História Dear Kidnapper - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Personagens Originais, Rap Monster, Suga, V
Tags Babygirl, Bts, Dearkidnapper, Drama, Família, Hentai, Juhavs, Jungkook, Mulheres, Novela, Prostituição, Prostitutas, Sadomasoquista, Shoujo, Trafico, Violencia
Exibições 178
Palavras 1.170
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Crossover, Drama (Tragédia), Famí­lia, Hentai, Mistério, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Universo Alternativo, Violência
Avisos: Adultério, Álcool, Estupro, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sadomasoquismo, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OLHA QUEM VOLTOU
FINALMENTE NÉ?
JA TA QUASE O NATAL E EU NÃO POSTO NADA
MAAAAS
Essa demora valeu a pena, essa é a "surpresa", bem dizer, que estava preparando para vocês, espero que gostem! ❤

Ops: no lugar de (S/N) vocês podem colocar os próprios nomes ou algum outro, eu realmente não tenho idéias de nomes então vai continuar (S/N), mianhae...

Capítulo 1 - "I Love You, Mama!" - Cap 1


Fanfic / Fanfiction Dear Kidnapper - Capítulo 1 - "I Love You, Mama!" - Cap 1

POV's Jungkook 


 -Senhor, chegaram as novas prostitutas. Estão à espera na sala de estar para serem escolhidas. -Diz Kim Namjoon, um dos meus ajudantes.

-Avisem-nas que já estou descendo. -Digo tomando mais um gole de vinho em meu copo. O mesmo assentiu e saiu do quarto me deixando sozinho novamente. Levantei de minha cadeira e fui até o banheiro molhando o rosto e voltando ao quarto em busca de uma camisa, assim vesti a mesma e desci as escadas indo até a grande sala de estar, encontrando as minhas novas putinhas, as mesmas eram retiradas de suas famílias a força para trabalharem para mim. Não me importava com isso, vadias são vadias.

Observava seriamente as mesmas com as mãos amarradas para trás ajoelhadas em meu tapete. Aparentavam serem mais velhas, uns 30 ou 35 anos. Por que? Simplesmente não sei. Só curto mulheres mais velhas. Olhava cada uma e nenhuma chamava minha atenção. Já estava irritado e mandei prende-las novamente. 

Sentei me na poltrona e chamei uma de minhas "empregadas". A mesma já estava sentada em meu colo e eu metia meus dedos com força em sua vagina fazendo a mesma gemer altamente. Ouvi alguém bater na porta da sala e entrar. Parei o que fazia e mandei-a voltar para onde estava.

-Senhor, esquecemos de uma. Não sei se vai gostar... -Diz Kim. 

 -Se já sabe que não vou gostar, então por que trouxe? Mande-a entrar! -Ordenei e assim fez. Uma moça que aparentava ser bem jovem entrou forçada por meus seguranças que logo jogaram-a de joelhos a minha frente. 

-Está é a (Seu Nome). -Completou, Kim. 

Fitei a garota de cabelos castanhos a minha frente e percebi que a mesma chorava silenciosamente com a cabeça abaixada. 

-Olhe para mim. -Ordenei e a garota mal se mexeu. Fui até ela e com as mãos segurei seu queixo com força a fazendo levantar o rosto e me fitar mas a mesma continuava a tentar desviar o olhar. -Eu. Mandei. Olhar. Pra. Mim! -Ordenei erguendo a voz sem perder a frieza e a assim a mesma obedeceu. -Quando eu mandar, você obedece! Ouviu? Levem-na daqui! -Mandei me levantando e logo os seguranças as seguraram pelo o braço fortemente. A garota se mexia tentando se soltar, o que foi em vão. Quando os mesmos estavam próximos a porta gritei mandando-os parar. -Levem-na para uma daquelas salas de prisão. Mais tarde quero ela em meu quarto. Irei ensinar algumas coisas para a novata. -Digo e sorrio de lado. Observei os levarem e em seguida saio dali indo para o meu quarto, mas pelo o caminho chamo algumas vadias que estavam ali e assim sigo novamente para meu quarto com as vadias em meus braços. 


                      ******** 


 POV's (Seu Nome) 


 Fui jogada em um lugar escuro e empoeirado. Continha uma cama e um armário com algumas roupas, também um porta onde entrava e tinha um vaso e um chuveiro. Bem pequeno por sinal. 

 -POR FAVOR, ME DEIXEM IR EMBORA! -Gritava implorando enquanto chorava batendo na porta. Percebi que isso seria em vão então sentei me de joelhos e comecei a chorar mais ainda com as memórias que vieram átona. 


 *Flashback on* 


 -Aish, Omma, me deixa! -Digo depois de uma discussão com a Omma, entro no quarto batendo a porta com força em seguida. 

Tranquei a mesma e me joguei na cama gritando contra o travesseiro. Senti meu celular pitar, peguei o mesmo e vi que era mensagem de minha amiga. 


 /Mensagem On\ 

 Taeyeon: "Amigaaa, adivinha quem nos chamou pra festa dele? Se você pensou no Jooheon, acertou! E aí? Você vai?" 

 Você: "Não tem como não aceitar né? É o Jooheon, cara! Não sei se meus pais vão deixar, mas eu dou um jeito! *Risada Maléfica*" 

 Taeyeon: "Essa é a (S/N) que eu conheço! Agora é melhor você ver isso logo, pois a festa começa às 20:00 e já são 18:37!"

Você: "É verdade, tô indo me arrumar, beijos! 


*Quebra de Tempo* 


 Tinha saído de casa escondido, mas antes, havia deixado um bilhete em cima da cômoda avisando que sai com a Taeyeon caso alguém me procurasse, mas sabia que isso não iria acontecer.

 Caminhava pela as ruas até a casa de Jooheon. Chego lá e vejo Tae me esperando em frente a mesma. 

 -Eai, miga, vamos? -Fez sinal para entrarmos e eu assenti. Suspirei olhando todos os lados, em todas as partes havia adolescentes bêbados e se pegando. 


*Algumas horas depois* 


 Acho que era umas 4 da manhã quando a festa "acabou". Sai de lá tonta e sozinha. Taeyeon provavelmente tinha saído com um cara e me esqueceu no meio de todos. Minha cabeça latejava, acho melhor eu não ter bebido tanto assim. 

Meus pés doíam, tanto que havia tirado os saltos por conta disso. As ruas estavam um sombrio só. Ouvi barulho de carro atrás de mim, olhei pro lado e vi que estavam me seguindo. 

Aumentei os passos seguindo meu caminho rapidamente. Olhei pro lado novamente e vi que o carro havia virado a outra rua. Suspirei agradecida e corri até em casa. 

 Cheguei na mesma torcendo para que todos estivessem dormindo. Me enganei, minha Omma estava me esperando na sala.  

-Aonde você estava? -Perguntou calmamente. 

 -É-é.. eu saí com alguns amigos... -Digo olhando para os dedos. 

 -E só voltou essa hora? Não minta pra mim, (S/N)! -Levantou meu rosto rapidamente e me cheirou. -Esse cheiro... Você bebeu?! -Olhei pro lado em busca de saída. -Realmente, dessa vez você passou de todos os limites! Estou muito desapontada com você! Agora vá para o seu quarto antes que eu perca a cabeça! 

 Assenti sentindo lágrimas quase escorrerem pelo o meu rosto, subi as escadas rapidamente. Tranquei a porta e fui correndo pro banheiro. Tomei um banho gelado, sentindo dor mas foi a única solução essa hora. Depois de me vestir, me joguei na cama na tentativa de dormir mas foi quase impossível. 

Consegui dormir dormir lá pras oito da manhã mas logo acordei com um barulho vindo lá de baixo. 

 -NÃO, POR FAVOR! NÃO LEVEM MINHA FILHA! -Gritou minha mãe. 

 Levantei rapidamente tentando processar tudo ate ouvir alguém empurrar a porta de meu quarto. Corri pra trás do armário me escondendo. Vi a porta de meu quarto ser arrombada e vários caras entrarem. Um deles me viu e veio rapidamente ate mim. Me encolhi na tentativa de não me pegarem, mas claro que não deu certo e o mesmo homem veio me puxando bruscamente pelo o braço. O outro me segurou enquanto me debatia tentando me soltar. Levei um tapa no rosto me fazendo parar. Minha mãe foi segurada longe de mim enquanto eu era arrastada para fora de casa. Chorava e me debatia tentando se soltar o que foi em vão. Me jogaram dentro de um carro a força e antes de fecharem o mesmo, sussurrei um "Eu te amo" para a Omma. 


 *Flashback off*


 E agora estou aqui, sem saber o porquê. Me arrependo de tudo que fiz para a Omma. Se arrependimento matasse, acho que eu já estaria a sete palmos do chão... 




Continua(?)....


Notas Finais


Tá vendo, crianças? Nunca desobedeçam a Omma! Hsjdhsjd parei
Comentem aí se querem continuação e se estão gostando. O favorito também ajuda bastante!

Até semana que vem! :3

Kissus '3' ❤


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...