História Death Note - O Dia Seguinte (Death Note Continuação) - Capítulo 36


Escrita por: ~

Postado
Categorias Death Note
Personagens L Lawliet, Light Yagami, Misa Amane, Nate "Near" River, Personagens Originais, Raito Yagami, Ryuuku, Sachiko Yagami, Sayu Yagami, Teru Mikami, Watari
Tags Animes, Caderno, Continuação, Death Note, Death Note Continuação, Detetive, Drama, Espionagem, Kira, L Lawliet, Light, Misa, Mistério, Misticismo, Policial, Raito Yagami, Ryuk, Shinigami, Suspense, Terror
Exibições 25
Palavras 1.921
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Algumas reflexões pra que não se faça um mal julgamento dos personagens...

Capítulo 36 - Análises Estatísticas de Acertos, Erros e Tropeços


Fanfic / Fanfiction Death Note - O Dia Seguinte (Death Note Continuação) - Capítulo 36 - Análises Estatísticas de Acertos, Erros e Tropeços




     No jogo de xadrez há uma frase que diz: "Vence quem errar menos!", e outra que diz: "Cada movimento de peão é um erro!". Essas frases são verdades universais no jogo de xadrez. Ninguém as contesta, pois contestar seria um erro.


     Em todos...em absolutamente todos os campeonatos de xadrez da história, nós nos maravilhamos com a beleza e a perfeição dos movimentos dos finalistas e campeões... ficamos sempre de queixo caído. Mas passados alguns minutos ou meses depois das partidas das finais é que diversas pessoas ao redor do mundo descobrem milhares de erros dos Grandes Mestres. Muitas vezes, até mesmo jogadores amadores conseguem identificar alguns...isso é bem comum.


     Saber que um ídolo perfeito errou vergonhosamente, mas mesmo assim foi campeão não lhe tira o brilho,...nem o mérito. É isso que nos faz os admirarmos ainda mais! Pois eles são tão bons e tão fantásticos que ainda se podem dar ao luxo de errar, e mesmo assim se sagrar campeão!!


     Na vida é exatamente a mesma coisa! Todos erramos vergonhosamente em dados momentos e mitamos em outros...faz parte!


     Light e Misa estacionam finalmente no Hospital Central, pra onde os bombeiros haviam levado Teru Mikami pra tratamento da perfuração pela caneta metálica que ele usou no galpão.


     O que ele havia tentado fazer naquela ocasião foi um haraquíri(têrmo usado pelos ocidentais), mas no Japão o nome correto pra isso é seppuku. Os antigos samurais japoneses, quando se viam derrotados em batalha, achavam mais honroso reconhecer a derrota causando em si mesmo dor e sofrimento muito maior do que seu inimigo o faria, pra demonstrar que o suicídio não foi por medo ou covardia. Homens que se suicidavam dessa forma honravam suas famílias, que passavam a ser respeitadas, e não tinham do que se envergonhar. Somente homens de grande caráter e coragem são capazes de tomar a iniciativa de fazer um seppuku.


     Um seppuku tradicional é quando um samurai japonês faz uma breve oração a seus deuses e ancestrais, e depois enfia sua espada no lado direito do abdômen, e depois começa a abrir a própria barriga cortando-a da direita pra esquerda, e depois, em meio a agonia, ele aguarda sua última gota de sangue jorrar até morrer honrosamente.


     Teru Mikami, demonstrou ser um honrado descendente de samurais ao fazer essa prática antiga, que havia sido banida na década de sessenta, mas velhas tradições são difíceis de serem apagadas de uma cultura.


     Só que com uma caneta era impossível realizar um seppuku, pois não dá pra dilacerar. Tudo o que Mikami conseguiu fazer foi a proeza de perfurar parte do intestino, causando uma hemorragia interna e externa que certamente lhe mataria, caso não tivesse sido atendido pelos agentes ali presentes.


     Foi inclusive graças a essa atitude de Mikami que Kira havia se aproveitado dessa distração pra fugir, e tudo ter acontecido daquela forma. Kira tem esse débito com seu fiel seguidor.


     Hoje, Light Yagami se lamenta pela morte de Hitoshi Demegawa, o primeiro porta-voz de Kira da TV Sakura. Apesar dele ter aprovado a iniciativa de Mikami de matá-lo naquela época, hoje em dia, com muito mais experiência de vida que Light agora tem, ele sabe que aquilo foi uma grande pêrda.


     Isto porque não se pode esperar perfeição das pessoas. Um fiel e apaixonado seguidor é coisa rara de se achar, e bem ou mal, Demegawa mais ajudava do que atrapalhava. Inclusive, quase que ele consegue matar Near naquela manifestação popular.


     Matar Demegawa apenas porque ele tava pedindo doações pra construir um templo pra adorar Kira era excesso de punição e desperdício de "material humano útil", expressão  pensada por Kira, que é um típico manipulador de pessoas.


     Não é necessário esperar perfeição por parte das pessoas. Esforço, pró-atividade e boa-vontade às vezes tem mais valor. Ele poderia na época ter enviado uma mensagem pra Demegawa dizendo que pedir doações é ganância e falta de caráter, e que não estava gostando daquilo. Apenas imperadores mimados como um Calígula da vida mataria ao menor sinal de descontentamento.


     Apesar de Kira ter aprovado na época, se fosse hoje, ele jamais faria isso. É exatamente por isso que ele não vai matar Teru Mikami temendo que ele seja interrogado em sua ausência e acabe confessando tudo...até porque Kira tem um plano "B" caso isso aconteça. E como ele é Kira, ele dispõe também de um plano "C", "D", "E"...etc.


     Misa está ao lado de Light, mas ela está de chapéu e óculos pra evitar papparazis e os dois entram discretamente no hospital. Depois de se informarem, chegam ao corredor indicado que leva ao quarto de Teru, mas Light estranha não estar vendo nenhum policial da escolta no corredor. 


     "Tem alguma coisa errada aqui...isso não parece bom..." - pensa ele, enquanto põe a mão no bolso esquerdo pra apertar "a tecla da salvação", como ele chama a tecla verde do iPhone pra enviar mensagens prontas pra emergências. Neste caso, ele tinha uma pra enviar pro diretor dizendo que ele se encontra no hospital, mas algo deu errado, e mais algumas outras informações que eles combinaram entre si pra situações de perigo, já que são colegas de profissão.


     Eles vão se aproximando do quarto que estava com a porta fechada, mas decide não bater. Misa percebe que ele está tenso e se afasta um pouco. De burra ela não tem nada, ao contrário do que L havia dito na época em que ele assistiu ao vídeo do "Segundo Kira".


     Na verdade, em diversas ocasiões Misa provou ser bem mais esperta que Light e L quando ela quer, exceto quando ela faz algo movida pelo coração, como fizera teimando em perseguir Kira antigamente mesmo quando ele explicava que eles não podiam ser vistos juntos. Além do mais, pode-se também reunir uma coletânea imensa de erros de Light e L.


     Por exemplo, quando o segundo Kira(Misa) fez os videos na TV Sakura e matou os três policiais, L nem considerou a possibilidade de o Kira ter adquirido de repente o poder de matar sem precisar ter um nome. Neste caso então ele tomou uma atitude realmente estúpida convidando Light pra participar das investigações, já que ele suspeitava que ele poderia ser Kira. Neste caso, L deveria evitar ser visto por Light a qualquer custo desde então.


     Ou L poderia ter se lembrado que Kira tinha os nomes de todos os policiais, pois Kira tinha acesso aos arquivos da polícia. Portanto, só bastava ele ver qual policial estava chegando ao prédio da TV Sakura pra escrever seu nome lá e matar.


     L também não considerou a possibilidade de o verdadeiro Kira ter feito aquele video pedindo pra ele aparecer na TV só pra despistar, e fazê-lo pensar que Light não era L, já que Light já tinha sido informado sobre sua identidade por ele mesmo na faculdade, se bem que havia a rara possibilidade de Light ainda estar desconfiado se L era de fato L, e não alguém se passando por ele pra proteger sua identidade.


     Se L tivesse pensado nessas coisas, jamais teria se passado em sua mente a ideia de que aquele video havia sido feito por um falso Kira, pois essa teoria foi levantada unicamente pelo fato dele não ter sequer cogitado tais hipóteses, e nada impedia Kira de matar pessoas inocentes e criminosos insignificantes pra tentar induzir L a esse tipo de erro.


     Outro erro ainda mais grave de L foi na época em que ele colocou câmeras de vídeo na casa de Light e inspecionou seu computador. Se ele tivesse tido a ideia de confiscar o HD do pc do Light(trocando por uma cópia perfeita)e reintegrar os arquivos deletados por ele, mesmo que Light usasse programas que apagam rastros do HD, eles sempre são recuperados pela polícia até seis meses, pois esses programas são ineficientes. Dessa forma, L teria descoberto que Light invadia o computador do pai pra pegar as fichas dos criminosos e também pra descobrir que a policia desconfiava de um estudante. Chegar o log de dados de todos os computadores da rede era tambem obrigatório. Light estaria na cadeia até hoje se L tivesse pensado em algo tão simples.


     Light também possui uma coletânea invejável de erros. Assim que ele conhecêra Misa, ele poderia colocar uma câmera de filmagem escondida pra fotografar o rosto de L, e enviar a foto pra Misa matar. Ele estaria dançando sobre "a tumba" de L até hoje se tivesse feito algo tão simples. 


     Do mesmo jeito que Light era manipulador com todos, ele poderia ter continuado sua arte de manipular, deixando de ser tão passivo aceitando que qualquer um o acusasse de ser o Kira depois de L ter morrido, pois ele já tinha provado pra Deus e o mundo que não era Kira, e L confiou a ele o cargo de "segundo L". Light poderia facilmente ter convencido seus colegas da Força-Tarefa a odiarem "esse tal de Near", já que a polícia japonesa já alimenta naturalmente um ódio pela intervenção da polícia estrangeira...enfim...toda aquela passividade de Light aceitando que qualquer um o acusasse de qualquer coisa era muito atípica à sua personalidade manipuladora.


     Por essas e outras razões, L e Light cometeram erros gravíssimos ao acharem que Misa era burra, já que ela deu provas de genialidade em diversos momentos, como no caso do diário marcando datas falsas fazendo L e Light de bobos, e ainda teve o senso de escolher a boate "Note Blue" na cidade da "Montanha Azul"(Ayoama)...ideias que só poderiam sair de uma mente privilegiada. 


     Se Misa fosse burra, jamais teria concebido nenhuma dessas ideias. E o mais incrível de seus feitos foi conseguir ficar ao lado da pessoa amada, mesmo contra a vontade dele. Mesmo arriscando a própria vida, se entregando pra alguem que lhe poderia matar a qualquer momento, pouca gente no mundo consegue ser correspondida contra a vontade do parceiro.


     Não se sabe se é estrela ou talento...mas tudo o que Misa quer, ela parece conseguir...pelo menos até o momento...


     A verdade neste mundo é que todos cometemos erros, e ninguém é perfeito.


     Light bate na porta, mas não tem resposta...então ele a abre vagarosamente e vê um quarto vazio. Ele volta até a Informações do Hospital tomar satisfações.


     — Eu entrei no meu turno agora, senhor Yagami...que eu saiba o paciente devia estar lá agora. Se ele saiu foi no turno anterior ao meu. Quer que eu chame o diretor do hospital? - diz a funcionária no balcão.


     — Aguarde um momento. - diz Light, pegando seu celular.


     Light liga pra um dos dois policiais que faziam a guarda do Teru Mikami pra saber de seu desaparecimento, mas o policial não atendia. 


     — Olá, Sr. policial, em que posso ajudá-lo? - diz o diretor do hospital, chegando ao saguão.


     — Onde diabos está o paciente sob custódia? - diz Light, louco de raiva.


     — Chegaram alguns oficiais dizendo que iam transferí-lo pro Hospital Naval...nós temos a assinatura do responsável pela transferência aqui...deixa eu pegar...só um momento.


     — Tá aqui o nome do oficial: Takara Nakajima.


     "Takara...mas ele é apenas suboficial...e ele não tem essa autoridade. O que tá acontecendo aqui?" -pensa Light, considerando que o médico não sabe distinguir um suboficial de um tenente.- "E porque os sargentos permitiram isso? Droga! Tenho que resolver mais isso agora."


     — Obrigado. - agradece Light após tirar uma foto do documento com a assinatura do sub- oficial.


     — Misa, eu vou te deixar em casa e vou seguir pro hospital.


     — Pode ir, querido, eu sei que você tá com pressa...eu pego um taxi.


     Light segue então pro Hospital Naval o mais rápido que pode, louco de vontade de matar  alguém...





Notas Finais


Nem sempre as pessoas são o que parecem ser...


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...