História Dear Hyung - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Topp Dogg
Personagens A-Tom, B-Joo, Hansol
Tags Drama, Hanjoo, Incesto, Romance
Exibições 49
Palavras 3.221
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Bishounen, Famí­lia, Fluffy, Lemon, Romance e Novela, Shonen-Ai, Slash, Yaoi
Avisos: Álcool, Homossexualidade, Incesto, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Falei que ia voltar com uma fic ChangKi mas infelizmente não deu :(
Acho melhor eu parar de prometer as coisas.
Enfim, não é ChangKi mas é Hanjoo que é igualmente bom, espero que gostem!

Capítulo 1 - First chapter.


1

 

Hansol mal podia acreditar, a felicidade inundava cada poro do seu corpo enquanto sentia Byungjoo colar os lábios aos seus. Tudo o que desejou, mesmo que secretamente, por anos estava finalmente se tornando realidade. O mais velho apertava o pequeno corpo de Hansol contra a parede fria enquanto descia os beijos para o pescoço alheio e... wow fantastic baby?

A música soou alta nos ouvidos de Hansol, o despertando de mais um dos seus sonhos proibidos, não era a primeira vez que a sua imaginação criava histórias enquanto dormia, histórias que aos olhos de outras pessoas eram completamente erradas e sujas, mas que para o garoto de cabelos castanhos eram simplesmente os seus mais profundos desejos.

 Já não era novidade o amor que sentia por seu irmão. No começo não passava de pura admiração e apresso pelo mais velho. Mas a medida que o tempo passava, e a adolescência chegava para Hansol, o desejo que insistia em se infiltrar em seu corpo o fazia ter pensamentos nada puros com o irmão.

 Byungjoo era somente dois anos mais velho que Hansol e filho do primeiro casamento de seu pai, cujo a antiga esposa havia falecido. Mas mesmo o fato de serem meio irmãos não impedia Hansol de cultivar desejos pelo mais velho. O mais novo se via fantasiando uma realidade paralela onde ele e o irmão não passavam de meros conhecidos e poderiam se tornar um casal comum. Mas para a infelicidade do baixinho de cabelos castanhos isso não era real. E era agoniante para o mais novo saber que seu “Hyung” nunca o havia olhado como um homem, e sim como um irmãozinho, alguém que precisava de proteção.

 Hansol assistia quieto enquanto seu irmão no auge dos 18 anos estava sempre acompanhado de garotos bonitos, o que já era de se esperar pelo fato de que Byungjoo era extremamente belo, pelo menos aos olhos do irmão. O mais novo possuía uma admiração que ia além da realidade, para Hansol não existia ninguém além do mais velho.

 O mais novo com um péssimo humor e amaldiçoando o despertador por ter o acordado de mais um dos seus sonhos, colocou os pés para fora da cama e saiu do quarto em direção ao banheiro para fazer sua higiene matinal. O que o baixinho havia esquecido era que hoje era sábado e o irmão estaria em casa a essa hora. Hansol só se lembrou disso quando trombou com o irmão na saída do banheiro. O mais novo engoliu seco ao observar o irmão com nada mais do que uma toalha amarrada na cintura e o peitoral molhado.

- Bom dia maninho – Byungjoo disse abrindo um sorriso e seguindo para o quarto deixando um Hansol completamente corado e com a respiração descompensada parado no corredor.

 Depois do que pareceram horas, o mais novo acordou de seus devaneios e entrou no banheiro. A convivência com o mais velho estava se tornando extremamente difícil, vamos ser sinceros, o adolescente estava com 16 anos e seus hormônios a flor da pele, era muito difícil para ele conseguir se controlar quando continuava trombando com seu irmão em situações que só alimentavam os seus desejos.

 Depois que fez suas necessidades e trocou suas roupas, Hansol saiu do banheiro e desceu as escadas encontrando a mãe na cozinha preparando o café da manhã. Desejou um bom dia seguindo em direção a porta. Resolveu sair um pouco de casa para evitar ficar trombando com seu irmão seminu pelos corredores. Seguiu para o único lugar que ia além de sua casa, a escola, e o fliperama que ficava perto de sua casa. Atravessou a rua e bateu a porta e seu vizinho e melhor amigo, Atom.

 A mãe de seu colega atendeu a porta e abriu um sorriso ao ver o baixinho ali. Já era rotina Hansol estar na casa do amigo, era para lá que sempre fugia quando a situação com o irmão estava prestes a sair do controle. Subiu as escadas correndo e abriu a porta do quarto de seu amigo sem bater se deparando um ambiente completamente escuro. Entrou no cômodo tropeçando em alguma coisa jogada no chão e abriu as cortinas deixando a luz do sol iluminar o quarto, revelando um Atom jogado na cama dormindo só de cueca.

- Levanta dai infeliz, ninguém é obrigado a ver essa bunda branca a essa hora da manhã – Hansol cutucava o amigo que apenas o ignorava.

- Sai daqui praga, você não tem casa não? – O amigo abriu os olhos e encarou o baixinho com raiva – Nunca vi, todo final de semana a mesma coisa. Deixa eu adivinhar, seu irmão tá com algum amigo lá de novo?

-Eu não posso querer vir visitar o meu querido amigo de vez em quando? – Hansol respondeu rindo.

- Não – Atom respondeu se levantando da cama contrariado -   Deixa de ser falso e fala a verdade. - O mais alto foi em direção ao banheiro.

- Graças a Deus não tem ninguém lá – Hansol respondeu se jogando na cama. -  Vim aqui só porque eu não tinha nada para fazer.

- Sabe, eu não entendo essa implicância que você tem com todo mundo que chega perto do seu irmão. – Atom falava de dentro do banheiro enquanto escovava os dentes. – Você não tem mais 5 anos de idade para ficar com ciúme de todo mundo que chega perto dele.

- Não é implicância – Hansol disse revirando os olhos. – Eu só não vejo necessidade de ele ficar levando esses “amigos” para dentro do quarto e ficar se esfregando neles.

- Hansol, esse seu ciúme já está passando dos limites – Atom se sentou na cama ao lado do amigo.

- Não é ciúme. – Hansol respondeu enquanto encarava o teto e o amigo percebeu um bico se formando nos lábios do amigo.

- Se eu estivesse no seu lugar eu me sentiria no paraíso. – Atom disse rindo. – Imagina, abrir a porta do meu quarto e dar de cara com algum daqueles amigos gostosos dele.

 O que Atom não sabia, era que Hansol não tinha olhos para mais ninguém além do irmão. E que a presença desses amigos fazia com que o mais novo sentisse cada vez mais que não seria notado pelo mais velho.

 Depois de passar a manhã inteira na casa do amigo, Hansol foi para casa pois seu estomago já começava a reclamar pela falta de comida.

 Quando entrou em casa se deparou com o irmão jogado no sofá assistindo algum programa qualquer.

 Hansol e Byungjoo costumavam possuir o mesmo tom castanho de cabelos, mas recentemente quando foi aceito na universidade, o mais velho cumpriu a promessa que havia feito e descoloriu os seus fios em um tom de loiro tão claro que beirava o branco. O mais novo só foi tirado dos seus pensamentos quando ouviu a voz do loiro falar.

- Mamãe teve que sair e provavelmente vai voltar tarde – Byungjoo disse se levantando.  – Mas ela deixou dinheiro e falou pra gente ir almoçar no shopping, o que você acha?

- Pode ser – Hansol respondeu.

- Vai ser bom, quanto tempo eu não fico com o meu “irmãozinho”. Só vou lá em cima calcar meu tênis.  – O loiro disse subindo as escadas.

 Ah se o irmão mais velho soubesse o que essas palavras faziam com o baixinho. Realmente Hansol queria passar um tempo com o irmão, mas não era comendo fast food. O perfume do irmão despertou o mais novo dos seus devaneios.

 - Vamos? – Byungjoo chamou.

- Claro Hyung.

 

 

~*~

 

  Quando chegaram ao shopping, os dois se dirigiram a praça de alimentação. E o irmão se dispôs a fazer os pedidos enquanto Hansol escolheria um lugar para que pudessem se sentar. Quando finalmente conseguiu uma mesa vazia em meio à multidão sentou e se pôs a observar o loiro em pé na fila. Todas as garotinhas a sua volta cochichavam entre si sem nem ao menos tentar disfarçar. Hansol riu baixo, o irmão não gostava de garotas, pelo menos isso, aos olhos do mais novo, significava um obstáculo a menos. Mas ainda tinha que disputar a atenção do irmão com as amizades coloridas do mesmo. O que já era por si só muito desanimador.

 Os olhos de Hansol se fixaram no irmão que caminhava em sua direção com uma bandeja na mão. O mais velho sentou à sua frente e os irmãos começaram a conversar sobre coisas aleatórias.

- Mas e ai maninho – Byungjoo disse. – E os namorados?

- Credo Joo você tá parecendo a Tia Kim – Hansol disse tentando desviar do assunto, rindo de leve.

- Haha muito engraçado – Byungjoo disse. – Mas agora é serio, você tá gostando de alguém?

 Hansol pensou um pouco pra responder, sim ele gostava, mas não era muito normal dizer para o seu irmão que você gosta dele. No mínimo ele vai te achar um pervertido louco. Mas vontade era o que não faltava, então Hansol resolveu omitir uma parte da história.

- Sim, eu gosto de alguém hyung. – O mais novo disse olhando para baixo.

- E eu posso saber quem é esse alguém? – Byungjoo perguntou.

Você seu idiota, era o que garoto mais queria gritar, mas se conteve.

- Não, não pode. – O mais novo riu.

- Aish, porque não? – Byungjoo sentia necessidade de saber mais sobre a vida do irmão. – E esse alguém gosta de você?

- Não, ele é um idiota. – Hansol disse. – Está escrito na minha testa que eu sou louco por ele, mas ele não enxerga.

- É, ele é mesmo um idiota. Não sabe o que está perdendo. – O mais velho disse. E por um momento Hansol jurou ter visto um brilho diferente nos olhos do irmão. O mais novo temia que pudessem escutar seu coração de tão forte que ele batia em seu peito. 

  Os dois continuaram por mais um tempo no shopping até que o cansaço bateu e os dois decidiram voltar para casa. No meio do caminho o loiro recebeu uma ligação de sua mãe dizendo que não dormiria em casa hoje pois algum imprevisto que ele já não se lembrava mais havia acontecido.

 Chegando em casa os dois irmãos se jogaram no sofá e começaram a assistir um filme qualquer que passava na televisão. Depois de um tempo o mais velho seguiu em direção a cozinha e voltou com uma garrafa de vodka nas mãos. Desde quando aquela casa tinha bebidas? Hansol não sabia, pois seus pais eram do tipo “politicamente corretos” e não bebiam.

- Eu trouxe da faculdade. – Byungjoo respondeu a pergunta interna de Hansol. O filme foi esquecido e o mais novo estava mais interessado em observar o irmão que olhava atentamente a TV e em curtos espaços de tempo levava a garrafa até os lábios e ingeria o liquido, em seguida lambia os lábios para um tempo depois repetir o mesmo processo.

 - Quer um pouco irmãozinho? – Byungjoo ofereceu reparando no súbito interesse do castanho.

O mais novo não costumava beber pois era fraco, mas não querendo demonstrar isso na frente do loiro aceitou a garrafa levando ela aos lábios e dando um belo gole. O liquido desceu ardendo por sua garganta mas Hansol não demonstrou pois sabia que o irmão estava o observando.

- Vai com calma Sollie. – Byungjoo disse rindo. Hansol estava estranhando as atitudes do irmão que parecia estar flertando, pois o mesmo nunca havia demonstrado nenhum tipo de afeto que não fosse fraternal pelo mais novo. Mas preferiu não se iludir e parar de pensar nesse assunto.

  Voltaram a prestar atenção no filme mas agora dividindo a garrafa da bebida. Algum tempo depois Hansol já se sentia mais solto e o seu corpo encostava constantemente com o do irmão no sofá.

 - Tive uma ideia. – Byungjoo disse se levantando do sofá de uma vez fazendo o mais novo se assustar.

- Ih, lá vem merda. – Hansol disse olhando para o irmão que o encarava com um sorriso no rosto.

- Isso é jeito de falar com o seu Hyung? – Byungjoo disse fingindo estar ofendido.

- Desculpa Hyung. – Hansol disse se esticando no sofá. – Fala ai qual a sua ideia genial.

- Vamos jogar verdade ou consequência. – Byungjoo disse sorrindo.

 - Eh, hyung, eu não queria estragar sua ideia genial, mas só estamos nós dois, não dá pra jogar. – Hansol disse sorrindo de lado. Era incrível como o mais velho conseguia ser tão inteligente e lerdo ao mesmo tempo. Mas podemos colocar um pouco da culpa de toda a lerdeza em cima da bebida.

- Aish, vamos fazer assim então. – O mais velho disse pegando a garrafa nas mãos. – A gente faz perguntas um para o outro e quem não quiser responder tem que tomar um gole, o que acha?

 O mais novo sabia que isso não era uma boa ideia, mas como sempre, ele não conseguiria negar nada que o irmão o pedisse.

- Ta bom. – Hansol respondeu se sentando no chão da sala e o mais velho se sentou a sua frente.

- Quem começa? – Byungjoo perguntou.

- Tanto faz. – Hansol respondeu.

- Credo irmãozinho, pra que toda essa animação. – Byungjoo respondeu sorrindo. – Então eu começo, quem é a pessoa que você gosta?

 Hansol engasgou com a própria saliva, não esperava beber logo de cara no inicio do “jogo” mas não podia responder  a pergunta.

- Me passa a garrafa. – O mais novo pediu abaixando o olhar e escutando uma risada baixa vinda do mais velho. Levou a garrafa a boca dando um longo gole e limpando os lábios com a língua. Enquanto se recuperava da ardência em sua garganta, Hansol não reparou que a sua frente o mais velho encarava a cena com os olhos fixados em seus lábios.

- Ok sua vez. – Byungjoo disse fazendo Hansol o olhar.

 - Você já foi passivo Hyung? – Hansol perguntou e se a intenção dele era fazer o irmão ficar constrangido ele conseguiu. O mais novo deu uma risada ao notar o irmão corar fortemente.

 - Ei, Kim Hansol, onde você está aprendendo essas coisas? – Byungjoo disse sentindo suas bochechas corarem.

 - Ah nem vem Hyung, você sabe que nós dois temos os mesmos gostos. – Hansol disse rindo baixo.

- Mesmo assim. – Byungjoo respondeu – Eu fico sem graça. –

- Só responde Joo. – Hansol disse bufando.

- Sim, uma vez. – Byungjoo respondeu sem graça, para a surpresa do irmão.

- Que? Sério? – Hansol disse surpreso.

- Porque a surpresa?. – Byungjoo perguntou.

- Ah sei lá. Você não tem cara de passivo. – Hansol disse corando.

- Foi só uma vez e foi pra saber como era, não sou passivo normalmente. – Byungjoo respondeu e o mais novo quase gritou eu sabia, mas se conteve. – Minha vez agora.

- Manda a ver. – Hansol disse.

- Você é virgem irmãozinho? – Byungjoo perguntou

- Para de me chamar assim, não tenho mais 10 anos de idade. – Hansol disse encarando o chão tentando disfarçar sua vergonha. Não queria parecer um adolescente inexperiente na frente do seu irmão.

- Responde a pergunta então. – Byungjoo disse o encarando.

- Sim. – Hansol respondeu baixo desviando o olhar do rosto do seu irmão.

- Não precisa ter vergonha disso Sollie. – Byungjoo respondeu achando fofo a reação do irmão. – Sua vez de perguntar. – O mais velho disse tentando aliviar a timidez do mais novo.

-  Você já tirou a virgindade de alguém? – Hansol disse tentando disfarçar seu nervosismo por estar falando de sexo com o irmão.

- Errm, já. – Byungjoo respondeu sem graça. – Não foi nada demais, só tive que ser um pouco mais cuidadoso.

- Ah, entendi. – Hansol respondeu torcendo para que o irmão não tenha percebido o real sentido da pergunta. Mesmo sendo impossível, o mais novo ainda sonhava com o dia que teria a sua primeira vez com o loiro.

- Minha vez irmãozinho. – Byungjoo disse rindo da cara feia que o irmão mais novo fez. – Você já se masturbou pensando em alguém que não devia?

Hansol engasgou ao ouvir a pergunta do loiro. Ah se ele soubesse quantas vezes o seu “irmãozinho” já havia se tocado pensando nele.

- Sim. – Hansol respondeu rindo de canto. A bebida definitivamente já estava fazendo efeito, visto que os dois pararam de se importar com as regras do jogo e já estavam quase terminando a garrafa. O mais novo nunca teria coragem de falar coisas desse tipo na frente do irmão. Pois na sua cabecinha qualquer coisa poderia servir para que o loiro descobrisse o desejo que o mais novo nutria por si.

- Pensando em quem? – Byungjoo disse com um sorriso safado no rosto, porém Hansol ainda não acreditava que finalmente o sorriso que tantas vezes viu ser direcionado aos amigos finalmente ser seu.

- Não te interessa Hyung. – Hansol disse com um sorriso levado e em seguida mostrando língua para o loiro.

- Olha o respeito com seu irmão. – Byungjoo disse rindo. – Você não tem medo de morrer não?

- Não. – O mais novo respondeu com uma risada sapeca e lançou um olhar desafiador ao mais velho.

- Ah, mas você não perde por esperar. – Byungjoo engatinhou até onde o irmão estava sentado e rapidamente se colocou sobre o corpo do mais novo, fazendo cosquinhas em toda a extensão do tronco do irmão.

 Hansol só conseguiu camuflar todo o seu nervosismo pela posição em que se encontravam porque estava muito ocupado tendo uma crise de risos devido as cócegas do irmão.

 Byungjoo parou o que estava fazendo para observar seu irmão se contorcendo e gargalhando abaixo de si e chegou a conclusão de que Hansol possuía a risada mais gostosa do universo. Involuntariamente o olhar do mais velho se fixou nos lábios do irmão entre abertos devido a respiração ofegante. Os lábios vermelhos nunca pareceram tão atrativos. Uma luta interna começava a se travar no interior de Byungjoo, e devido aos efeitos da bebida (ou por vontade própria) uniu seus lábios aos do irmão num beijo desajeitado.

 Hansol temia que seu coração pudesse sair pela boca, ele batia freneticamente enquanto os lábios do irmão estavam firmemente pressionados aos seus. Mas foi puxado a realidade quando percebeu que o momento que sempre sonhou estava finalmente acontecendo. Rapidamente o mais novo abraçou o irmão pelos ombros o puxando para baixo e colando os corpos. Byungjoo que já havia perdido qualquer resquício de bom senso aprofundou o beijo deixando escapar um gemido rouco no momento em que as línguas se encontraram. O mais velho se encontrava embriagado pelo gosto do irmão, nem em seus sonhos mais loucos ia se imaginar no chão da sala beijando e se esfregando em Hansol e com toda a certeza também não imaginava o quão bom seria aquilo.

 O coração do mais novo batia freneticamente dentro do peito, o beijo do Byungjoo conseguia ser mil vezes melhor do que havia pensado. A fricção das línguas era capaz de enlouquecer o mais novo e ele sentiu todo o resto de sua sanidade ir embora no momento em que sentiu sua língua sendo sugada. O mais velho beijava Hansol com maestria e quando Hansol enlaçou suas pernas à cintura colando os corpos ainda mais, Byunjoo sentiu uma fisgada em seu membro. Voltando a realidade o loiro se afastou rapidamente do irmão e se levantou. Saiu de casa às pressas e tropeçando nos próprios pés. 

 O que mais o chocava não era o que tinha acabado de fazer com o próprio irmão e sim o quanto ele havia gostado disso.

 


Notas Finais


Eu li e reli esse capítulo mais de mil vezes mas se tiver algum erro me perdoem.
Qualquer coisa podem me chamar no twittee :) @kihyunaja


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...