História D.E.C.P - Capítulo 1


Escrita por: ~

Postado
Categorias Originais
Personagens Personagens Originais
Tags Ação, Policial, Sobrenatural
Exibições 3
Palavras 1.153
Terminada Não
NÃO RECOMENDADO PARA MENORES DE 16 ANOS
Gêneros: Ação, Aventura, Magia, Mistério, Misticismo, Policial, Sobrenatural
Avisos: Álcool, Drogas, Violência
Aviso legal
Todos os personagens desta história são de minha propriedade intelectual.

Capítulo 1 - Piloto


1° dia:

Hoje foi meu primeiro dia no trabalho! Me inscrevi na prova e passei por falta de candidatos (Achei isso muito estranho porque No início da prova havia 769 pessoas fazendo a prova e todos eles estavam super empolgados pra passar, e aí, do nada eu sou avisado que passei por falta de candidatos!) para ser ajudante de detetive particular...estava super nervoso.

Porque na cidade de Nowelltown há várias ocorrências de acontecimentos bizarros, por isso criaram uma unidade especial apenas para esse tipo de caso o D.E.C.P (Departamento especial para casos paranormais), e como o ajudante do detetive morreu estranhamente com um corte muito profundo no seu crânio cortando ao meio seu cérebro! A vaga estava livre, então peguei essa oportunidade. Sempre sonhei em ser um detetive, era a realização de um sonho!

Estava chegando na base de operações do D.E.C.P, e quando cheguei na porta uma voz feminina, robótica e suave me parou

???: Escaneando indivíduo...

Depois de alguns segundos ela volta a falar

???: Identidade de indivíduo desconhecida! Chamando Seguranças!

Eu: O que?

Fiquei muito nervoso! Porque logo após o chamado vi que a porta se abriu e tinha um homem muito alto e muito mais forte que eu, de terno e gravata borboleta apontando uma arma que nunca vi na vida na minha cara!

Homem: Levante as mãos agora! Quem é você? E porque está aqui?

No exato momento que ia falar...uma mulher muito bonita dos cabelos castanhos e olhos de cores diferentes (um era castanho claro e o outro era um vermelho bem forte) disse com uma voz debochada

Mulher: Pode deixar ele entrar, ele é o novo ajudante

Eu: Como você sabe?

Mulher: Porque eu sou o detetive...

Fiquei por um momento impressionado, mas depois entendi tudo, os jornais dizendo que acharam um sapato feminino na cena do crime sendo que não tinha mulheres na casa, era o sapato dela!

Mulher: Bem...entre e cadastre sua identidade para não precisarmos passar por isso de novo

E ela andou de maneira debochada pra dentro da base e sumiu no meio de várias pessoas que pareciam admirar sua inteligência ou sua beleza, não dava pra distinguir...então entrei na base e vi a mulher (A detive mais respeitada de Nowelltown) estava me esperando sentada em cima de uma mesa (como sempre de maneira debochada!) e ao lado dela havia um homem que parecia ser mais velho do que todos, mas não tão velho, devia ter entre 45 e 50 anos, ele me disse que seu nome era Bill Larsson e o nome da detetive era Lisa

Bill (Sussurrando): Aqui no D.E.C.P nós respeitamos muito a Lisa, porque ela parece ter coisas a mais sobre seu passado que ela quer esconder!

Eu (Sussurrando): Porque você não me falou o sobrenome dela?

Bill (Sussurrando): Porque ninguém sabe.

Então foi nesse momento que eu percebi que os mistérios desse Departamento não estavam apenas visíveis do lá de fora, mas por dentro também!

Lisa: Aí Bill...vai explicando as paradas pra ele. Vou sair daqui porque essa parte é muito chata!

Bill: Ok, vou fazer todos os preparativos para você saber de tudo que precisa para sobreviver no mundo místico

Eu: Perai...mundo místico?! Como assim?! Tipo o das histórias em quadrinhos?!

Bill: Mais ou menos...não fique tão empolgado! Você não vai ter poderes nem nada desse tipo

Já esperava por isso, mas então percebi que os olhos dele também estavam de cores diferentes, um era azul e outro com o vermelho bem forte, e não só ele como todos que estavam na base tinham o olho direito dessa cor!

Bill: Te levaremos para uma sala e explicarei melhor

Bill e o segurança me levaram para uma sala bem longe das outras pessoas, a sala tinha isolamento acústico, então já fiquei com medo...mas de repente, o segurança (em uma velocidade incrível, parecia que ele já havia feito isso milhares de vezes!) me botou em uma camisa de força!

Eu: O que é isso?! Porque você me botou nisso?!

Bill: Tenho que fazer uma coisa, e vai doer...muito

Se ele queria me tranquilizar...ele não conseguiu!

Bill: Eu vou lhe introduzir no mundo místico agora...você com o Olho de Shinjitsu poderá ver o mundo místico com todos os detalhes, e será assim que você verá as piores coisas das piores pessoas

Então por isso todos tinham o olho direito vermelho! Pra ver quais pessoas foram possuídas ou almas perdidas se escondendo em formas humanóides...mas eu ainda estava apavorado

Bill: E com a magia restante você poderá fazer isso! *Sons de Magia*

ELE CRIOU UMA METRALHADORA COM MAGIA!!! Ela era diferente de uma normal parecia mais "sinistra"...Por isso eu não reconhecia a arma do segurança, porque ele usou a magia pra criar sua própria arma...mas ele continuou

Bill: Você poderá fazer a sua...mas como você é iniciante só poderá fazer apenas uma pistola simples, porém com treino você pode fazer armas maiores e mais poderosas

Eu: E essas armas podem ser usadas na vida real?

Bill: Sim, porém não com a mesma força. Mas se você usar essas armas fora do mundo místico, você é expulso da organização

Eu: E alguém já fez isso?

Bill: Sim...um cara chamado Kyle

Eu: E ele era mal?

Bill: Ele foi o detetive antes da Lisa, ele foi o melhor detetive e caçador de espíritos dessa organização..eles namoravam, porém uma vez um espírito possuiu a Lisa e ele se sacrificou pra salva-lá e ficou com o espírito em seu corpo, nós íamos matá-lo, mas Lisa decidiu prende-lo e quando encontrar uma maneira de tirar o espírito do corpo dele ela o soltará...ela ficou tão determinada em tirar o espírito do corpo dele que ela virou uma pessoa debochada e que não liga pra nada...só salvar o Kyle, lembro de quando ela era meiga, boba, fofa, mas agora ela só pensa nisso...ela não liga nem pra si mesma mais

Eu: Tendi

Bill: Ok, chega de conversa! Vamos logo com isso

Ok...eu estava com muito medo...MUITO MEDO

Bill: Tente pensar em algo...algo legal!

Eu não consegui pensar em nada, minha vida era ruim...sempre sofri com o bulling e fui muito excluído na escola e na faculdade, por isso só consegui pensar em lembranças do meu pai que me criou sozinho (porque minha mãe morreu de câncer quando eu tinha 6 meses) e sempre me apoiou em tudo, só estou vivo por causa dele...mas então senti uma dor imensa! Como se estivessem enfiando uma furadeira no meu olho! Nunca senti uma dor tão grande quanto àquela! Então a dor passou para meu cérebro! Eu gritava muito e muito alto, nunca achei que conseguia gritar tão alto! E essa dor durou por mais ou menos 35 minutos, mas aí desmaiei de tanta dor...

Quando acordei era 2 horas e meia depois, Bill e o resto do pessoal pareciam muito surpresos, não entendi muito bem mas ele veio em minha direção

Bill: Eu estou acordado?...é vo...é você?

Eu: Sim Bill...sou eu!

Bill: Mas você acordou muito rápido!

Eu: Você tá brincando né? Eu dormi por 2 horas e meia!

Bill: Sim...mas...a pessoa que acordou mais rápido foi a Lisa!

Eu: Já esperava por isso...mas o que é que tem?

Bill: Ela demorou 12 horas!

Fim da 1° parte do episódio



Gostou da Fanfic? Compartilhe!

Gostou? Deixe seu Comentário!

Muitos usuários deixam de postar por falta de comentários, estimule o trabalho deles, deixando um comentário.

Para comentar e incentivar o autor, Cadastre-se ou Acesse sua Conta.


Carregando...