História Dear Teacher - Capítulo 15


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Tags Aluna, Conflito, Professor, Romance
Exibições 82
Palavras 1.197
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Colegial, Comédia, Drama (Tragédia), Escolar, Hentai, Romance e Novela, Shoujo (Romântico), Violência
Avisos: Adultério, Bissexualidade, Drogas, Heterossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Notas da Autora


Olha quem chegou!! Preparados para mais um tombo? Osjsnsks nem se acha essa autora. Bom, aproveitem.
Ah, recomendo vocês lerem esse capítulo com uma musiquinha como trilha sonora: Company, da Tinashe.
Espero que gostem 💙

Capítulo 15 - Minha noite. Só minha...


Fanfic / Fanfiction Dear Teacher - Capítulo 15 - Minha noite. Só minha...

Não era você que tinha tudo planejado, Susan? Fico pensando na frente do closet decidindo com qual roupa irei sair. Estava pensando em uma saia de couro preto com uma blusinha de alça rosa bebê. Mas pensando bem, tem um vestido azul escuro liso um pouco acima dos joelhos. E tem muitos outros... 

 15:02? Eu estou todo esse tempo tentando decidir? Droga. Era para ter me planejado bem antes. Uma ideia surge na minha mente. Pego meu celular e digito: 

 Eu: Preciso da sua ajuda. 

 Em questão de segundos uma resposta chega

 James: Diga. Estou à sua disposição, patricinha. Qual o problema? 

 O sorriso vem direto em meu rosto

 Eu: Nada... Quero dizer, estou em dúvida em relação a algo. 

 Quando começo a colocar o primeiro look, o celular toca com sua mensagem

 James: A senhorita está me deixando preocupado. 

 Eu: Espere um instante 

 Tiro minha foto do corpo inteiro e mando pra ele. Com a roupa, claro. 

 James: Linda. Mil vezes linda.

 Eu: Ainda não acabei. 

 Tiro mais três fotos e mando

 Eu: Então, qual ficou melhor? 

 James: Agora entendo o porque da sua indecisão. 

 Eu: Está tão ruim assim? 

 James: Não, muito pelo contrário. Está magnifica em todas elas.

 Eu: Me ajuda vai. Qual achou melhor? 

James: O vestido azul. Onde você vai tão bela assim?

 Fico sem saber o que dizer. Falo ou não falo? Ah... Ele não iria poder fazer nada a respeito. Muito menos me impedir 

 Eu: Me divertir. 

 Resumo tudo em duas míseras palavras. 

 James: Onde? 

 Eu: Por quê você quer tanto saber? 

James: Onde, Susan? 

 Eu: Você não precisa saber, professor

Bloqueio meu celular para não ter que ver esse jeito todo protetor dele. Protetor... Parece até que ele se importa comigo. Só por curiosidade, olho a mensagem na barra de notificações mas acabo clicando logo em cima, visualizando. 

 James: Me diga onde você vai Susan. 

AFF 

 James: Não adianta fingir que você não está lendo, pois sei que está. 

  Chato 

 James: Eu não vou fazer nada Susan. Só me diga onde você vai? 

Insistente.

James: Uma boate? 

 James: Que porra Susan! Diga logo.

Ignorante

 Eu: Eu já disse não te interessa. E pare de falar assim comigo. Não sou suas amiguinhas vagabundas 

 Se eu não o conhecesse bem, diria que estou enganada em imaginar seu sorriso ao ler minha mensagem

 James: Amiguinhas vagabundas?

 Eu: Ah, vai a merda.

 Jogo o celular na cama, o ignorando de vez. É hora de pensar em mim. Na minha noite. Agora vamos decidir os sapatos. Tiro uma foto dos saltos e mando pra ele sem me importar com suas insistências. 

 James: Todos são lindo agora me diz onde você vai. 

 Eu: Qual você prefere, professor? 

James: O preto 

 Eu: Qual preto? 

 James: O primeiro que você mandou. 

Eu: Mas você acha que vai combinar com o vestido azul? 

 James: Eu acho que você está perguntando sobre moda para o homem errado. Mas sim, no meu ponto de vista, irá ficar lindo. 

 Eu: Ok. Obrigada pela sua ajuda, até mais. 

 James: Até mais porra nenhuma. Diga logo onde você vai "se divertir"? 

 Eu: Em uma boate. 

 James: Qual boate? 

Eu: O que exatamente nós temos? 

Pergunto direta e objetiva. Ele demora um poco para me responder

 James: Por que a pergunta agora? 

 Eu: Só me responda.

 James: Já ouviu falar em sexo casual? 

Uau. Simples e direto. Então não temos "nada". Isso me da liberdade para fazer o que eu quiser, certo? 

 Eu: Então eu posso ficar com eu quiser.  

James: Como? 

 Eu: É isso não é? Eu fico com quem eu quiser e você com quem quiser.

 James: O que você está planejando, Susan? 

 Eu: Até mais, professor. Beijinhos.

 O celular ferve de mensagens dele mas dessa vez não vou responder. Desço para ficar entretida com a TV e esquecer um pouco essa conversa. E também, me entreter com o Eric. Claro, se minha cara não for no chão ao lembrar de ter visto ele pelado. Aproveito e o aviso que irei sair e pra onde, ele fica falando um monte de sermão, e eu peço para ele não ir atrás de mim como se fosse meu responsável. Depois deuita insistência, ele deixa de protestar.


                               *** 


 Entramos na boate com a ajuda de um amigo da Anne, porque como "todos" sabem, nós somos menor de idade. O som está absurdamente alto tocando Company da Tinashe, e eu já entro no clima da batida. Podemos dizer que é uma música bastante sensual para uma casa noturna. A primeira coisa que faço é pedir um copo de gim com suco, apenas para esquentar. Anne vai na minha e pede o mesmo. Ela cochicha — cochichar quer dizer berrar em uma balada — que tem um cara que não para de nos olhar desde quando chegamos aqui. Ela pede para eu olhar discretamente, mas como eu sou quem sou, já deu pra perceber o quão discreta eu fui, não?

 Esse tal cara está sentado junto com mais três amigos — que não passaram despercebidos por mim também, óbvio —, cabelos louros, olhos castanhos claros, barba feita, camisa social cinza com as mangas dobradas até os cotovelos — um tesão! — calça jeans, e o sapato não sei, pois essas luzes me confundem totalmente. Meu quadril começa a mexer por conta própria por conta da música que já mudou para Ride da Ciara. O desconhecido não para de nos encarar. E eu encaro de volta. Nem sou cara de pau

 Anne me arrasta — literalmente — pelo braço para a pista de dança que está mais parecendo um inferno. Pessoas se esfregando uma nas outras e logo e e ela estamos fazendo a mesma coisa. Se é pra perder a linha, vamos perder de vez. Ela passas as mãos pelas laterais do meu corpo e eu viro de frente pra ela, nós duas fazendo uma dança sexy — pelo menos aos nossos olhos. Desço até o chão, levanto meu quadril e jogo os cabelos pra trás, subindo de novo. Sinto um corpo grande atrás do meu. Giro um pouco o pescoço e vejo que é o mesmo cara que estava sentado nos encarando. AINDA MAIS LINDO DE PERTO! O mais rápido, suas mão já estão em minha cintura, guiando meus movimentos. Pisco para a Anne, e ela sorri carregada de malícia junto de outro cara, que também está dançando com ela. Por um instante minha consciência pesa por ficar tão próxima de um outro homem, sendo que estou ficando com o James. Mas poxa, eu mereço uma noite só pra mim. O que nós temos nem é algo sério, concreto. E é por isso que continuo dançando com o cara gostoso que está atrás de mim. Jogo meu braço em volta de seu pescoço, e ele afasta meus cabelos e expira meu perfume. A música muda de novo para uma coisa mais agitada. Então o cara que estava comigo sai de perto brutalmente. 

Me viro e mal da tempo de entender acima coisa, pois uma mão me segura e me arrasta para o que entendi ser, o banheiro. Quando consigo focar nele, minha mente finalmente entende o que está acontecendo. 

— O que você está fazendo aqui, Eric?  


Notas Finais


Eu sei, ficou bem curtinho.
Vocês provavelmente devem estar querendo me matar por terminar o capítulo assim wlshsnnssjsjs Mas acreditem, eu quero que o outro capítulo esclareça mais as coisas e por isso, não achei que seria propício colocá-lo tudo em um só capítulo.
Bom... É isso. Beijinhos 😘💙


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...