História Death Is Calling - Capítulo 14


Escrita por: ~

Postado
Categorias Glee
Personagens Blaine Anderson, Kurt Hummel
Exibições 13
Palavras 1.094
Terminada Sim
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Ação, Drama (Tragédia), Mistério, Romance e Novela, Suspense, Terror e Horror, Universo Alternativo
Avisos: Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas da Autora


E chegamos ao fim... espero que gostem ♥

Capítulo 14 - The End


Fanfic / Fanfiction Death Is Calling - Capítulo 14 - The End

Após estar devidamente namorando com Elliot, Sebastian se sentiu mais feliz, ainda que tivesse a plena certeza de que seu último dia de vida estivesse próxima. O lado bom era saber que, nem mesmo a morte, o separaria daquele por quem o Smythe estava perdidamente apaixonado.

Com o passar dos dias, só ele e Quinn ainda estavam vivos. Quinn e ele estavam até mesmo em uma mesma barraca no meio do mato, tentando fugir da morte. Só que Sebastian sabia o que seria e quando viria a acontecer, sabia que não adiantaria de nada fugir e, além disso, tinha avisado aos outros onde eles estavam – não que eles precisam mesmo saber, descobririam rapidamente se quisessem.

- Sabe, Seb, estou tão entediada... você bem que podia acabar com o meu tédio, não? – Quinn disse de maneira oferecida, se jogando em cima de Sebastian.

- Nem que eu fosse hétero.

Quinn, que já andava muito perturbada, acabou subindo em cima de Sebastian e começando a chacoalha-lo e tentar bater sua cabeça contra o chão. O menino segurava com força os braços da loira, mas nem sua força parecia ser o suficiente, se avaliasse a raiva que ela aparentava sentir.

- Você sabe que quer matá-lo, Quinn. Não hesite. Mate-o. – Kurt sussurrava no ouvido dela sem ser visto.

Elliot e Blaine também estavam ali, observando os dois. Aquele era o momento.

- A morte está chamando... – Soprou Blaine, mesmo triste de presenciar a morte do seu melhor amigo.

Elliot foi visto por Sebastian e, infelizmente, o mesmo o pediu para que parasse de resistir e permitisse que Quinn finalizasse aquilo. A loira, quando viu que o outro parou de resistir, começou a ouvir a voz de Kurt ainda mais rápido penetrando sua mente e perfurando todos os pensamentos doces que ainda pudesse ter.

Ela bateu a cabeça dele tão forte contra o chão, que uma poça de sangue se formou ali na volta e um desespero a percorreu. Ela tinha matado uma pessoa e agora a culpa daquilo estava inteiramente sobre ela.

Não aguentando ter presenciado aquilo, Elliot estava prestes a arrancar o coração da loira, porém Blaine o interrompeu e pediu para ele mesmo cuidar daquilo. O ódio em seus olhos era tanto, que Kurt deu um sorriso macabro perante aquilo.

Blaine puxou Quinn pelo pescoço e a derrubou no chão. As lágrimas da loira não o impediram de prosseguir com o que estava prestes a fazer. Era pouco, ela tinha matado seu melhor amigo e agora morreria sofrendo ainda mais do que Sebastian.

Blaine materializou uma faca e a pressionou contra a barriga de Quinn, que começou a gritar e se debater. Mal sabia ela que aquilo apenas tornava a brincadeira ainda mais divertida para o moreno. Com o intuito de fazer Quinn se debater menos, Blaine empurrou sua cabeça contra o chão, logo voltando a dar atenção para a faca que tinha em mãos.

Ele a passava pela pele clara, rasgando o que encontrava por baixo do objeto bem afiado. Blaine se sentia vingado, mesmo sabendo que dali algumas horas Sebastian voltaria para eles, já que esse tinha sido o acordo com Elliot.

Cansado daquilo, ele enfiou a faca com tudo contra o coração da loira, que logo parou de se mexer e viver. Era impressionante que a raiva que ele sentia ainda estava ali, bem estampada em seu rosto e suas expressões.

- Mais calmo? – Perguntou Kurt ao namorado.

- Acho que sim... espero que sim. – Reformulou ele, encarando os olhos azuis de Kurt e sorrindo. – Agora sim, estou bem melhor.

- Que bom. – Kurt sorriu, abraçando o namorado.

- Ele vai demorar para acordar. Deveríamos ir embora daqui... – Sugeriu Elliot, pegando Sebastian nos seus braços. – E rápido antes que alguém venha procurar por Quinn.

- Vamos. – Blaine assentiu, entrelaçando sua mão com a de Kurt e indo com eles.

[...]

- Seb... como se sente? – Blaine perguntou ao seu amigo.

Ele, Elliot e Kurt tinham levado Sebastian para o “submundo”, para não chamar de Inferno mesmo.

- Estranho, sei lá. – Sebastian olhou para os três que o observavam cautelosamente. – Já entendi... estou morto.

- Olha, até que percebeu rápido... Blaine demorou muito tempo para acreditar nisso. – Riu Kurt, fazendo piada da situação. – Sinto muito que isso tenha acontecido, Sebastian, mas era necessário.

- Não, tudo bem. Sem ressentimentos. – Sebastian deu de ombros.

Blaine e Kurt resolveram sair dali e caminhar, para assim darem privacidade a Elliot e Sebastian. O moreno se aproximou de Sebastian e sentou ao seu lado, passando a mão pelo braço do mesmo e o acariciando de uma maneira agradável.

- Tive medo do meu plano ter falhado e você não acordar mais. – Confessou o Gilbert, recebendo um sorriso apaixonado em retorno. – Sabe, eu acompanhei Kurt apaixonado por Blaine durante anos e eu ficava pensando no quanto o amor me parecia uma baboseira sem limites. Só que aí eu conheci você e tudo pareceu diferente aos meus olhos. Você me fez ver diferente. Por isso tive medo de acabar te perdendo de vez agora.

- E quem duvidava sobre você ter sentimentos, errou em cheio. Você está até se declarando para mim, Elli. Não existe uma pessoa mais amável do que você nesse instante.

- Existe. Você. Principalmente com esse sorrisinho bobo e apaixonado que mantém aí nos lábios. – Elliot disse também sorrindo, abaixando-se na altura do namorado e juntando seus lábios nos dele. – Obrigado por fazer com que eu me apaixonasse, Seb. Esse sentimento é inigualável, nada pode ser comparado a isso. É maravilhoso demais.

- Eu que agradeço por você ter aparecido e me feito esquecer certas pessoas... – Riu o Smythe. – Estou bem melhor agora com você.

- Então fico feliz que estejamos bem um com o outro. Acho que eu precisava mesmo disso. – Elliot disse, mais uma vez se abaixando para beijar Sebastian.

Enquanto esse casal estava ali aos amores, Kurt e Blaine estavam aos beijos sob uma árvore. Saíram do submundo para ver a noite estrelada que fazia em Lima. Ficaram sob a árvore porque o vento ali era agradável, ainda que não pudessem o sentir com a intensidade normal que os humanos sentiam. Já era bom o suficiente para eles, pelo menos naquele instante.

- E com um chamado de morte, eu acabei conhecendo o amor da minha eternidade... – Blaine sussurrou, abraçado a Kurt.

- E você vai ficar com esse amor para sempre. É algo que eu prometo, B. – Kurt tinha um sorriso bobo pintando seus lábios. – Eu te amo muito.

- Sabe... é muito engraçado... – Blaine riu. – Eu também te amo muito.


Notas Finais


E chegamos ao final...
O que vocês acharam? Me contem ♥
Obrigada a todos que acompanharam até aqui, comentaram e tudo o mais ♥ Obrigada de verdade ♥♥


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...