História Dear nanny — Imagine Park Jimin. - Capítulo 42


Escrita por: ~

Postado
Categorias ASTRO, Bangtan Boys (BTS), Black Pink, G-Friend, Got7, Jay Park, Red Velvet, Sensational Feeling 9 (SF9)
Personagens Eunha, Eunwoo, Irene, Jay Park, JB, Jimin, Jungkook, Personagens Originais, Rosé, Taeyang, Umji, V, Zuho
Tags Bts, Got7, Hentai, Imagine, Imagine Bts, Imagine Got7, Imagine Jimin, Jaebum, Jimin, Sexo, Tuangon, Você
Visualizações 1.126
Palavras 1.876
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Colegial, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Famí­lia, Festa, Hentai, Luta, Mistério, Policial, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Suspense, Terror e Horror, Violência
Avisos: Adultério, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo, Violência
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas do Autor


Oi amores! ♡
O que será que acontecerá no capítulo de hoje?! ><

Tenham uma (Boa leitura) e desculpem qualquer erro, beijos de pudim.

Capítulo 42 - Você aceita?


Fanfic / Fanfiction Dear nanny — Imagine Park Jimin. - Capítulo 42 - Você aceita?

“Pedidos e mais pedidos“

Dear nanny — Capítulo 42

[No capítulo anterior]

Garota, você sabe que eu quero seu amor.

— Eu fiquei preocupado S/N — deitou-me na cama e beijou meu pescoço. 

Seu amor foi feito na medida para alguém como eu.

— Jimin, pare com isso. As crianças estão em casa. 

Vamos lá, me siga. 

Eu posso ser louco, não ligue. 

— Eles não iram ouvir meu amor. 

Diga, garoto, não vamos falar muito. 

Tirou minha roupa com delicadeza mordendo minha pele, pegou o anel e colocou no meu dedo dando um beijo depois. Penetrou-me devagar e eu segurei seu pescoço. 

Garoto, pegue a minha cintura e coloque seu corpo sobre o meu. 

[Capítulo Atual]

Estávamos abraçados com a respiração desregulada, Jimin beijava meu cabelo devagar e eu olhava para o teto. 

— S/N eu quero te fazer um pedido — me virou para sua frente e nos olhamos. 

— Faça então Park — sorri minimamente e ele acabou sorrindo junto, fazendo os seus olhinhos diminuírem. 

— Por favor... — mordeu os lábios pensativo e desceu seu olhar por meu corpo nu — não toma mais remédios — fez carinho por minha bochecha, que deveria estar vermelha devido o calor e o cansaço. 

— Certo Jimin, não irei mais tomar — ele parecia viajar olhando para o meu rosto e eu acabei rindo. 

— Olha S/N... Eu quero ter... O quê!? — ele gritou e pulou da cama — você não vai mais tomar? — concordei e ele me deu um forte abraço — amo você. 

— Amo você — tomamos banho juntos e eu coloquei uma roupa fresca, ele pegou uma dele que eu tinha no meu guarda roupa e escutamos a porta de casa ser aberta. 

— Ou é o Jungkook ou as crianças — Jimin falou e acariciou minha coxa. 

— Vamos fazer assim — levantei da cama e arrumei meu pijama — a gente... — puxei ele e ele ficou de pé, segurou minha mão e nós dois saímos do quarto — você vai ver como estão as crianças e eu vou ver se era eles dois, ok? 

— Ok — me deu um selinho e saiu pelo corredor. 

Desci as escadas devagar encontrando Irene sentada enquanto acariciava seu ventre, seus olhos estavam fixos na televisão enquanto pude ouvir barulhos da cozinha. 

— Oi S/N — sorriu fraco me olhando, mas logo voltou a prestar atenção na TV. 

— Oi Irene — minha madrasta respirou fundo e logo pude sentir o cheiro de chocolate quente — eu quero appa! — senti braços envolverem minha cintura e a respiração de Jimin sobre minha nuca. 

— Quer o quê? — perguntou e deu um selar rápido no lugar. 

— Chocolate — respondi. 

— Você é uma criança S/N — riu. 

Nós dois terminamos de descer as escadas, sentamos um ao lado do outro. 

— E as crianças? — falei baixinho rente ao seu ouvido e vi ele arrepiar. 

— E-estão dormindo — falou e eu concordei deitando minha cabeça no seu ombro. Jungkook apareceu na sala com dois copos de achocolatado, me entregou um e eu agradeci, outro foi para a sua esposa, ele sentou ao lado dela. 

Eu e Irene conversamos um pouco e os “garotos” conversavam no outro sofá baixinho. A gente foi para a cozinha deixando eles lá e eu me sentei na mesa. 

— Sabe S/N, Jungkookie está tão... Tão longe. 

— Como assim? — ela sentou do meu lado e colocou a mão na mesa, encostando sua cabeça na palma da mão. 

— Ele está muito no telefone, passa mais tempo no trabalho, chega... Conversa um pouco e vai para o celular novamente — falou enquanto encarava as unhas. 

— Acho que você não deve ser preocupar — falei — deve ser coisa do trabalho, deve estar muito corrido, com certeza ele não iria trair sua confiança, não se preocupe — pisquei para ela e ela sorriu aliviada. 

Nós duas continuamos nossa conversa, meu corpo já estava ficando mole e meus olhos começaram a pesar, fui em direção a sala e Jimin se levantou. 

— Já vai dormir? — segurou minha mão e nós dois subimos juntos. 

— Já, por quê? — perguntei com os olhos quase fechados. 

— Por nada S/N — sorriu minimamente e nós dois entramos no meu quarto. 

— As crianças estavam no meio da cama? — perguntei me deitando no colchão macio. 

— Sim, liguei o ar condicionado e coloquei lençol nos dois — Jimin falou enquanto tirava a camiseta. 

— Tira meu short por favor — pedi manhosa e ele abriu um sorriso. 

— Preguiçosa, não? — bateu em minha coxa e eu sorri, ele tirou meu short e eu tirei o sutiã ficando apenas de blusa e calcinha, ele levantou devagar e fechou a porta de chave. 

— Aish, vem logo — me encolhi no meio das cobertas e Jimin juntos nossos corpos, sentia sua respiração batendo em minha nuca, fazendo todos os meus fios ficarem arrepiados. 

Acabei adormecendo nos seus braços quentinhos, seus dedos pequeno faziam desenhos imaginários por minha barriga e acabei sorrindo feito uma boba. 

Eu irei dar um filho para ele.

[Dia seguinte]

Acordei com batidinhas na porta, abri os olhos devagar vendo a claridade invadir todo o quarto, Jimin resmungou e se levantou, antes de andar, deixou um selar demorado em minha testa, desejando seu doce bom dia. 

— Já vou — colocou a camiseta e eu me cobri por completo, assim que ele abriu a porta estava Tadashi encolhido num lençol, Jimin pegou ele no colo e fechou a porta novamente. 

— Que horas são? — perguntei tampando meus olhos e Jimin colocou Tadashi na cama, ele veio até mim e abraçou meu pescoço. 

— São seis horas — bocejou e deitou na cama, Tadashi ficou no meio de nós dois, Jimin passou o braço por nós dois e eu fiz carinho no cabelo deles dois. 

Tadashi já tinha adormecido e Jimin também, encarei os dois e abri um sorriso fraco. Os dois eram muito bonitos. Peguei no sono rapidamente abraçada neles dois. 

[Quebra de tempo]

Nós acordamos e Tadashi se levantou primeiro. 

— Vamos descer — falou divertido. 

Nós dois levantamos e eu coloquei uma roupa, depois que Tadashi saiu claro

— Vem — Jimin me pegou nas costas e saímos igual duas crianças idiotas. Meu celular começou a tocar e eu atendi, era um número desconhecido. 

(Ligação)

— Alô? 

— Alô? Quem é? — perguntei e Jimin sentou no sofá comigo em seu colo. 

— S/N! 

— Quem é?! — minha paciência estava pouca, sem motivos. 

— Sou eu filha, Gabriela. Estou na Coréia. 

— Mãe, ligo mais tarde. 

Desliguei a chamada e me levantei do colo do Jimin, subi as escadas correndo e assim que vi meu pai eu puxei ele para longe. 

— O que foi S/N? — perguntou olhando em meus olhos. 

— Gabriela está aqui na Coréia — andei de um lado para o outro. 

— S/N — pegou nos meus ombros e apertou — fica calma, não vai querer vê-la? — perguntou sorrindo fraco. 

— Acho que sim — falei. 

— Boa sorte, vou fazer compras para o bebê com Irene. Chame ela para um parque e vá com seu namorado e as crianças — concordei e ele beijou minha testa descendo as escadas, fiquei um tempo parada processando até ser desperta pelo grito de Tadashi me chamando do andar de baixo.

[>>>]

— Então quer dizer que ele é seu filho? — minha mãe perguntou curiosa enquanto olhava Tadashi brincar. 

— Não, ele é filho do meu namorado. Mas eu o trato como um filho — falei. 

— E aquela mocinha? — perguntou apontado para Eunha. 

— Ela é filha do Jungkook — falei, só depois que eu fui me tocar. 

— Do Jungkook?! 

— Sim, ele é casado — falei e ela arregalou os olhos. 

— Omma! — Tadashi veio para o meu colo e Eunha sentou do meu lado — ela é a vovó? 

[Jeon S/N Of] 

[Park Jimin On]

— Sabe, eu acho melhor fazermos fora — Jungkook falou baixinho. 

— É... Eu também Jungkook — falei no mesmo tom. 

Assim que as garotas foram dormir nós dois saímos de casa em direção ao centro. 

— Azul ou verde? — me mostrou vasos com rosas. 

— Vermelho. 

— O quê? — começamos a rir no meio da floricultura e pegamos rosas brancas com vaso vermelho. 

[>>>]

Depois de tudo pronto nós fomos tomar banho. Jeongguk tinha chegado a pouco tempo da viagem que fez com sua esposa para cobrar coisas para o filho deles, eu ainda irei fazer isso novamente

— S/N meu amor, já está pronta? — entrei no quarto novamente e falei rente a porta do mesmo. 

— Quase — ouvi o barulho do chuveiro diminuir e saí do quarto, Jungkook estava sentado no sofá. 

— Ela já está pronta? — perguntou ligando a televisão. 

— Não e a Irene? 

— Também não. 

— Aish, mulheres — falamos juntos. 

[>>>]

Estávamos nós seis: Eu, S/N, Jungkook, Irene, Tadashi e Eunha. 

As crianças brincavam pela areia da praia e nós estávamos sentados nas almofadas. Me levantei das almofadas e beijei a bochecha da minha namorada, eu e Jungkook entramos para dentro da casa e saímos com os violões. Elas estavam brincando com as crianças e nós dois sentamos num banco, começamos a tocar devagarzinho, dava para escutar alto devido somente o barulho das ondas. 

Quando suas pernas não funcionarem como antes. E eu não puder mais te carregar no colo. A sua boca ainda se lembrará do gosto de meu amor? Os seus olhos ainda sorrirão em suas bochechas? — cantei baixinho olhando para ela, ela me olhou e seus olhos brilharam, sorri minimamente. 

Querida, eu te amarei. Até que tenhamos 70 anos, amor, meu coração ainda se apaixonará tão fácil. Quanto quando tínhamos 23 — as duas ficaram paradas olhando para a gente. 

Estou pensando em como, as pessoas se apaixonam de maneiras misteriosas. Talvez apenas o toque de uma mão. Eu, me apaixono por você a cada dia. Eu só quero te dizer que eu estou. Então, querida, agora. Me abrace com seus braços de amor. Beije-me sob a luz de mil estrelas. Coloque sua cabeça em meu coração que bate. Estou pensando alto. Talvez tenhamos achado o amor bem aqui, onde estamos — cantava de olhos fechados sentindo meu coração palpitar, chamei ela com os dedos e ela veio caminhando devagar. 

Quando meu cabelo parar de crescer, minha memória falhar. E as plateias não lembrarem mais do meu nome. E minhas mãos não tocarem as cordas do mesmo jeito. Eu sei que você me amará assim mesmo — Jungkook se levantou até Irene, dei um selinho rápido em S/N e só depois fui perceber que tudo estava parado para nós quatro. 

Pois querida, sua alma, jamais envelhecerá, ela é eterna. Amor, seu sorriso estará sempre em minha mente e memória — cantamos juntos. 

Deixei o violão em cima do banco e me levantei enxugando suas lágrimas, S/N me olhou sorridente e eu selei nossos lábios. 

Naquele momento meu mundo parou.

Suas mãos acariciava meus cabelos e minha mão apertava sua cintura. 

— S/N... — me ajoelhei sobre o chão e tirei a caixinha do bolso — você quer casar comigo


Notas Finais


Música maravilhada do Ed Sheeran:
Thinking out loud.❃


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...