História Dear Teacher - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias One Direction, Taylor Marie Hill, Zayn Malik
Personagens Liam Payne, Niall Horan, Personagens Originais, Taylor Hill, Zayn Malik
Tags One Direction, Professor, Taylor Hill, Zayn Malik
Exibições 327
Palavras 1.737
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Aventura, Colegial, Comédia, Crossover, Drama (Tragédia), Escolar, Festa, Romance e Novela, Shoujo (Romântico)
Avisos: Álcool, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Ooooooooooi. Senti saudades meus amores, já faz tanto tempo que não posso uma Fic nova no wattpad. (Pelo menos uma que eu vá mesmo terminar).
Essa fanfic está postada no meu perfil no wattpad, mas com o Justin Bieber. Então eu não estou plagiando ou alguém está fazendo isso, ok?
Essa ideia de professor e aluna veio na minha cabeça no exato momento que comecei a assistir PLL e no momento meu casal inspiração é o Ezra e a Aria.
Espero que vocês gostem dessa minha nova obra, comentem bastante e fiquem ligadas a cada atualização.
Um beijo meus amores e...

BOA LEITURA

Capítulo 1 - Chapter One


Vestidinho preto acabou de entrar na salaa

Fazendo com que as cabeças virassem 

Não consigo parar de te olhar 

É tão bom 

Little Black Dress - One Direction

 

P.O.VZayn Malik ❣ 

- O que você acha de uma balada? - Ouço Liam gritar no corredor e logo está abrindo sem permissão a porta do meu quarto. - Topa? 

- Não. Eu tenho que dar aula na segunda e preciso me planejar. 

- Ah, cara. Olha, não tenho nada contra o Zayn que você se tornou depois da faculdade, mas eu preferia o de antes. Baladas, bebidas e muita, muita mulher. 

- Eu ainda sou esse Zayn. - Afirmo suspirando enquanto arrumo meus livros em cima da minha cômoda. - Mas acontece que no momento eu preciso me concentrar. Ralei muito para ter esse emprego. 

- Eu sei. Mas hoje ainda é sábado e nós precisamos de um agito. Você precisa de um agito antes de enfrentar os adolescentes do ensino médio. 

- Não sei se é uma boa ideia. - Resmungo colocando milhares de papéis dentro da minha pasta e fecho a mesma, terminando de organizar minha mais nova mesa de trabalho. 

- Vamos lá, cara. Só hoje. Depois disso eu juro a você que não insisto em mais nada. 

- Você promete? - Eu pergunto me virando para ele, obrigando o mesmo a acenar que sim. - Ótimo, agora diz porque você quer tanto ir nessa festa? 

- Tem uma garota. A Jasmine e eu estou na cola dela. Mas ela é dura na queda e ela vai no Beer's essa noite e eu tenho que estar lá. 

- Desde quando você vai a algum lugar por causa de uma garota? - Pergunto divertido. 

- Desde que eu conheci a Jasmine. Você vai ver, eu vou conquistar ela e então vou ter a garota mais gata da cidade. 

- Você é desprezível. - Digo sarcástico e pego minha toalha, olhando as horas no meu computador. - As nove está bom pra você? Já são quase oito, ou seja, eu não vou te esperar. 

- Ah, agora você é o ansioso? 

- Vai se ferrar Liam. - Eu resmungo indo em direção ao meu banheiro e fecho a porta para não ouvir os xingamentos que meu melhor amigo grita para mim. 

Ele é mesmo um crianção! 

Nos conhecemos desde pequenos, na verdade nossas mães são colegas desde a faculdade e desde que me entendo por gente Liam sempre esteve do meu lado. 

Eu cresci em Falls Church, mas me mudei para a capital do país aos meus quinze anos e agora estou de volta, onze anos depois a trabalho. Sim, pode parece que eu estou regredindo, mas acontece que aqui eu vou ganhar mais, trabalhar por menos tempo e dar aula de literatura para o ensino médio. 

Em Washington as vagas são concorridas demais, muitos critérios e burocracias me deixam cansado e além dos benefícios eu adoro essa cidade. 

Eu realmente gostaria de passar a noite organizando tudo para segunda-feira, ja que será meu primeiro dia de aula como professor nessa cidade e eu não queria que nada saísse imperfeito. Mas até que uma saída vai ser bem vinda ja que me encontro tenso demais nos últimos dias. 

Eu odeio mudanças e a minha foi muito cansativa. 

Depois que termino de tomar banho visto uma roupa quente. Essa cidade é mais fria do que eu me lembrava. Pego meu celular, carteira e a chave do carro. 

Encontro Liam vestindo uma cueca andando para la e para cá com uma tigela de cereal na mão enquanto procura uma tal blusa. 

- Eu mandei você ficar pronto. - Rosno sem paciência. 

- Você não manda em mim caralho. - Ele grita do seu quarto, viro os olhos e me pergunto, pela milésima vez, porque vim morar com Liam. 

Fico aliviado ao lembrar que meu primeiro salário vai ser muito bem gasto em um apartamento. 

Meia hora depois estou dirigindo com meu melhor amigo ao meu lado indo em direção a um bar. Pelo que me parece é quase uma pub e me sinto animado. 

O local está cuspindo gente, mas pelo que me parece são maiores de idade e logo estou no bar pedindo uma cerveja enquanto vejo Liam ir de encontro a uma bela morena. 

Boa escolha. - Eu penso, mas afasto meus pensamentos pagando minha bebida. 

Eu ja fui melhor do que isso. Digamos que se fosse a quatro anos atrás eu estava dançando com as garotas, já bêbado e fazendo graças que um adolescente imaturo faria. 

Mesmo ainda tendo esse garoto dentro de mim escolho ficar sentado no balcão esperando que alguma coisa aconteça. 

Minha atenção é roubada por uma dupla de garotas vindo em direção ao bar e tagarelando sem parar. As duas são lindas, mas uma delas me chamou atenção quando olhei bem em seus olhos. São os azuis mais radiantes que eu ja vi. 

Ela ri animada para sua amiga, enquanto a loira pede bebidas alcoólicas mostrando com prazer sua identidade. 

Eu não seguro a risada, chamando atenção da garota de olhos azuis. 

- Qual é a graça? Conta que eu quero rir também. - Ela diz estourada, me dando ainda mais vontade de rir. 

- Diz para a sua amiga Barbie que não precisa provar ter mais de 21 anos a todo momento. As pessoas vão desconfiar. 

- Não sei do que está falando. 

- Ae? Eu ja tive 15 anos uma vez e usava as identidades falsas a todo o momento. 

- Eu não tenho quinze anos. - Ela rosna irritada. Sua amiga nem nos nota, ja que ela está interessada demais se jogando para o barman. 

- Mas não tem mais que 21. - Eu digo com certeza e vejo suas bochechas ficarem vermelhas de raiva. 

- Ah, cala a boca. Eu não te conheço e por isso não deveria estar falando com você. - Ela pegou sua cerveja, agarrou a mão da sua amiga loira e saiu puxando a mesma. 

- E nem aqui. - Eu grito querendo a deixar ainda mais raivosa e funcionou perfeitamente quando ela ergueu o dedo do meio para mim. 

De longe consigo notar o que ela veste e posso afirmar que nunca gostei tanto de um vestidinho preto. Seus cabelos são no tom mais escuro do loiro e seu sorriso parece iluminar todo o local. 

Eu não consigo tirar os olhos dela. Ela tem minha total atenção. 

- Ei cara, eu vou nessa. - Três toques foram deixados em seu ombro e ele encarou Liam incrédulo. Mas entendi tudo ao ver a bela morena segurando sua mão. - Não me espera acordado. 

- Seu babaca. - Eu grito enquanto ele se afasta e só consigo ver seu sorriso enorme enquanto segura a cintura de sua acompanhante. 

Que ótimo! 

Isso sempre acontece. Liam rapidamente tem uma companhia para a noite e me deixa sozinho no meio da festa. 

Antes eu não ligaria porque arrumaria uma forma de me divertir sozinho, mas agora estou com cara de pastel enquanto bebo quieto. 

Mas minha intenção principal da noite é observar a garota que veste o vestidinho preto. Sua roda de amigos é claramente mais velha que ela, menos a loira é claro, mas parece se divertir bastante. 

Em uma de suas jogadas de cabelo seu olhar cai sobre mim e hora nenhuma eu me preocupo em desviar. Ela não para também, nem por um segundo e quase entro em combustão ao vê-la morder os lábios tão sexy. 

Por um segundo que desvio o olhar para beber minha cerveja ela vem ao meu encontro e começo a fingir que nada acontecia. 

- Perdeu alguma coisa naquele canto? - Seu tom de voz é rígido e eu não seguro o sorriso. Ela é tão segura de si e de pulso firme. 

- E você? Perdeu alguma coisa aqui? 

- Eu não estava olhando. 

- Ok, claro que não. - Eu viro os olhos e rodo o banco ao meu lado. - Senta ai e bebe comigo. 

- Não. Eu tenho o meu grupo de amigos se você ainda não percebeu. 

Eu dou os ombros, querendo apenas brincar com ela, e acaba dando certo. Cheia de marra e orgulho ela solta um suspiro e se senta ao meu lado. 

- Então... qual é o seu nome? - Eu pergunto alto por conta da música que estoura nas caixas de som. 

- Anelise. Me diz, você procura conversar com as suas iscas todas as noites? 

- Não. Eu não tenho iscas. - Digo alto em seu ouvido, sentindo rapidamente seu cheiro delicioso. Ela tem um cheiro doce viciante. Adorei. 

- E como chama as mulheres das noitadas? 

- Conquistas. - Eu digo a fazendo gargalhar. - O que foi baby, costuma bancar a durona para os caras que você ta a fim? 

- Você é muito podre. Mas respondendo sua pergunta... não. Eu apenas sou eu mesma esperando um cara de atitude. E foi mal, eu me enganei. Realmente achei que você seria o sorteado da noite. 

Seu tom de voz sarcástico e abusado me fazem suspirar bem antes de cortar a marra dessa garota. 

Seguro seu braço de leve antes que ela voltasse de onde veio, a fazendo me encarar com um sorriso largo nos lábios. 

- Um homem de atitude? Você ao menos ja pegou um homem com atitude? Não responda, eu faço com muito prazer a você. 

Sem nem dar chances dela pensar agarro sua cintura com firmeza, colando sua boca na minha sem mais distrações. 

Para uma adolescente ela sabe muito bem o que fazer para prender um homem. Me arrepio inteiro quando suas mãos passeiam por um caminho da minha nuca até meus cabelos, a aperto mais contra mim, querendo sentir mais daquilo. O trabalho de seus toques e seu beijo mais do que viciante me deixam fora de linha. 

Levar ela pra minha cama é um dos meus principais objetivos essa noite, mas mesmo com toda essa sua marra de rebelde sem causa eu percebo que ela não é do tipo que vai pra cama com um cara que conheceu a uma hora. 

Não foi problema pra mim ter os meus planos interrompidos, mas só dela permitir que eu a beijasse sem restrições dentro do meu carro enquanto eu passava a mão por todo o seu corpo, e ainda por baixo daquele vestidinho preto, fez a noite valer muito a pena. 

Continua...


Notas Finais


Comentem, favorite e compartilhe para fazer uma escritora feliz! Um beijo para vocês e até o próximo capítulo!


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...