História Dear Doctor - Wico Solangelo - Capítulo 12


Escrita por: ~

Postado
Categorias Percy Jackson & os Olimpianos
Personagens Hazel Levesque, Nico di Angelo, Reyna Avila Ramírez-Arellano, Will Solace
Tags Gay, Hdo, Nico Di Angelo, Percy Jackson, Pjo, Romance, Solangelo, Wico, Will Solace
Exibições 156
Palavras 1.080
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ficção, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Yaoi
Avisos: Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


Hello people
Estou finalmente de férias, e esse é o penúltimo capítulo da fanfic, espero que gostem

AVISO: LEMON, SEXO. +18

Capítulo 12 - Oh, fuck me


NICO DI ANGELO

Fechei meus olhos lentamente, suas mãos invadiram por baixo de minha camiseta, sustentando-me, enquanto deitava-me com delicadeza no colchão. Meu tronco começou a pinicar, ao toque da aspereza do lençol. O loiro afastou as mãos de mim, o que fez-me descolar minhas pálpebras, levou os dedos na barra de sua camisa, puxou-a rapidamente, deixando seu abdome a mostra- o bronzear de seus músculos, e o tamanho dos mesmos fez-me deseja-lo ainda mais. Pude sentir meu maxilar se deslocar para baixo ao admira-lo, escutei o riso de Will, fazendo-me corar. Seu corpo se inclinou sobre o meu novamente, sua respiração bateu contra meu pescoço, provocando-me um arrepio. Sua mão se prendeu a um de meus pulsos, e calmamente, ele levou-a ao que eu tanto olhava. A ponta de meus dedos tocaram-lhe os músculos, afundei-os, fazendo com que uma curva se formasse ao canto dos lábios do maior. 
“Deuses...” suspirei, e logo ele levou meu pulso mais para baixo, raspando em sua virilha. Senti algo duro sob a calça. 
Percebi o morder de lábios de Will, sorrindo fraco. Ele deixou meus braços livres, seus joelhos afastaram-me as pernas, e então, ele se colocou entre elas, gemi baixo, ao encontrar de nossas ereções. Seus lábios umedecidos se arrastaram por meu pescoço, contrai minhas pálpebras, sob uma forte pressão em meu membro. Seus dentes prenderam na gola de minha camiseta, o maior brincou com a mesma, enquanto aproveitava o controle que obtinha sobre mim. Seu rosto desceu mais, seu queixo raspou em minha barriga ainda coberta pelo tecido. Afastou um tanto do mesmo entre a pequena fresta que se prostrava entre a camiseta e o jeans, sua boca ali, se pressionou, urrei, ao sentir seus lábios se fecharem ali, enquanto deixavam-me marcado com suas chupadas. Sua língua encostou em minha pele, minha barriga se contraiu, ao subir da mesma, juntamente a peça que cobria-me, quando sua superfície encontrou meu elo, ela contornou-o, gemi baixo, apertando o colchão. Em seguida, sua cabeça abaixou-se mais, e pude senti-lo belisca-lo levemente, chupadas mais fortes se sucederam após isso. 
Meu membro incomodava-me ao ser comprimido ao tecido da boxer, sob o jeans, e o fato do loiro roçar o dele em minha coxa não estava ajudando-me em nada. A quentura que se fixava á minhas partes baixas impedia-me de sentir o pré gozo escorrendo, mas tinha certeza que isso já havia acontecido assim que ele subira em cima de mim. 
“Will...por favor” implorei-o, enquanto ainda se mantinha na parte superior de meu corpo, mas mal notara- eu acho- que a inferior estava muito mais necessitada de tudo aquilo. Assustei-me ao sentir algo puxar minha calça para baixo rapidamente, suas mãos firmes passaram por minhas coxas, até chegarem a minha bunda, senti seus dedos se fecharem com força, arfei, imaginando as suas digitais gravadas em tal área no dia seguinte. 
Seu quadril apertou minha virilha, fazendo com que minhas pernas ficassem totalmente abertas, seu tronco se levantou aos poucos, o jeans, o qual vestia, desceu por seu corpo, juntamente com a boxer branca. Sua ereção, conforme se livrava das roupas, era mais visível. Meus olhos acompanharam todo o processo, meu membro já pulsava, sabia que não aguentaria ficar preso por muito mais tempo, aquilo já começara a doer, e eu precisava que o loiro fizesse aquilo parar. E como se escutasse meus pensamentos, ele puxou as vestimentas inferiores com voracidade, soltei um gemido alto, por tamanho alivio, e quando voltei meu olhar ao meu membro, ele se prostrava em pé, envolvido pela palma das mãos de Will. Mordi meu lábio, vendo o liquido escorrer por toda sua extensão. A boca do loiro se abaixou, eu a preenchi com minha ereção, arfei, seus dedos se aproximaram de meus testículos, senti-o apalpa-los e aperta-los, engoli a seco, comprimindo o gemido. Mas o mesmo logo foi solto, quando o loiro movimentou seus lábios de maneira lenta na pele que cobria meu pênis, a velocidade tão tortuosa a qual o fazia, me deixava ainda mais excitado. Meus dedos subiram para seu cabelo, empurrando sua nuca para baixo, fazendo-o engoli-lo por inteiro. Sua intensidade foi aumentando conforme rapidez que fazia os movimentos. A língua do maior ia e vinha por todo ele, quando ele apertou minha glande, pude delirar por alguns segundos, antes de sentir uma explosão gostosa, e então me vir em sua boca. Meu coração estava a mil, minha respiração falhava, tentava recuperar o folego, enquanto Will tirava seus lábios de meu membro. Ele se abaixou ao lado dos sapatos, e pegou um pacotinho de dentro do calçado, levou o mesmo aos dentes e o rasgou, o plástico caiu sobre a cama, enquanto o resto da embalagem foi para o lixo. 
Ele a esticou um pouco, antes de desliza-la por toda sua ereção, seus dedos subiram até minha boca, chupei-os, e então eles se voltaram a minha entrada. Estava ansioso, já podia sentir-me excitado outra vez, Will estava sobre mim, e após ouvir muitas histórias desastrosas de "como foi sua primeira vez", poderia admitir que a minha não fora um fracasso. 
Seus dedos adentraram em mim, meu corpo se encolheu, enquanto se contraia entorno deles, a dor começava a se instalar, mas deixei que ele prosseguisse. Ele abriu os dedos, fazendo movimentos de tesoura dentro de mim, mordi o lábio com força, tentando conter o gemido. Ele os retirou, e assim que respirei fundo, a superfície gelada da camisinha tocou-me, o olhar de Will se voltou pra mim, como se perguntasse se podia prosseguir. Apenas assenti, fechei os olhos, e logo algo extremamente duro, invadiu-me. Soltei um grito baixo, abafado pelos lábios do maior que tanto me tranquilizavam. Ele começou a mexer sua virilha em movimentos de vai e vem, enquanto minha bunda se conflitava com seus testículos. Um misto de dor e prazer se formou, e logo o primeiro não existia mais. A cada estocada do loiro, ouvia a beliche estalar e bater na parede. Meu membro encostava em meu abdômen ao meu corpo subir e descer, o loiro envolveu-o novamente, e começou a masturbar-me. Meus olhos se reviraram ao senti-lo encostar em minha próstata, um gemido rouco saiu de meus lábios. 

"Aaaah...Will" me contorci, antes de senti-lo chegar ao ápice dentro de mim, logo depois, cheguei ao meu. 

O loiro caiu no colchão, exausto e suado, seus braços me envolveram, e ofegante, deitei a cabeça sobre seu peito. Ele acariciou-me os cabelos, a última coisa que me lembro, foi de ter apagado sobre os cuidados de Will. 


Notas Finais


aí tu percebe o quanto você é pura, quando o capítulo de sexo é o maior da fanfic...boa Alyssa
BTW GUYS, espero que tenham gostado, comentem aqui em baixo, amo ler o que acham das merdas que eu escrevo. Então é isso
All the love
Aly


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...