História December Is Back - Capítulo 1


Escrita por: ~

Exibições 25
Palavras 908
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Festa, Ficção, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Bissexualidade, Drogas, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


Bem-vindos a minha mais nova história. Para quem ainda não me conhece, satisfação, Gabi...

A fanfic tem um trailer e deixarei o link logo nas notas finais.

Por favor, não sejam leitores fantasmas, é de grande importância os comentários de vocês pois por eles eu sei se estão gostando ou não da história. Não deixem de comentarem, PELO AMOR DE ALLY kkkkjjjk

Boa Leitura.

Capítulo 1 - December is back


Fanfic / Fanfiction December Is Back - Capítulo 1 - December is back

1
Califórnia 7:00 am

— Você tem certeza disso Sel?

 

— Certeza absoluta! Vou correr atrás da minha felicidade. — Falei terminando de fechar minha mala. 

 

— A mesma que você fugiu três anos atrás pra viver outro amor. — Apesar de eu não querer admitir ela está mais do que certa.

 

— Ta legal, você acha que eu não sei?! Eu me arrependo, poxa.

 

— Você já pensou que ele possa não querer te ver novamente? 

 

— Ele vai querer!

 

— Como tem certeza disso?

 

— Eu o amo e ele me ama também, tenho certeza! — Pior mentira do mundo, eu não tinha mais certeza de nada. 

 

— Muita coisa deve ter mudado nesses quatro anos Selena, você descobriu que o ama só agora, o que ele sentia por você pode ter acabado, pode ter se destruído a partir do momento que você disse não e foi embora.

 

— Eu preciso terminar de arrumar minhas coisas Lily. Depois nos falamos ok? — Ela exitou mas acabou saindo.

Que merda! Eu só posso estar ficando louca. Será que ele ainda me ama? Será que ele ainda me espera?

Flash Back

Dezembro 

Atlanta - 03:00pm

— Preciso falar com você! — Eu e Justin falamos juntos. — Você primeiro. —Falamos novamente juntos, nos olhamos e começamos a dar risada.

 

— Ok, espera aqui, feche os olhos. — Assenti e fiz o que ele pediu. — Pode abrir. — Quando abri dei de cara com Justin ajoelhado no chão com uma caixinha e um buquê enorme.

 

— Justin...

 

— Calma Sel, deixa eu falar. — Justin respirou fundo e me olhou sorrindo. — Eu tenho toda certeza do mundo que você é a mulher da minha vida, eu te amo tanto, desde o nosso primeiro beijo, do nosso primeiro contato. Você causou um efeito em mim como nenhuma outra mulher conseguiu causar. E eu quero criar essa criança com você... Casa comigo Selena Gomez?

 

— Eu... eu não posso me casar com você Justin. — Falei com a voz tremula.

 

— Por que? Por que não? — Justin perguntou se levantando e logo franziu sua testa.

 

— Porque eu não quero me casar... não agora...— Como eu falaria sem magoa-lo? —Justin, eu quero seguir minha carreira, eu quero me mudar, quero ser livre. Você sempre soube que sou apaixonada por outro cara. 

 

— Como é que é?! É brincadeira né?

 

— Não, não é brincadeira. Esse filho não vai nascer! 

 

— Sele-Selena, diz que é brincadeira... — Ele falou com os olhos cheios de lágrimas. — Diz!!

 

— Me perdoa. — Sai correndo.

Como eu vou me casar com 15 anos? Como vou ter uma criança com essa minha idade? Estragará todos os meus planos...

No dia seguinte eu já estava arrumando minhas malas para ir pra Califórnia, viver ao lado de meu pai, estudar, cursar medicina, ser livre!

Dias Atuais.

Essas lembranças me atormentam. Minha vontade antes era tirar a vida dessa criança mas quando minha barriga começou a crescer o meu amor por essa criança começou a crescer junto.

Ele deve pensar que eu matei nosso filho, deve pensar que sou um monstro. Talvez ele nem se lembre mais de mim. Só queria que tudo voltasse a ser como era antes, por que fui rejeitar seu pedido? Por que fui magoa-lo? 

Ele me ligou tantas vezes e eu apenas recusando, todas as vezes. O larguei por um cara que eu só fui descobrir não amar ano passado, eu queria ter voltado antes mais e a coragem? Nem sei como eu consegui comprar a passagem, arrumar minhas coisas. Meu coração está saindo pela boca. 

[...]

Estava deitada no colo de Lily. Ela é minha melhor amiga, não sei como irei conseguir ficar sem ela, sem seus conselhos, sem seu colo, sem seu ombro. Minha vontade é que ela fosse comigo mas ela não quer, não quer deixar tudo pra trás.

— Vai comigo por favor Lil. — Me sentei e a olhei fazendo biquinho. — Por favor, cara eu não sei como ficarei sem você.

 

— Então por que você não fica? Não vá embora Sel, por favor. 

 

— Eu preciso ir atrás dele Lily, eu necessito dele, sinto muito perceber isso só agora.

 

— Como foi se apaixonar por ele? Como você se sente? Como é isso? Acho que nunca amei de verdade.

 

—Amar o Justin foi a coisa mais complicada que eu já fiz na minha vida. — Soltei um riso bobo. — Ama-lo era como dirigir um Maserati novo numa rua sem saída. Mais rápido que o vento, intenso como o pecado  e acaba de repente. Ama-lo é como tentar mudar de ideia quando você já está em queda livre, como as cores vivas do outono logo antes de perderem tudo. Perde-lo foi uma tristeza que nunca senti antes, sentir falta dele era uma solidão completa, esquece-lo era como tentar conhecer alguém que você nunca viu mas ama-lo era como o vermelho. Toca-lo era como perceber  que tudo que você queria estava bem na sua frente. Guarda-lo na mente era saber palavras  de uma canção preferida. Brigar com ele era como fazer palavra cruzada e perceber que não havia resposta certa. Se arrepender dele era torcer para não descobrir que o amor pode ser tão forte quanto uma rocha. As lembranças dele vem em flash back e ecos. Eu já disse pra mim mesma que chegou a hora de esquecer mas superá-lo é impossível e eu ainda vejo tudo na minha cabeça. Por isso quero voltar para Atlanta. — Abaixei minha cabeça. — Você não sabe o quanto eu me arrependo de não ter percebido antes que precisava dele, que necessitava dele. A pior burrada que eu fiz foi deixa-lo pelo Sam. 


Notas Finais




Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...