História Dear Diary - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias EXO
Personagens Baekhyun, Chanyeol, D.O, Kai, Lu Han, Sehun, Tao
Tags A Autora É Louca Desculpa, Channy Tranquilo, Favorável, Hunhan Os Fofoqueiros, Minho O Filho De Kaisoo, Tao O Ex Safadão
Exibições 18
Palavras 2.783
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Famí­lia, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Gravidez Masculina (MPreg), Homossexualidade, Linguagem Imprópria
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


desculpa, não resisti em fazer essa OS.


Boa leitura e até lá embaixo <3

Capítulo 1 - Capitulo Único - Dear Diary


Fanfic / Fanfiction Dear Diary - Capítulo 1 - Capitulo Único - Dear Diary

Querido diário

Querido diário, estamos chegando à reta final! Faltam apenas três paginas para isso aqui acabar. Passamos tantas coisas juntos. Foram tantas paginas molhadas pelo meu pranto. Café e outras coisas que derrubaram em você, meu caro amigo.

O pior dia de todos esses, foi quando Park Chanyeol descobriu que esse diário era mais um acervo de coisas que aconteciam com ele em que sempre me envolviam. Ele só me mete em confusão.

Enfim, esse será o ultimo acontecimento que irei contar pra você, pois, depois disso eu serei um homem muito ocupado. Muito ocupado.

— Park Chanyeol! — Berrei o nome da peste.

— Quem morreu? — Ele apareceu na porta da sala.

— Você! Você quem vai morrer. Projeto de demônio!

— O que aconteceu dessa vez, Baekkie?

Senti meu sangue borbulhar. Esse poste só pode estar tirando onda com a minha cara! Saquei o celular do bolso e fui até a minha conversa com Sehun, cliquei no print que ele tirou da conversa com Luhan, seu namorado, onde o chinês falava que Chanyeol tinha marcado uma viagem. Até ai está tudo bem. Mas, ele convidou Huang ZiTao! ZiTao o veado mais metido da face da Terra, e ex namorado do MEU marido.

Quase enfiei o aparelho na fuça de Chanyeol. Eu estava puto da vida. Ah se estava!

 — Ah é isso? — Perguntou na cara de pau.

— Como assim, isso, Park Chanyeol?! — Indaguei encabulado pelo desdém dele.

— Só isso, Baekhyun! Eu convidei os meninos para uma viagem em turma.

— E o ZiTao? Explique-me o ZiTao! A viagem pouco me importa! — Fui ao ponto.

— Ah, é por isso que você está nervoso? — Ele perguntou fazendo graça.

— Park Chanyeol... — Adverti.

— Fica calmo amorzinho. Eu vou explicar, é o seguinte. Eu estava na fila do supermercado com o Luhan, e eu não havia visto o Tao na fila do lado. Então ele escutou toda a minha conversa com o Luhan, sobre a viagem e pediu para vir. Eu não podia falar que não! — Ele explicou.

— Claro que podia! Park Chanyeol, se você falar sim pra tudo o que te pedir, você vai se ferrar na vida! Ah Deus! Eu não tenho paciência para aturar essas suas lerdezas!

Com certeza, meu noivo era o cara mais bondoso e sem maldade do mundo. Era burro e lerdo as vezes — sempre —. Tá, eu amo ele, mas, chamar o meu maior inimigo para a viagem em amigos foi mancada. Mancada!

Senti a famosa sensação de querer matar alguém e desferi um tapa no ombro do Chanyeol, esse foi apenas o primeiro de muitos outros. Minha sessão “estapear Park Chanyeol” foi interrompida pelas suas mãos agarrando meu pulso.

— Isso dói, Baekhyun! — Reclamou.

— É para doer mesmo! Idiota!

Minha raiva foi substituída por tristeza e eu desatei a chorar no ombro de Chanyeol. O mesmo me fazia carinho na cabeça e pouco tempo depois, afastou meu rosto de seu ombro com as mãos e me fez o olhar.

— Vai ficar tudo bem, Baekhyunee. Eu amo você. Não o Tao! — Ele falou e beijou minha bochecha.

~~

Uma semana se passou, e eu não estou gostando nada dessa ideia do ZiTao ir, mas, é como Kyungsoo diz, aceita que dói menos.

Levei a ultima mala para o carro e tranquei a porta da minha casa. Ouvi Chanyeol buzinar e eu o lancei um olhar mortal.

— A próxima vez que você buzinar eu arranco essas suas orelhas gigantes da sua cabeça! — Falei enquanto colocava o cinto de segurança.

— Baekhyun, amor, estamos indo para Haeundae! Relaxa! — Falou rindo enquanto colocava os óculos escuros.

Relaxei no banco do carro e coloquei meus óculos escuros. Suspirei fundo enquanto Chanyeol dava partida no carro. Meus músculos estavam tensos só de pensar em ter de aturar o demônio em pessoa.

Passar cinco horas dentro de um carro, com Chanyeol falando em minha cabeça e cantando alto, as musicas que tocavam na radio, iria ser osso!  Após passar na casa de Kyungsoo e Jongin, busca-los com o primogênito do casal, iriamos encontrar Luhan e Sehun em posto de gasolina próximo da casa dos dois.

— Como vai a vida Byun? — Jongin indagou.

— Está tudo bem, tirando Huang ZiTao. — Falei.

Ouvi Chanyeol bufar e o casal rir. Kyungsoo, que estava no banco do meio, chutou meu cotovelo de leve, pelo retrovisor, pude o ver negar com a cabeça e eu me calei.

Apesar de Kyung ser mais novo, ele era muito serio e um ótimo melhor amigo. Sempre me falava as verdades na cara e me dava uns toques quando eu estava sendo ridículo, como agora. 

— Ok, desculpa Channy. — Falei o olhando.

Ele sorriu de canto e entrelaçou nossa mão.

— Eu te entendo Baek. Não se preocupe. — Falou rindo.

E assim foi seguindo a viagem. Nós conversando baixo, o bebê acordando e dormindo toda hora e Sehun nos lingando a todo o momento pra conversar. 

Quando chegamos ao resort meu queixo caiu, todos nós colaboramos para reservar o resort. Mas eu não sabia que meu dinheiro seria tão bem gasto assim. O resort era lindo e pelo sol quente que fazia, por causa do verão, ficava ainda mais bonito.

Enquanto levava minha mala com uma mão, apertei a de Chanyeol, assim que vi Tao na recepção. Olhei para cima e ele me lançou um olhar confortante.

— Casais! — Tao exclamou assim que nos viu. — E bebê.

— Oi Tao! — Eles o cumprimentaram.

Ouvi Channy pigarrear e eu sorri falsamente, falando: — Olá Tao!

— Oi gente, olá Baekhyun. Você está muito bonito, e mais gordo. — Falou rindo.

Ele me chamou de quê?

— Gordo é o seu...

— Baekhyun! Por que nós não colocamos nossas coisas no quarto e vamos dar uma volta? — Kyungsoo sugeriu me cortando.

O olhei e ele me devolveu com um olhar negativo.  Nós subimos e eu deixei minhas coisas no meu quarto com o Channy.

— Vai mesmo passear com eles? Vai me deixar sozinho aqui? — Chanyeol falou enquanto eu vestia a bermuda.

— Sim. E ai de você se eu ficar sabendo que você chegou muito perto de ZiTao. — Falei e ele riu.

— Se eu chegasse como saberia?

— Sehun é muito fofoqueiro. Ele conta para Luhan que me conta.

— Eles são o casal da fofoca. Deveriam ganhar um premio por isso. — Chanyeol falou e eu concordei.

Os dois eram um tanto fofoqueiros, mas Luhan conseguia ser mais que Sehun. Ele só não contava coisas serias, agora tirando isso, nunca ficava somete entre Luhan.

— Mas, Baek. Fique sossegado, vá passear com os meninos, mais tarde nós nos encontramos. — Falou e selou nossos lábios.

Fiquei na ponta dos pés para que alcançasse os seus lábios. Parei o beijo e calcei o chinelo rápido.

— Tchau amorzinho. — Falei indo em direção a porta apressado.

— O celular Baek. — Chanyeol falou.

Dei meia volta e fui correndo até Channy, que estava com o meu celular em mãos e sorrindo divertido para mim, peguei o celular e lhe dei um selinho, saindo do quarto correndo. Peguei o elevador e logo já estava no saguão. De longe avistei Kyungsoo e Luhan conversando.

— Vamos? — Perguntei assim que cheguei ao lado dos dois.

— Demorou. Pensei que tivesse desistido do passeio. — Luhan disse malicioso e Kyungsoo riu.

Eu mostrei língua aos dois e eles riram.

— Você fala isso, porque fez uma rapidinha pro Sehun antes da viagem. — Falei e ele arregalou os olhos, se entregando.

— O que?

— Meu amor, vou lhe explicar melhor. Oh Sehun não fica confortável viajando de carro, ainda mais cinco horas. Então você, como um bom namorado fez uma rapidinha para ele se acalmar. Aposto que adiantou. — O expliquei e Kyungsoo soltou uma gargalhada alta.

— Tá, mas como...

— Casal da fofoca. O feitiço virou contra o feiticeiro. Sehun contou para Chanyeol, que deixou essa informação escapar.

Enquanto andávamos pela cidade, Luhan bufava, enquanto Kyungsoo ria. Eu apenas estava preocupado com o meu marido.

— Fica calmo Baek, ZiTao não vai colocar um “boa noite Cinderela” na cerveja do Chanyeol, levar ele pro quarto e abusar do seu corpinho escultural. — Kyungsoo se pronunciou.

— Ah, obrigada pela parte que me toca. Tranquilizou-me muito Do. — Falei e eles riram.

Quando chagamos a praia, nos sentamos na areia e ficamos observando o mar, conversando sobre varias coisas fúteis e muito, muito erradas.  Até eu começar a passar mal.

Eu sentia frio e calor ao mesmo tempo. Tontura, ânsia de vômito entre outras coisas.

— Vou voltar gente. — Falei por fim.

— Você está branco, Byun. — Luhan falou assustado.

— Ele é branco, Luhan! — Falou e ele ganhou um olhar reprovador de Luhan, então logo se calou. — Você está se sentindo bem Baekhyunee?

— Não. Eu vou voltar e descansar um pouco. Acho que foi uma péssima ideia não comer aquele salgado na ultima parada. — Falei me levantando.

— O que você está sentindo exatamente? — Luhan perguntou.

Boas razões para ter um amigo que está quase se formando em medicina. Ele sempre sabe o que você tem.

— Ânsia de vômito, tontura, fome, frio e calor ao mesmo tempo. Sei lá, muitas coisas ao mesmo tempo. — Falei colocando a mão na testa.

Estranho, eu estava soando e estava com frio.

E como se Kyungsoo tivesse lido minha mente, ele falou: — Mas você está soando, Baekhyun.

— Eu sei. Até depois meninos.

Deixei os dois para trás e comecei meu trajeto para a volta do resort. O caminho parecia estar mais longo do que na ida. Isso apenas piorou minha situação. Chegando ao resort, avistei os meninos no bar e um Jongin alimentando o seu bebê longe dos bêbados.

Era só o que me faltava mesmo.

Ignorei-os e andei preguiçosamente para dentro do lugar.

— Yah! Baekhyunee? — Escutei Jongin me chamar.

Virei-me lentamente e encontrei todos eles me encarando.

— Sim?

— Onde estão Kyung e Lu? — Sehun perguntou.

— Na praia. — Respondi simplório.

Eles deram de ombros e voltaram ao seu papo. Estava alcançando o elevador quando senti meu braço ser puxado com um pouquinho de violência, me fazendo ficar mais tonto do que já estava. Fechei os olhos com força para não vomitar ali mesmo. Quando eu os abri, dei de cara com a imensidão negra dos olhos de Chanyeol.

— Você está bem, amor?

— Não. Eu vou subir ok? — Falei apertando o botão do elevador.

— O que você tem? — Perguntou visivelmente preocupado.

— Só é um mal estar, não se preocupe e volte a se divertir com os outros. Logo eu melhoro e desço para ficar de olho em você. — Falei tentando fazer piada.

Ele riu fraco e depositou um selar em minha testa. — Eu vou lá te ver de uma em uma hora para ver se você melhorou.

— Rá, duvido. Você está bebendo Channy, você não lembra nem o seu nome quando bebe mais de cinco Budweiser. — Falei.

— Veremos então. — Falou sorrindo de lado.

O elevador chegou e ele me deu um selinho rápido antes da porta se fechar. Assim que cheguei ao quarto, despenquei na cama e dormi o melhor sono da minha vida.

...

— Baek?

— Hm?

— Abra os olhos.

Fiz o que pediram e eu dei de cara com Luhan, Kyungsoo e Minho, seu primogênito.

— Melhorou? — Luhan perguntou.

Pelo contrario, parecia que havia passado cinco caminhões cegonha em cima de mim. Meus olhos parecia estarem pregados uns ao outros e minha cabeça estava explodindo. Sem contar que a vontade de vomitar já veio e já voltou umas cinco vezes só neste instante que eu acordei. Que faz nem cinco minutos.

— De verdade? Não. — Falei com o braço nos olhos. — Quando chegaram?

— Um pouco depois que você. — Kyungsoo falou, completando. — O que faz umas cinco horas.

— Ah tá... Espera, você disse cinco horas? Cinco? — Perguntei assustado.

— Sim. Você dormiu cinco horas seguidas. — Luhan falou. — Imagino esteja com fome.

Ele falou e meu estomago deu sinal de vida. Coloquei a mão na barriga e acenei manhoso. Senti algo estranho quando toquei minha barriga. Uma pontada no coração.

Ok, estranho.

 — Espere um pouco, Chanyeol foi buscar algo para você. Mas, enquanto ele não chega, eu preciso que você faça uma coisa. — Luhan disse.

O olhei estranho, e mesmo com receio concordei com a cabeça.

— Sehun, traz o negocio que eu te pedi. — Falou e só agora havia percebido que Sehun também estava no quarto.

— Baek, seja lá o que você veja agora, apenas mantenha a calma. Precisamos tirar a duvida sobre isso, e só pode ser agora. — Dyo falou me assustando.

— O que vocês estão aprontando?

— Eu vou ficar na porta vigiando. — Sehun falou e Minho sentou no colo do mesmo.

Luhan me puxou para o banheiro do quarto e me sentou no vaso sanitário. Kyungsoo vinha logo atrás com uma das mãos escondidas em suas costas.

— O que vocês estão aprontando? — Perguntei pela segunda vez.

— Cala boca e mija. — Luhan falou grosseiramente.

Me espantei com o seu modo de falar e Kyungsoo riu, tirando de traz de suas costas um teste gravidez.

— Ah, pelo amor de Deus. Eu não estou gravido. — Falei.

— Vamos provar então. — Kyung disse me entregando o teste.

Bufei rolando os olhos e peguei o teste irritado.

— Será que vai demorar muito ai? Channy logo chegará! — Sehun gritou.

Os meninos saíram e eu fiz o teste. Após alguns minutinhos o resultado veio, e consigo, Chanyeol.

Entrei em desespero assim que escutei sua voz me procurando. Senti meu corpo gelar, minhas mãos trêmulas foram até a maçaneta gelada e eu a girei. Com o teste em mãos eu olhei chocado para eles que me esperavam no quarto.

— Ah, Baek. Você acordou! — Chanyeol falou animado.

Sehun, Luhan, Kyungsoo e até mesmo Minho me olhavam esperando uma resposta.

— E ai Baek? — Sehun se pronunciou.

— O que é isso? — Channy perguntou chegando mais perto.

— E-eu... Eu estou... Gravido?

— GRAVIDO? — Chanyeol gritou arregalando os olhos.

Eles comemoraram e eu, ainda em choque, olhei para Chanyeol receoso. Mas, fiquei tranquilo quando em seu rosto estava estampado um sorriso — daqueles enormes — e seus olhos estavam brilhantes. Ele me abraçou forte e me girou no ar.

— Chanyeol! Me põe no chão! Eu vou vomitar! — Berrei.

O mesmo me soltou e eu vi tudo ficar embaçado.

Me sentei na cama esperando que tudo parasse de girar, e quando terminou, eles me olhavam ansiando uma resposta.

— Mwo?

— Você vai ficar assim? Não vai comemorar? — Luhan perguntou.

— Não. Por quê? É só um filho. — Falei irritado.

Eles me olharam assustados e saíram do quarto, me deixando sozinho com Chanyeol. Deitei na cama, pronto para dormir novamente.

— Baekhyunee?

— Hm?

— Você não está feliz? — Perguntou.

Me virei irritado. Mas, assim que vi os seus olhos marejados eu amoleci. Eu estava sendo injusto. Um tremendo de filho da puta.

— Estou.

— O que te chateia?

— Eu não estou pronto para ter um filho, Channy. — Falei.

— Eu vou ficar do seu lado, não se preocupe. — Falou selando nossos lábios. — Vem, vamos para piscina.

Calçamos os chinelos e fomos para a piscina. Em uma ocasião dessas, eu pediria um drink bem gelado, ou até mesmo uma cerveja, mas eu não posso mais beber.

Olhai ai bebê, está pondo um pouco de juízo na cabeça do papai Baek. Obrigado.

Quando me sentei na cadeira ao lado de Kyungsoo e Minho, que estava no seu colo todo lambuzado de picolé estava um amor, coloquei os óculos escuros e a assombração apareceu.

— Quem morreu? — Tao perguntou.

— Você, se continuar perto de mim. — Falei grosso.

Kyungsoo me beliscou por debaixo da mesa e eu reprimi o grito e falei: — Desculpe.

— Que bicho te mordeu Baek? Está muito agressivo. — Ele falou sentando na nossa frente, sorrindo.

A pica do seu avô. Desgraça!

— Deve ser o calor. Me desculpe, não estou acostumado com esse sol rachando meu couro. — Falei rindo falsamente e Kyungsoo me seguiu.

— Suco para você, meu amor. — Chanyeol apareceu me dando o copo com o liquido vermelho acompanhado de pedrinhas de gelo.

Amém Park Chanyeol!

— Obrigada, amor.

— Parou de beber? — O intrometido do Tao perguntou.

— Não é da... — Kyungsoo tossiu falsamente, me interrompendo. — Parei sim. Não posso mais beber.

— Wae?

— Eu estou gravido, ZiTao. — Falei e ele arregalou os olhos.

— Ah, meus parabéns! — Ele falou. — E eu achando que ainda poderia roubar Chanyeol de você.

Ele sussurrou, mas eu escutei. Chutei sua canela e ele gritou de dor.

— Desculpe, não vi sua perna ai. — Falei fingido.

Kyungsoo e Chanyeol riram quando Tao saiu dali e foi para a piscina.

— Depois eu sou agressivo sem motivo. — Falei bebericando o suco de frutas vermelhas.

— É sem motivo sim. Eu só tenho olhos para você, Byun. — Chanyeol falou.

Sorri e lhe dei um selinho, e voltamos a conversar com Kyungsoo. Logo Sehun, Luhan e Jongin chegaram e se juntaram a nós.

Com certeza essas foram as melhores férias que eu já tive.

Ah, esqueci-me de dizer, o meu bebê, é um menininho. Luhan e Kyungsoo vivem se alfinetando para ver quem será o padrinho do bebê. Mal eles sabem que ao invés de um, são dois meninos.  


Notas Finais


Dedico essa caralha para a puta da Ester. Espero que você morra, vadia!

BRINCADEIRA TE AMO!!!

Se encontrarem algum erro, me falem rapidamente para que eu possa concertar!!!

(^~^) espero que tenham gostado!

Beijinhos, sz!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...