História Dear Mysterious Love - Capítulo 2


Escrita por: ~

Postado
Categorias Avenged Sevenfold
Personagens Arin Ilejay, Johnny Christ, M. Shadows, Synyster Gates, The Rev, Zacky Vengeance
Tags Avenged Sevenfold, Romance, Synyster Gates
Exibições 24
Palavras 1.831
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Comédia, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


OOIIIEEE!!! TÔ ANIMADA!
Quero mandar um beijo pra linda @bbrey
Bom, estamos vendo como o Brian é sentimentalmente...
E boom, espero que gostem
Boa leitura :*

Capítulo 2 - Sozinho


Fanfic / Fanfiction Dear Mysterious Love - Capítulo 2 - Sozinho

A noite passou voando. Fiquei pensando sobre o número que estava na carta, mas depois deixei a carta de lado e comecei a ver uma série que passava na TV e acabei caindo no sono no sofá mesmo. Acordei já eram umas 7 horas da manhã. Preciso sair um pouco de casa ver pessoas, tomar um café fora. Levantei, fui tomar um banho longo e quente para despertar, coloquei uma bermuda e uma camisa branca e saí de casa.

O dia está lindo. Caminhando até a cafeteria, a rua estava um pouco movimentada, pessoas andando com seus cachorros, outras correndo ou andando de bicicleta. Depois de muito andar cheguei na cafeteria, sentei-me e pedi um cappuccino e pão de queijo. Olhei para meu lado direito e avistei um casal. É tão bonito ver duas almas apaixonadas, dois corpos gritando por aproximação e risos combinados sendo soltos espontaneamente. Me permiti sair do devaneio que estava para dar atenção ao jovem que está na minha frente com meu cappuccino e pão de queijo. Ele me entregou , agradeci e beberiquei o cappuccino quente com as pontas dos meus lábios, sentindo o calor nos meus lábios passei a língua no mesmo tentando esfriar a área, peguei um pão de queijo e mordi a metade dele. Apreciando o gosto, senti meu celular tocar no meu bolso, peguei o mesmo na mão, uma mensagem do meu pai.

Mensagem:

Haner (Pai): Filho, Suzy pediu  pra você vir almoçar hoje aqui. Sua irmã está com saudade e eu também! Vamos bater um papo. Já faz um tempo que a gente não se vê desde que você saiu para turnê. Aguardo resposta, amigão.

Eu: Oi, Pai. Tudo bem, irei sim! Avisa a Kenna que tocaremos guitarra hoje. Estou com saudade de todos também.  Até jaja, beijos.

Sorri feliz por ter recebido uma mensagem do meu pai. As vezes a gente só precisa de carinho e companhia da família e como já faz muito tempo que não vejo eles vai ser ótimo ir.

Terminei meu café da manhã, paguei e caminhei de volta para casa. Cheguei em casa. Liguei o som na rádio e estava tocando a música “So Sick” do Ne-Yo, senti uma nostalgia ao ouvir a música e comecei a cantar junto, acredito que se tivesse alguém aqui estaria me zoando por eu estar cantando e fazendo expressões diferentes a cada frase. Subi as escadas cantando e fui arrumar a cama que eu tinha deixado desarrumada. Arrumei a cama ainda cantando. Acho que fiquei mais animado após a mensagem do Haner. Minha família ainda lembra de mim.

Caminhei até o quartinho de música e fui tirar alguns solos na guitarra, fiquei viajando com a guitarra, a cada música que começava no som que ainda estava tocando eu tirava na guitarra também. Começou uma música melancólica e corri para trocar da rádio, peguei meu telefone para colocar uma outra música e quando fui desbloquear o mesmo vi que já são 11 horas. Coloquei a música no aleatório do meu celular e começou a tocar “Dark Horse” da Katty Perry. Corri para o banheiro, tomei um banho rápido, coloquei a mesma bermuda com uma blusa preta. Desci para pegar o celular e fui em direção da garagem, tirei o carro e fui em direção à casa do Haner.

A casa do Haner não era muito longe, mas também não tão perto. O caminho inteiro fui ouvindo a rádio que as vezes dizia sobre o transito e as vezes tocava músicas boas. Cheguei na casa do Haner e já eram meio dia e quarenta e cinco, buzinei e na hora fui recebido por Kenna que estava na porta gritando para dentro de casa anunciando que eu havia chegado. Acenei para ela e estacionei o carro em frente da gigantesca casa. Sempre considerei minha casa grande, mas a do Haner é um monstro ao lado da minha. Desci do carro e Kenna veio me abraçando forte.

– Meu guitarrista apareceu! – Falou ela ainda me abraçando.

– Claro, seu guitarrista sempre volta.  Ainda mais quando está com saudade de uma guria que tem cabelo roxo! – Dei um beijo na testa dela e apertei ela forte para responder seu abraço e soltei.

– Cada dia aparece mais bonito. Mas você está um pouco diferente, seu semblante...

– Ah, besteira. Mas e a Suzy e Haner? Onde estão? – Mudei de assunto.

– Estão terminando de fazer a comida. Você vai gostar, estão fazendo a sua preferida!

Sorri envolvendo o braço na cintura de Kenna e andamos para dentro de casa. Eu não queria dizer para Kenna que eu não estava muito bem sentimentalmente, que eu ando meio ansioso com tudo. Eu só quero ter um dia feliz esquecendo de todos os dias que tenho naquela casa sozinho.

Fui direto para a cozinha falar com Suzy e Haner. Cheguei na cozinha e eles estavam se beijando.

– Vamos parando com as safadezas aí que eu já cheguei. – Falei em tom de brincadeira e eles se soltaram rindo e Suzy veio me abraçar com Haner atrás dela. – Estava com saudade de você Suzy. – Abracei ela. – Faz um tempo que não nos vemos.

– Pois é, meu anjinho. Ainda bem que você aceitou vir, se não eu ia lá na sua casa e te traria você querendo ou não. – Sorriu meiga e me soltou.

– Eai, Haner. Conta as novidades. – Bati na mão dele e abracei ele batendo em suas costas e afastando novamente dele.

– Tudo tranquilo, amigão...

Ajudei eles a colocar a mesa para o almoço. Chamei Kenna e almoçamos conversando sobre tudo que tinha acontecido durante a turnê. Papai me contou sobre algumas novidades que tinha acontecido na cidade e que Kenna havia ido para a Disney com algumas amigas, enfim, colocamos os assuntos em dia. Terminando de almoçar me levantei e fui para o quarto de Kenna. Peguei a guitarra dela e pedi para que ela cantasse junto. Eu sentia saudade desses momentos de irmãos que nós dois tínhamos. Estávamos cantando a quarta música quando meu celular começa a tocar. Dei a guitarra para Kenna.

– Alô? – Atendi o telefone.

– Fala ae, viadinho!

– Fala, Matthew gostoso.

– A fim de sair hoje? Ontem você já deu um bolo na gente dizendo que não estava bem, então acho que você vai aceitar desta vez.

– Huum... Por que aceitaria? – Me fiz de difícil.

– Ah, vamos em um barzinho ontem vai várias garotas e achei que você gostaria de se divertir um pouco. – Falou malicioso.

– Okay, me convenceu! Que horas?

– Umas  nove horas da noite, ok?

– Okay. Vou pra sua casa e a gente parte de lá. Valeu! – Desliguei.

Acho que vai ser bom sair um pouco com o pessoal. Deixarei de ficar sozinho dentro de casa para conhecer pessoas novas, então ainda não vi nada de ruim nisso.

– Que cara é essa, Brian? – Kenna me olhou desconfiada.

– Pensando. Vou sair com os caras hoje!

– É, está precisando. Não te via com cara de solidão desde quando você terminou com Michelle!

– Toca nesse assunto não! – Supliquei com tom de choro.

– Okay.

– Bom, eu preciso ir. A gente se vê outro dia, maninha. Foi ótimo te ver!

Me levantei, dei um beijo na testa de Kenna e saí do quarto dela. Fui falar com o Haner e ele estava vendo filme com Suzy. Me despedi dos dois e fui a caminho do meu carro. Entrei no carro e fui para casa.

Cheguei em casa olhei para a hora e vi que eram cinco horas da tarde.  Ainda da tempo para tirar um cochilo. Subi m u para meu quarto, tirei a roupa e dormi. Acordo com o telefone tocando. Que raiva. Quando pego o celular a pessoa desliga. 10 mensagens do Matthew. Olhei a hora e já eram nove e quinze. Mandei uma mensagem para o Matthew pedindo para ele esperar só um pouquinho e fui tomar um banho rápido. Vesti uma calça preta, camisa preta com um cordão com pingente de munição.

Desci, entrei no carro e saí em direção a casa do Matthew. Ainda bem que a casa dele não é tão distante da minha. Estava dirigindo correndo para chegar mais rápido, cheguei na casa dele em quinze minutos e todos estavam do lado de fora só me esperando. Acenei para que fossemos e eles entraram no carro e foram em direção ao bar, eu somente seguindo eles.

Após de alguns minutos dirigindo chegamos no bar. Atraente a decoração do local, muitas mulheres e  música ao vivo no fundo. Eu e os caras sentamos em uma mesa grande no meio do bar, Zacky se levantou falando que pegaria algumas cervejas. Os caras conversavam sobre as vidas deles, Matthew ainda continua com a Valary, Johnny encalhado mas tentando com todas que vê, Arin com algumas tretas marcadas com uma mulher e eu fiquei meio de lado sem dizer nada.

– E você, Synderela? – Perguntou Johnny. – Quantas novinhas na lista?

– Voltei. – Disse Zacky animado acompanhado de duas garotas. – Essa aqui é Lindsay e essa é Megan.

Zacky disse os nomes apontando pra cada uma com uma cerveja em cada uma mão. Olhei para Megan e nossa que mulher gostosa. Sorri de lado e fiquei encarando ela. Ela falava com os caras que logo se aprontaram em cumprimentar a linda moça. Me levantei para cumprimenta-la e ela me cumprimentou rápido e com vergonha, talvez por eu estar quase comendo ela com os olhos. Cumprimentei Lindsay que me olhava de uma forma maliciosa e voltei a sentar na minha cadeira.

– Brian! – Zacky cochichou. – Lindsay está louquinha pra estar na sua cama sem roupa. Vai lá bater um papo com ela!

– Sério, cara? A Lindsay? Estava de olho na Megan.

– Eu também, man. Mas a Megan é uma daquelas santinhas, só veio pra acompanhar a amiga.

– Então, cara. Pega a Lindsay! Não achei ela muito sexy e você sabe como sou.

– Okay, valeu.

Ele saiu de perto e cochichou algo com Lindsay, ela sorriu e eu entendi aquele sorriso. Lindsay começou a se despedir dizendo que iria embora e Zacky piscou para os rapazes, e junto Megan se despediu.

– Não vai, fica. – Pedi para Megan.

– Não posso, amanhã tenho faculdade, mas eu adoraria, desculpe. Tchau gente. – Ela acenou e se retirou, fiquei olhando ela até ela sair da porta do bar.

Passamos a noite nos embebedando. Saímos do bar já era quatro e meia da manhã. Cheguei em casa pela piedade de Deus, porque eu não conseguia enxergar nem a pista. Demorei a abrir a porta de casa, não conseguia mirar o buraco da chave na porta, depois de lutar contra o buraco e a chave consegui abrir a bendita da porta. Entrei em casa e bati a porta com raiva da mesma. Olhei para o chão e vi um papel, pisquei os olhos para ver se não era uma ilusão e vi que realmente era um papel. Abaixei e peguei o papel, cocei meus olhos para enxergar melhor, mesmo com as vistas meio turva consegui enxergar alguma coisa.

“Você está mais bonito ainda.”

De: Mysterious Love

Para: Brian Elwin Haner Jr.

Continua…


Notas Finais


E ai, gostaram? Espero que siim <3
Até mais genten :*


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...