanfics.com/historia/into-you-6168780
*Incredible places (Shawn Mendes): https://spiritfanfics.com/historia/incredible-places-7034718


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...