História Death's Hunter - Capítulo 9


Escrita por: ~

Postado
Categorias Naruto
Personagens Gaara do Deserto (Sabaku no Gaara), Itachi Uchiha, Naruto Uzumaki, Sakura Haruno, Sasuke Uchiha
Tags Bruxos, Caçadores, Lobisomens, Narusasu, Naruto, Sasuke, Sasunaru, Sobrenatural, Vampiros, Yaoi
Exibições 101
Palavras 2.017
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Drama (Tragédia), Violência, Yaoi
Avisos: Bissexualidade, Homossexualidade, Tortura, Violência
Aviso legal
Alguns dos personagens encontrados nesta história e/ou universo não me pertencem, mas são de propriedade intelectual de seus respectivos autores. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos criada de fã e para fã sem comprometer a obra original.

Notas do Autor


Oieee olha quem voltou com mais um capítulo de Death's Hunter. :)

Desculpe os erros, sou distraída :(

Me perdoem por não ter postado nada! Minha net estava horrível e não estava conseguindo postar. Mas, to rezando para que não volte a ficar assim novamente.

Boa leitura s2

Capítulo 9 - A Profecia Do Morto


Fanfic / Fanfiction Death's Hunter - Capítulo 9 - A Profecia Do Morto

Kayden acordou abruptamente quando Sasuke jogou a mochila em cima dele. O jovem gemeu, irritado, e  perguntando-se porque aquele maldito Caçador não poderia ter um mínimo de delicadeza com os outros. Ao abrir os olhos pronto para disparar um palavrão em direção a ele, viu que ainda estava escuro, mesmo assim, Sakura apagava o resto a fogueira. Espantado, o jovem reparou que os dois caçadores de noturnos já estavam se aprontando para seguir caminho.

- Espera um pouco, o que vocês estão fazendo? - perguntou alarmado. Sasuke reclamou, enquanto amarravam um cantil na cintura, junto da Adaga. Estava usando aquela pele de lobisomem enrolada sobre o corpo, o que deixava sua figura ainda mais estranha do que antes.

- Você é cego? Já estamos indo! - disse irritado. Kayden levantou-se abobalhado, os músculos ainda relaxados pedindo para dormir um pouco mais.

- Mas ainda está escuro. -  exclamou indignado. Sakura lhe estendeu a bolsa e a capa em sinal de pressa. O moreno pegou suas coisas da mãozinha da Fada,  ainda confuso.

- Não temos tempo a perder. -  exclamou a fadinha recolhendo suas coisas do chão. - vida na estrada é assim mesmo. Contrariado, e nada feliz, o garoto enrolou-se na própria capa choramingando, e passou a seguir os dois Caçadores de Vampiros. Podia sentir como se o corpo todo tivesse atrofiado, as pernas desengonçadas e  inseguras, como se fosse uma criança que ainda está aprendendo a andar sozinha. Tinha tanto sono que saiam lágrimas dos olhos.

- Não dá para dormir mais? estou cansado e com fome! -  gritou  uma vez que eles estavam consideravelmente a sua frente, embora estivesse encaminhando no ritmo normal. Sasuke parou de repente e voltou-se para o rapaz com uma expressão que não escondia que ele queria esganar o adolescente, Sakura viu o que aconteceria,  e até pensou em tentar impedir, mas desistiu, tanto por saber que não podia fazer nada, como também por achar que se o garoto continuasse fazendo manha durante a viagem, ela própria não teria paciência para suportar. Kayden prendeu a respiração quando Sasuke andou até ele com os olhos emanando Fúria. Reparou que seu rosto pálido estava manchado por Profundas olheiras e se deu conta de que o caçador não dormiu bem e certamente estava muito mais exausto que qualquer um ali. Parou com rosto por próximo ao seu.

- Nós não vamos diminuir o ritmo. E se você não consegue nos acompanhar, vai voltar pra Bells sozinho, porque temos mais o que fazer e não vamoz ficar perdendo tempo para o príncipe dormir um pouco mais. Entendeu?

O rapaz acentiu, mordendo os lábios e forçando-se para não cair em um novo choro. Afinal, o que Faria sem Sasuke? foi um milagre ele aceitar o trabalho mas, com certeza seria muito mais fácil arranjar-lhe um motivo para desistir. Então tratou de selar os lábios, abaixar a cabeça e tentar andar o mais rápido possível, ignorando a dor nas panturrilhas e o desconforto no estômago. Não demorou muito amanhecer em um dia claro, sem nuvens mas ainda sim frio. Teve que em rolar-se ainda mais a sua capa e ter mais força de vontade em se policiar para não deixar escapar nenhum choramingo a respeito disso. A floresta começou a se abrir, tornando o caminho mais fácil. Para Sasuke era sinal Claro de que estavam quase terminando de atravessar aquela mata feia e desconfortável, que combinava tão bem com Lugar Nenhum. Calculou que com mais umas duas horas de caminhada, livraria-se definitivamente daquela região. Porém, no meio da manhã kayden desistiu de ficar quieto e começou a resmungar contra o frio e contra o cansaço. Sasuke fingiu não estar escutando e continuou em frente, Sakura desacelerou o ritmo e começou a voar ao lado do menino como se incentivando a continuar. Apesar dos constantes gemidos e interjeições de Kayden, Sasuke só parou de andar quando o Sol indica ser meio-dia. Quando o escutou  dizer " Vamos fazer uma pausa " imediatamente relaxou as pernas e acabou desfalecendo caindo sentado no chão de terra. Sakura notou que ele tremia inteiro e os olhos estavam molhados. Lançou-lhe um patético olhar de conforto e tratou de acender uma fogueira. O rapaz de Bells não sentiu grande nojo em ver Sasuke observando um lagarto que rastejava desatento no mato e de repente espetado para assar como um churrasquinho. Mas apesar disso não reclamou tamanho a fome que sentia quando o caçador  estendeu a carne ressecada abrindo a boca para oferecer a metade, kayden  arrancou espeto da sua mão e engoliu mais da metade sem se quer mastigar. Sasuke conformou-se e fez outra refeição à base de frutas, quando terminou o asqueroso almoço e viu que a dupla de Caçadores estava comendo sem a menor pressa, o menino deitou-se e dormiu logo que fechou os olhos.

Quando voltaram a caminhar, a mata passou a se abrir cada vez mais. O sol teve mais Liberdade, conseguindo invadir as folhagens para esquentar um pouco clima, em compensação o vento gelado também encontrou menos resistencia para soprar entre as árvores.  Os três então viram-se envolvidos por uma disputa da natureza e todos desejavam que o sol vencesse. Já se podia escutar um vago som mais distante, que revelava um curso de água. O garoto de Bells deliciou-se, ao poder escutá-lo, só agora reparava que além de cansado desejava muito um banho.

- Escutem! -  pediu Sakura de repente.

- O que, o rio? eu já escut... - começou kayden. Sasuke fez sinal para eles se calassem e os três pararam de andar. Então kayden percebeu. Além do som do rio, também poderia se ouvir um barulho contínuo interrompido por pausas calculadas, como o tic-tac de um relógio.

Avançaram depressa. Finalmente  viram o começo do campo Cerrado através dos galhos de algumas árvores. O que inconscientemente os fez andar mais rápido. Kayden ainda pensou ter visto um vulto que se assemelha a um homem, na transição da vegetação. Quando, enfim, saíram da mata, encontraram-se numa planície inteira muito Verde, em que duas pequenas montanhas furavam o  Horizonte, uma muito próxima da outra. Porém a primeira coisa que kayden viu foi o rio que fazia seu curso recortando o território ao meio uns 200 metros à frente. Mas, o barulho havia se tornado mais forte, junto dele uma voz cantarolava muito débil, mal articulado e extremamente risonho.

- Árvoreeee, árvoreeee, árvoreee...

Sasuke apontou, mostrando o autor do barulho. Sentado sobe uma pedra ao lado da fronteira que divide a mata e o campo, havia um homem de costas para eles. Vestido de modo terrivelmente sujo e maltrapilho. Sua blusa cheia de Ramos mostrava parte do seu tórax esquelético, estava descalço e Sakura pode observar os enormes espinhos que estavam espetados em seus pés maltratados. Ele era quem recitava.

- Árvoreeee, árvoreeee, árvoreeee. Kayden, confuso, voltou-se para os caçadores que observavam em Soturno silêncio.

- Ele é  louco? Por que está  parecendo que é! - disse abismado.

- Acho que e outra coisa. - revelou sakura. Com uma expressão que kayden julgou que fosse de nojo.

Sasuke fez sinal para que os três se aproximasse em silêncio do homem que continuava repetindo de maneira irritante: árvore, árvore, árvore. Como um perfeito idiota. Ao se ver frente a frente com o sujeito, Sasuke percebeu que o barulho que havia escutado de dentro da Mata era causado por ele. O indivíduo completamente absurdo do resto do mundo, batia dois gravetos um contra o outro, dando a impressão que deveria encaixá-los, talvez para "construir" uma nova árvore.
Então kayden gritou, enjoado.

E não era para menos, reconheceu Sasuke, ele mesmo teve  a vontade súbita de se entregar àquela fraqueza. Afinal aquele  homem estava morto. Sua magreza cadavérica era o primeiro início deste fato, exalava um terrível cheiro de coisa podre esquecida o sol, os poucos fios de cabelos compridos eram grossos e esbranquiçados.  Sakura,  inspecionou com nariz coberto pela mão. Tinha poucos dentes e todos que tinham estavam pretos, quase verdes. O rosto estava desfigurado e cheio de sucos por onde vazava pus. Além disso, ele parece ignorar completamente a presença deles.

- Um zumbi - retrucou Sasuke.  Logo kayden se afastou e se abrigou atrás dele, segurando seus braços com força,  enquando espiava por cima de seus ombros. - uma criatura tão idiota que perderia para uma barata, no jogo da velha.

- Ele deveria estar morto. - protestou kayden, já bem afastado da criatura.

- É, acho que você tem razão - considerou Sasuke. Já levantando o braço para tirar a espada de prata da bainha.

Desembainhou a espada, que brilhou sobre a luz do sol livre da disputa de nuvens. Kayden voltou-se para olhar protegendo os olhos do reflexo luminoso, porém assim que Sasuke se prepara para desferir um único golpe na criatura, de repente o homem dos galhinhos assumiu uma expressão quase viva e o olhou, com olhos ressecados e contraídos parando de bater os gravetos e de cantarolar.

A surpresa gerou um fatídico instante de hesitação dominou os movimentos de Sasuke que continuava com espada de prata  na altura dos ombros. Naquele silêncio que seria totalmente fúnebre não fosse a água corrente do Rio ao lado, tive a nítida impressão de ouvir claramente as batidas do próprio coração e, quando ele foi se perguntar que diabo estava acontecendo, o zumbi com seus lábios descarnados e roxos lançou-lhe uma série de palavras mal articuladas mas que  ele põde entender sem a mínima dificuldade.

- Vá em frente, caçador. Mas lembre-se do que eu vou lhe dizer: um dia você terá que se decidir entre o amor e o ódio, pois passará a amar aquilo que sempre odiou.

As batidas do coração aceleraram de modo tão violento que Sasuke sentiu dor e fraqueza se espalharem pelo peito, afetando os nervos de todos os outros membros. Assim que o zumbi terminou de proferir tais palavras, seus braços agiram de acordo com a mente assustada e desceram descontrolado sobre a cabeça do morto-vivo dividindo em dois pedaços. Respingos escuros e purulentos voaram para os lados os lados tornando o cheiro de podridão e morte ainda mais intenso. O corpo começou a  tremer como se a alma maldita não quisesse se desapegar e voar Livre para onde quer que seja que as almas vão após a passagem terrena. A metade que sobrará na cabeça presa ao pescoço fino, começou a desmontar de forma bizarra, com o  sangue respingando para cima como as águas de uma fonte. Por fim escorregou da pedra e desmoronou na grama as mãos magras e ossudas ainda segurando os gravetos.

Sasuke se endireitou, esperando que seu coração se acalmasse. O que tinha acontecido, afinal de contas? Do que aquele morto falará?  suspirou pesadamente, tentando se convencer que ele só poderia ter imaginado tudo aquilo. No fim das contas Sakura tinha razão, sua cabeça pregava peças, no fundo era bem possível. Teria de ser isso, não havia outra explicação.

Assim que conseguir controlar a respiração entrecortada e acelerada, enfiou a espada suja de volta na boinha e voltou-se para os companheiros. Ao fazer isso percebeu o olhar pasmo dos dois, e teve que admitir a realidade, ele não havia imaginado nada. O zumbi tinha realmente falado tudo aquilo, por mais absurdo que parecesse.

- O que ele falou? - sussurro Sakura. Também assustada, a testa estava franzid, com suor gotejando pelo cabelo rosado.

- Vai amar o que sempre odiou.... que coisa mais sem nexo - resmungou kayden.  Que foi que você sempre odeou, Sasuke?

Alguma coisa subiu pela garganta do caçador e o impediu de responder de imediato. Sentiu uma urgênte necessidade de se afastar dos dois e foi exatamente isso que fez, sem incomodar-se em esconder toda sua momentânea desorientação. Caminhou trôpego e apressado na direção do rio, sentia-se confuso, a cabeça girando. Apertou os lábios por um segundo, aflito. Afinal desde quando zumbi sabia de qualquer coisa? Eram criaturas completamente imbecis. Dar importância a uma profecia tola, feita por um indivíduo cujo único vocabulário era "árvore, árvore?".
Como a voz rouca de sempre, hesitou antes de retrucar.

- Vampiros, kayden. Eu sempre odiei vampiros.


Notas Finais


Espero que tenham gostado!

Só digo uma coisa ( o próximo é dele ) *-----*

Coitado de Sasuke, vai amar o que sempre odiou ^----^ kkkkkkk

Se gostaram da aquela forçinha s2


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...