História Decisões Do Coração (Namjoon e Jin) - Capítulo 18


Escrita por: ~

Postado
Categorias Bangtan Boys (BTS)
Personagens J-hope, Jimin, Jin, Jungkook, Rap Monster, Suga, V
Tags Bangtan Boys, Bts, Hoseok, Jimin, Jin, Jungkook, Nanjoom, Suga, Taehyung
Exibições 39
Palavras 2.127
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 18 ANOS
Gêneros: Comédia, Drama (Tragédia), Hentai, Romance e Novela
Avisos: Álcool, Heterossexualidade, Homossexualidade, Insinuação de sexo, Linguagem Imprópria, Nudez, Sexo
Aviso legal
Os personagens encontrados nesta história são apenas alusões a pessoas reais e nenhuma das situações e personalidades aqui encontradas refletem a realidade, tratando-se esta obra, de uma ficção. Os eventuais personagens originais desta história são de minha propriedade intelectual. História sem fins lucrativos, feita apenas de fã para fã sem o objetivo de denegrir ou violar as imagens dos artistas.

Notas da Autora


*-*
A carinha do Jimin é muito linda
💙💜💖

Capítulo 18 - Planos...


Fanfic / Fanfiction Decisões Do Coração (Namjoon e Jin) - Capítulo 18 - Planos...

POV. Estela.

Seokjin foi me buscar no café, me levou a um restaurante conceituado de Seul, pedimos comida japonesa, depois de anos aqui na Coreia do Sul me acostumei a comer comida asiática, acho até que gostosas certas iguarias. Sentamos em um local bonito, de vista para um jardim, aquele restaurante era realmente lindo.

— E então Jin, o que queria falar com tanta urgência? — pergunto.

— Que tal comermos antes? — fala disfarçando.

— Você me parece nervoso. — e o nervosismo dele está me deixando nervosa. Pensei que fosse uma conversa rápida, mas ele quis conversar sobre outras coisas, como a dívida da minha empresa, ou meu relacionamento com Namjoon… O que ele quer?

— Bem, na verdade eu queria almoçar com você para tratar de uma festa pequena que quero fazer para a senhora Ryung, não sei se sabe mais daqui a dois meses ela completara ano, e faz algum tempo que não fazemos uma comemoração familiar. Quero organizar algo surpresa para ela, poderia me ajudar?

— Claro, a ahjumma realmente merece.

— Mas surpresa. Como você acha que poderia ser feito?

— Antes preciso saber quantas pessoas serão, para programar a melhor parte da festa.

— A comida — falei, incrível foi dizermos a mesma coisa em uníssono. Uma gargalhada gostosa saiu por nossos labios, aquilo era legal.

— Serão poucas pessoas, digamos umas quarenta. Famílias próximas entende?

— Quarenta famílias? Isso é não é pouco. — arregalo os olhos.

— Não. — ele sorri achando engraçado. — quarenta pessoas, compostas por algumas famílias. — ele rir e põe a mão na boca. — acredito que possa acontecer na minha casa, sim?

— Não sei… Preciso ver o espaço, eu sou boa em decoração e podemos fazer uma simples.

— Pensei em chamar alguém para isso…

— Decoração e comida, ajudo se eu ficar a par disso. — me encosto na cadeira cruzando os braços e as pernas, minha posição de mulher exigente.

— Eu ia chamar uma amiga minha, mas tudo bem… se são essas as suas condições… — ele sorri rindo, desfaço minha posição.

— Me entregue a quantidade de convidados okay?

— Okay, vamos comer enquanto passo mais coisas a você. — resumo da história: eu organizaria a festa da minha ahjumma, e como sou uma pessoa boa, seria simples e bonito.

Quando voltei para o café me entupi de trabalhos, passei maior parte da tarde na cozinha fazendo meus doces especializados, eu pensaria mais tarde em casa sobre a festa. Perdi noção do horário quando vi Sang Ni me chamar insistente para irmos embora.

— Unnie, você não vai agora?

— Sim, sim. — encarei-a e vi que não usava a roupa que veio durante a manhã. — vai sair?

— Não vou poder ir com você hoje, unnie. Planejei de ir hoje com o Yoongi para uma balada de Hongdae. — diz passando as mãos nos cabelos.

— Ele realmente não parece gostar de Gangnam, mesmo sendo um executivo. — digo saindo do escritório e acompanhando ela para a entrada do café.

— Gosta, só que prefere ir para a ala universitária. — ela rir. — na verdade eu queria ir a algum lugar calmo, ele que está de mal humor e ia contrário a todas as minhas sugestões.

— Quando fui visitar o Namjoon ele parecia chateado com você. Todos já foram?

— Não, o kookie está lá na cozinha pegando um bolo que comprou.

— Quem? — ouço a voz de Yoongi atrás de mim.

— O barman do café. — Sang Ni responde alegre.

— Vocês são amigos? — cruza os braços e junta as sobrancelhas. Isso é ciúme?

— Conversamos as vezes, sou noona dele. (Noona – como garotos mais novos chamam meninas mais novas).

— Annyeong Yoongi. — cumprimento sarcasticamente, ele me viu em algum momento?

— Ah, annyeong Estela. — balanço a cabeça. — desculpa por hoje de manhã, eu estava com sono, e odeio conversar quando estou com sono, sou uma pessoa um tanto preguiçosa.

— Tudo bem. Só uma coisa: Boa sorte e cuidado no que faz. — me encara cauteloso. — boa balada para ambos. — me viro para Sang Ni e mando. — não volte muito tarde.

— Sim unnie. Tchau, não vá dormir tarde. — Yoongi também se despede e então vejo-os partirem no carro.

— Annyeong. — Jungkook me cumprimenta.

— Vai a pé para casa Jungkook? — ele é tão fofo.

— Não, vou pegar ônibus. — fala segurando a bolsa nas costas.

— Eu te levo, vem. — ando indo até meu carro.

— Até minha casa noona? — nunca fui chamada de noona.

— Sim, aproveito para fazer algumas perguntas. — ele aceita a carona e entra em meu carro. Pego o endereço e me encaminho até lá. — você não deveria estar na faculdade, kookie? — sorrio para ele que me devolve o sorriso por conta do apelido.

— Me matriculei, mas ela trancou as portas durante dois meses, estou esperando abrir, e era sobre isso que gostaria de falar com você noona. Tem como me livrar do trabalho durante a manhã? Pode me pagar com desconto, tudo bem, só não me peça para sair da faculdade ou do trabalho.

— Claro que não Jungkook, nem um dos dois, eu permito já que é para estudar, e não pagarei apenas metade, farei um corte pois ultimamente o café tem que cortar alguns custos, e ainda falta contratar um entregador, mas seu salário não será tão diminuído. — digo fazendo a curva.

— Komawo noona, eu preciso desse dinheiro. E em relação ao entregador, querem para período integral?

— Sim, muitos clientes veem pedindo isso. Por quê?

— Tenho um amigo que precisa de um trabalho extra, mas sei que se o salário for melhor do que esse que está agora ele toparia trabalhar apenas no café, mas no mesmo período que eu, pois ele também é universitário.

— A maioria das entregas são feitas a partir da tarde, porém sempre há pedidos para a manhã. Ele precisa muito do dinheiro?

— Tanto quanto eu, dividimos apartamento, ele me acolheu quando decidi sair de casa, e agora ele trabalha muito para pagar a faculdade e manter as contas pagas.

— Mas vocês não estão passando dificuldades não é? — pergunto preocupada.

— Não, estamos um pouco longe disso ainda. — ele sorri fraco. — mas acha que ele poderia trabalhar no café? Ele nem estuda a manhã toda, ele estuda em uma faculdade de artes e por isso não são tantas aulas.

— Peça para que ele vá amanhã no café, ele tem experiência? — digo e entro em uma rua calma.

— Sim, está trabalhando em uma pizzaria. Aqui noona. — aponta para um prédio.

— Okay, mande-o para o Sweet Coffee. — ele sai do carro, olho para janela e vejo um garoto dançando. — é ele?

— Sim. — ele ri. — kamsamnida noona Estela.

— De nada kookie, annyeong. — ele cumprimenta formalmente.

Saio dali e volto para minha casa, entro e vejo um Hoseok muito concentrado de fones na cozinha. Ando devagar sem fazer barulho, chego por trás e lhe grito fazendo o mesmo berrar. Eu amo fazer sustos no oppa, o mesmo me olha de cara feia.

— Você não tem vergonha de fazer isso comigo?

— Tenho. — digo agarrando ele.

— E então? — ele estava assistindo um MV.

— Eu suporto. — gargalho e lhe dou um beijo estalado na sua bochecha. — fez comida?

— Não, faça pra gente. — encaro ele com aquela careta cômica típica americana: O que disse?

— Folgado. — ele sorri e me dá língua. Pego as panelas e vou começando a preparar

— Onde está Sang Ni? — pergunta desligando o notebook.

— Foi dormir na casa do Yoongi. — eu sei que foram apenas para uma balada e vão apenas dançar e depois voltar, mas eu quero ver o chilique dele.

— Como assim? — dou de ombros, um, dois, três. — Ah mais não vai. — ele se levanta e vai até a sala, volta bravo e com o celular no ouvido. — por que deixou ela fazer isso? A Sang Ni é uma menina inocente, eu sabia que aquele Yoongi queria algo a mais além de encontros e apertos de mãos. — ele retira o celular do ouvido. — ela não atende. — caio na gargalhada deixando a faca e as verduras na mesa de ilha, sinto minha barriga doer. — por que está rindo?

— Você… parece nosso pai… — continuando rindo, sento pois ficar em pé com minha força é impossível nesse momento. — a Sang Ni foi a uma balada e depois tá voltando. Quem vê pensa que é ciúme, oppa.

— Não é ciúme, é cuidado, e para que você mentiu? — pergunta estressado, estressado de forma engraçada.

— Quer dizer que agiria assim se soubesse que vou dormir na casa de algum carinha? — pergunto me controlando, ele solta o celular na mesa e se aproxima até mim, para ao meu lado e cruza os braços.

— Você não está nem louca. — faço cara de quem fez merda. — que cara é essa Estela?

— Só me diz agora que marquei um encontro?

— Jung Estela! — exclama pondo as mãos no quadril.

— Brincadeira. — abraço seu pescoço. — corta as verduras pra mim, oppa? — ele me encara desconfiado.

— Sai daqui. — me empurra com a bunda e começa a cortar as verduras. Rio dele, Hoseok sempre foi ciumento em relação a mim e Sang Ni, finalmente ela entendeu que é ciúme de irmão, agora ela sabe o que sofri na minha adolescência…

No dia seguinte Sang Ni acordou feliz, mas não me contou o motivo. Quado cheguei no café que recebi o amigo do Jungkook me surpreendi. Por que os jovens são tão bonitos? Ele tem cabelos negros e um rosto suave, seu sorriso me lembra criança, um pouco até sem lógica, afinal não gosto tanto assim de crianças muito novas… Nada contra, mas sério, elas são birrentas e chatas, prefiro ter um cachorro, “você diz isso agora, mas quando tiver seu filho vai mudar totalmente de opinião”, sim eu sei que vou, mas por enquanto, bebês são chatos.

Não pense que os odeio, na verdade todo mês vou pessoalmente para uma creche entregar doces que não vendo, e alguns que faço, odeio desperdício, e sempre no final do mês temos pedidos grandes, o que não vendemos ou são rejeitados eu doou, o detalhe é que são crianças mais velhinhas, de quatro a cinco anos, e noventa por cento delas andam… Não gosto muito de bebês de colo em resumo…

Enfim, o moço era bonito, mas também bom em direção.

— Já vi você antes, lhe entreguei pizza a uns dois dias… — ele fala e eu penso um momento. Realmente, lembro da beleza dele… da entrega que ele me fez quero dizer.

— Sério? Espera, foi mesmo… — é o mesmo entregador daquela noite. — vou pedir para você apenas um dia de experiência, pois sei que trabalha nisso a um tempo.

— Prometo fazer um bom trabalho, como devo chamar você?

— Noona. — falo.

— É tão bonita para ser mais velha que eu… — ele fala sério, eu creio que corei, não estou acostumada com elogios, ultimamente apenas a ahjumma Ryung e o Namjoon têm me elogiado.

— Deixe de ser abusado Jimin… — Jungkook fala.

— Ora, tudo bem… Park Jimin, sim? Tem veículo próprio? — ele assenti. — como não planejava ter um entregador essa semana aqui, não mandei que fizessem roupa, mas mandarei amanhã e logo estará com seu uniforme, por enquanto use essa blusa com a logotipo da marca.

— Sim noona.

Depois de resolver esse assunto subo para o escritório, recebo uma mensagem e é do Seokjin.

O Namjoon deu um jeito de sair hoje da clínica, recomendo que não vá, os pais dele, você sabe… Vou explicar a ele o porque e peço para ele entrar em contato com você…

O Jin está me ajudando em relação ao Namjoon, isso significa que ele realmente não se interessa por mim, o que é algo bom, eu me sentiria mal em saber de algo como isso. No momento quero ver o Namjoon, saber por que ele saiu mais cedo, e porque não me avisou…

POV. Jin

Por que estou ajudando ela a não saber a verdade? Séria melhor para mim se fosse assim, que descobrisse, dessa forma ela ignoraria o Namjoon e quem sabe… Pedi até ao Yoongi que não dissesse nada a Sang Ni, mas por quê?

Talvez seja porque sei que isso vai machucar ela muito, ela não merece isso… Aigoo.

Onde fui meter? Apaixonado pela mulher que meu amigo também quer… Isto está cada vez pior, e se Namjoon não cuidar vai acabar se enforcando por conta desse mar de mentiras…

E eu cairei junto por omitir isso.

POV. Namjoon

Não, e é bom que fale a verdade, odeio mentiras, odeio mesmo… Mas é impossível não me importar com a verdade.

As palavras de Estela rondam na minha cabeça, se ela pensar ou descobrir isso de noivado, com certeza irá me odiar… Eu tenho que acabar com essa palhaçada logo ou vou perder quem tanto quero.

Nenhuma mulher já permaneceu nos meus pensamentos tanto quanto a Estelinha, e olha quem nem chegamos onde realmente quero… mas sinto que estamos chegando lá…

Na verdade pode demorar um pouco, nunca provei disso, acho que é paixão o nome, está sendo legal até agora… Se ela for A pessoa certa, não vou hesitar de tê-la sempre.


Notas Finais


Capitulo de preparação de terreno...
No próximo me entenderam <3




Aviso: SE PREPAREM PORQUE AS COISAS FICARAM MAIS QUENTES


Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...