História Death Note - O Dia Seguinte (Death Note Continuação) - Capítulo 39


Escrita por: ~

Postado
Categorias Death Note
Personagens L Lawliet, Light Yagami, Misa Amane, Nate "Near" River, Personagens Originais, Raito Yagami, Ryuuku, Sachiko Yagami, Sayu Yagami, Teru Mikami, Watari
Tags Animes, Continuação, Death Note, Death Note Continuação, Drama, Kira, Light, Misa, Mistério, Misticismo, Policial, Raito Yagami, Ryuk, Suspense
Exibições 14
Palavras 681
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 14 ANOS
Gêneros: Drama (Tragédia), Mistério, Misticismo, Policial, Romance e Novela, Suspense

Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Capítulo 39 - Mais uma descendente de nórdicos


Fanfic / Fanfiction Death Note - O Dia Seguinte (Death Note Continuação) - Capítulo 39 - Mais uma descendente de nórdicos



     Pode-se dizer que Cho Saito não é uma espiã, mas sim uma linda borboleta. Ela não para quieta, e adora novidades: é uma ninfomaníaca de carteira, e já passou por dois manicômios quando pequena.


     Não possui registros de nascimento, e ficou órfã quando seus pais foram presos e mortos por roubarem um mercado abandonado em Chernobil, na época da evacuação devido ao vazamento radioativo.


     Um funcionário do hospital pra onde ela havia sido transferida para remoção das trompas de falópio ficou com pena dela e a levou para o Japão junto com mais duas moças mal-tratadas.


     Ele era um bom budista, e a criou com ajuda da esposa e das outras filhas do casal. As outras duas moças foram para um convento. Cho recebeu ótima educação e ganhou cidadania japonesa. Ironicamente, nunca teve cidadania soviética ou ucraniana, mas pela altura e aparência, qualquer um lhe reconhece como uma soviética ou ucraniana nata.


     Atualmente, seus cabelos estão sempre tingidos de preto pra ficar  parecida com as japonesas, o que lhe dá um tom ainda mais encantador.


     No final da adolescência fugiu de casa e se prostituiu, mas pagou a faculdade de medicina do próprio bolso, e jamais consumiu substâncias.


     Seu QI é de admiráveis 153, uma autêntica superdotada, porém com a cabeça um pouco "fora do lugar". Adora uma relação sado-mazoquista, pois ao invés de viver traumatizada, ela vive numa espécie de mundo de fantasia, onde nunca sabe a diferença do real pro imaginário.


     Seu passatempo predileto é em cassinos, ou seduzindo ricaços, ou as duas coisas ao mesmo tempo sempre que dá.


     Apesar desses comportamentos, ela tem muita gratidão ao Japão e ao budismo, e é claro...à sua família acolhedora que ela abandonou.


     Está sempre com um sorriso inteligente e charmoso nos seus lábios vermelhos e um olhar sagaz, sempre dois ou três segundos com o raciocínio a frente das pessoas.


     Decidiu entrar pra polícia japonesa, e conseguiu um cargo na polícia secreta da SAI. Depois foi seduzida e transferida pra AISP.


     Não se sabe se ela nasceu em 1985 ou 1986, muito menos o mês. Deve estar fazendo agora seus 29 ou 30 anos. Sua identidade japonesa lhe confere nascimento dia 12/08/86.


     Na maior parte do tempo, realiza pesquisas de campo no exterior, e está sempre disfarçada. Sua melhor missão foi se infiltrando na Coréia do Norte como acompanhante de magnatas e políticos influentes. Conhece pessoalmente o ditador Kim Jong-un, com quem já teve intimidade como gueixa.

     Foi chamada de volta ao Japão há seis meses atrás, mas só agora que conseguiu se livrar de "olhos desconfiados" e  chegou ontem.


     Cho Saito estava sentada na cama de Teru Mikami segurando-lhe carinhosamente a mão e fazendo perguntas, enquanto que o detetive Chieko Takahashi andava de braços cruzados de um lado para o outro, demonstrando ciúme e raiva pessoal dele, sempre o ameaçando quando falava, enquanto Saito se fazia de amiga dele.


     Em meio à um jogo de palavras e ameaças, os dois agentes iam montando um verdadeiro teatro pra obrigar o promotor(Teru Mikami) a revelar tudo. A pressão era tanta, que ele já estava quase se desmanchando, quando providencialmente Kira chega:


     — Chieko! Mas que surpresa, cara...falaram que... - dizia Light, disfarçando a preocupação, mas ao mesmo tempo sendo espontâneo, já que ele e o Chieko Takahashi são kbons amigos.


     Light para de falar quando vê a detetive sentada, e leva um tempo pra reconhecer(na verdade ele finge que não está reconhecendo a sedutora detetive).


     Quando Light ainda era estagiário na AISP, ele estava no elevador sozinho, até que entrou Cho, que lhe sorriu e parou o elevador onde só haviam os dois. Ela o seduziu e fizeram amor ali uma única vez. Desde então nunca mais se viram. Mas Light nunca tirou a Cho da cabeça, e descobriu mais tarde nos documentos do departamento quem ela era.


     E Light continuou fingindo dúvida ao ver a "russa" eternamente disfarçada de japonesa:


     — Eu lembro vagamente de você, mas acho que nunca fomos apresentados...meu nome é Light Yagami, muito prazer! 


     "Deus!" - pensou consigo mesmo, Teru ao ver Light, aliviado pelo fim daquele martírio!



 



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...